h1

Fim do tabú

16 de março de 2011

Bye, bye fantasma (EFE)

2004/05 Juventus, 05/06 Arsenal, 06/07 Bayern, 07/08 Roma, 08/09 Liverpool e 09/10 Lyon. Todos esses times em suas respectivas temporadas foram responsáveis por eliminar o Real Madrid da Champions League na fase de oitavas de final. Repare que todas as eliminações foram de forma seguida.

Mas nessa temporada, o fantasma foi embora.

Mourinho já foi duas vezes um Champion (AFP)

Nas temporadas anteriores, os Merengues não tinham um técnico que realmente sabe como jogar a Champions League. Mas hoje tem um tal de José Mourinho, duas vezes campeão da competição. Uma característica dos times comandados pelo português é saber fazer o resultado nas partidas de ida, sejam em jogos em casa ou fora, ele sabe fazer seus times conseguirem os resultados na partida de ida. Para conseguir a classificação para as quartas de final, o Real Madrid conseguiu um bom resultado fora de casa: 1×1 com o Lyon no Stade Gerland. Nada mal, levando em conta que os Merengues jogariam num Santiago Bernabéu lotado e claro, tem mais time.

O Real Madrid até passou trabalho no jogo de volta, mas após a abertura do placar – gol de Marcelo -, a máquina começou a funcionar. O Lyon sentiu o gol, deixou de jogar e após 2º tempo péssimo, levou mais dois gols – Benzema e Dí Maria – e como esperado, foi eliminado.

Primeiro fantasma eliminado. Real Madrid classificado para as quartas-de-final.

Outro tabú que caiu foi a sina do Real Madrid de nunca vencer o Lyon. Antes do jogo de hoje, haviam sido realizados sete confrontos entre as duas equipes, os franceses haviam vencido 3 duelos, 4 empates aconteceram e o time espanhol não havia vencido nenhum jogo. O Real Madrid tropeçou nos grandes times do Lyon, com Juninho, Malouda e Wiltord, assim como no time mais ou menos da temporada passada.

Agora caiu esse tabú. O 3×0 é incontestável e acaba com mais essa sina. Pela história e pelo investimento, era claro que em alguma hora esse tabú cairia.

Lyon sentiu o primeiro gol (AFP)

Sobre o jogo, o Lyon fez um 1º tempo bom. Avançou as linhas defensivas, apertou a marcação, comprometeu a saída de bola espanhola e mantinha a posse de bola. Enquanto isso, o Real Madrid não conseguia chegar com facilidade no campo de ataque e em determinado momento do jogo, passou a apostar nos contra-ataques. Mas volta e meia o Lyon errava algum passe na saída de bola. Num desses erros, o Real abriu o placar na tabela de Marcelo com Ronaldo. O gol desconjuntou o OL, que perdeu toda aquela atitude que havia tomado no início do jogo, passou a errar mais e levou isso pro segundo tempo.

Na etapa final, os erros de passe se tornaram mais contantes, a marcação mais fraca e as fugas pro campo de ataque eram raras. O Real Madrid tomou conta do jogo, vencia todas as disputadas aéreas, tinha a posse de bola e o controle do jogo. As falhas da dupla de zaga do Lyon possibilitaram que os Merengues pudessem fechar o jogo em 3×1.

Indiscutível que foi justa a classificação do Real Madrid. Soube conseguir o resultado no Gerland e fez valor o fator campo. Agora o céu é o limite. O maior fantasma já foi embora, agora é esperar o sorteio.

REAÇÕES

Fizemos uma exibição completa em todos os aspectos. A classificação é merecida e controlamos o jogo todo. Agora, temos de esperar pelo sorteio, mas sabemos que só sobram excelentes equipas

José Mourinho, técnico do Real Madrid

Ajudamos o Real a fazer aquilo que faz bem, utilizar o espaço que tem livre. Não estivemos tranquilos e fomos imprecisos em várias jogadas. Estávamos nervosos e senti a tensão na equipe, o que se notou na exibição.

Claude Puel, técnico do Lyon

Chelsea classificando-se no 0x0

No outro jogo do dia, último das oitavas de final, o Chelsea passou trabalho…para abrir o placar. Tanto trabalho que essa missão não foi concluída. O Copenhagen viu os Blues finalizarem por 23 vezes. 7 em direção do gol e 15 chutes tortos. Mas a partida ficou no zero e o time londrino passa para as quartas-de-final no agregado de 2×0.

REAÇÕES

Gostaria de evitar o Barcelona na sexta-feira, porque é a equipe mais forte. Neste momento, colocaria o Barcelona e o Manchester United do lado oposto do sorteio, de forma que pudessemos enfrentá-los apenas na final. Mas temos de esperar até sexta-feira e depois ver o que temos de fazer de forma a prepararmo-nos para a próxima fase.

Carlo Ancelotti, técnico Chelsea

O jogo no Parken foi a única exibição que não nos agradou mas no geral temos de perceber que fomos eliminados por uma equipe superior. De qualquer forma, foi uma exibição fantástica ao sair daqui com um empate sem gols. Os nossos meias foram muito fortes, o nosso guarda-redes esteve bem e, no final, posso dizer que o nosso nível foi muito satisfatório.

Stalen Solbakken, técnico do Copenhagen

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: