Mundial Sub-20 – Você já ouviu falar (Parte 2)

Dando sequencia a série de posts para o Mundial Sub-20, faço a segunda parte do “Você já ouviu falar”, com jogadores que se destacaram por seleções europeias no torneio e que certamente vocês já ouviram falar (já aviso previamente que pulei o Mundial de 1993, por ter sido um torneio muito ruim para as seleções europeias e de predomínio sulamericano nos principais quesitos).

1995 – Joseba Etxeberria (Espanha)

Cria da Real Sociedad, mas que durante 15 anos vestiu a camisa do Athletic de Bilbao, Etxeberria foi o grande destaque da Espanha em uma seleção que tinha jogadores como Morientes, De La Peña e Raúl. Com 7 gols, Extebe foi não só o artilheiro de sua seleção, como artilheiro do torneio. Desses sete gols, três foram anotados nas quartas-de-final, na vitória sobre a Rússia por 4×1.

No torneio, porém, os espanhóis sucumbiram nas semifinais diante dos futuros campeões da Argentina, com uma derrota acachapante, 3×0.

Destaque também para a campanha de Portugal, que alcançara as semifinais, sendo eliminada pelo Brasil. Nos demais selecionados europeus, tivemos a já destacada Rússia, além de Holanda e Alemanha, ambas eliminadas na primeira fase.

1997 – David Trezeguet (França)

Desde garotos, Henry e Trézéguet se entendiam bem

Desde garoto, Trézéguet já mostrava seu faro de artilheiro. Com cinco gols em cinco jogos, ele foi o vice-artilheiro do torneio, ficando atrás somente do brasileiro Adaílton. Naquela época, Trézéguet fazia dupla de ataque com nada mais nada menos que Thierry Henry. 8 dos 10 gols franceses no torneio foram dos gois jogadores.

A França caiu pro Uruguai nas quartas-de-final e viu outra seleção europeia se destacar: a Irlanda. O time que tinha como grande estrela Damien Duff, chegou a deixar a Espanha para trás e só foi parada pela futura campeã Argentina nas semifinais.

Das demais seleções europeias no torneio, só decepção. A Inglaterra passou pela primeira fase com 100% de aproveitamento, mas caiu pra Argentina logo na primeira rodada dos playoffs. A Húngria saiu zerada, já a Bélgica, após se classificar na bacia das almas, foi eliminada nas oitavas de final com um indigesto 10×0 para o Brasil.

1999 – Pablo (Espanha)

Com cinco gols e duas assistências, Pablo Couñago foi o destaque da Espanha no título mundial de 1999. Desses cinco gols, podemos destacar quatro de grande importância: dois nas oitavas de final, contra os EUA, na dura vitória por 3×2 e dois na final contra o Japão, onde a Espanha venceu por 4×0 e conquistou o título. Por fim, Pablo nunca explodiu em sua carreira e atualmente vaga por clubes de divisões inferiores da Inglaterra. Não foi o caso de outros companheiros de seleção na época, como Casillas, Xavi, Yeste e Marchena.

Mesmo com a Espanha campeã, podemos dizer que foi um fiasco europeu nesse mundial. A Alemanha caiu na primeira fase em um grupo que tinha Nigéria, Paraguai e Costa Rica. Pelo menos os alemães terminaram em último tendo vencido um jogo. Não foi o caso da Inglaterra, que ficou com a lanterna de seu grupo e zerada em pontos. Das quartas de final em diante, só a Espanha prosseguiu, porque Irlanda, Croácia e Portugal caíram nas oitavas de final.

2001 – Djibrill Cissé (França)

Com 6 gols, Cissé foi o destaque francês

No time que tinha Alou Diarra e Benoit Cheyrou, quem se destacou foi Djibrill Cissé. Vestindo a 12 na época, o atacante anotou 6 gols no torneio, se tornando o artilheiro francês no torneio. Seus gols foram suficientes para levar seu selecionado para as quartas de final, graças a dois gols diante da Alemanha na vitória por 3×2 na fase anterior, mas não foram suficientes para desbancar os donos da casa da Argentina, que viriam erguer o troféu na final contra Gana.

Novamente os europeus não chegaram tão longe como o esperado. A Finlândia foi a única que caiu na fase inicial, enquanto Alemanha e Ucrânia deixaram o torneio nas oitavas de final. Nas quartas-de-final houve um verdadeiro extermínio, quando a Argentina tirou a França, o Paraguai tirou a República Tcheca e o Egito tirou a Holanda – de Robben, Huntelaar, Van der Vaart e Theo Janssen – do torneio.

2003 – Andrés Iniesta (Espanha)

A Espanha não tinha um time tão brilhante, mas era muito regular e consistente. Mesmo assim, eles tinham um diferencial chamado Andrés Iniesta. Seus três gols foram de grande importância para a Fúria. O tento vitorioso contra o Uzbequistão na primeira fase, o gol inicial do 2×1 sobre o Canadá nas quartas-de-final e o gol que levou seu time para a final, na vitória sobre a Colômbia. Na decisão, a Espanha caiu diante do Brasil.

Novamente a Espanha salvou a honra europeia no torneio…

República Tcheca, Inglaterra e Alemanha foram eliminadas na fase de grupos da competição. No mata-mata, a Eslováquia caiu diante do Brasil e a Irlanda foi eliminada pela Colômbia, dali em diante, só a Espanha prosseguiu.

2005 – Fernando Llorente (Espanha)

Llorente era a referência do ataque espanhol em 2005

Mais um torneio decepcionante para as seleções da Uefa. Nenhum semifinalista. Mesmo assim, a Espanha conseguiu ter o vice-artilheiro do torneio: Fernando Llroente, atual atacante do Athletic e que é desejado por meio mundo. Diga-se de passagem, quatro dos cinco gols que ele anotou no torneio foram marcados no 7×0 sobre o Chile, então não há muitos comentários…

É até difícil falar de um grande destaque europeu, sabendo que Lionel Messi destruiu pela Argentina!

Mas falando sobre as seleções européias no torneio, só a Suíça não passou da fase de grupos. Ucrânia e Turquia ficaram pelo caminho nas oitavas de final e nas quartas-de-final, o que havia restado se foi. A Itália caiu fora para Marrocos, a Alemanha caiu pro Brasil, a Holanda foi eliminada pela Nigéria, enquanto a Espanha caia pra futura campeã Argentina.

2007 – Martin Fenin (República Tcheca)

As seleções europeias voltaram a figurar nas semifinais de um Mundial Sub-20, mesmo não sendo as “grandes” seleções esperadas. Tivemos nas semifinais um duelo entre Áustria e República Tcheca. Os tchecos, que avançaram até a final, tinham como grande destaque do time o atacante Martin Fenin, autor de três gols no torneio. Só que assim como em 2005, todos caíram para a Argentina, que não era de mais de Messi e sim de Agüero.

Na edição de 2007, somente a Escócia caiu na fase inicial representando a Europa. Nas oitavas de final, Portugal e Polônia deram adeus a competição e na fase seguinte, a Espanha viria a cair pra República Tcheca.

2009 – Vladimir Koman (Hungria)

Vladimir "Komandou" a Húngria no último Mundial

Aos poucos o futebol húngaro vai ressurgindo. Um respiro foi no Mundial Sub-20 de 2009, quando o seu selecionado acabou na 3ª colocação. O destaque da equipe foi Koman, autor de 5 gols húngaros no torneio. O meia mandou no meio campo da Húngria e foi um dos grandes responsáveis pela surpreendente campanha húngara. A Hungria caiu nas semifinais pra futura campeã Gana.

Só pra variar um pouquinho, a Inglaterra foi a decepção europeia, sendo a única do continente a cair na fase de grupos. Nas oitavas de final, os europeus que caíram foram por causa do chaveamento, que lhes botou de frente a outro europeu, ou seja, teríamos um time da Uefa caindo fora do mesmo jeito. Espanha e República Tcheca foram as que ficaram pelo caminho. Itália e Alemanha caíram nas quartas de final, enquanto a Hungria seguia e caia pra Gana nas semifinais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s