Entre surpresas e imprevisibilidades

Vexame de Manchester (Getty Images)

E teve encerramento na tarde/noite desta quarta-feira a fase de grupos da Uefa Champions Leeague. Esta fase do maior torneio da Europa ficará marcada por dois motivos:

– Surpresas: Quem poderia imaginar que times como APOEL e Basel se classificariam para o mata-mata? E quem poderia imaginar que campeões nacionais como Lille e Dortmund seriam tragicamente eliminados na fase inicial, sem pegar nem Liga Europa?

– Imprevisibilidade: Na maioria dos casos, ser primeiro colocado é vantagem, mas será tanta vantagem assim se você pegar um Milan ou um Napoli logo nas oitavas-de-final? E ser segundo colocado é muita desvantagem se você pode pegar um APOEL da vida? O sorteio da fase mata-mata será um dia tenso por causa disso.

Sem perder muito tempo, vamos dar uma passada geral nos grupos e comparar os palpites feitos antes do início dos jogos com os resultados:

GRUPO A

O Bayern sobrou. Quatro vitórias, um empate e uma derrota quando jogou com time misto. Os bávaros mostraram mesmo ter uma equipe forte e capaz de conquistar a Europa. O grupo era equilibrado, mas já era esperado esse domínio do Bayern.

O segundo colocado foi o Napoli, que fez uma campanha correta. Bateu o adversário mais fraco do grupo – duas vitórias sobre o Villarreal -, arrancou pontos do time mais forte – empatou com o Bayern – e não perdeu nenhum confronto direto – somou 4 pontos diante do Manchester City. O time de Walter Mazzarri está bem armado e chega no mata-mata como franco atirador. Com a queda de algumas forças, não seria exagero dizer que o Napoli pode surpreender.

O Manchester City, de Agüero, deixa a Liga na fase de grupos (AP)

A decepção foi o Manchester City. O time, instituição, clube, como queira, não tem o costume de jogar a Champions League, mas jogadores como Yaya Touré, Kun Agüero e Samir Nasri já estão cansados de jogar torneios do tipo. Ou seja, não dá pra jogar tudo em cima da inexperiência. Faltou mesmo percepção de que em torneios de tiro curto, os confrontos diretos precisam ser vencidos e os dois tropeços diante do Napoli pesaram muito na eliminação.

Como esperado, o Villarreal foi mesmo a equipe mais fraca do grupo. Talvez não fosse esperado que a equipe espanhola se tornasse o saco de pancadas do grupo, mas que era o time mais fraco, isso ninguém questiona. Seis derrotas em seis jogos.

Neste grupo, inverti as posições de City e Napoli. Apostei que os ingleses passariam de fase e os italianos ficariam na Europa League. Aconteceu o inverso.

GRUPO B

Esse foi o grupo mais maluco de todos.

A Internazionale confirmou o favoritismo e ficou com a ponta do grupo. Mas como previ, o time italiano sofreu alguns tropeços meio inexplicáveis, como as derrotas em casa para Trabzonspor e CSKA Moscow. O que salvou foram os jogos fora: duas vitórias e um empate. Claudio Ranieri tem até fevereiro para ajeitar o desarrumado time que tem em mãos.

O CSKA Moscow ficou com a segunda colocação muito por causa da incompetência do Lille. O time francês somou dois de nove pontos disputados em casa. O 2×2 diante do CSKA foi o mais doído, pois o LOSC abriu 2×0, deu um banho nos russos e em dois vacilos, cedeu o empate. O 0x0 com o Trabzonspor foi vexatório, vide que a vitória lhe qualificaria.

O CSKA, que perdeu por 2×0 pro Lille na Rússia e deu a impressão de que cairia na fase de grupos, conseguiu uma improvável vitória por 2×1 sobre a Inter e se qualificou.

Os turcos do Trabzonspor caíram de pára-quedas na UCL – o time ocupou o lugar do excluído Fenerbahçe – e fez campanha digna. O time turco sai do torneio com apenas uma derrota e com uma histórica vitória sobre a Inter por 1×0. O Trabzonspor terá a chance de continuar trilhando campos continentais na Europa League.

Errei tudo neste grupo. Lille em primeiro, Inter em segundo, CSKA em terceiro e o Trabzonspor na lanterninha.

GRUPO C

Quando fiz a prévia da Champions League, disse que Manchester United e Benfica receberam o grupo que pediram aos céus. Mas após o dia de hoje, somente os portugueses pensam assim.

Com uma campanha correta, o Benfica conseguiu com méritos a liderança do grupo. Os Encarnados não perderam pra equipe mais forte do grupo, tendo dois empates diante do Manchester. Aliás, o time português não perdeu nenhum jogo. Campanha quase perfeita, com os resultado obtidos em casa sendo satisfatórios e com alguns pontos arrancados fora do Estádio da Luz.

Marco Streller (direita) ajudou a eliminar o Man. Utd (Reuters)

O Manchester protagonizou a maior zebra do torneio, com uma irregularidade tremenda, o time inglês caiu ainda na fase de grupos. No Old Trafford, os Devils venceram um jogo e empataram outros dois. Fora do Teatro dos Sonhos, uma vitória, um empate e uma derrota. O revés veio justo no confronto direto diante do Basel na última rodada.

Já o Basel fez uma campanha muito boa. Liquidou o Otelul Galati. Arrancou um ponto do Benfica e não perdeu pro Manchester, tendo empatado por 3×3 no Old Trafford e vencido no St. Jakob Park. O time suíço só comprova como a nova geração de jogadores do país é forte. O grande xodó da equipe, por exemplo, é Xherdan Shaqiri, de apenas 20 anos.

Se há um time que pode ser chamado de “culpado” pela presença dos dois times de Manchester na Europa League, esse time é o Basel!

O Otelul Galati não fez mais do que o esperado: caiu na fase de grupos, ocupando a lanterna do grupo.

No Grupo B, só pra variar, errei. United seria o líder, Benfica o vice, Basel o terceiro e o Otelul seria o lanterna. Só nos romenos que acertei.

GRUPO D

No quarto grupo a ser visto, como esperado, o Real Madrid sobrou. Seis jogos, seis vitórias, 19 gols marcados e só 2 sofridos – por incrível que pareça, os dois gols sofridos foram do lanterninha Dínamo Zagreb. Prova de que o Real de Mourinho não é só um time que faz muitos gols, mas é também um time que se defende bem.

Os irregulares Lyon e Ajax brigaram até o fim pela segunda vaga. Franceses e holandeses terminaram com campanhas iguais: duas vitórias, dois empates e duas derrotas. As duas vitórias foram em cima do Zagreb, as duas derrotas diante do Real e os dois empates foram entre si. O que decidiu foi o saldo de gols.

O inacreditável aconteceu. O Lyon, com -4 de saldo, precisava tirar os 3 positivos do Ajax… E conseguiu. O time francês venceu o Dínamo de Zagreb por 7×1 – Gomis fez 4 gols e se juntou a Van Basten, Messi, Prso e Simone Inzaghi como maior recordista de gols em um só jogo de Liga dos Campeões – e o time holandês tomou 3×0 do Real Madrid. O Lyon terminou a rodada com 2 gols positivos de saldo e o Ajax acabou com 0 e os franceses passaram de fase.

Com seis derrotas em seis jogos, além de ter sofrido 22 gols, o Dínamo de Zagreb deixou o torneio na lanterninha.

Assim como no Grupo A, inverti o 2º com o 3º colocado. Para mim, o Ajax passaria de fase.

GRUPO E

Neste grupo, o Leverkusen confirmou sua fama de amarelão. Conseguiu a vaga com antecedência, ao bater o Chelsea na BayArena por 2×1, mas na última rodada perdeu a chance de ficar com a liderança do grupo ao empatar com o lanterna Genk. O que salvou a equipe alemã foram os jogos em casa. Três vitórias em três jogos na BayArena. Fora de casa, nenhuma vitória, mas não comprometeram muito.

Ao empatar com o Genk e perder pro Leverkusen em seguida, o Chelsea chegou a ver a sua vaga para o mata-mata ameaçada, mas no decisivo jogo diante do Valencia, mostrou sua superioridade e com o 3×0 – e grande atuação de Drogba – classificou-se.

Pro Valencia faltaram os melhores resultados fora de casa. Um empate e duas derrotas. Em fases de grupos, é essencial, que além dos bons resultados como mandantes – coisas que o Valencia conseguiu – pelo menos um bom resultado fora de casa seja obtido e isso o time espanhol não conseguiu.

