Batalha III: Deu pena de Wolfgang Stark

Tamú junto, Wolfgang (AFP)

É difícil eu ter pena de alguém. Principalmente de árbitro. Não que eu ache que eles não mereçam isso, é por um motivo bem simples, porém idiota. É difícil eu gravar nome dos homens do apito.

Mas como não canso de dizer, sou fã da Bundesliga e acabo gravando mais nomes de árbitros, como o de Wolfgang Stark.

Com 42 anos, o árbitro da Baviera apita há treze anos na Bundesliga. Ele apitou 18 jogos na atual temporada, deu 5 cartões vermelhos diretos, 2 por duplo cartão amarelo e ainda distribuiu 48 cartões amarelos. Sua média no site da revista Kicker é de 3,19, nada mau, até porque a média do site é feita de modo decrescente.

Mas hoje ele teve o talvez maior desafio de sua carreira: apitar um Real Madrid x Barcelona, na semifinal da Champions League, terceiro jogo da série de quatro que estão sendo realizados este mês. Jogo cercado de farpas disparadas por todos os lados e Stark teria de controlar essa partida.

Mas após o término da partida de hoje, só se falou em Wolfgang Stark pra cá e pra lá. O jogo foi deixado de lado e o chororo veio a tona. O Real, se sentindo prejudicado, reclamou demais e até apelou para o famoso papo de torcedor – como aquele “contra dez é fácil” ou “eles sempre são ajudados”. O Barcelona, em vantagem no placar, preferiu ficar calado.

Perdido, Stark deixou isso acontecer (DPAD)

Mas o fato é que a arbitragem de Wolfgang Stark agradou poucos. Para mim, não foi horrorosa como muitos falaram. Disciplinarmente, ele manteve o mesmo ritmo dos jogos em que apita na Bundesliga – como a maioria dos árbitros alemães apitam -: Não marcam qualquer falta, não ficam distribuindo cartões à vera e o principal, porém, que lhe atrapalhou nessa partida, levam alguns lances no papo. Os árbitros alemães tem o costume de fazer aquele joguinho de “a primeira vai, a segunda é cartão”. Stark tentou levar o jogo assim, mas acabou deixando os jogadores na obrigação de pensar que podiam bater.

Na confusa e tensa etapa inicial, Stark se perdeu. Não soube conduzir o jogo no papo, estava inseguro, não confiava no que marcava e deixou o jogo duro estrapolar os limites. A impressão que os últimos 15 minutos do primeiro tempo deixaram é que o pau ia comer a qualquer momento. Após algumas rodinhas de confusão, Wolfgang Stark apitou pela última vez na primeira etapa. Alívio? Nada disso. Ainda deu tempo de uma confusão na saída pros vestiários e Pinto, goleiro reserva do Barcelona, acabou sendo expulso.

Disputa light!

Na etapa final, mais polêmica. Quando o Real Madrid estava melhor em campo, Pepe cometeu a burrice de dar uma solada criminosa em Dani Alves e foi corretamente expulso. Aliás, até agora não entendi como há gente que diz que é lance pra amarelo. Tá certo que devemos respeitar as opiniões contrárias, mas todos esses que disseram que foi exagero do árbitro, não apresentaram um argumento do porque de ser exagero. É medo de ser chamado de torcedor do Barcelona? É medo de disserem que tu pega no pé do lenhador Pepe? Solada com pé alto é lance de expulsão. Wolfgang Stark foi perfeito no lance!

Há quem diga que Stark só expulsou Pepe após pressão de todos do Barcelona. Ora, após a falta, o luso-brasileiro foi se esconder, enquanto jogadores dos dois times cercaram o árbitro alemão. Esse foi o motivo da “demora” da expulsão. Como se os árbitros não demorassem alguns segundos para expulsar jogadores…

Logo em seguida, Stark expulsou José Mourinho. Vi gente também dizendo que foi “injusta”. Mas calma lá! Alguém além do 4º árbitro ouviu o que o português disse? Não dá pra dizer que foi injusta…assim como não dá pra dizer que foi justa.

A impressão que muitos tinham era que após perder Pepe, o objetivo do Real Madrid não era fazer um gol ou então se resguardar, mas sim forçar uma expulsão no lado catalão. Durante algum tempo, foi essa a impressão que ficou, mas Wolfgang Stark não é um árbitro fraco como muitos passaram a dizer à partir de hoje. Teve pulso firme, não caiu durante algumas pressões contrárias e manteve-se firme durante o restante da peleja.

Após o jogo, tiroteio. Calma, não houveram tiros de verdade e sim tiros de palavras. Principalmente do lado do expulso Mourinho. Veja abaixo algumas pérolas do português:

Sim. Iremos pro Camp Nou com todo o orgulho, todo o respeito por nosso mundo, que é o futebol. Algumas vezes me dá um pouco de asco viver nesse mundo e ganhar minha vida nesse mundo, mas é nosso mundo. Vamos com todo orgulho, sem Pepe, que não fez nada, sem Sergio Ramos que não fez nada, sem o técnico no banco e com um resultado que é difícil virar

Se digo ao juiz e à Uefa o que penso e o que sinto, minha carreira acaba hoje. Como não posso dizer, só tem uma pergunta que um dia espero ter a resposta: por quê? Por quê? Estamos falando de uma equipe fantástica, digo isso várias vezes. Mas por que o Chelsea não pôde ir à final há três anos? Por que no ano passado a Inter teve que fazer um milagre? Por que este ano acabar com a eliminatória logo no primeiro jogo? Não sei se é a publicidade da Unicef, se são muitos simpáticos… Não sei, não entendo. É um time fantástico, mas tem muito poder. Os outros não têm possibilidade. O futebol é para se jogar de igual para igual, com regras para todos. Depois, ganha o melhor.
Ganhei duas Champions, as duas no campo. Com dois times que não eram o Barcelona. Josep Guardiola é um técnico fantástico, mas ganhou só uma Champions. E me daria vergonha ter vencido daquele jeito, com o escândalo do Stamford Bridge. Se ganhar a segunda agora, terá o escândalo do Santiago Bernabéu.

