One Goal Wonder

Coridon e seu gol de escorpião (Getty Images)

Em 2004/2005, depois de três temporadas, o Paris Saint-Germain estava de volta a uma UEFA Champions League, mas o risco de uma queda precoce, ainda na fase de grupos, era real. O time da capital francesa vinha de duas derrotas nas rodadas iniciais e o confronto contra o Porto, atual campeão europeu, era chave para a definição do futuro da equipe na competição.

A partida seria complicada e o técnico Vahid Halilhodzic precisava ter novas ideias para manter o time vivo no torneio. Sua aposta se dava em Charles-Edouard Coridon, meia-atacante experiente, de 31 anos. Embora rodado, o jogador martinicano acumulava apenas passagens regulares por Lens e Guingamp e ainda não havia empolgado em Paris.

Quis o destino que Coridon, em um único lance, pudesse ficar marcado na história do PSG e da UEFA Champions League, com um dos gols mais espetaculares e plásticos de todos os tempos.

A partida contra o Porto estava nos 30 minutos e o placar ainda não havia sido inaugurado. O PSG partia desesperadamente para o ataque em busca do gol que poderia salvar o time no torneio. Durante jogada pela ponta direita, a bola foi cruzada em direção da grande área. Coridon já passava da bola e o brasileiro Reinaldo estava logo atrás, babando na espera de marcar um gol. O martinicano foi fominha e decidiu inovar na hora de finalizar. Já atrás da bola, Coridon se atirou, jogou suas pernas para o trás e pro alto e de calcanhar chutou. A bola foi parar dentro da meta de Vítor Baía.

O gol foi espetacular, magistral, fantástico! O golpe de escorpião dado por Coridon deixou de lado o tento anotado por Pauleta no minuto seguinte, fez todos esquecerem a vitória que não contribuiu muito para a campanha parisiense e deu a todos a sensação que a criatividade e imaginação não estavam mortas no futebol.

Mas Coridon acabou se tornando uma espécie de “One Hit Wonder” do futebol. Como uma banda que lança uma música, faz sucesso, some e ninguém nunca mais ouve falar, porém, se lembra do ritmo da música, Coridon fez história com seu gol, sumiu, ninguém sabe quem ele é, mas já viu seu “gol de escorpião”.

O jogador, que teve passagens pela seleção da Martinica, não decolou no PSG. Recebeu oportunidades de Halilhodzic, mas deixou o clube, após uma temporada, sem deixar saudades. Depois disso, decidiu se aventurar na Turquia, onde passou pelo Ankaragücü.

Em 2007, Coridon retornou a França, mas como não tinha mercado, acabou parando no Union Squiffiec-Trégonneau, clube amador das divisões regionais francesas. Por lá, o martinicano desempenhou as funções de técnico e jogador e em 2009 se aposentou. Hoje, Coridon sonha em receber uma oportunidade em um clube maior para, enfim, emplacar, agora como treinador.

Nessa semana, Paris Saint-Germain e Porto voltam a se encontrar em uma fase de grupos da UEFA Champions League, mas diferente do que acontecia na temporada 2004/2005, as duas equipes vivem situações confortáveis. Ambos venceram na primeira rodada e são os favoritos no grupo.

Mas no time de Paris, será que teremos um novo “One Goal Wonder”? Pela quantidade de estrelas que a equipe francesa trouxe, fica difícil imaginar isso, mas a vontade de ver um novo golaço histórico só aumenta.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s