O Genk só conseguiu uma coisa: atrapalhar os três rivais nos jogos na KRC Genk Arena. Foram três jogos lá e três empates.

Esse foi o primeiro grupo que acabei acertando todos os resultados!

GRUPO F

Outro grupo maluco. O Arsenal, humilhado por todos e criticado por todos os lados, não só foi o único inglês a se classificar por antecedência, como terminou em primeiro no grupo. Os Gunners fizeram a famosa campanha de “time copeiro”. 7 dos 11 pontos conquistados pelo time londrino foram no Emirates Stadium. O resto, por eliminação, foram arrancados longe da Inglaterra.

Marseille conseguiu inacreditável virada no Signal Iduna Park (AFP)

O Olympique de Marseille deu alguns sustinhos, mas passou de fase. As derrotas no Vélodrome para Arsenal e Olympiacos poderiam ter sido evitadas – principalmente a diante dos gregos, onde o Marseille poderia se classificar antecipadamente. O susto maior foi no último jogo, onde o time francês fez um primeiro tempo horrível diante do Borussia Dortmund e achou um gol com Rémy, indo pro intervalo com 2×1 contra. Na etapa final, jogo morno, mas a ruindade do Dortmund na partida foi “mais ruim” que a ruindade do Marseille, que com dois gols – fortuitos – no final, arrancou a virada e a classificação.

O Olympiacos surpreendeu. Começou a temporada “atrasado” – seu primeiro jogo na temporada foi justamente na estreia da Liga dos Campeões, diante do Marseille – e fez uma campanha digna, estando perto de se classificar. A vaga na Liga Europa foi um prêmio.

Já o Borussia Dortmund, junto com Manchester City, United e Lille foi uma decepção. Tá certo que o time é jovem e de experiência quase zero em competições internacionais, mas as atuações do BVB na Liga beiraram o ridículo. Fica o aprendizado para edições futuras.

Errei tudo neste grupo: O Dortmund passaria em primeiro, o Arsenal em segundo, o Marseille em terceiro e o Olympiacos em último.

GRUPO G

Este grupo também era equilibrado, mas todos viam o Porto como o mais forte do grupo. O time, agora sem André Villas-Boas, mexeu pouco nos jogadores. Era esperado mais do time campeão da Europa League 2010/11, mas foi visto apenas um vexatório 3º lugar.

Quem realmente surpreendeu foi o APOEL. O time cipriota, cheio de refugos brasileiros, bateu em seu país times favoritos, como Porto e Zenit e fora de casa arrancou três empates. Sabe Deus até onde este time pode ir!

Com campanha fraca fora de casa, o Zenit conseguiu se salvar graças a sua boa campanha em St. Petesburgo. Lá, somou 7 dos nove pontos que lhes qualificaram para a fase seguinte.

O Shakhtar Donetsk, de uma das grandes surpresas da última edição da Liga dos Campeões, passou de vexame nesta atual edição. O time ucraniano conseguiu apenas uma vitória e esta só veio quando já estava eliminado. Os cinco pontos conquistados traduzem bem como foi decepcionante a campanha do brasileiro time da Ucrânia.

Para entender meu erro de palpite neste grupo, é só colocar os dois primeiros como dois últimos e os dois últimos como dois primeiros. Sacou?

GRUPO H

Grupo mais previsível de todos e pouparei minhas palavras.

O Barcelona sobrou e como esperado, se saiu melhor no confronto direto diante do Milan. Assim como na definição do líder do grupo, a definição do terceiro colocado também saiu no confronto direto e o Plsen venceu na Bielorrússia o BATE Borisov e ficou a vaga na Liga Europa.

Segundo e último grupo que acertei todas as colocações.

SOMA DOS PALPITES = 13 colocações certas de 32 (pra ver como eu entendo do assunto, rs)

Como citado antes, os resultados da fase de grupos da Uefa Champions League tornaram as colocações finais como “falsas vantagens”. Afinal, seria vantajoso terminar em primeiro e pegar um Milan logo de cara? E terminar em segundo e pegar o APOEL, seria uma desvantagem?

O sorteio das oitavas de final reserva grandes surpresas. Poderemos ver um Real Madrid x Milan ou um APOEL x Basel…

Só esperando o dia do sorteio…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s