Contos da Euro – A Terra do Espetáculo: Donetsk e Kharkiv

Vamos continuar com nosso passeio pelas sedes da UEFA Euro 2012. Depois de destacarmos as quatro sedes da Polônia, chegamos agora à Ucrânia, terra onde será realizada a grande final da competição neste ano. Começamos por Donetsk e Kharkiv

————————————-

DONETSK

Por volta de 1869, o empresário de Gales, John Hughes encontrou uma região na Ucrânia e por lá decidiu levantar uma siderúrgica e várias minas de carvão. A cidade passou a se chamar de Donetsk – isso nos anos 40 – e ainda mantém as características trazidas por seu fundador. O ambiente e a vista do local são marcados pelas siderúrgicas e pelas minas. Mesmo com a tendência a ter problemas de poluição por causa do carvão, a capital de Donbass foi considerada pela UNESCO como a cidade industrial mais limpa do planeta.

Nos dias atuais, encontram-se 17 minas de carvão e outras cinco siderúrgicas. Com o fim da União Soviética, Donetsk passou a “conhecer” outras formas de economia e vem evoluindo com esse ecletismo na produção.

Donetsk receberá cinco jogos da UEFA Euro 2012 (Reuters)

Ao visitar Donetsk, um local bom para iniciar o turismo é com a Avenida Artyoma, que tem 10 km de distância e divide a cidade em dois. Ao caminhar por esta avenida, você encontrará centros históricos, como o parque Lenin Komsomol e a Donbass Arena – falaremos sobre ela a seguir.

Ao dar uma explorada maior pela cidade, você com certeza ouvirá falar sobre alguns nobres esportistas que são filhos de Donetsk. Oleg Tverdovsky, atualmente no hóquei russo, jogou durante um bom tempo na NHL – liga norte-americana -, chegou a ser um All-Star e foi campeão da Stanley Cup em duas oportunidades. Já Lilia Podkopayeva foi uma ginasta que se sagrou campeã mundial e olímpica em 1996. Lilia também foi a única ginasta que fez um duplo mortal de frente em um exercício de solo.

Mas sem dúvida alguma, o grande nome esportivo da cidade é Sergiy Bubka, seis vezes campeão do mundo no salto com vara. Seus feitos foram imortalizados em uma estátua que fica em frente ao RSC Olimpiyskyi.

O mesmo John Hughes que fundou a cidade foi o responsável por trazer o futebol para a região. Em 1911, foi fundada uma equipe formada pelos metalúrgicos da região. O esporte foi crescendo no local, até o ano de 1936, quando foi fundado o principal clube da cidade, o FC Shakhtar Donetsk.

O time se tornou uma potência na União Soviética, sempre brigando por títulos e conquistando a Copa Soviética em quatro oportunidades. O Shakhtar criou enorme rivalidade com clubes da Rússia, mas após a independência da Ucrânia, se viu a mercê do Dynamo de Kiev, que conquistou o Campeonato Ucraniano em nove dos dez primeiros títulos disputados – com o Shakhtar vice em seis oportunidades.

A fanática torcida do Shakhtar viu seu time se agigantar na última década (Reuters)

Na temporada 2001/2002, o time de Donetsk se reforçou economicamente e voltou a ser a velha força de antes. Daquele ano para cá, foram seis conquistas do Campeonato Ucraniano e quatro da Copa Ucraniana – somando sete ao total -, além da grande conquista da UEFA Cup em 2009, onde o time de Jádson, Fernandinho e companhia bateu o Werder Bremen de Diego na final e ergueu o troféu.

Os grandes feitos do Shakhtar deixam times menores, como Matalurh Donetsk e Olimpik Donetsk na sombra dos Mineiros.

Outra característica do maior time de Donetsk é a de formar grandes jogadores. Por exemplo, o maior artilheiro da história do Shakhtar, Andriy Vorobey, é da cidade, assim como Oleksiy Byelik, Valeriy Kriventsov, Serhiy Scherbakov e Dmytro Shutkov, todos atletas que freqüentavam a seleção ucraniana.

DONBASS ARENA

Casa do Shakhtar, a Donbass Arena receberá cinco jogos na UEFA Euro (Getty Images)

A casa do Shakhtar Donetsk será a responsável por abrigar os jogos da UEFA Euro em Donetsk. A Donbass Arena custou 320 milhões de euros e foi pago de forma totalitária pelo proprietário do clube, Rinat Akhmetov. Qualquer semelhança com a Alianz Arena – estádio que vai abrigar a final do outro grande evento da UEFA, a Champions League – não é mera coincidência, já que a empresa que desenhou o estádio dos bávaros fez o mesmo em Donetsk.

Em partidas com chancela UEFA, o estádio pode receber 40 mil pessoas, mas o público recorde ultrapassou os 50 mil espectadores.

Não é segredo para ninguém que o Shakhtar gosta de um jogador brasileiro e como não poderia deixar de ser, o primeiro gol da Donbass Arena foi de um atleta tupiniquim. Jádson, cobrando pênalti em um duelo contra o Dynamo de Kiev foi o autor do tento derradeiro do estádio.

A Arena da cidade de Donetsk irá receber cinco jogos na UEFA Euro. O primeiro será simplesmente França x Inglaterra no dia 11 de junho, reedição do fantástico confronto de 2004, decidido por Zidane nos acréscimos. Depois, a anfitriã Ucrânia jogará suas duas últimas partidas na competição por lá, enfrentando justamente franceses e ingleses – 15 e 19 de junho respectivamente. No momento mais decisivo da competição, dois duelos: um confronto das quartas de final e outro da semifinal.

KHARKIV

Chegamos agora à cidade que tem em seu brasão um caduceu e uma cornucópia por baixo de quatro espigas de centeio e uma roda dentada, sobrepostos por um livro aberto com um símbolo atômico, Kharkiv.

O local foi estabelecido na união dos rios Lopan, Kharkiv e Udy e durante muito tempo foi à força da região, construindo diversas máquinas. A cidade também é conhecida como a capital do nordeste agrícola da Ucrânia.

Existem registros que mostram a presença populacional na região a mais de 4000 anos, mas apenas em 1654 a cidade foi fundada. Uma milícia russa comandada por Ivan Karkach foram os responsáveis por isso. Por conseqüência, a cultura da Rússia foi adquirida pelo povo local e logo após Kiev se tornar capital da República da Ucrânia, Kharkiv virou capital da faixa soviética da Ucrânia.

Após um período de invasões nazistas, miséria e muita fome, a cidade conseguiu se libertar em agosto de 1943 e foi necessária uma reconstrução, já que mais da metade da população havia morrido no período da guerra.

Em Kharkiv, o clima é de Eurocopa! (Reuters)

Em seus tempos de União Soviética, Kharkiv era uma região que tinha destaque nos equipamentos militares e mais tarde, na fabricação de turbinas e de aviões multifuncionais. Atualmente, podemos dizer que Kharkiv é uma “cidade universitária”, já que se encontram por lá muitas universidades e instituições técnicas. Cerca de 10 mil estudantes procuram a região a cada ano.

O local de maior orgulho da população de Kharkiv é a Ploshcha Svobody – ou Praça da Liberdade – que tem em sua estética pouca semelhança com uma praça convencional, parecendo mais uma lâmpada de três filamentos alinhados com a universidade e alguns edifícios governamentais. Um destes edifícios é o Derzhprom, que durante um bom tempo foi o mais alto da Europa. Mas em sua história, carrega o fato de ter sido o primeiro arranha-céu soviético.

Outro local de destaque em Kharkiv é o parque Shevchenko. Por lá, podemos encontrar estátuas de poetas da região, além do mosteiro Pokrovskyi, da catedral em estilo turco Blahovishchenskyi e o Tsentralny Rynok, uma espécie de mercado público.

No mundo do futebol, poderemos encontrar alguns times que representem a cidade de Kharkiv, mas apenas o FC Metalist Kharkiv atua na elite ucraniana. O ponto alto da história do clube foi em 1988, com a conquista da Copa da União Soviética.

O título citado acima foi o único do Metalist – além de duas conquistas da segundona -, que mudou de fama após o término da URSS. O clube acostumado a ficar na parte inferior da tabela no campeonato soviético se tornou uma espécie de terceira força do futebol ucraniano. De 2007 para cá, os azuis e amarelos só ficaram abaixo de Shakhtar e Dynamo na classificação do campeonato nacional.

Outro clube de destaque da cidade era o FC Arsenal Kharkiv. Fundado em 1998, o time saiu da terceira divisão nacional para a primeira em menos de dez anos. Na temporada 2004/05, o Arsenal terminou em segundo lugar e obteve o acesso. Depois disso, o clube passou a se chamar FC Kharkiv e o Arsenal só voltaria à ativa anos mais tarde, jogando a terceirona.

O FC Kharkiv nunca foi bem na primeira divisão ucraniana, sempre ficou nas últimas colocações e após dois rebaixamentos seguidos – em 2009 e 2010 -, o clube perdeu sua licença profissional.

OBLAST SPORTS COMPLEX METALIST

O estádio do Metalist será a casa holandesa na Eurocopa (Getty Images)

O estádio do Metalist foi fundado em 1926 e reformado para a UEFA Euro deste ano. Nesta última mudança, foi investido algo que se aproxima dos 60 milhões de euros. Algumas autoridades locais e o proprietário do clube, Olexander Yaroslavskiy foram os responsáveis pelo pagamento de tudo. Além disto, o estádio recebeu um novo gramado com aquecimento – algo muito importante se tratando de Ucrânia – e placares eletrônicos em LED.

Este estádio também já recebeu uma série nomes: Estádio Traktor, Dzerzhynets e Avangard antes do nome atual.

O Oblast Sports Complex Metalist será a casa da Holanda no torneio. Serão apenas três jogos no campo do Metalist, mas a trinca de pelejas é bem interessante. Começando pelo confronto do dia 9, onde os holandeses enfrentam os nórdicos da Dinamarca. Quatro dias depois, a Laranja Mecânica protagoniza o clássico diante dos alemães. No dia 17, Holanda e Portugal completam a série de jogos em Kharkiv.

Anúncios

Uma resposta em “Contos da Euro – A Terra do Espetáculo: Donetsk e Kharkiv

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s