h1

Batalha I: Empate agradável

16 de abril de 2011

Real Madrid sai como "vencedor" no empate de hoje

A história vai começando a ser escrita! Neste sábado, o primeiro de quatro confrontos entre Real Madrid e Barcelona foi realizado e o resultado foi de bom agrado pros dois: o empate.

Para o Barcelona, o empate não foi ruim, pois o time segue com boa vantagem na liderança da Liga BBVA. O Barça foi melhor durante boa parte e se não fosse uma decisão contestável da arbitragem, fatalmente teria vencido.

Para o Real Madrid, o empate também não foi ruim e pelo que foi a partida, dá para dizer que o resultado foi até melhor para si do que para o rival. Os Merengues marcaram bem, anularam as principais peças catalãs e diferentemente do jogo do primeiro turno, dessa vez “jogaram”, foram pro jogo e criaram chances. Mesmo ajudados pela arbitragem – acho que o lance que ocasionou no gol de Ronaldo foi irregular -, o Real Madrid criou chances para até vencer o jogo.

Guardiola e Mourinho: Atuaram bem (DPA)

Os treinadores também estão de parabéns!

José Mourinho tirou Pepe da zaga e o colocou como volante. Grande mexida, já que o brasileiro-lusitano marcou Messi muito bem. O erro, ou única alternativa para compor a zaga, foi a escalação de Raúl Albiol. O zagueiro cometeu um pênalti em cima de Villa e foi expulso, praticamente jogando o time no mato. Porém, o português mexeu bem. Pepe, que havia virado zagueiro após o time ficar com um à menos, voltou ao meio campo. Özil e Adebayor também deram sua contribuição após saírem do banco.

No lado do Barcelona, Josep Guardiola fez uma aposta arriscada: colocou Puyol, há três meses sem jogar como titular. Mas o risco faz parte e Pep “triunfou”. O camisa 5 teve bela atuação, até sair contundido. O “triunfou” está entre aspas porque vai saber até quando Puyol fica sem jogar? Em uma dessas, o zagueiro perde um ou dois superclásicos e a zaga retalhada prejudica o time…

"Estás maluco, hombre" (EFE)

Destaques individuais somente nas defesas. Como citei antes, Pepe e Puyol. O brasileiro naturalizado português marcou Messi implacávelmente. O argentino apareceu pouco, isso porque tinha uma sombra. Pepe parece ficar mais confortável no meio campo, já que dá o primeiro combate e mostra ter boa saída de jogo, sem falar que ele pode dar suas enxadadas sem grande preocupação, pois no meio de campo, uma falta dura pode ser menos prejudicial do que na grande área. Já Puyol cometeu poucas falhas lá atrás. As brechas foram mínimas, a vontade foi grande, até sair contundido.

Outro que surpreendeu positivamente foi o brasileiro Adriano. Conhecido por seu futebol ofensivo – tanto que o brasileiro pode ser usado no meio campo -, o lateral-esquerdo teve boa presença na defesa, principalmente quando salvou dois gols certos de Cristiano Ronaldo na primeira etapa. Adriano vai mostrando que se não é o titular da posição, pode ser pelo menos o reserva imediato de Abidal, quando o francês voltar a jogar. Porém, assim como Puyol, o brasileiro saiu contundido e vira dúvida para a final da Copa do Rei.

Messi e Ronaldo: Ambos discretos (AFP)

No duelo mais esperado da partida, Messi vs Cristiano Ronaldo, pouco a se destacar. O argentino esteve muito bem marcado por Pepe e só apareceu nas poucas brechas que o português dava. Já Ronaldo apareceu mais na marcação, porém, no ataque foi mais efetivo que o camisa 10 azul-grená, já que participou das principais jogadas de ataque do time. Pode-se aformar que Cristiano Ronaldo jogou mais que Messi!

Mas infelizmente, a arbitragem virou um dos temas principais após o jogo. Muñíz Fernández teve uma arbitragem abaixo da média. Mal no aspecto disciplinar, já que distribuiu cartões à vera, além de ser facilmente influenciado pelos jogadores e acabou se perdendo no jogo.

O primeiro lance polêmico foi aos 27 minutos da primeira etapa, quando Villa recebeu em velocidade, botou na frente e foi derrubado por Casillas. Lance muito controverso, porque o atacante estava com as pernas dobradas. Mesmo assim, achei pênalti. As pernas dobradas de Villa não me pareceram de quem queria se atirar e cavar um pênalti, e sim de quem queria dar uma passada larga e não obteve muito sucesso. Até por isso, acho que o contato entre Casillas e Villa foi faltoso. Mas nesse lance deu para absolver Muñiz.

Aos 5 minutos da etapa final, no pênalti do Barcelona, lance indiscutível. Villa foi lançado, Albiol perdeu o tempo da bola, deu uma gravata no atacante e cometeu pênalti. Infração bem marcada e zagueiro corretamente expulso. Ponto para Muñiz! Aliás, um dado curioso: Após 19 temporadas, o Barcelona voltou a ter um pênalti marcado a seu favor no Santiago Bernabéu.

Pênalti? (EFE)

Só que aos 35 minutos, Marcelo invade a área, divide com Dani Alves e cai. Muñiz não pensa duas vezes e dá o pênalti, que honestamente, eu não daria. Muita gente disse que houve o contato, mas que não foi de pênalti, eu não sei nem se houve esse tal contato. Só sei que o Dani tentou pegar a bola e o Marcelo caiu de maduro. Não foi nada!

Não é por causa dos lances polêmicos que digo que Muñiz foi mal, mas sim pelo conjunto da obra.

Mas falando de coisa boa, o jogo serviu de aperitivo do que pode vir por aí. Não foi um jogãããããão, mas foi longe de ser uma má partida. Vimos um Real Madrid tentando descobrir como parar o Barcelona, já que variou muito seu jogo durante a partida e vimos também um Barça bem marcado e de certo ponto, um tanto quanto surpreendido pelo futebol do time adversário, que descobriu um modo de pelo menos engrossar seu jogo.

Empate válido

Serviu só de aperitivo mesmo, porque o empate não muda em nada o campeonato. Barça com a mão na taça – oito pontos de vantagem – e Real de férias no campeonato. A comilança vem à partir de quarta-feira, com a final da Copa do Rei, onde o empate passa a ser desagradável. No caso desse jogo específico, a igualdade ocasionaria mais 30 minutos de jogo. Mas o que quero dizer é que nesse jogo de hoje, o empate poderia vir, pois ninguém vai reclamar, agora, Copa do Rei e Champions League? Nada de empate! É vitória a qualquer custo!

Só pra constar: A época de grandes jogos é boa, pois podemos ver partidas muito boas e nos deliciarmos com elas, mas é ruim também. Isso mesmo! Porque os “entendidos de futebol europeu” aparecem. Hoje, por exemplo, já ouvi frases do tipo: “Cristiano Ronaldo no corpo do Bruno Cortês, jogaria no União de Leiria” e “O Índio (Internacional) nascido na Catalunha, teria o mesmo sucesso do Puyol”. Menos né…Falem do que sabem e não metam o nariz pra falarem de times e jogadores que vocês vêem uma, duas, três vezes ao ano….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: