h1

Time da Martinica tenta a sorte contra clube da Ligue 1 na Copa da França

2 de janeiro de 2015
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A Copa da França talvez seja a copa nacional que forneça as mais deliciosas histórias para os amantes do futebol alternativo. Quem aqui não se lembra do pequenino e amador Quevilly chegando à decisão para enfrentar o Lyon? Ou então do Calais RUFC perdendo o título de virada para o Nantes no último minuto? Não são poucos os causos onde os Davis derrotam os Golias em terras gaulesas.

A edição da temporada 2014/2015 da competição já começou e três fases já foram disputadas. No primeiro fim de semana de 2015, os times da primeira divisão ingressam no torneio na fase de 32 avos de final e logo de cara teremos o primeiro Davi contra Golias futebolístico. O Club Franciscain, da Martinica, terá pela frente o Nantes, time da primeira divisão francesa e três vezes campeão da Copa da França. Será a primeira vez que os martinicanos enfrentarão um clube da elite francesa.

Mas antes de começarmos a falar do jogo em si, é importante explicar o porquê de um time da Martinica disputar um torneio francês. A Martinica é uma ilha vulcânica no arquipélago das Antilhas, com fronteiras marítimas com a Dominica e Santa Lúcia. Ela pertence à França, seu idioma é o francês e o hino nacional é a Marselhesa. É um – entre tantos – territórios franceses fora da Europa (no caso da Martinica, no Caribe).

A Federação Francesa de Futebol (FFF), responsável pela organização da Copa, concede vagas na competição para times dos departamentos ultramarinos. São duas vagas para a Martinica, assim como para a Ilha de Reunião, Guadalupe e Guiana e uma vaga para Mayotte, Nova Caledônia e Taiti. Todos esses times entraram na sétima fase da competição, a primeira a ser disputada. De todos estes países, apenas a Martinica, com o Club Franciscain, continua com representante no torneio.

Para se tornar o time martinicano na competição, foi preciso vencer um torneio regional disputado apenas por times da Martinica. A estreia na etapa francesa foi na sétima fase: vitória por 2×0 sobre o Sainte-Geneviève, equipe que atualmente está no grupo C da quinta divisão do país. Na fase seguinte, o time da Martinica repetiu o placar para cima do Lormont US, da sexta divisão francesa.

Os resultados parecem discretos, mas esta é a primeira vez em mais de 20 anos que o Club Franciscain atingiu a fase de 32 avos de final. A última vez foi na temporada 1992/1993 e a primeira foi dez temporadas antes. Um feito impressionante para o segundo maior campeão da Martinica – são 16 títulos, três há menos que o Club Colonial de Fort-de-France.

Plantel

O atual elenco é formado por jogadores amadores, mas muitos deles frequentam as convocações da seleção martinicana. Alguns possuem histórias peculiares, como Patrick Percin, de 38 anos. Quando tinha 15 anos, ele fez um teste no AJ Auxerre, mas teve problemas de adaptação e voltou ao país natal. Mais experiente, aos 27 anos, assinou contrato com o Amiens e jogou a segunda divisão francesa. A passagem foi curta, entretanto: apenas um ano de duração.

Na Martinica, contudo, Percin tem uma bela história. Foi campeão nacional com o Club Franciscain em oito oportunidades, e pela seleção martinicana fez um dos gols mais importantes da história do futebol no país. Em 2002, durante a Copa Ouro, ele fez o tento da vitória por 1×0 sobre Trinidad e Tobago, na última rodada da fase de grupos. O triunfo qualificou Martinica para as quartas-de-final do torneio pela primeira vez na história – não passariam dali, sendo eliminados nos pênaltis por Canadá.

O atacante Steeven Octavia, de 27 anos, é outro que tem passagens interessantes na carreira, mas em outros solos. Em 2008, ele foi convocado por Éric Cantona para disputar a Copa do Mundo de Futebol de Praia que seria realizada justamente na França.

Foto: Léia Santacroce - France 3

Foto: Léia Santacroce/France 3 – O Club Franciscain, de Octavia (foto) já está na França

Mas Octavia, Percin e demais jogadores seriam capazes de bater o FC Nantes, adversário da fase de 32 avos de final? Os Canários terminaram 2014 em boa fase, ocupando a sétima colocação do Campeonato Francês com 30 pontos, tendo a terceira defesa menos vazada, com somente 17 gols sofridos. Além disso, o Nantes venceu os últimos três jogos oficiais que fez no último ano – dois pela Ligue 1 e um pela Copa da Liga.

O que pode favorecer o Club Franciscain é o ataque pouco efetivo do time da primeira divisão. Os Canários fizeram 19 gols em 19 partidas no Campeonato Francês, tendo o quarto pior ataque do torneio. O Nantes não fez mais de dois gols em nenhum jogo, além de ter vencido por dois gols de diferença somente uma vez. Entretanto, o time comandado por Michel Der Zakarian fez quatro gols nas duas aparições pela Copa da Liga, tendo goleado o Laval por 4×0 e o Metz por 4×2.

Os martinicanos, entretanto, não se sentem pressionados. Em entrevista à Europe 1, o técnico Jean-Marc Civault acredita que a partida será uma recompensa para todos os atletas do elenco. “Será um prazer jogar em La Beaujoire e enfrentar todos esses jogadores profissionais”, contou.

Caribenhos unidos

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução – Roger Sulty (foto) será um dos 180 caribenhos em La Beaujoire

La Beaujoire pode receber 37 mil pessoas, e alguns desses torcedores serão do time martinicano. Conforme o presidente da associação Flamme franciscaine (“Chama franciscana” em tradução livre), Roger Sulty, três ônibus com 60 torcedores cada sairá de Paris na manhã de sábado (3), chegando ao estádio faltando pouco mais de uma hora para o início da partida. Segundo Sulty, seria só um ônibus, mas a procura foi tão grande que teve de conseguir mais dois para a viagem.

A delegação martinicana já está na França desde a última terça-feira (30/12). A medida de chegar cedo visa à adaptação com o clima, já que os atletas estão acostumados com as altas temperaturas do Caribe, e também com as cinco horas de diferença entre o país caribenho e o europeu.

Por que na França?

A Copa da França tem um regulamento bem claro quanto aos mandos de campo das partidas: se você enfrenta um time que está ao menos duas divisões abaixo da sua, a equipe da divisão inferior joga em casa. Ou seja: se um clube da 1ª divisão enfrenta um da 3ª, o time da terceirona joga como mandante. Agora, se esse mesmo time da elite batesse de frente com um adversário da 2ª divisão, o mando iria para sorteio.

Essa história não vale para Nantes x Club Franciscain. Há um ponto no regulamento da competição que prevê que, a partir da fase de 32 avos de final, os clubes do exterior precisam ir à França para jogar. Por que isso aconteceu? Pedido dos clubes grandes, que argumentavam a distância da viagem, calendário apertado e toda aquela velha história.

A Liga da Martinica chegou a fazer um pedido para que a partida entre bretões e martinicanos fosse realizada nos subúrbios de Paris, onde há uma grande comunidade caribenha, mas a FFF negou e, a pedido dos próprios caribenhos, o mando de campo foi revertido.

Mas isso não é motivo para amedrontar os martinicanos. A confiança está exalando e o Club Franciscain está pronto para continuar escrevendo sua história de superação em campos franceses.

Nantes e Club Franciscain se enfrentam neste sábado (3) às 12h15, horário de Brasília.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: