Seguindo o critério Torres: Zebra

"O que eu fui falar?"

Fernando Torres estreou nesta noite pelo Chelsea, justamente contra o seu ex-clube, o Liverpool.

A estreia dele não foi boa. Ficou preso numa forte e bem postada zaga do Liverpool. Tocou pouco na bola e viu seu ex-time vencer.

Se seguirmos o seu critério, o que aconteceu hoje em Stamford Bridge pode ser chamada de “zebra”. Ora, mas por que zebra? Simples. Fernando Torres simplesmente diminuiu seu ex-clube na primeira entrevista no Chelsea, ao dizer que agora sim estava num clube grande. “Mas como? Os Blues se agigantaram na última década, o Liverpool sempre foi grande, como o time londrino pode ser maior?”

Declaração infeliz do espanhol. Ele usou mal as palavras.

Mas seguindo esse critério, a vitória do Liverpool sobre o Chelsea foi zebra.

Forte disputa entre Lucas e Kalou

Mas agora falando sobre o jogo, começo destacando as duas escalações.

No Chelsea, Carlo Ancelotti tirou o 4-3-3 e mudou o time para um 4-1-2-1-2, com Anelka – ponta direita no antigo esquema – jogando como um ponta de lança, logo atrás da dupla Torres-Drogba. Erro fatal do italiano. O francês não tem nenhuma característica de armador e mostrou séria dificuldades de cumprir essa função.

Já Kenny Dalglish deu uma aula de como se montar um time fechado, marcando forte e se aproveitando do erro adversário. Ele montou seu time com três zagueiros, algo pouco visto na Europa – na Itália alguns times ainda usam esse esquema. O esquema de seu time era um 3-6-1, mas no campo, era um 3-4-2-1. Tática boa pra evitar as subidas dos laterais dos Blues.

A primeira etapa foi muito disputada, sem um domínio amplo de ninguém. Algo que ficava nítido eram os erros das duas equipes. O Liverpool jogava no erro adversário por estratégia própria, já o Chelsea jogava no erro dos Reds por incompetência própria, de não conseguir entrar na área dos rivais e finalizar. Só que algo pode sim ser destacado. O gol feito que Maxi perdeu. Gerrard foi a linha de fundo e cruzou pro argentino, que com a trave aberta deu de tornozelo na bola e jogou por cima.

Só faltaram os socos (PA)

No fim do primeiro tempo, vimos outra cena curiosa. Após cruzamento de Maxi pra grande área, Cech saiu pra fazer a defesa, mas foi atrapalhado duas vezes por Ivanovic. Os dois tiveram uma curta discussão ainda na grande área, o clima ficou tenso.

Mas nem a Mãe Dinah em seus tempos inspirados iria prever que outra cena parecida decidiria o jogo…

Tudo começou com o Liverpool trocando passes com calma, até a bola chegar em Gerrard. O camisa 8 foi a linha de fundo e cruzou. Enquanto a bola passava pela pequena área, Ivanovic e Cech chegavam, eis que um esperou o outro e a bola passou pelos dois, chegando em Raúl Meireles, que de pé esquerdo mandou pras redes.

Torres, que já havia sido substituído, era focalizado pelas câmeras no banco de reservas, com cara de bobo, de não entender o que aconteceu: “Como? Eu saio do Liverpool, venho pro Chelsea e no primeiro jogo contra eles eu perco?”.

Há alguns destaques individuais que podem ser feitos. Torres foi mal, mas que o quê? Bateu de frente com Carragher, Skrtel e Agger. Todos os três foram bem, especialmente o inglês e o eslovaco, que estiveram inspirados. Pararam tanto Torres quanto Drogba. Kuyt foi um batalhador, como sempre. Se na técnica deixa a desejar, sempre se supera na raça e era o grande homem do time nas puxadas de contra-ataque. No Chelsea, Lampard esteve muito mal e errou muito. Essien deixou a desejar em suas tradicionais subidas ao ataque. Foram poucas (ou nenhuma).

A festa do Liverpool (Reuters)

É Torres…O “gigantesco” Chelsea foi derrotado pelo “inferiozado” Liverpool. Derrota que custa caro pros Blues. Se viessem os três pontos, a diferença pro líder Manchester United seria de 7 pontos e levando em conta que as duas equipes se pegam ainda duas vezes, essa desvantagem poderia cair pra um mísero ponto. No momento, a briga do Chelsea não é por título e sim por vaga na Champions League, vaga que disputa com o Tottenham.

O Liverpool segue com sua reação desde a chegada de Kenny Dalglish. Já são 4 vitórias consecutivas e o 6º lugar na tabela de classificação. São 38 pontos, nada que possa dizer que o time briga pela volta à Champions League, mas pode sonhar.

Vitória importante também quem conquistou foi o Birmingham. Os Blues venceram o adversário direto contra o rebaixamento, o West Ham, fora de casa, gol de Zigic e ficam fora da zona de rebaixamento. Os Hammers dormem lá…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s