Um derby em decadência

Hamburg e Bremen já fizeram histórico duelo na Copa Uefa

Hamburg e Bremen já fizeram histórico duelo na Copa Uefa

Neste fim de semana, Werder Bremen e Hamburg irão se enfrentar na HSH Nordbank Arena pela 19ª rodada do Campeonato Alemão. O Nordderby é um dos clássicos mais antigos do país, sendo esse o confronto de número 144 entre os dois times, 98ª vez pela Bundesliga. Como são os dois maiores clubes da região, esse confronto é cercado de rivalidade entre torcedores verdes e hamburgueses.

Porém, este derby tão tradicional tem perdido seu valor com as decepcionantes campanhas das duas equipes nos últimos anos. O Hamburg, único time presente nas cinquenta edições Bundesliga e campeão europeu em 1983, tem como melhor participação nos últimos dez anos o 3º lugar em 2005/06. Além do mais, de 2008 para cá, o HSV, campeão alemão pela última vez em 1983, tem só caído, foi de 4º colocado a 15º na última temporada. Falando no ano anterior, a situação era tão crítica que Thorsten Fink foi chamado no início de 2012 para apagar o incêndio e evitar o inédito rebaixamento do time.

Já o Werder Bremen conseguiu ter uma consistência maior e teve boas campanhas após o título de 2004, mas da temporada 2010/11 até agora, o time tem só decepcionado e causando enorme prejuízo financeiro. Os Verdes não estão disputando os torneios UEFA e isso provocou uma perda de 13 milhões de euros, com uma queda de quase 24 milhões na receita.

Nesta temporada, a situação não é muito animadora para os dois lados. O Hamburg ocupa a 9ª colocação com 25 pontos e o Bremen chega mais atrás, na 12ª posição com 22 pontos. Ambos não estão distantes da zona da Liga Europa, mas deve ser extremamente desanimador ver times como Mainz, Eintracht Frankfurt e Freiburg, com poder de investimento, torcida e tradição inferiores, ocuparem postos mais dignos na tabela.

A imagem abaixo demonstra bem a irregularidade dos dois times, o motivo maior desta campanha medíocre de Hamburg e Werder Bremen:

Últimos dez jogos de Hamburg e Bremen

Últimos dez jogos de Hamburg e Bremen

No Werder Bremen, essa instabilidade se explica pela juventude do elenco. Antigos pilares do time como Torsten Frings e Tim Borowski não estão mais clube – o primeiro joga na MLS e o segundo pendurou as chuteiras – e até mesmo Tim Wiese, que acumulava passagens pela seleção alemã, saiu desgastado de Bremen. Sobraram Aaron Hunt e Clemens Fritz. Hunt faz bela temporada e tem se salvado, já Fritz acrescenta muito pouco, ainda assim, é homem de confiança de Thomas Schaaf.

No geral, o peso é distribuído entre os vários garotos do elenco do Bremen, o mais jovem da Bundesliga, com média de 23,4 anos de idade. É essa a política do clube! Para tomar de exemplo, nesta temporada, todos os contratados tinham 26 anos ou menos. Em compensação, Rosenberg e Naldo de 30 anos, Wiese de 31, Borowski de 32, Pizarro de 34 e Silvestre de 35 deixaram o clube. Andreas Wolf, único contratado acima do 26 anos nas últimas duas temporadas, durou apenas seis meses em Bremen e se transferiu pro Monaco.

Internamente, o clube também não vive de forma saudável. Após a saída do diretor esportivo, Klaus Allofs, antigo homem de confiança da torcida e de toda diretoria, o Bremen ficou praticamente um mês sem ninguém cumprindo tal função. Após o natal veio a confirmação de Thomas Eichin como sucessor de Allofs.

O Hamburg já é um clube conturbado por natureza e há quem considere seus – merecidos – títulos no passado obras no acaso, muito pelos fracassos recentes. Thorsten Fink tem um elenco razoável em mãos, com muitos refugos do Chelsea, obra do diretor Frank Arnesen que trabalhou por algum tempo em Londres. Se a maioria das contratações foram equivocadas ou superestimadas pelo currículo, algumas vezes Arnesen acerta, como no caso do croata Milan Badelj e do letão Artjoms Rudnevs. O primeiro atua no meio-campo e chegou quieto ao Hamburg, mas é titular absoluto e um dos principais atletas do primeiro turno, é homem de confiança de Fink. Já o segundo é atacante e era conhecido das aventuras europeias do Lech Poznan da Polônia. Hoje, Rudnevs é o artilheiro do Hamburg. Outro acerto foi à vinda de René Adler, que perdeu espaço no Leverkusen, mas retornou a seleção jogando no norte.

Ainda é pouco para quem almeja os altos postos da tabela.

Não há dúvidas, o Hamburg é o favorito para o duelo. Tem um time melhor e mais calejado em jogos importantes, apesar do papel de figuração exercido pelo clube nos últimos anos. O Bremen terá de fazer valer sua mística no derby. Além de ter 53 vitórias a 49 em toda a história do confronto, os Verdes venceram seis dos últimos dez encontros, marcando 17 gols e sofrendo apenas 12. O Werder Bremen chega para o jogo desta rodada com uma invencibilidade contra o Hamburg que dura desde 2011. Foram três jogos e três triunfos após o tropeço em 19 de fevereiro de 2011.

BUNDESLIGA

GERAL

 

Jogos

Vitórias Empates Jogos Vitórias

Empates

HAMBURG

97

30

33

143

49

41

WERDER BREMEN

97

34

33

143

53

41

Apesar dos dados acima, é inegável que a situação recente dos dois times faz com que o derby perca muito de seu charme e importância. Se na última década chegaram a fazer um histórico confronto na semifinal da Copa UEFAúnicos duelos internacionais entre os dois times – atualmente, irão se enfrentar para ver quem fica com condições reais de brigar por uma vaga na Liga Europa. Nem parece que dez títulos alemães estarão em campo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s