h1

Exemplo de longevidade e tradição

22 de março de 2011

Texto de: Gabriel Seixas

Happy birthday to you...

Um dos clubes mais antigos da Premier League completou mais um ano de vida neste mês de março. É o Aston Villa, que agora carrega exatos 137 anos de história. A atual situação dos Leões no Campeonato Inglês – 14º lugar – esconde um passado vitorioso do clube, possivelmente um dos mais bem sucedidos da Terra da Rainha.

Fundado em 1874 pelos ‘Four Founding Fathers’ (Jack Hughes, Frederick Matthews, Walter Price e Willian Scattergood), o Villa conquistou seu primeiro título na temporada 1886/87, vencendo o West Bromwich na final da FA Cup por 2 a 0 diante de 15 mil pessoas. O clube também esteve entre os doze que fundaram a Football League, idealizada por um diretor do Villa, o escocês William McGregor.

Entre 1894 e 1900, foram cinco conquistas da Football League e três da FA Cup, estabelecendo-se como um dos gigantes do país. A título de curiosidade, daí em diante o time passou a vestir as cores vinho e azul, que posteriormente, influenciaram equipes como West Ham e Burnley.

Após alcançar o hexa do Campeonato Inglês em 1910 e da FA Cup em 1920, o Aston Villa entrou num jejum incômodo de títulos. Em contrapartida, o clube ganhou uma nova casa: o Villa Park, que hoje comporta pouco mais de 43 mil torcedores – a capacidade será ampliada para 50 mil para as Olimpíadas de 2012 – e é considerado um estádio 4 estrelas pela UEFA.

FA Cup champions!

Em 1957, um gol de Houghton recolocou o Aston Villa nas manchetes, garantindo o título da FA Cup sobre o poderoso Manchester United de Bobby Charlton e Duncan Edwards. O clube também entrou pra história como o primeiro vencedor da Copa da Liga Inglesa, em 1962, batendo o Rotherham Utd na final.

Depois de uma década de 70 turbulenta, amargando fortíssima crise financeira e até um inédito rebaixamento para a terceira divisão, o Villa experimentou novamente das glórias na década de 80, uma das mais memoráveis de sua história. Os Leões conquistaram o Campeonato Inglês em 1980/81 utilizando apenas 14 jogadores em 42 jogos (impossível nos dias atuais) e, consequentemente, garantindo vaga para a Liga dos Campeões.

Era o início de uma grande história. Mas como nem tudo que reluz é ouro, o time começou muito mal a temporada seguinte e o técnico Ron Saunders acabou demitido. O substituto foi o seu assistente Tony Barton, que sem muita experiência, recebeu a missão de dirigir a equipe na competição mais importante do continente. Passando por cima de vários prognósticos, o Villa eliminou equipes como Dynamo de Kiev e Anderlecht e chegou à inédita final contra o Bayern de Munique, de Breitner, Hoeness, Rummenigge e Cia.

Withe fez o gol do título europeu

Inesperadamente, o gol de Peter Withe colocou o Aston Villa no topo da Europa pela primeira e única vez na história. Apenas quatro equipes inglesas desfrutaram dessa conquista até hoje. Outro heroi do caneco foi o goleiro Nigel Spink, que substituiu o experiente Jimmy Rimmer no decorrer do jogo e fez grandes defesas. Detalhe: era apenas o segundo jogo de Spink como profissional. Certamente o mais importante de toda sua carreira.

A vitória sobre o Barcelona na Supercopa Europeia coroou uma temporada irretocável. Mas o clube logo entrou em crise e experimentou da segunda divisão em 1896/87, porém retornou e fez parte da temporada inaugural da Premier League em 1992, conquistando o vice-campeonato. Na elite do Campeonato Inglês, apenas o Everton disputou mais partidas que o Villa na história.

Atualmente o Villa não desfruta de um bom momento, sobretudo após a saída do técnico Martin O’Neill no início da temporada. Dirigido pelo francês Gérard Houllier – a contragosto da torcida – e com jogadores como Friedel, Ashley Young e Bent no elenco, a equipe luta contra o rebaixamento, assim como os rivais Birmingham e West Bromwich. Faltando oito rodadas para o fim, a mobilização é tão grande que Houllier já declarou que serão oito partidas da importância de uma Champions League – até mesmo aquela de 1981-82.

Nada que ameace apagar a história desse gigantesco clube. O quinto maior vencedor do país também faz parte da história da seleção inglesa, sendo o Aston Villa o clube que mais produziu jogadores para o English Team. Em menor proporção, esta tradição é mantida até hoje. Na vitória por 2 a 1 sobre a Dinamarca num amistoso realizado no mês passado, os gols ingleses foram marcados por dois villans: Young e Bent.

Em meio a um processo de reestruturação, os Leões ainda sonham em retomar as conquistas que o consagraram como um dos grandes no futebol nacional. Um clube que parece ter perdido o rumo diante das dificuldades, mas que conta com uma ótima estrutura, uma torcida fanática e uma história riquíssima e vitoriosa. Parabéns, Aston Villa!

2 comentários

  1. Excelente post, meu amigo! Villa é tradicionalíssimo e é sempre bom lembrar que o futebol inglês não é feito somente por times “megalomaniacamentes” milionários. Gosto muito do time de Birminham, um dos meus favoritos no velho continente! Grande post! Um abraço!


  2. Mas o clube logo entrou em crise e experimentou da segunda divisão em 1896/87

    tem que corrigir essa parte aí…

    lembro de ter visto o vídeo da final de 1982, foi mó pressão do Bayern, típico jogo do grande contra o pequeno, mas numa bola vadia deu Aston Villa campeão, numa época hegemônica para os ingleses.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: