Foi na empolgação

Na empolgação de Rodolfo Cardoso, o Hamburgo saiu da série sem vitórias

Após longas sete rodadas, finalmente veio a primeira vitória do Hamburgo na Bundesliga.

Foi um verdadeiro drama. O HSV e seus torcedores se gabam tanto por nunca terem sido rebaixados, tanto que tem um contador do tempo que permanece na primeira divisão alemã em seu site e na Nordbank Arena, e agora viam seu time não vencer nenhum dos sete jogos iniciais da Bundesliga.

Muita história rolou para que essa série sem vitórias ocorresse. E a história tem de ser contada desde a temporada passada.

Armin Veh não conseguia fazer seu time jogar. O elenco era envelhecido e ele não conseguia tirar mais nada do elenco, até que foi demitido. Michael Oenning assumiu em seu lugar, mas também não fez grande coisa.

Frank Arnesen chegou para ser o diretor esportivo do clube propondo uma nova filosofia. Jogadores veteranos como Rost, Zé Roberto, Mathijsen e Nistelrooy deixaram a equipe, para a entrada de garotos como Rajkovic, Bruma e Töre, todos esses trabalharam com Arnesen no Chelsea.

Mas nada dava certo!

Oenning não conseguiu tirar nada de positivo do time envelhecido, e muito menos do rejuvenescido. Não à toa foi demitido após a derrota em casa pro Borussia Monchengladbach, onde após sofrer o gol, pouco ameaçou a meta de ter Stegen.

Rodolfo Cardoso teve sucesso no time B do Hamburgo e veio pra apagar o fogo

Para apagar o incêndio, foi chamado Rodolfo Cardoso, argentino que comandava o time B do Hamburgo. Solução caseira, porém, inteligente.

O time B do Hamburgo disputa a Regionalliga do norte – Regionalliga é a quarta divisão, que é dividida por regiões – e lidera a competição, com 15 pontos em seis jogos. Se era pra pegar alguém da casa, que pegasse alguém com alguma experiência. E isso foi feito.

Hoje aconteceu a estreia de Rodolfo Cardoso. Jogo difícil contra o Stuttgart na Mercedes-Benz Arena. Os mandantes vinham de importante vitória sobre o Freiburg e poderiam ser considerados uma das equipes que mais evoluiu de uma temporada pra outra na Bundesliga. Porém, o Stuttgart sucumbiu a animação e motivação proporcionado por Rodolfo Cardoso no time do Hamburgo. Derrota de virada por 2×1.

A impressão que tive é que Rodolfo ganhou o grupo em pouco tempo.

Um dos motivos está no fato de ele ter colocado quatro jogadores do time B entre os 18 relacionados. E o surpreendente: Rodolfo Cardoso colocou em campo como titular o garoto Zhi-Gin Lam, de 20 anos e que nunca havia atuado na Bundesliga. O mais surpreendente ainda foi o fato dele ter jogado bem. Lam se entendeu bem com Gokhän Töre – que finalmente teve uma atuação convincente – e foi um dos melhores em campo.

Outro ponto que só saberemos quando algum jogador vier a público falar, seria o papo de vestiário de Rodolfo. O Hamburgo não fez um mal primeiro tempo. Jogava de igual para igual quando sofreu o primeiro gol, mas sentiu demais essa baixa. Mas no fim da etapa inicial, já estava meio recuperado, mas saiu no barato o 1×0 contra, pois o goleiro Drobný fez defesas importantes na etapa inicial.

Bruma vibrou demais com o gol de empate do HSV

No segundo tempo, o Hamburgo voltou com outra atitude. Virou o jogo com autoridade, administrou bem a vantagem e sofreu poucos sustos. Rodolfo pode ter dado um esporro daqueles, assim como pode ter simplesmente dado orientações mais detalhadas, coisa que na beira do gramado é meio impossível.

As imagens de Rodolfo Cardoso que apareciam na TV pelo menos, não o mostravam fazendo grandes indicações de posicionamento ou algo do tipo. Parecia mais gesticulações do estilo: “Vamú lá! Força rapaziada! É assim mesmo!”. E isso pareceu motivar o time.

Michael Oenning é meio “morto” na beira do gramado. Ele cruza os braços e dá uma instrução aqui e outra acolá, mas não é muito agitado. Não acho que agitação seja um ponto importante para definir o que é ou não um bom treinador, mas em determinadas situações, como a terrível situação vivida pelo Hamburgo, o melhor era ter um treinador mais agitado, que apoiasse e vibrasse junto após cada momento bom vivido por seu time na partida. Basta ver o momento dos gols marcados por Bruma e Tesche: todos foram vibrar com Rodolfo, que realmente parecia feliz por fazer o Hamburgo vencer.

É muito cedo para falar isso, mas Rodolfo Cardoso conquistou o grupo do Hamburgo!

Não sei se vale seguir apostando no argentino. A experiência que Rodolfo tem é na quarta divisão! Será mesmo que ele tem conhecimentos táticos, técnicos e experimentais para treinar um time gigante, ameaçado pelo descenso mas que nunca foi rebaixado?

E outra: se ele não tem esses conhecimentos, vai na motivação, né? Hoje deu certo. Nas próximas rodadas pode dar certo também. Mas se uma série de derrotas vier e a motivação acabar, o que acontece? Manda ele embora e traz o locutor do estádio para dar motivação ao time?

Huub Stevens deve voltar ao Hamburgo

Mas a tendência mesmo é Rodolfo Cardoso voltar ao time B do Hamburgo. O diário alemão Bild dá como certa a contratação de Huub Stevens, que foi muito bem no Schalke e não muito bem no próprio Hamburgo.

No HSV, foram 49 jogos, 23 vitórias, 15 empates e 11 derrotas.

É uma aposta mais sensata, mas fica a dúvida: será que o experiente Huub Stevens conseguirá conquistar a confiança do grupo como o novato Rodolfo Cardoso conseguiu?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s