Derby della Madonnina: A história

No próximo fim de semana, teremos mais um grande clássico europeu rolando: Milan x Internazionale, o Derby della Madonnina. E o Europa Football não poderia perder uma bocada dessas e junto com o clássico vem também mais um “Esquenta pros Clássicos”, que é quando o blog faz um preparativo especial pro duelo e não será diferente dessa vez. Não custa lembrar que o Europa Football já esquentou o Superclásico, Le Choc des Olympiques e o Derby do Vale do Ruhr. Confira abaixo a história do derby de Milão.
  • MILAN

AC Milan

Em 16 de dezembro de 1899, o Milan foi fundado. O time participou do campeonato nacional à partir do ano seguinte, quando disputou apenas uma partida e foi derrotado pelo Torino. Apesar disso, em 1901 já conseguiria seu primeiro título italiano. Em 1906 e 1907, o Milan repetiria o feito, e ficando somente atrás do Genoa em quesito maiores campeões da primeira década do século XX.

Porém, o Milan declinou e começou a colecionar resultados medianos, só que a chegada de um sueco mudou a história do Milan e do futebol italiano em geral. Gunnar Nordahl chegou no fim da década de 1940 e se tornou o jogador com maior média de gols na história da Série A, além de ser o jogador que mais fez gols em uma edição do Campeonato Italiano, 35 gols em 49/50. E em 50/51 foi a grande estrela do Milan que saia da fila. Nordahl ainda viria a ser artilheiro da Série A por outras três vezes e ainda foi mais uma vez campeão em 54/55.

Os títulos italianos viraram rotina no Milan. Em 1956/1957 e já com Altafini em 1958/59.

Em 1962/1963 e 1968/1969, vieram os dois primeiros títulos da Copa dos Campeões da Europa, vitórias sobre o Benfica de Eusébio e o Ajax de Cruijff. No Mundial de Clubes, o Milan perdeu um título pro Santos, mas conquistou outro sobre o Estudiantes – lembrando que na época o Mundial reunia somente os times campeões da Copa dos Campeões e da Libertadores da América em jogos de ida e volta.

O Milan foi campeão nacional em 1961/62 e 1967/68 e venceu a Copa da Itália de 1966/67. Depois desse período de grande sucesso, a equipe diminuiu o ritmo das suas conquistas, mas continuou com resultados expressivos, como os títulos da Copa da Itália em 1971/72, 1972/73 e 1976/77 e a Série A de 1978/1979. Conquistando seu décimo scudetto, o Milan ganhou o direito de colocar uma estrela sobre o escudo do seu uniforme. Ainda hoje, apenas três times italianos detêm esse símbolo: a Juventus, que tem duas, e Internazionale e Milan, cada um com uma.

(da esquerda pra direita) Rijkaard, Van Basten e Gullit

O início dos anos 80 foi sombrio pro Milan, que chegou a cair pra Série B, se envolver em escândalos de manipulações de resultados, voltar a Série A, mas tendo sua pior campanha da história, consequentemente voltando a cair. Porém, Silvio Berlusconi comprou o Milan e trouxe vários jogadores renomados, como Marco van Basten, Frank Rijkaard e Ruud Gullit.

Em 1987/88, o Milan voltava a conquistar a Série A e na temporada seguinte, a Copa dos Campeões e o Mundial de Clubes. Investimento certeiro de Berlusconi! Os Rossoneros ganharam o apelido de Dream Team e Os Invencíveis, pois ficaram inacreditáveis 58 partidas sem derrota. Os comandados do lendário Arrigo Sacchi conseguiram algo impensável, um bi-campeonato europeu e mundial.

Já sem Sacchi na década de 90, o Milan seguia vitorioso, com cinco títulos italianos, três consecutivos e mais uma Liga dos Campeões. Nos anos 2000, o Milan voltou a levantar o Scudetto e mais duas vezes a orelhuda – apelido do trofeu da Champions League.

Enfim, os últimos 20 anos do Milan foram os mais vitoriosos de sua história, mas pelo andar da carruagem, os próximos 20 não serão bem assim…

  • INTERNAZIONALE

FC Internazionale

A Internazionale foi fundada em 9 de março 1908, surgindo como uma alternativa para acabar com a hegemonia do Milan. Não à toa foi fundada por discidentes italianos do que estavam no clube Rossonero. O nome “Internazionale” surgiu por causa da vontade dos fundadores de aceitar tanto italianos quanto estrangeiros.

O seu início foi vencedor, com os títulos italianos sendo conquistados em 1910 e 1920.

No período fascista na Itália, a Inter passou por uma série de exigências do governo, tendo que mudar seu nome. Em 1929/30, por exemplo, ganhou a Série A com o nome de Ambrosiana Inter.

Em 1945, o time deixa de se chamar Ambrosiana Inter e volta a ser somente Inter, mesmo antes tendo ganho dois títulos italianos – 1937/38 e 1939/40 – e sua primeira Copa da Itália – 1938/39.

Só que a Inter passou por uma seca de quase 15 anos e só voltou a conquistar a Série A na temporada 1952/53. Em seguida, outro título, um bicampeonato.

Entretanto, a melhor época da Internazionale foi nos anos 60, quando os Nerazurri conquistaram de 62 até 66, três títulos italianos, além de conquistar duas Champions League e dois Mundiais de Clubes. Um novo título italiano voltaria a ser conquistado em 70/71 e novamente em 79/80.

(da esquerda para a direita) Matthäus, Klinsmann e Brehme

À partir de então, o clube adotou a filosofia de trazer mais jogadores estrangeiros, principalmente alemães, como o trio Brehme, Matthäus e Klinsmann. Com eles, os Nerazzuri conquistaram o título italiano de 1988/1989. Depois disso foram mais 16 anos na fila da Série A. Nesse meio tempo de fila na Itália, a Inter começou a conquistar títulos internacionais. Foram três Copas da Uefa – 90/91, 93/94 e 97/98.

A Inter só conseguiu sair da fila na Itália por causa do Calciopoli, que tirou os títulos da Juventus e a Inter foi considerada campeã. Porém, as desconfianças geradas devido ao controverso título conquistado meio que no “tapetão” foram dizimadas, quando a Inter conquistou mais quatro títulos seguidos da Série A, títulos esses que somados ao que foi revogado da Juve, lhe deram o rótulo de penta-campeã italiana.

A última temporada foi mágica para a Inter. Ainda com o técnico José Mourinho e com jogadores experientes como Júlio César, Cambiasso e Zanetti, a Inter se reforçou com jogadores como Lúcio, Sneijder e Eto’o e Milito e assim conquistou a tríplice coroa, com os títulos da Série A, Coppa Italia e Uefa Champions League.

  • A História

Cafézinho?

Milan e Inter também é conhecido como Derby de Milano, por ser um duelo de duas equipes de Milão, cidade do norte da Itália. Esse nome não precisa de grandes explicações para se entender o “porque” de Derby de Milano, agora Derby della Madonnina precisa de certas explicações.

O derby tem esse nome por ser em referência a uma estátua de Nossa Senhora, localizada em cima da Catedral Duomo, ponto histórico da cidade de Milão. A foto ao lado é dessa estátua, La Madonnina.

Não é à toa que esse clássico reúne uma grande rivalidade. Desde os primórdios já existia uma rivalidade de Milão. O Milan, fundado em 1899, por homens de negócios ingleses e suíços, teve uma hegemonia política interna que causou certa insatisfação e alguns dissidentes internos fundaram a Internazionale.

Outro ponto que pode ser destacado como fator decisivo para aumentar a rivalidade entre Milan e Inter é o fato de que Milão é a única cidade da Europa que tem dois times campeões do continente. Mesmo assim, o Milan tem 7 títulos da Liga dos Campeões, enquanto a Inter tem somente 3. O Rossonero pode rir doNerazzuri, porém, ambos podem caçoar de torcedores de outras cidades da Europa. Ainda para aumentar essa vantagem Rossonera na Europa, essas duas equipes se enfrentaram em dois playoffs da Champions League e o Milan venceu ambos.

  • Anos 60

Mazzola pela Inter e Rivera pelo Milan

A década de 60 foi gloriosa no derby. Com Sandro Mazzola na Inter e Gianni Rivera no Milan, os torcedores puderam ver grandes duelos entre as duas equipes. A rivalidade entre as duas equipes era tão grande que atravessava as linhas de Milão e entrava na Azzurra. Raramente os dois jogavam juntos, sempre havia um que começava jogando, enquanto o outro lhe substituia. Na Copa de 1970, Sandro Mazzola iniciou como titular em todos os jogos. Rivera só veio entrar na segunda etapa no 3º jogo, contra Israel e como a Itália empatava, ambos jogavam juntos, mas nas quartas de final contra o México e na semifinal contra a Alemanha Ocidental, Rivera entrou no lugar de Mazzola no intervalo. Na final que veio a polêmica, Rivera era banco e o técnico Ferruccio Valcareggi só lhe colocou no finzinho do jogo, quando a Itália perdia por 4×1. O treinador foi muito criticado.

Nas copas de 68 e 74, a Itália caiu fora na primeira fase e dos três jogos de cada uma das copas, eles jogaram juntos em dois jogos cada. Coincidência cair fora…ou não?

  • Anos 90

Que foto!

O derby também ficou marcado nos anos 90 por causa dos jogadores. Se nos anos 60 era uma dupla – Rivera versus Mazzola -, nos anos 90 tinhamos desafio de trios estrangeiros. No Milan, os holandeses Rijkaard, Gullit e van Basten, enquanto na Inter, os alemães Brehme, Klinsmann e Matthaus. O Milan e seus holandeses mandavam na época, com títulos nacionais e continentais, mas isso não impediu que os torcedores da Inter pudessem ter uma vitória moral.

Nas oitavas-de-final da Copa do Mundo de 1990, disputada na Itália, Alemanha e Holanda se pegaram justamente no San Siro. O jogo havia começado quente, pois aos 22 minutos, Rijkaard e Voeller ficaram discutindo, até que o holandês cuspiu no atacante alemão e ambos foram expulsos. Por fim, curiosamente, Kilnsmann e Brehme fizeram os dois gols da Alemanha na vitória por 2×1. Vitória moral da Inter!

Porém, essa vitória da Inter ficou só na “moralidade”, porque no campo, o “Milan holandês” seguiu ganhando tudo e ganhou o apelido de Invencíveis. Essa história da Inter sem títulos italiano só acabou após o Calciopoli, em 2005/06, quando tiraram os títulos da Juve.

  • Números históricos

*Milan e Inter se enfrentaram pela primeira vez em um domingo, dia 10 de janeiro de 1909 e vitória Rossonera por 3×2. Trerè, Lana e Laich marcaram pro Milan, enquanto Gama e Schuler marcaram para a Inter.

*A primeira vitória da Inter veio no duelo seguinte, no dia 6 de fevereiro de 1910, 5×0, com três gols de Capra e um cada de Peterly e Payer.

*O primeiro duelo na era Série A – antes era pelo Campionato -, a então Inter Ambrosiana venceu o Milan por 2×1, com gols de Visentin e Giuseppe Meazza, ele mesmo, aquele que dá nome ao estádio de Milão.

*O Milan só veio vencer a Ambrosiana Inter pela primeira vez em fevereiro de 1938, 1×0, gol de Capra. Foram quase dez anos sem vitória Rossonera sobre a Inter.

*Em 1958, Milan e Inter se cruzaram pela primeira vez pela Coppa Italia. O Milan venceu um duelo por 3×2 e empatou o outro por 1×1.

*Ronaldinho marcou seu primeiro gol com a camisa do Milan contra a Inter, mesmo exemplo é Kaká.

(Durante a semana coloco mais números sobre o duelo)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s