Na hora em que foi preciso…

Que bicicleta maravilhosa (AFP)

…Wayne Rooney mostrou sua genialidade.

O Shrek faz uma temporada muito ruim. Ele só tinha três gols e no clássico contra o Manchester City, ele estava apagado, isolado no ataque, mas sua estrela brilhou.

Sir Alex Ferguson preferiu fazer uma aposta cautelosa. Tirou o então artilheiro Berbatov, colocando Scholes, deixando no ataque, Rooney, em má temporada.

Isolado, o Shrek participou pouco na bola e no pouco que participou, foi decisivo.

Nani e Rooney vibram com o gol (Reuters)

No primeiro gol, Van der Sar despachou pro campo de ataque, como um verdadeiro centro-avante, Rooney foi pra frente e disputou no alto com Lescott e se deu bem. A bola sobrou pra Giggs que serviu Nani pra marcar o primeiro.

Quando a partida estava 1×1 – Dzeko havia empatado pros Citizens -, Rooney voltou e decidiu. Após levantamento de Nani, Wayne Rooney acertou uma bicicleta maravilhosa, no angulo e indefensável pra Joe Hart. Como o próprio jogador disse após o jogo, o gol mais bonito de sua carreira e não é pra menos, se levarmos em conta plasticidade, direção da bola, estado e importância do jogo.

É aquela velha ladainha: “Quando é preciso do grande jogador, ele aparece, mesmo estando mal”. Nesse jogo essa ladainha se encaixa perfeitamente. Ao ver novamente o jogo, você não verá grandes lances de Rooney, mas ele participou dos dois gols, foi decisivo.

Tévez não foi bem (Getty Images)

Pro Manchester City fica aquela velha impressão de que falta cancha ao time pra conquistar vitórias em grandes jogos. No 1º tempo, os Citizens tinham a posse de bola e até criaram mais. Na etapa final, perdendo o jogo, chegaram a empatar com muitos méritos – Mancini mexeu bem, ao tirar os apagados Milner e Kolarov e colocar com Wright-Philips e Dzeko, os dois participaram do gol – mas…faltou aquele jogador decisivo.

O que Rooney foi pro United hoje, Tévez não foi pro City. Ele esteve apagado, tocou pouco na bola e quando tocava, não dava sequencia as suas jogadas. Com a entrada de Dzeko, melhorou, pois pôde sair da área sem se preocupar, mas não fez nada de outro mundo.

Quem se destacou mesmo no City foi Kompany. Preciso nos desarmes e sempre confiante e eficiente na saída de bola. Ainda falando de zagueiros, Smalling, que substituia Ferdinand, foi seguro.

Giggs foi outro a se destacar. Mesmo não tendo feito nenhum gol, chamou a responsabilidade e não se escondeu.

Mas essa derrota praticamente tira o Manchester City da luta pelo troféu. A diferença pro líder United é de 8 pontos – MAN 57 pontos, MCF 49 pontos – e um jogo há mais. É muito difícil tirar essa diferença.

TÓPICOS INGLESES

>>O Wolves, que na última rodada tirou a invencibilidade do Manchester United, caiu nessa rodada pro Arsenal: 2×0.

>>Robin Van Persie fez os dois gols do Arsenal.

>>Em duro teste, o Tottenham venceu a boa equipe do Sunderland no Stadium Of Light: 2×1.

>>E novamente Kranjcar: O croata que esteve pra ser dispensado, decidiu e fez o gol da virada dos Spurs pelo segundo jogo seguido.

>>Após bater o Chelsea, decepção no Liverpool. Empate em Anfield contra o Wigan, 1×1.

>>No bloco intermediário, 0x0 entre Blackburn e Newcastle.

>>O Birmingham vai deixando a parte debaixo da tabela com mais uma vitória: 1×0 contra o Stoke

>>Em confronto direto, Blackpool e Aston Villa ficaram no 1×1, mas seguem lá embaixo.

>>Em outro confronto direto, West Ham e West Brom ficaram no 3×3 e ambos também seguem lá embaixo.

>>Empate heróico do West Ham, já que o WBA abriu 3×0 com 31 minutos.

>>Demba Ba, recém chegado do Hoffenheim, fez dois dos gols dos Hammers.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s