Estamos presenciando a história!

Brasil, Pelé, 95 gols
França, Henry, 51 gols
Argentina, Batistuta, 56 gols
Uruguai, Scarone, 31 gols
Alemanha, Müller, 68 gols
Inglaterra, Charlton, 49 gols
Itália, Riva, 35 gols

Henry é o maior artilheiro da Seleção da França

O que esses jogadores têm em comum? Todos eles são os maiores artilheiros da história de suas seleções.

Mas qual desses você chegou a ver jogar em alto nível por seus países? Talvéz só Thierry Henry. Com um pouco mais de sorte, Batistuta também. Mas é pouco, para quem, que como eu, gosta de revirar a história e estar presenciando também.

Quantas vezes você teve curiosidade de saber quem era o maior artilheiro de determinado time ou seleção e acabava descobrindo que esse jogador só havia jogado nos anos 50, 60? É só pegar os exemplos citados acima. Pelé jogos nos anos 50 até os anos 70, Scarone jogou dos anos 20 até os anos 30. Gerd Müller dos anos 60 até início dos anos 80, Bobby Charlton dos anos 50 até os anos 70, enquanto Luigi Riva jogou dos anos 60 até os anos 70. Quais desses você chegou a ver jogar ao vivo, sem que seja por vídeos? Acredito eu que nenhum!

Hoje podemos presenciar a história sendo escrita na Seleção Espanhola. Desde o jogo da Espanha contra a Escócia, em outubro do ano passado, em que David Villa fez um gol, ele ficou empatado com Raúl na artilharia geral da Fúria com 44 gols. Só que hoje, o camisa 7 tomou conta de vez da artilharia histórica.

A Espanha perdia para a República Tcheca por 1×0, até que Villa, o melhor jogador espanhol em campo recebeu na entrada da área, cortou o marcador, finalizou entre as pernas do zagueiro, tirando de Cech, empatando e peleja e se tornando o maior artilheiro da história da Espanha:

Villa: 46 gols em 72 jogos (AFP)

Só para aumentar um pouquinho mais a vantagem dele em relação a Raúl, Villa fez mais unzinho de pênalti…

Mas voltando ao tema principal, estamos presenciando a história sendo escrita diante de nossos olhos. Não custa falar que Villa assumiu a artilharia geral tendo disputado 30 jogos à menos que Raúl. O atacante do Barcelona tem média 0.63 gols por jogo na Seleção Espanhola, enquanto o atacante do Schalke teve média de 0.43 gols por jogo.

Pelo menos eu, costumo valorizar muito esses feitos individuais que alguns jogadores conseguem, de chegarem a x gols, a y jogos por determinado time, z recordes batidos, etc.. São coisas que a gente pode contar para alguém mais tarde, pois se não vivenciamos de perto, pelo menos vivos, soubemos na hora. Se Villa se manter como maior artilheiro espanhol por muito tempo, poderemos partilhar com mais gente que vimos o camisa 7 fazer o gol que lhe deu a liderança do ranking de artilheiros.

Para completar, veja o Top 5 de maiores artilheiros da Espanha:

David Villa – 46 gols em 72 partidas
Raúl – 44 gols em 102 partidas
Hierro – 29 gols em 89 partidas
Morientes – 27 gols em 47 partidas
Fernando Torres – 26 gols em 83 partidas

O vexame pode ser evitado agora

Final diferente?

Qual foi a grande decepção da última Eurocopa?

Você pode dizer que foi a França, última colocada em seu grupo na fase final, com apenas um ponto. Pode dizer também que foi a Grécia, que com o rótulo de “atual campeã” terminou com zero ponto. Mas pra mim, a grande decepção da última Eurocopa não chegou nem na fase final…

A Inglaterra, de Steve McLaren caiu na fase qualificatória. Um verdadeiro vexame! O English Team terminou em 3º lugar no Grupo E, com 23 pontos, atrás de Croácia e Rússia. O pior de tudo foi perder a vaga em Wembley, em uma trágica derrota por 3×2 para o selecionado croata. (Não custa lembrar que se a Inglaterra vencesse, se classificaria, deixando a Rússia – que foi a grande surpresa da competição – fora).

Os tropeços daquela época foram simplesmente tolos. 0x0 com a Macedônia em casa, 0x0 com Israel fora não são tropeços dos mais comuns, assim como não é nenhum pouco bom dos quatro confrontos diretos – dois contra Croácia e dois contra a Rússia – ter somente uma vitória e três derrotas. Não à toa caiu fora…

Os tempos hoje são outros. A vaga pode ser garantida com mais calma, tranquilidade e por que não, com soberania.

