Você pagou com traição, a quem sempre lhe deu a mão (…)

Belo gol de Benzema (Reuters)

Esse velho canto de carnaval se encaixa bem pro jogo entre Lyon e Real Madrid.

Karim Benzema surgiu no Lyon em sua juventude, no ano de 1996. Em 2004 surgiu como profissional e de 112 jogos disputados de 2004 até 2009, ele anotou 43 gols. Virou ídolo na França e no dia 1º de julho de 2009, o Real Madrid pagou 35 milhões de euros por Benzebut e contou com o atacante em seu elenco.

Embora ele não seja uma grande peça do elenco de José Mourinho – Benzema é criticado por todos -, volta e meia ele decide. O jogo de hoje representa esse caso.

Menos de um minuto e um gol (AFP)

Aos 19 minutos do segundo tempo das oitavas de final da Champions League, no jogo Lyon x Real Madrid, José Mourinho sacava o apagado Adebayor e colocava Karim Benzema. Menos de um minuto depois, ele deixava a zaga adversária no chão e tocava com frieza pro fundo das redes de Lloris.

Aí o título se encaixa na história. Ao entrar em campo, Benzema não foi vaiado, hostilizado ou coisa do gênero, e sim aplaudido, como um verdadeiro ídolo. Ou seja, Benzebut “pagou com traição, a torcida que lhe deu a mão”.

Com a penca de dinheiro que veio pro Lyon com a venda de Benzema, Les Gones trouxeram Bafétimbi Gomis, revelação do Saint-Etienne. Dinheiro a princípio bem gasto, pois no jogo de hoje, ele aproveitou toque de cabeça de Cris e mandou pras redes.

Essa foi uma história resumida do jogo de forma de “árvore genealogica” dos fatos, agora vou tentar falar sobre o que vi no jogo.

Na primeira etapa, o Real Madrid decepcionou. Jogou recuado e também via o Lyon apertar a marcação. O time francês começou jogando muito pelo lado direito, mas quando Sérgio Ramos levou um cartão amarelo, o jogo foi invertido pra esquerda. Com o tempo, o ritmo do jogo caiu, o OL só marcava e o Real Madrid tinha uma posse de bola inútil, que não levava a nada. Michel Bastos era muito participativo, mas errava na hora do último toque. Gomis fazia boa partida, saia da área, conseguia usar o corpo e tabelar. No Real Madrid, o trio de meias ia mal. Cristiano Ronaldo e Özil sucumbiam a boa marcação francesa. Dí Maria estava mais preocupado em marcar.

Gomis decisivo (AFP)

Na etapa final, o Real Madrid começou pressionando e logo meteu duas bolas na trave de Lloris. O Lyon estava recuado e não conseguia sair jogando, assim, os Merengues tomaram conta do jogo. Quando Benzema entrou, logo abriu o placar. Özil, que tinha melhorado na 2ª etapa, foi substituído por Marcelo. O Lyon sentiu o gol. Claude Puel trocava a dupla de ponteiros: Delgado e Michel Bastos por Pied e Briand, mas pouca evolução. Benzema seguia bem em campo. Benzebut estava se entendendo bem com Cristiano Ronaldo. Ambos eram as grandes peças pras puxadas de contra-ataque. O Lyon podia não estar desesperado, mas só apostava na bola aérea, assim empatou com Gomis. Ainda na bola aérea, les Gones seguiam criando algumas chances e nada de Real no ataque. Yoann Gourcuff deve ter cansado de jogar bolas na área adversária…Com a bola no pé, ele não fez nada demais.

O 1×1 ficou de bom tamanho pelo que foi o jogo. Muita disputa, lances pegados – só pra constar, Sérgio Ramos tinha de ser expulso após dar uma entrada dura em Cissokho na linha de fundo, lance pra amarelo e ele já tinha cartão – e sua boa dose de emoção.

O resultado é melhor pro Real Madrid, que joga no Santiago Bernabéu pelo 0x0 e com Mourinho no comando, fica difícil imaginar que o time espanhol perca essa vaga. O português, bi-campeão europeu, deve ter a experiência necessária pra transmitir calma e inteligência a seu time. Mas é aquela história da “altitude”… é….a altitude do salto alto do Real. O Lyon terá de se superar. Vai ter de se impor e parar de jogar esse futebolzinho burocrático.

Anelka decidindo pros Blues

Na Dinamarca, o Chelsea espantou a zebra e com boa atuação de Nicolas Anelka, meteu 2×0 no Copenhagen.

O atacante francês fez os dois gols dos Blues, que encaminham a vaga. O jogo foi 2×0, mas o Chelsea poderia ter metido mais “se quisesse”. A equipe londrina perdeu muitos gols. Essa fase chega a ser muito injusta com clubes que tem o calendário como o dinamarquês. Esse jogo de hoje foi o primeiro oficial do Copenhagen na temporada. Times russos e ucranianos que sofriam muito com isso…Faziam uma fase de grupos muito boa, mas no mata-mata, perdiam jogadores e ritmo e acabavam caindo fora.

Resultado excelente pro Chelsea, que vai pra Londres com um 2×0 na bagagem e terá de enfrentar uma equipe inferior que não tem nem três jogos oficiais na temporada, ou seja, só cai se foi incopetente o bastante pra isso.

2 respostas em “Você pagou com traição, a quem sempre lhe deu a mão (…)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s