Faltou um…Henry…um Vieira

Vá ser tolo assim lá.... (Getty Images)

O Arsenal foi eliminado da Champions League.

Esperado, pra não dizer muito previsível.

Tinha a vantagem, mas pegava um time muito melhor fora de casa.

Mas poderia sim vencer o jogo, o problema é que falta alguma coisa…Uma coisa chamada liderança.

Zanetti foi/é o líder da Inter

É difícil imaginar um time sem líder vencer a maior competição de clubes do mundo. Atuais campeões, a Inter tinha Javier Zanetti, que mesmo veterano, seguia esbanjando categoria, pulmão e garra. Campeão da Champions League 08/09, o Barcelona tinha Puyol com a raça e Messi a bola no pé. No ano anterior, Giggs, Scholes e Ferdinand eram os pilares do Manchester campeão europeu, junto com um tal de Cristiano Ronaldo. E daria pra citar outras centenas de exemplos, mas não quero me alongar.

Mas o Arsenal atual? Quem você enxerga com o dom de liderar a equipe, de bater no peito quando a coisa tá feia, que tem a vontade de mostrar que “eu sou o líder dessa bagaça e junto iremos longe”? Ninguém.

O capitão da equipe, Cesc Fábregas é – pelo menos pra mim – supervalorizado. Uns o chamam de craque, outros de gênio, mas pra mim não passa de um jogador muito boa, nada mais que isso. A tarja de capitão em seu braço não passa de um mero símbolo. Mero símbolo que outrora havia sido honrado com muito fervor e paixão por jogadores como Patrick Vieira e Thierry Henry.

Gostava de uma briga ou não o tal do Vieira?

Vieira comprava briga por seu time e mandava prender e soltar no meio campo londrino, já Henry era o genial, aquele que não só empurrava a bola pras redes, como era a referência e o diferencial. Fábregas não une nenhuma dessas qualidades. Ele some. Não briga, não tem vontade, corre, corre e nada mais que isso. A referência e o diferencial ficam reservados a poucos momentos – diminuidos pelos poucos momentos que joga. Que tipo de líder sai jogando de letra na entrada da área, dando de graça um gol ao adversário? Se você considera Fábregas um símbolo de liderança, ele é esse tipo.

Faltou um Vieira no lugar do Fábregas…assim como faltou um Henry no lugar de van Persie. Que expulsãozinha estúpida! Pra falar a verdade ele já poderia ser expulso de primeira, pois tentou agredir Dani Alves, mas conseguiu o grande feito de errar. Levou amarelo, tudo bem…No segundo tempo, ele recebe em impedimento e dá um bico na bola. A desculpa de que não ouviu o apito é válida, já que o Camp Nou estava lotado, mas o auxiliar ficou um mês com a bandeira erguida, ele poderia ter visto. Discordar, dizendo que foi injusta a expulsão, tudo bem, agora já vi gente dizendo que foi absurda. Ué, mas não tá na regra que bicuda depois do árbitro parar o lance não é cartão amarelo? Ele já tinha. Pra mim, Busacca foi correto na expulsão do holandês.

Agora, vendo o histórico do Henry no Arsenal, você acha mesmo que ele seria expulso de forma tão estúpida? Ele teria ao menos o bom senso de parar no lance.

Os candidatos a “líderes do Arsenal”, Nasri e Wilshere se assemelham com os ídolos anteriores. Samir é técnico e tem aparecido quando preciso, lembrando Henry, já Jack tem ao menos disposição, coisa que Fábregas não teve e Vieira tinha. O único problema é que eles não tem exemplos no Arsenal pra seguir e podem cair no marasmo e relaxamento de uns e outros…

Reclamem do juíz...mas nem chutaram em gol (AFP)

O Arsenal reclama da arbitragem, se esquecendo que Messi foi calçado por Diaby dentro da área e Busacca nada marcou. Reclama da expulsão, se esquece que van Persie foi ingênuo e estúpido demais nos dois lances. Não custa lembrar que se ele não tentasse dar um safanão em Dani Alves, ele não seria expulso por dar uma bicuda na bola. Reclama do pênalti no terceiro gol, mas quem manda ficar socado dentro da área? Koscielny derrubou Pedro, foi pênalti. Mas se van Persie não fosse expulso e o pênalti em Pedrito não fosse marcado, alguém garante que os Gunners venceriam? Não! Pelo andar da carruagem, o 3×1 viria naturalmente, com ou sem ação da arbitragem. Mas poderia ser que o Arsenal vencesse. Com a bolinha que estava jogando, não venceria, mas vai saber…

Último detalhe pra Wenger e seus amiguinhos chorões: Se o Arsenal não tivesse tropeçado no ‘poderoso’ Braga na fase de grupos, teria ficado em 1º na sua chave e não pegaria o Barcelona.

Dá pra competir com isso? (AFP)

Sobre a partida, o 3×1 é incontestável. O Arsenal entrou pra se defender e não estava pronto pra atacar. Quando teve a bola não soube o que fazer. Não deu um mísero chute à gol – só a ingênua bicuda de van Persie que lhe rendeu uma expulsão -, seu tento foi um verdadeiro “achado” – Busquets desviou de cabeça pro gol. O Barcelona envolveu o adversário com sua troca de passes, meteu 3×1 de forma indiscutível, não foi o árbitro que estragou o jogo. Xavi jogou demais. Messi, igualmente. Iniesta apareceu quando preciso. Adriano foi um baita elemento surpresa. E repito: Mesmo que os lances em que o Arsenal se diz prejudicado não fossem anotados, continuo achando que o Barcelona meteria 3×1 de novo.

É o famoso chorôrô londrino…Wenger que procure encontrar uma liderança entre os garotos ou vai emendar mais alguns anos na fila…

REAÇÕES

Impedimos o adversário de fazer mais do que três passes seguidos e criamos muitas ocasiões de gol. Analisámos o jogo de ida e decidimos o que devia ser alterado para esta partida. Eles possuem uma filosofia de jogo, mas nós não deixamos que a colocassem em prática.

Josep Guardiola, técnico do Barcelona

São coisas que acontecem no futebol, existem regras no futebol, a culpa é sua

Eric Abidal, defensor do Barcelona

Nós perdemos contra um bom time, mas se tivéssemos ficado com 11 jogadores cada um, então eu poderia aceitar a eliminação. Infelizmente não foi esse o caso, e nós temos muitos lamentos hoje. A maneira como nós perdermos hoje torna isso difícil de aceitar

Arsene Wenger, técnico do Arsenal

Minha expulsão influenciou massivamente no resultado da partida. Foi uma piada completa. Como eu podia ouvir o apito quando existiam 95 mil pessoas pulando e fazendo barulho. Ele foi mal durante toda a noite, e eu não sei por que ele está aqui.

Robin van Persie, atacante do Arsenal

Olha só um ex-Arsenal se destacando...

No outro jogo do dia, nenhuma surpresa, embora tenha sido um vexame pro time perdedor. A Roma, que agora não é mais de Adriano – sorte pro clube romanista -, tomou 3×0 do Shakhtar Donetsk e deixa de forma vergonhosa a Champions League. O vexame foi maior porque quando a partida estava 1×0 pros ucranianos, Borrielo perdeu um pênalti. Quando a Roma esboçava uma reação, parecendo que podia conseguir algo, Mexès foi expulso e tudo foi pro lixo. O Shakhtar se classifica com méritos e olho nesse time. Não é aquela famosa equipe lotada de brasileiros que não jogam nada, é uma equipe que tem sim vários brasileiros, mas que são bons de bola.

REAÇÕES

Não podemos pensar que só vencemos a Roma por ter ficado com dez jogadores. Também jogámos muito bem contra 11 e teríamos igualmente ganho o jogo.

Mircea Lucescu, técnico do Shakhtar

Os rapazes mostraram que estão progredindo, apesar do resultado. Eles ainda podem fazer melhor, mas não há necessidade de ficar desmoralizado pelo resultado, pois estamos no caminho certo

Vincenzo Montella, técnico da Roma

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s