É fato, esse atual time inglês é muito criticado, talvéz até igualmente ou mais que o time anterior que fracassou na última Euro, mas as atuais críticas vem graças a boa fama que os comandados de Fábio Capello criaram nas Eliminatórias para a última Copa do Mundo, mas decepcionando na África do Sul. A atual Inglaterra não encanta e nem convence, porém, a chance do fracasso ser evitado é muito grande.

O English Team está no Grupo G das Eliminatórias e mesmo não liderando o grupo, o time soma duas vitórias e um empate, tendo um jogo à menos que o líder do grupo, Montenegro. A distância pra Suíça e Bulgária, times mais próximos é de 4 pontos e todas as três equipes tem o mesmo número de jogos.

Inglaterra se prepara para enfrentar País de Gales (Getty Images)

Essa vantagem pode aumentar. A Inglaterra travará nesse próximo fim de semana um duelo britânico contra o País de Gales fora de casa. O time adversário nunca teve uma grande história. Sua “grande história” é um jogador, Ryan Giggs e ainda não venceu nenhum dos três jogos que disputou nesse qualificatória. Embora o jogo seja disputado em Cardiff, no Millenium Stadium, não dá para dizer que o time de Capello jogará “fora de casa”. Certamente, muitos ingleses darão “uma passadinha” por lá.

No mesmo dia, Bulgária e Suíça se enfrentarão em Sófia e só um seguirá numa perseguição mais próxima, se der empate então….

O que quero dizer com esse post que essa é “A Rodada” pra Inglaterra. O time pega o frágil time de Gales, que se limita a alguns artifícios como esse pra criar um frisson no estádio, que tem de se virar com o que tem de jogadores, no caso, o promissor Ramsey, o problemático Bellamy e a realidade Bale e… mais quem? Além de não ter nenhum mísero ponto. Em contra-partida, a Inglaterra terá a disposição jogadores como Ashley Cole, John Terry, Lampard, Wilshere e Rooney e a chance de começar a confirmar a vaga na próxima Euro.

Os torcedores ingleses querem mais momentos como esse (Getty Images)

A rodada será perfeita pro English Team caso vença País de Gales e veja búlgaros e suíços empatando. A Inglaterra chegaria a 10 pontos, empatando com Montenegro e ainda veria os times mais próximos com apenas 4 pontos. O problema, que pode vir a ser solução, é que logo após esse jogo contra País de Gales, a Inglaterra, no dia 4 de junho, pega a Suíça – jogo em casa – e a Bulgária, no dia de 4 de setembro. Será problema se não vencer nenhum dos dois jogos, ou se por acaso perder pro time que vencer o duelo entre Bulgária e Suíça deste sábado. Será solução se vencer os dois jogos. Deixará ambos para trás e Montenegro que se vire segurando-os.

Não querendo ser o portador de más notícias, mas não custa lembrar também: Nos três primeiros jogos da Inglaterra nas últimas eliminatórias da Euro, o time somou os mesmos 7 pontos, com o mesmo histórico, começo com duas vitórias e empate no terceiro jogo. No quarto jogo daquela época, o English Team perdeu pra Croácia por 2×0, será que a história se repete?

Pânico!

Cenas tristes no Luigi Ferraris (AFP)

No grande jogo pelo Grupo C das Eliminatórias – Eurocopa 2012, Polônia e Ucrânia, Itália e Sérvia acabaram não se enfrentando, graças a cenas de pânico cometida pelos ultras sérvios, que seriam os radicais. A confusão já havia começado na sexta-feira, quando a Sérvia foi derrotada pela Estônia. Esses “torcedores” não gostaram nada disso e acharam um culpado: o inseguro goleiro Stojkovic, que chegou a ser ameaçado e ontem pediu dispensa do jogo. Ele se dirigia ao estádio Luigi Ferraris junto com os demais atletas, acredito eu que ficaria no banco, e uma bomba foi atirada ao ônibus, e o goleiro foi atingido de raspão e foi encaminhado a um hospital. Antes do jogo, em três pontos de Gênova, 15 sérvios se feriram em combate com a polícia. No estádio, esses “torcedores” fizeram baderna atrás de baderna, com sinalizadores sendo arremessados no gramado. A polícia, acho eu, até que fez certo, não partiu pro confronto, se não o pior aconteceria. O jogo se iniciou com mais de meia-hora de atraso, com 6 minutos, dois sinalizadores foram arremessados no gramado, na grande área do goleiro italiano, Viviano, não teve jeito, o árbitro Craig Thomson suspendeu a partida. Mas ele fez certo, estaria arriscando os atletas. Uma punição severa deve ser tomada. O comentarista dos canais ESPN, Leonardo Bertozzi lembrava em seu twitter, do incidente de anos atrás que proibiu os times ingleses de disputarem a Champions League. É claro que na época os clubes não tinham culpa, mas algo tinha de ser feito, para que coisas desse tipo não aconteçam mais. Se a UEFA proibir a Sérvia de jogar a Eurocopa, eu aplaudo Michel Platini e “seus amiguinhos” de pé. Para que explicar mais sobre esse episódio lamentável? As imagens abaixo explicarão tudo. Pelo mesmo grupo, Ilhas Faroe e Irlanda do Norte ficaram no 1×1, enquanto a Eslovênia venceu a Estônia por 1×0.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg
1 Itália 7 3 2 1 0 6
2 Eslovênia 7 4 2 1 1 4
3 Estônia 7 4 2 0 2 1
4 Irlanda do Norte 5 3 1 2 0 1
5 Sérvia 4 3 1 1 1 1
6 Ilhas Faroe 1 4 1 0 4 -13

