h1

Os trunfos de Porto e Braga

18 de maio de 2011

Todo time seus trunfos. Sejam eles grandes ou pequenos. Mas numa final de campeonato, esses trunfos acabam sendo mais valorizados. Então, aproveito eu para destacar os pontos positivos de Porto e Braga, que farão hoje em Dublin, a final da Uefa Europa League.

PORTO

O Porto tem muitos pontos positivos, já que é um grande time. Começamos no banco de reservas, com o técnico André Villas-Boas. Os Dragões são apenas o seu segundo time como treinador. Aliás, com 33 anos, Villas-Boas pode se tornar o técnico mais jovem a levantar um troféu da Uefa. Mas o Porto chegou longe muito graças a sua “experiência”, acredite se quiser. Com a experiência de um rapaz de 33 anos, o time português tem conseguido fazar essa maravilhosa temporada. É que Villas-Boas foi durante muito tempo um dos assistentes de José Mourinho. Com ele, aprendeu a formar um time sólido defensivamente e que no ataque não costuma ter perdão e aproveita as chances que tem. Basicamente é o assim que joga o Porto.

Falcão-Hulk: Dupla letal

A defesa é muito firme, comete poucos deslizes e no Campeonato Português sofreu apenas 16 gols, ou seja, um turno inteiro e mais um jogo. O meio campo e o ataque são formados por três jogadores em cada setor. E todos eles tem características diferentes, o que faz esses setores serem bem consistente. Fernando é o volante mais marcador e que tem a função de proteger a zaga, João Moutinho tem um toque de mais classe, enquanto Guarín é mais forte fisicamente, marcando com vigor e saindo com eficiência pro ataque, sempre apresentando bons chutes de longe. No ataque, Hulk é habilidoso, sabe driblar, mas por ser canhoto e jogar na direita, acaba sempre forçando o drible para seu ‘pé bom’ para conseguir ângulo para a finalização. Varela, que joga no lado oposto, é mais veloz e sempre procura a linha de fundo. Falcão García está lá basicamente para empurrar a bola pra dentro, mas sabe atuar fora da área e tem muitos recursos técnicos.

Acredito que Guarín e Falcão possam decidir

Quem pode decidir à favor do Porto, em minha visão são os colombianos Guarín e Falcão. O primeiro, demorou a engrenar na temporada e durante bom tempo foi reserva de Belluschi, mas com boas atuações, sempre usando bem suas características, – que destaquei acima – acabou se tornando peça chave do meio campo portista. Já Falcão tem feito uma temporada espetacular. É artilheiro da Europa League e titular absoluto do ataque do Porto. Esse jogo tem a cara dos dois. Guarín é o ponto de equilíbrio do meio campo de seu time e uma má atuação do colombiano pode resultar no descontrole do time e perda da consistência no meio campo, enquanto Falcão é o cara que transforma as bolas ruins em gol e num jogo que tem tudo para ser nervoso, essa característica pode ajudar muito.

Claro, não posso esquecer de Hulk, principal jogador do Porto nesta temporada, mas também não posso esquecer que o ponto forte do Braga é a sua defesa, ou seja, Domingos Paciência deve armar algo que possa neutralizar os drbiles e chutes de Hulk, além das investidas na linha de fundo de Varela. Então continuo achando que Guarín e Falcão podem ser mais decisivos do que Hulk. Pelo menos hoje!

Provável time do Porto: Hélton; Sapunaru, Rolando, Otamendi e Álvaro Pereira; Fernando, João Moutinho e Guarín; Falcão, Hulk e Varela (4-3-3). Técnico: André Villas-Boas

BRAGA

Não dá para dizer que o Braga não tem méritos de chegar a final da Europa League, mas o fato é que o pequeno time do norte de Portugal não chegou a final do mesmo modo do Porto. Os Dragões passaram por cima de times que impõem respeito, como Spartak, Sevilla e Villarreal, já o Braga, até passou por adversários complicados, como Dynamo de Kiev, Liverpool e Benfica, mas sempre com o regulamento debaixo do braço. Mas não muda o fato do time ter muitos méritos em chegar a final.

Domingos Paciência comandando o Braga em seu auge

É estratégia de Domingos Paciência fazer com que seu time conquiste o resultado da forma apertada. O elenco é limitado e as centenas de brasileiros que há no elenco do Braga – 11 no total – não são da melhor categoria. Difícil imaginar jogadores como Alan, Leandro Salino e Lima sendo titulares em times brasileiros, por exemplo, mas são grandes peças do Braga. Sabendo dessa limitação, Paciência montou um forte sistema defensivo, que na Europa League sofre gols no esquema ‘jogo sim, jogo não’ e na maioria das vezes, sofre gol nos jogos que pode sofrer, geralmente nas partidas de ida. Não é à toa que o Braga sofreu somente 4 gols na Liga Europa inteira, – claro, levando em conta que o time entrou no meio do torneio – só Ajax, Rangers, Liverpool, Basel e Rubin Kazan conseguiram números identicos na competição.

Em contrapartida, o ataque não é lá dos melhores. Foram só 6 gols anotados, além de 28 arremates no torneio, não são números tão bons. Além do artilheiro da equipe ser Alan, com 2 gols em 8 jogos. Mas como já repeti diversas vezes: o Braga é um time que joga com o regulamento debaixo do braço e joga de acordo com o tamanho de sua história, joga de forma pequena. Isso não é pecado muito menos proibido, é até certo. É um time limitado, que conhece esse limite e joga nessa margem.

Será que agora o ataque funciona?

O ataque do Braga não é dos mais confiáveis. Lima, Alan e algumas vezes Meyong ou até Paulo César, não chegam aos pés de Hulk, Falcão e Varela, mas que mesmo assim, tem sua dose de importância. No duelo contra o Benfica, por exemplo, Meyong e Alan se posicionaram bem abertos nos flancos, evitando as subidas dos laterais Encarnados. Esse foi um dos fatores que ocasionou na classificação do Braga.

Para este blogueiro, o grande trunfo do Braga é a sua defesa, que é muito bem armada e irá encontrar um ataque que além de também ser bem armado, é forte técnica e fisicamente. Se os Arsenalistas saírem na frente do marcador, dificilmente perderão a partida. Isso foi muito lembrado pelo pessoal do Porto e pela imprensa. E é verdade. O Braga abre o placar e se retrai um pouco mais. Não chega a armar um retranca, mas arregala os dois olhos, prestando mais atenção na marcação.

Entendo eu, que se a defesa do Braga não estiver num bom dia, as chances do Porto ser campeão, que já são grandes, aumenta de forma explosiva. A defesa do Braga é a chave do sucesso do time!

Provável time do Braga: Artur; Miguel García, Alberto Rodríguez, Paulão e Sílvio; Custódio, Hugo Viana, Leandro Salino e Vandinho; Alan e Lima (4-3-1-2). Técnico: Domingos Paciência

One comment

  1. […] leu o último post do blog Europa Football, sabe da minha aposta de quem decidiria a final pro Porto. Era exatamente […]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: