h1

12 mil alemães escancaram a crise entre Bordeaux e torcida

1 de dezembro de 2013
Mais de mil quilômetros foram atravessados pelos alemães (Foto: RTL)

Mais de mil quilômetros foram atravessados pelos alemães

12 mil alemães se deslocaram de Frankfurt até Bordeaux para acompanhar a partida do Eintracht Frankfurt contra o Girondins de Bordeaux pela Liga Europa na última quinta-feira. Frankfurt fica perto da França, em algumas cidades até dá para chegar em uma viagem de carro de duas horas de duração. Mas Bordeaux é diferente, fica próximo do oceano. Ou seja, mais de mil quilômetros foram atravessados. Tudo por causa de um jogo de futebol. Parece coisa tola, mas não é. É sensacional! Poucas coisas no mundo fazem mais de 10 mil pessoas atravessarem uma quantidade enorme de quilômetros do que o futebol.

Mas a sensação alemã é completamente oposta pro Bordeaux, e não falo da derrota por 0-1 que tirou o time francês da competição. Se levarmos em conta que 20 mil pessoas foram ao estádio Jacques Chaban-Delmas na noite da última quinta-feira, constata-se que apenas 8 mil destes torcedores foram para lá apoiar os girondinos.

Um soco bem dado no estômago!

Mais do que isso, é o registro de como a relegação a um papel secundário na França afetou a relação do Bordeaux com a torcida.

Da temporada 2005/06 até 2009/10, os Girondinos ficaram sempre entre os seis primeiros colocados, somando ao menos 60 pontos e vencendo mais de 15 jogos em cada uma destas temporadas. Em 2009, inclusive, foi o campeão nacional, quebrando com a série de sete títulos consecutivos do Lyon. Somado a isso, notou-se uma grande evolução na média de público no Jacques Chaban-Delmas. De 24.247 pessoas, subiu para 29.267 entre as temporadas citadas no início do parágrafo. Hoje, o estádio do Bordeaux comporta mais de 34 mil pessoas. Se descontarmos alguns quebrados que a segurança exige para oferecer conforto ao torcedor, era quase lotação máxima nos jogos do Bordeaux.

Da glória para a lama: Triaud refez o time campeão em 2009, mas se mostra descontente com elenco atual

Triaud foi muito festejado pela torcida e elenco com o título em 2009

Desde então, protagonismo não tem sido o forte do Bordeaux. Equipes como Marseille, Lille e Lyon, que eram seus grandes adversários em anos anteriores, souberam se renovar, uns com maiores facilidades que outros, mas conseguiram mudar. Os Girondinos estagnaram. Vender se tornou o forte do clube do presidente Jean-Louis Triaud. Yoann Gourcuff, Wendel, Fernando, Marouane Chamakh, Yoan Gouffran, Benoît Trémoulinas, Jaroslav Plašil e outros atletas importantes no título francês em 2009 foram vendidos, alguns até de forma muito passiva, e os substitutos foram atletas medianos como Nicolas Maurice-Belay, Fahid Ben Khalfallah e Cheick Diabaté.

Nem mesmo Triaud consegue motivar a torcida girondina a ir pro estádio. Após a partida contra o Frankfurt, ele declarou ter visto “um time de aposentados” com a camisa do Bordeaux. O reflexo disso é que nas últimas três temporadas, a média de público do time não chega nem a 21 mil, e no último ano a média foi de 19.403 torcedores por partida, número absurdamente ruim.

E para quem acha que a torcida não influencia no resultado dentro de campo, se engana no quesito Bordeaux. Entre 2005 e 2010, os Girondinos sempre somaram ao menos 40 pontos em casa, tendo o ápice em 2008/09, ano do título, quando conquistaram 47 pontos no Chaban-Delmas. Nas últimas três temporadas, a pontuação como mandante não passou dos 35.

Média enganosa

Nesta temporada, o número é enganoso. A média de público é de 20.455 torcedores por partida, mas este dado é sustentado pelos jogos diante de Monaco e Paris Saint-Germain. Contra os monegascos, 32 mil pessoas assistiram a peleja, enquanto contra os parisienses, 29 mil. Só que contra Bastia, Stade de Reims, Sochaux e Montpellier, o Chaban-Delmas não recebeu mais de 15 mil pessoas. Isso mesmo, menos da metade da capacidade do estádio. Tal situação só havia ocorrido uma vez na temporada anterior.

O clima ruim entre torcida e time não é só visto nas arquibancadas vazias, mas também na truculência dos ultras já notada em partidas anteriores. Na véspera do jogo contra o Montpellier, na 11ª rodada, alguns torcedores de organizadas do Bordeaux invadiram o treino do time e foram conversar com os atletas. No dia da peleja, vitória por 2-0. Se foi essa pressão que influenciou no resultado, não posso dizer, mas que é um péssimo sinal, é.

A única motivação que Triaud e companhia encontram para reverter essa história está na construção do novo estádio que deverá ser inaugurado em 2015. A obra, que custou 173 milhões de euros, visa a Eurocopa de 2016 e deverá acomodar 42 mil pessoas.

Mas de que adiantará um estádio bonito e de primeiro mundo se quem jogará por lá semanalmente será um time feio e que lembrará a equipe do fim dos anos 50 e início dos anos 60, quando frequentou a segunda divisão? Um “mísero” estádio não promoverá a reconciliação com aqueles vários torcedores que deixaram o clube em segundo plano.

Imagens: Divulgação

2 comentários

  1. […] fase em último (está a dois pontos do APOEL). A fraca participação da torcida nessa temporada, como ficou escancarado nesse duelo contra os alemães, também prejudica o já modesto […]


  2. Os campeonatos nacionais europeus é a mesma coisa que os estaduais do Brasil, e a Liga dos Campeões vem a ser o Brasileirão. Estaduais do Brasil: 2 a 4 grandes. Brasileirão: 10 a 12 grandes. Campeonatos nacionais europeus: 2 a 4 grandes. Liga dos Campeões: 10 a 15 grandes. Vai dizer que não é assim!



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: