h1

Prévia das oitavas-de-final da UEFA Champions League – Parte 2

18 de fevereiro de 2013

Dando sequência às prévias dos jogos das oitavas-de-final da UEFA Champions League, chegamos aos jogos dos dias 19 e 20 dessa semana, que fecham a rodada de ida das oitavas-de-final da competição.

->Confira a primeira parte:

Algozes do último campeão, Chelsea, Bayern e Barcelona entram em campo nessa semana com a obrigação de mostrar o “porque” de tanta pompa de favoritismo. Os adversários são “grandes adormecidos”, mas que querem mostrar serviço, Arsenal e Milan. Além dessas equipes tradicionais, os candidatos à zebra, Schalke, Galatasaray, Málaga e Porto também vão aos gramados nesta semana.

Confira as prévias nos próximos parágrafos:

>> Arsenal x Bayern

O Arsenal não dá sorte nos sorteios da UEFA Champions League. Ora pega o Barcelona, ora dá de frente com o “antigo” Milan e dessa vez terá de encarar o poderoso Bayern de Munique, podendo encadear uma série de três anos seguidos caindo nas oitavas-de-final. Os alemães são favoritos com larga vantagem, não só por possuírem o time que forma a base da seleção alemã, mas por terem grande vantagem na liderança da Bundesliga.

BayernOs bávaros têm impressionantes dezoito vitórias, três empates e apenas uma derrota no Campeonato Alemão, além de terem o ataque mais positivo e uma defesa que só foi vazada em sete oportunidades. Há quem diga que esse é o melhor Bayern da história, o que não chega a ser um completo exagero pelos números obtidos, mas ainda falta uma conquista europeia que bateu na trave duas vezes nos últimos anos.

Para quebrar essa sina, técnico Jupp Heyckes conta com um elenco mais “gorducho” e com mais opções para cada setor do time. O exemplo mais claro disso está na defesa, onde Holger Badstuber, que está gravemente lesionado, é substituído por van Buyten e ainda tem Jérôme Boateng como reserva imediato. Nesse mesmo setor, destaca-se Dante. O brasileiro que veio do Borussia Mönchengladbach assumiu a titularidade no começo da temporada e se tornou peça de confiança de Heynckes. Porém, o zagueiro “cabeludo” sentiu a pressão em jogos iniciais da fase de grupos, fica a dúvida se sentirá agora.

No ataque, a grande força bávara está depositada na movimentação dos homens de frente, como disse no último fim de semana. Foram 57 gols em toda Bundesliga, sendo 26 divididos entre a dupla Mandžukić e Müller. O croata desbancou Mario Gomez, que iniciou a temporada machucado, e deu uma cara mais imprevisível ao ataque do Bayern, pois é mais ágil e possibilita uma troca de posições capaz de confundir a mais organizada das defesas. Já Müller parou de enganar. Após duas temporadas de pouca bola e muita fama, a revelação da última Copa do Mundo decidiu jogar e tem sido decisivo. Parte desse sucesso está depositada em seu novo… Ou velho posicionamento. Acostumado a atuar pelo lado direito, Müller foi empurrado para o centro com a chegada de Arjen Robben. O holandês iniciou a temporada machucado e perdeu espaço para o alemão que tomou sua posição e se tornou titular com autoridade.

Poderíamos passar horas e mais horas falando dos fatores que tornam o Bayern favorito – o goleiro Neuer, os eficientes Lahm e Alaba e os ótimos Ribéry, Kroos e Schweinsteiger – mas é mais fácil os bávaros mostrarem em campo, afinal, os sete gols em 22 jogos da Bundesliga podem ser diminuídos pelo fato do time de Heynces ter sofrido também sete gols em seis jogos na fase de grupos da UEFA Champions League.

ArsenalSe tudo são flores nos lados alemães, Arsène Wenger só enfrenta tempestades em Londres. Cesc Fàbregas e Robin van Persie já abandonaram o barco e restam apenas postulantes a grandes jogadores no atual elenco. O reflexo disso está nos resultados recentes: 5º lugar na Premier League e eliminações nas copas inglesas para Bradford e Blackburn, clubes das divisões menores do país.

Nesta temporada, os Gunners tem sido extremamente dependentes de Theo Walcott, que já marcou onze gols na Premier League. O jogador da seleção inglesa atuou até mesmo de centroavante no time de Wenger e, além disso, proporcionou a maior novela do clube ao demorar a renovar seu contrato. Outro nome de destaque é Lukas Podolski, que faz temporada regular em Londres. O polonês naturalizado alemão irá encontrar o ex-clube, onde não teve passagem muito feliz. Quem terá a missão de servi-los deverá ser o espanhol Santi Cazorla, que está em sua primeira temporada no Arsenal, mas parece estar no clube há anos pela frieza com a qual se encaixou no time.

Porém, a grande esperança do Arsenal e também da torcida inglesa em geral é Jack Wilshere. O jogador de 21 anos é a principal promessa do futebol britânico para o futuro e só agora tem vencido as lesões. Seu embate cerebral com Schweinsteiger e Kroos promete demais.

DE OLHO: No reencontro de Lukas Podolski com o Bayern. O meia-atacante da seleção alemã defendeu o clube bávaro entre 2006 e 2009, mas não teve passagem muito feliz, apesar de ter conquistado três títulos. O ponto alto do reencontro será com o técnico Jupp Heynckes. Poldi teve problemas de relacionamento com Jürgen Klinsmann, seu técnico na Baviera e no início de 2009, o jogador acertou seu retorno ao Köln para o fim da temporada. Klinsmann não durou até o término do campeonato e Heynckes, que chegou para “tapar o buraco”, deu chances a Podolski que enfim mostrou bom futebol. Já era tarde demais e Poldi retornou ao Köln.

ScreenHunter_01 Feb. 17 23.38

>> Porto x Málaga

Esse é, disparado, o confronto menos “charmoso” das oitavas-de-final da UEFA Champions League. Apesar de contar com um campeão europeu e com a grande zebra da fase de grupos, fica difícil imaginar que uma dessas duas equipes tenha cancha para chegar mais longe na competição. O Porto, apesar da campanha quase perfeita, lidera um campeonato onde a disputa é baseada em dois times, enquanto o Málaga faz figuração no Campeonato Espanhol, afinal de contas, está proibido de jogar torneios UEFA no próximo ano.

PortoO Porto está tentando lutar nas duas frentes nessa temporada. Em Portugal, a briga pelo título já está dividida com o Benfica, mas na Champions League a história é outra. Na fase de grupos, os Dragões quase saíram invictos e líderes, mas a derrota para o Paris Saint-Germain na rodada final custou o topo.

O grande nome do time tem sido o colombiano Jackson Martínez, autor de 20 gols no Campeonato Português. O atacante desbancou o brasileiro Kléber e é a principal esperança de gols do Porto, gerando até mesmo comparações com Falcao García, antigo titular da posição e também nascido na Colômbia. Seu parceiro é o habilidoso James Rodríguez, porém, o compatriota de Jackson retornou recentemente de lesão e sua presença no confronto de ida é incerta.

O técnico Vitor Pereira também espera que a experiência dos jogadores de meio-campo possa ser a sustentação do time, pelo menos nesse duelo com o Málaga. Lucho González e João Moutinho, principais nomes da faixa central, são jogadores calejados no cenário internacional e podem ser o diferencial nesse confronto. Não podemos nos esquecer do brasileiro Fernando, que está sempre bem posicionado na cabeça de área para controlar os avanços adversários. Além disso, o que torna o setor central do Porto um diferencial aos demais cantos do plantel é que praticamente todos os meias tem pelo menos 20 jogos UEFA, coisa não vista nos outros setores.

Apesar dos míseros nove gols sofridos na Liga Sagres e do entrosamento que Danilo, Mangala, Otamendi e Alex Sandro possuem, a defesa é um ponto que gera preocupação a Vitor Pereira. O zagueiro mais velho é o argentino, de 25 anos, o restante dos defensores está abaixo dessa idade, e o pior, com poucos jogos internacionais. A inexperiência pode preocupar, afinal, Liga dos Campeões não é Campeonato Português, longe disso.

MálagaA tão falada experiência que há e falta em alguns pontos do elenco português, está sobrando no Málaga, apesar desta ser a primeira aparição do clube em uma Liga dos Campeões. Lugano, Demichelis, Toulalan, Duda, Joaquín, Júlio Baptista, Saviola, Santa Cruz… Se não são exemplos de craques, são sim de experiência, todos eles têm pelo menos uma Copa do Mundo no currículo.

Curiosamente, entre todos esses “figurões”, o destaque do time acaba sendo um jogador de apenas 20 anos: Isco. O espanhol trás para essa fase um par de gols e assistências adquiridos na fase de grupos, onde foi uma das sensações do torneio e passou a ser especulado em diversas equipes do continente. Esses sonhos alheios foram por água abaixo, pois Isco renovou com o Málaga até 2016. O meia Eliseu é outro a se observar pela boa primeira fase feita. O português foi o artilheiro do time com três gols e ainda deu uma assistência.

Vale prestar atenção na possível entrada do brasileiro Lucas Piazón. Grande promessa do São Paulo, o garoto foi emprestado pelo Chelsea ao clube espanhol e poderá ganhar alguns minutos nesta fase. Piazón ficou no banco em algumas partidas, mas no último fim de semana, foi titular contra o Athletic de Bilbao e deu o passe que resultou no gol da vitória do Málaga, anotado por Saviola. O também brasileiro Júlio Baptista também almeja alguns minutos em campo, pois voltou recentemente de lesão e tem gratidão enorme pelo clube.

DE OLHO: Confronto de goleiros sul-americanos, mas que experimentaram gostos diferentes quando o assunto é seleção nacional olímpica. Willy Caballero já tem 31 anos e nove na Europa, mas nunca teve grande sucesso. Porém, em 2004, com 23 anos, foi o goleiro reserva da Argentina nos Jogos Olímpicos de Atenas, cedendo espaço para Germán Lux. Mesmo esquentando banco, Caballero recebeu uma medalha de ouro, coisa que Hélton não pôde fazer quatro anos antes. Titular do estelar time armado por Vanderlei Luxemburgo, que contava com Ronaldinho, Fábio Aurélio, Alex, Lúcio e outros, o atual “guarda redes” sucumbiu junto com o resto do time no trágico duelo diante de Camarões nas quartas-de-final. Curiosamente, Hélton é mais vitorioso que Caballero, pois teve carreira mais estável, repleta de títulos em Portugal e com escassas passagens pela seleção principal, coisa que o argentino não teve capacidade de conseguir.

ScreenHunter_03 Feb. 17 23.50

>> Barcelona x Milan

Se esse confronto fosse realizado no meio da década passada – como chegou a acontecer duas vezes, com duas vitórias blaugranas – daria para acreditar em um triunfo do Milan sobre o Barcelona. Hoje, em 2013, os tempos são outros e fica difícil imaginar que algum resultado que não seja a vitória catalã aconteça.

BarcelonaEm território nacional, o Barcelona caminha a passos largos rumo a mais um título espanhol, o vigésimo segundo de sua história. Os comandados de Tito Vilanova lideram a liga com 65 pontos, doze de vantagem para o vice-líder Atlético de Madrid e dezesseis para o adversário que, teoricamente, seria o mais perigoso: Real Madrid. Além disso, o Barça marcou impressionantes 80 gols em 24 partidas, média superior a três por jogo.

Não é segredo para ninguém que a força do time está em Messi. O argentino já balançou as redes trinta e sete vezes, quase 50% de todos os tentos catalães e mais até que 15 times da primeira divisão espanhola (!!!). Lio segue insaciável e, com contrato renovado, continua almejando títulos com o Barcelona, principalmente o europeu, torneio que conquistou três vezes. Na fase de grupos, Messi balançou as redes cinco vezes e ainda deu três passes pra gol, além de ter sido o segundo jogador que mais finalizou na competição, atrás apenas de Cristiano Ronaldo.

Outro poder barcelonista também não é segredo para ninguém: o toque de bola. Tirando alguns gatos pingados que entraram na fase de grupos para jogar poucos minutos, boa parte do time do Barcelona tem, pelo menos, 85% de acerto em passes. Curiosamente, Messi está abaixo dessa porcentagem, com 81% de acerto. Xavi lidera o quesito, com 92%.

Caso derrote o Milan, o Barcelona marcará presença nas quartas-de-final da Liga dos Campeões pela sexta vez consecutiva.

MilanO Milan entra como franco atirador. Antes mesmo de começar a temporada, o futuro já parecia amaldiçoado, pois os italianos viram Zlatan Ibrahimović e Thiago Silva migrarem para a França. O time demorou a reconstruir-se, chegou a figurar nas partes baixas da tabela de classificação do Campeonato Italiano e foi mal na fase de grupos da UEFA Champions League, conseguindo apenas dois pontos no San Siro, mas, atualmente, já está lutando por vaga nas competições europeias na Série A.

Esse avanço milanista se deve ao novo momento vivido pelo time em 2013. Foram sete jogos pelo Campeonato Italiano, cinco vitórias e dois empates este ano. Nesse intervalo de tempo, o Milan balançou as redes em dez oportunidades, sendo quatro gols de Mario Balotelli. Infelizmente, para o time italiano, Super Mario não poderá enfrentar o Barcelona por já ter vestido a camisa do Manchester City na fase de grupos da competição.

Outro desfalque no ataque pode ser El Shaarawy. O jovem de 20 anos sofre com dores no joelho e mesmo sendo poupado do confronto diante do Parma, ele segue se queixando de dores. O Faraó já tem 15 gols no Campeonato Italiano e já tem sido chamado por Cesare Prandelli para a seleção italiana.

Caso o El Shaarawy fique mesmo de fora, o experiente Giampaolo Pazzini terá de assumir a responsabilidade. O ex-interista tem dez gols no Campeonato Italiano, porém, ainda não balançou as redes na UEFA Champions League. E é justamente o torneio europeu que é uma espécie de pedra no sapato do atacante, que tem quase trinta aparições internacionais por seus clubes, mas apenas sete gols.

No meio-campo, o Milan aposta em Riccardo Montolivo de 28 anos. A cria da Atalanta passou a jogar mais recuado com a lesão de Nigel De Jong, fazendo uma função semelhante com a feita por Andrea Pirlo na Juventus, armando o jogo de trás. Na fase de grupos da UEFA Champions League, Montolivo foi o jogador que mais efetuou passes no time do Milan e contra o Barcelona, ele será o responsável por fazer com que os Rossoneros retenham a bola por algum tempo, já que a maior posse de bola deverá ser catalã.

DE OLHO: Com a possível ausência de El Shaarawy e a impossibilidade de Balotelli jogar a Champions League, a “bucha” talvez caia no colo de Bojan Krkic ou Robinho. Os dois estão sem muita moral no clube Rossonero por causa do baixo rendimento, mas a grande chance, para um dos dois, deverá chegar contra o Barcelona. A expectativa principal, pelo menos para mim, é por Robinho. O brasileiro chegou a negociar seu retorno a América do Sul, mas não deu certo. Caso entre em campo contra o time catalão, terá de mostrar que está com a cabeça em Milão e não em seu possível destino no futuro. Com os olhos brasileiros voltados ao duelo, também é uma grande oportunidade de mostrar a seus fãs e críticos do que ainda é capaz.

ScreenHunter_04 Feb. 17 23.59

>> Galatasaray x Schalke

O duelo entre turcos e alemães é o exemplo mais claro de como não gosto de analisar os confrontos de oitavas de final da Liga dos Campões na época do sorteio. Em dezembro, o Galatasaray estava bem, mas o tempo ausente nos mata-matas, somado a inferioridade do elenco em relação com o Schalke – que já estava mal naquela época – davam impressão de favoritismo para os alemães. Hoje, a história é outra.

GalatasarayFalar que o Galatasaray “se reforçou” é até uma escolha fraca na expressão. O time turco assinou o atestado de querer surpreender na Champions League ao trazer Wesley Sneijder, campeão europeu em 2010, e Didier Drogba, também campeão do continente em 2012. A dupla se junta aos também experientes Eboué, Hamit Altintop e Felipe Melo, além de Burak Yilmaz, um dos artilheiros da fase de grupos.

Os turcos apostam no bom entendimento da dupla Sneijder-Drogba. Foram reforços, senão pontuais, necessários para elevar o nível do time e o entrosamento dos dois é o ponto crucial para a equipe turca conseguir ser a zebra da competição. O holandês participou de quatro jogos na Turquia e, até agora, está invicto, enquanto Drogba estreou neste fim de semana com um gol.

Com a batuta em mãos, está o experiente Fatih Terim, técnico de 59 anos. Como jogador, Terim atuou por dez temporadas no Galatasaray, onde ganhou dois campeonatos turcos, como treinador, é sua terceira passagem pelo clube de Istanbul, onde já levantou cinco canecos nacionais e uma Copa da UEFA. Até o momento, o Galatasaray tem 58% de aproveitamento com Terim desde 2011, segundo melhor aproveitamento do técnico nas três passagens. Só perde para a histórica campanha de 1996 a 2000, onde obteve 64% de aproveitamento.

SchalkeSe o Galatasaray tem um técnico experiente e idolatrado em Istanbul, o Schalke não goza de mesmo status em Gelsenkirchen. O técnico Jens Keller é novo – 42 anos –, estava no time de base dos Azuis Reais, mas sua única passagem por um clube profissional, no Stuttgart, foi fraca, e esses meses pelo Schalke não tem sido diferente. O time vem despencando na tabela do Campeonato Alemão e Keller tem sido cobrado de forma demasiada. Uma queda no torneio europeu pode representar novos rumos no comando azul real.

Além disso, Lewis Holtby, principal nome do time na temporada e que já estava vendido ao Tottenham para o final da temporada, foi chamado pelos Spurs agora e deixou o Schalke. Sem o grande criador do time na temporada, Keller tem depositado suas fichas na joia Julian Draxler, que vinha atuando pela esquerda, mas que foi deslocado para o centro para substituir o antigo camisa dez.

Para ocupar o lado que era de Draxler, o Schalke tirou Michel Bastos do Lyon. O brasileiro veio com tudo e já fez três gols na Bundesliga. Quando Bastos foi contratado, critiquei a decisão da diretoria alemã e mesmo com o início promissor do ponteiro, mantenho minha posição. Nada contra Bastos, muito pelo contrário, gosto muito do jogador, mas o elenco do Schalke é extremamente desequilibrado e não havia sentido trazer mais um, entre vários, homens de frente com a defesa desguarnecida.

O Schalke não tem um goleiro confiável, não possui um lateral direito decente, conta apenas com Höwedes como boa opção para a zaga central, não tem reserva para Füchs e sofre com problemas na cabeça de área. Foi certo trazer mais um homem de ataque? Não! Além disso, Atsuto Uchida, lateral que veio cercado de expectativas, mas que só causou decepções, está lesionado e não jogará. Höwedes ou Höger devem ser improvisados na função.

Outro desfalque pode ser Klaas-Jan Huntelaar, que além da temporada decepcionante, sofreu um corte no rosto. Edu ou Pukki seriam as opções naturais, mas Keller testou, absurdamente, Farfán na função. Os bons ventos não estão rodeando Gelsenkirchen.

DE OLHO: Vamos observar os encaixes da marcação do Schalke com o ataque do Galatasaray. Jens Keller se for sensato, não abrirá mão de Höwedes pelo centro da defesa para acompanhar Drogba na grande área, porém, Matip, seu parceiro, pode causar problemas, já que é pouco confiável. Mais a frente, Neustadter deverá contar com o truculento Jermaine Jones no apoio, tudo para segurar Sneijder. Teoricamente, haverá uma sobrecarga em Höwedes e Neustadter. Seriam eles capazes de segurar a onda, sozinhos?

Bônus: Muslera versus Hildebrand, dois goleiros pouco confiáveis estarão frente-a-frente. Quem entregará menos deverá levar a melhor. 

ScreenHunter_05 Feb. 18 00.10

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: