O segredo de Guardiola

Pep Guardiola é um grande técnico?

Acho que sim.

Mas o fato de ter tido e ainda ter em mãos jogadores como Messi, Xavi, Iniesta e outros ajudou bastante pra que ele se tornasse esse “grande técnico”?

Também acho que sim.

Mas então, por que ele arranja tanta antipatia de alguns jogadores?

Beleza, Ibra? (Reuters)

Essa é uma pergunta que pelo menos eu não tenho resposta.

Logo que chegou ao Barcelona, Guardiola já se desfez de peças como Ronaldinho Gaúcho, Deco e Samuel Eto’o. Com um pouco mais de relutância, manteve o camaronês em seu elenco e fez com que ele se tornasse uma das peças chave do Barcelona campeão europeu da temporada 08/09. Mas o bom convívio durou pouco: na temporada seguinte, Eto’o era trocado pelo sueco Zlatan Ibrahimovic. Erro fatal!

Não só Eto’o era novamente campeão europeu – daquela vez pela Inter – como Ibrahimovic se tornaria um tormento na vida de Guardiola. O pouco futebol apresentado pelo sueco era nítidamente contrastado com os 68 milhões de euros investidos pelo Barça. Ibra virou banco e obviamente não gostou disso.

Hoje, o sueco brilha no Milan, mas mesmo assim, como nos tempos de Barcelona, segue soltando farpas em direção de Guardiola, claramente dedicando seu fracasso ao seu treinador em campos espanhóis.

Tão perto... mas tão distante... (Reuters)

Ibrahimovic é talvez o único “inimigo público” de Guardiola. Dos jogadores “de nome” que Pep mandou embora do Barcelona, Ibra é o único que segue criticando o treinador à distância. Recentemente, o sueco chegou a chamar Pep de “filósofo”, obviamente com uma dose enorme de sarcasmo. Eto’o já chegou a dizer que não entendia o motivo de sua saída e criticou a mudança que Guardiola queria fazer no clube. Calados, Deco e Ronaldinho nunca falaram nada demais. Mas certamente Eto’o guarda uma mágoa maior e não tenha se expressado ainda querendo evitar uma polêmica maior ou simplesmente não teve a oportunidade de vir a público comentar sobre o assunto. Deco e Ronaldinho também devem guardar uma certa raiva do treinador, que os dispensou e após desse fato, ganhou títulos e mais títulos, além de ter ficado com a fama de bom moço.

Nessa semana, mais um ex-jogador do Barcelona mostrou sua antipatia com Pep Guardiola:

Não consegui falar direito com ele durante uma temporada toda. E, quando era possível, falava coisas estranhas, pouco comuns a um treinador. Se tivéssemos conversado bem, provavelmente ainda estaria no Barcelona

Guardiola não confiava em mim. Sempre que falávamos, ele me deixava sem resposta e era pouco claro nas justificativas para me deixar fora da equipe. Até que surgiu a oferta do Manchester City. Nesta época, confesso que até a minha família começou a pensar que havia um problema qualquer com ele. Sempre pensei que tinha condições para encerrar a minha carreira lá, mas estava enganado

Yaya Touré

Não deixa de ser um fato novo. Eu poderia jurar que Touré havia trocado o Barcelona pelo Manchester City por causa do caminhão de dinheiro oferecido pelos ingleses. Agora veio à tona esse distanciamento do marfinense com o treinador.

Aliás, só puxando uma extensão: Touré disse que Guardiola pouco falava com ele, o curioso é que Ibrahimovic – sempre ele – e Bojan – outro ex-jogador do Barcelona que saiu do clube criticando Guardiola – soltaram as mesmas reclamações ao treinador. O sueco afirmou que “tudo ia bem no Barcelona, mas após a virada de 2009 para 2010, algo aconteceu e Guardiola emendou dois meses sem conversar com ele”. Enquanto Bojan, em sua despedida do clube blaugrana disse que “se despediu de quem se portou bem com ele e não de Guardiola, que passou todo o verão sem falar com ele”.

Quando decidi fazer esse post, tinha em minha cabeça que Guardiola só conversava com o pessoal da base, ou seja, com jogadores que assim como ele, foram criados pelo Barça, sabem como funciona o “esquema Barcelona” e talvez até alguns desses atletas tenham passado por suas mãos e já tenham laços antigos de amizado com Pep, mas ao fazer uma “googlada” pra ver quem mais havia criticado o treinador, percebi que não é exatamente isso que acontece.

Não sou um grande entendedor de futebol espanhol, mas sei que no Barcelona há alguns jogadores criados pelo clube que tem certo potencial, mas por ficarem tanto tempo esquecidos no banco de Guardiola, acabam se desmotivando e a carreira vai pro buraco.

Líder da "panela"? (Reuters)

Vide esses grandes problemas de relacionamento que Guardiola tem com ex-jogadores e com todos eles destacando os mesmos problemas, só pode ser verdade – ou está tudo clinicamente combinado -, e só pode ser verdade também que há uma “panelinha” no clube, onde há os jogadores criados no Barcelona – e algum outro gato pingado, como Dani Alves – que acabam se dando muito bem com Guardiola e formam um “grupo forte”.

Só que esses problemas internos e essas “panelinhas” – que por declarações de ex-jogadores, me deixam com a nítida sensação que existem mesmo – são muito bem protegidas. Desde que Guardiola chegou ao clube, há uma camuflagem enorme sobre o elenco e a comissão técnica. Raramente surge uma polêmica envolvendo o clube fora das quatro linhas. As polêmicas que o Barça se vê envolvido são dentro do gramado, como nas incessantes disputas contra o Real Madrid na última temporada.

Não é anormal haver “panelinhas” em um grupo de atletas. Muito pelo contrário. Num grupo enrome de pessoas, sempre haverá um determinado subgrupo de pessoas que irá se dar melhor e por isso ficará mais tempo junto. É normal do ser humano! Mas cabe aos jogadores saber distinguir que o cara que não é seu amigo também está no grupo e que todos estão no mesmo barco. Não é sempre que isso acontece. Há vários casos de grupos de jogadores derrubando treinador ou coisas do tipo, sem o consentimento de outros atletas.

O que considero anormal é Guardiola se envolver em uma dessas “panelinhas”. Não é certo! Ele, como líder e até autoridade diante de um grupo, não pode entrar em um subgrupo, descartando quem não se envolve com isso. Fora da área de trabalho é outra história, lá fora, ele faz o que bem entender, a vida é dele!

Guardiola soube filtrar bem o elenco catalão e hoje tem poucos jogadores, porém em número suficiente para disputar a temporada. O normal seria que esse pequeno número de jogadores ficasse unido e não existisse um subgrupo, mas se realmente há, Pep tem de saber administrar esse problema. Enquanto ele conseguir controlar, “tudo bem”, mas na hora que perder o controle, sai da frente!

Mas não custa lembrar que estou escrevendo sobre uma hipótese, também sobre algumas interpretações de declarações de ex-jogadores do Barcelona contra Guardiola. Se todas as hipóteses que levantei forem falsas, pobre de mim, que digitou mais de 1000 palavras à toa…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s