O brilho de um bávaro

Quando algum jogador originário da Baviera se destaca no futebol, logo nos lembramos do Bayern de Munich. O clube tem enorme tradição, vários títulos e jogadores de renome internacional. É automático, ninguém tem culpa de ter esses reflexos.

Nessa UEFA Euro 2012, um atleta do clube bávaro que tem chamado a atenção na seleção alemã é Mário Gomez. O atacante nem nasceu na Baviera, mas por jogar no Bayern ganha tal destaque. Ele foi autor de três dos cinco gols da Alemanha no torneio. Porém, o quinto gol do selecionado germânico foi de um bávaro que não tem nenhuma relação com o poderoso Bayern

Nascido e criado em Rosenheim, pequeno distrito da Baviera, Lars Bender seguiu roteiro diferente de muitos garotos da região e junto com seu irmão, Sven, não foi para o Bayern. Dos dez aos treze anos, treinaram no Unterhaching, também da Baviera. De 2002 em diante, os gêmeos partiram para o Munich 1860 e começaram a construir suas vidas no futebol.

Todo aquele momento parecia não passar de um sonho para os garotos, que tinham como grandes ídolos dois jogadores que atuaram no Munich 1860: o ganês Abedi Pelé e o polonês Piotr Nowak. A dupla defendeu o time bávaro de 1995 até 1998 – Abedi chegou em 96 -, época em que os irmãos Bender viviam a infância e imaginavam trilhar os gramados alemães como jogadores profissionais, assim como seus ídolos.

No final de 2006, a dupla de volantes iniciou a caminhada como profissional no Munich 1860. Lars e Sven vestiram a camisa dos Leões em mais de 50 oportunidades e ficaram marcados na memória do torcedor bávaro, mesmo sem conseguir tirar o tradicional time da segunda divisão, que amarga desde 2004.

Os irmãos deixaram o clube bávaro em 2009, mas se separaram. Lars foi para o Bayer Leverkusen, enquanto Sven foi para o Borussia Dortmund.

Sven Bender parecia ter mais sorte. Peça de confiança de Jürgen Klopp, foi campeão alemão em 2011 e logo chegou à seleção. Enquanto isso, Lars demorou a se adaptar ao Leverkusen e viveu altos e baixos nas primeiras temporadas.

No último ano futebolístico na Europa, a maré virou: Sven seguia titular, mas uma grave lesão fez com que perdesse a titularidade para Gündogan. Lars foi um dos poucos destaques do decepcionante Leverkusen e ainda mostrou versatilidade, ao atuar também como meia armador e lateral direito.

Os irmãos estiveram na lista de 27 jogadores feita por Joachim Löw para a Eurocopa e, na hora, o ritmo de jogo pesou: Sven Bender foi cortado, Lars ficou.

Neste domingo, contra a Dinamarca, Lars Bender fez seu nono jogo com a pesada camisa alemã e primeiro como titular, mas improvisado na lateral-direita. A partida estava empatada em 1×1 e nos minutos finais, após rápido contra-ataque, o jovem bávaro completou passe de Özil e fez o gol que sacramentou a classificação alemã. Pela primeira vez na história, um jogador revelado pelo Munich 1860 marcou um gol pela Alemanha em uma fase final de Eurocopa.

A tendência é que o suspenso Jérôme Boateng retome a titularidade e Lars Bender volte para o banco de reservas. Mas ele fez sua parte e deixou bem claro a Jögi Löw que não quer ser mero coadjuvante da promissora seleção alemã.

Bender vibrou demais com seu primeiro gol na seleção alemã (Getty Images)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s