Mourinho foi expulso (Getty Images)

Chorou bonito o tal do Mourinho. Escondeu o fato de seu time não ter jogado absolutamente nada, de não ter tido nem 30% de posse de bola e de simplesmente esquecer de jogar, pois só marcou e não sabia o que fazer quando tinha a bola, além de jogar toda a responsabilidade de uma derrota em cima de Wolfgang Stark, esquecendo da estupidez que Pepe cometeu. Uma pena o melhor técnico do mundo ser tão chorão e não saber reconhecer a superioridade do time adversário e jogar a torcida – e a imprensa também – contra o árbitro.

Mas enfim, sobre o tema central, repito: Wolfgang Stark não foi tal mal quanto Mourinho e os madridistas estão querendo fazer parecer. Ele só se perdeu na primeira etapa, mas expulsou Pepe corretamente, distribuiu a maioria dos cartões corretamente. Mas como disse, o grande erro dele foi se perder no início e tentar levar o jogo na fala. Mas diferentemente dos jogadores, o árbitro fica marcado pelas más arbitragens. É difícil tu falar que “o fulano conduziu bem a partida” ou “que o fulano distribuiu bem os cartões”, mas é muito fácil ouvir falar que “o fulano deixou de marcar pênaltis” ou “que ele esqueceu os cartões no vestiário”.

O escândalo

Messi colocando o Barça com os pés na final (AFP)

José Mourinho falou tanto no “escândalo” que foi – pelo menos pra ele – a arbitragem de Wolfgang Stark, que entendo eu que ele se confundiu. O escândalo foi o que Messi fez.

Não foi uma atuação magistral, de encher os olhos, mas o pouco que Lionel Messi fez, destruiu o jogo.

No primeiro gol, ele estava marcado, escapou da marcação e teve velocidade pra se antecipar ao zagueiro e mandar para as redes. Destaque também para Afellay. Entrou no lugar de Pedro e fez o que o garoto das canteras não conseguiu: passar por Marcelo. O holandês passou pelo brasileiro e cruzou pra Messi marcar. Minutos depois, o argentino passou por quatro marcadores e deu um toquinho de pé direito, na saída de Casillas. Um gol de placa!

Se a atuação de Messi hoje tivesse sido mais constante, me arriscaria dizer que igualava/superava a de Ronaldinho em 2006, quando foi aplaudido de pé pela torcida do Real Madrid.

Bom histórico

A zaga remendada não tem comprometido

Essa história de “zaga remendada” tem dado certo pro Barcelona. Na partida de hoje, a zaga catalã era formada por Dani Alves e Piqué em suas posições originais – lateral direito e zagueiro, respectivamente -, o zagueiro Puyol na lateral esquerda e ora Mascherano, ora Busquets, ambos volantes, jogando de zagueiros.

Deu no que deu, o Barça venceu o Real Madrid por 2×0.

Na final da Uefa Champions League da temporada 2008/2009, a situação também era feia. Sem Daniel Alves, Rafa Márquez e Abidal, Guardiola teve de remendar sua zaga. Piqué foi o único que manteve sua posição, mas o zagueiro Puyol foi o lateral direito, o volante Yaya Touré foi zagueiro também – e hoje é quase um atacante no Manchester City – e Sylvinho até manteve sua posição original, mas havia jogado pouco a temporada inteira e entrou na lateral esquerda mesmo assim. Resultado: o Barcelona venceu o Manchester United por 2×0.

Além de bom treinador, Pep Guardiola é um bom costureiro!

Uma resposta em “Batalha III: Deu pena de Wolfgang Stark

  1. Já viu onde Pepe toca primeiro? Lamento que tenha escrito baseado numa falsidade, uma vez que Pepe toca primeiro na bola. Veja e reveja e depois argumente, mas argumente com verdade. Segundo, a 2º parte estava diferente, com o Real equilibrando, e com tendência para melhorar. Depois aconteceu a expulsão que vale a pena ser revista. Já agora pergunto e o Dani Alves não deveria ter visto o segundo amarelo? Só posso dizer que havia algo a proteger.Mais ainda e a constante coacção dos jogadores do Barcelona junto do arbitro? Mais um argumento que ajuda a compreender tudo o que se passou.Mas já agora posso dizer-lhe que se viu alguns jogos do Barcelona no campeonato, nos quais os resultados estavam difíceis, veja se não houve beneficio para o Barcelona. Porque escrevo isto? Gosto do Barcelona como equipa, não posso é concordar que seja beneficiada tal como aconteceu com o Chelsea na Liga dos campeões. Depois os Jogadores deste clube foram condenados por declarações. Ridiculo ou não acha? Será que não podem dizer o que aconteceu?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s