Podolski foi decisivo (Getty Images)

– No Grupo A, falaremos do que gostamos, futebol. A Alemanha teve certa dificuldade, mas venceu o Cazaquistão. Após um primeiro tempo onde o time alemão perdeu um caminhão de gols, na etapa final, o time acordou com Podolski. O atacante deu assistências pros gols de Klose e Gomez, além de marcar o 3º. A Alemanha tem 12 pontos e lidera o grupo, com cinco pontos à mais que a vice-líder Áustria. Vice-líder essa, que protagonizou um jogo maluco diante da Bélgica, 4×4. A zebra do dia foi a surpreendente vitória de Azerbaijão sobre a Turquia, 1×0.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg 1 Alemanha 12 4 4 0 0 12 2 Áustria 7 3 2 1 0 5 3 Turquia 6 4 2 0 2 0 4 Bélgica 4 4 1 1 2 0 5 Azerbaijão 3 3 1 0 2 -7 6 Cazaquistão 0 4 0 0 4 -10

– Pelo Grupo B, a Rússia fez sua tarefa, bateu a Macedônia. O único gol foi marcado pelo artilheiro Kerzhakov. Os russos lideram com 9 pontos, mas vê três times com 7 (Irlanda, Armênia e Eslováquia). Eslovácos e irlandeses ficaram no 1×1. Para a Eslováquia, Durica marcou, Ledger fez para a Irlanda. Até a Armênia goleia Andorra, 4×0.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg 1 Rússia 9 4 3 0 1 3 2 Irlanda 7 4 2 1 1 2 3 Armênia 7 4 2 1 1 2 4 Eslováquia 7 4 2 1 1 0 5 Macedônia 4 4 1 1 2 0 6 Andorra 0 4 0 0 4 -10

– No Grupo D, a França chegou a terceira vitória nas Eliminatórias diante do “pojeto” de Luxemburgo. Na primeiro etapa, Karim Benzema abriu o placar, na etapa final, Gourcuff deu números finais. Os franceses têm 9 pontos e lideram, seguidos pela Bielorússia que tem 8 e que hoje bateu a Albânia, por 2×0.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg
1 França 9 4 3 2 0 5
2 Bielorússia 8 4 2 2 0 3
3 Albânia 5 3 1 2 1 -1
4 Bósnia 4 3 1 1 1 1
5 Romênia 2 3 0 2 1 -2
6 Luxemburgo 1 4 0 1 3 -6

Laranja imbatível (Getty Images)

– No Grupo E, a Holanda segue imbatível. A Laranja Mecânica derrotou nesta terça-feira a seleção da Suécia e disparou na ponta. Os holandeses fizeram quatro gols com dois jogadores. Huntelaar e Afellay fizeram dois gols cada. Granqvist descontou pros suecos. Quem, assim como eu, acompanhou o Mundial Sub 20 do ano passado, viu que a Hungria fez uma bela campanha, e esses valores estão mostrando que podem levar a Hungria de volta ao topo da Europa. A vitória por 2×1 sobre a Finlândia, com o gol da vitória conseguido aos 49 do segundo tempo com Dzsudszak, deixa os húngaros na 2ª colocação, com 9 pontos, três atrás da Holanda e três à frente da Suécia. A Moldávia venceu San Marino por 2×0 e começa a se assanhar no grupo.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg
1 Holanda 12 4 4 0 0 10
2 Hungria 9 4 3 0 1 8
3 Suécia 6 3 2 0 1 5
4 Moldávia 6 4 2 0 2 2
5 Finlândia 0 3 0 0 3 -4
6 San Marino 0 4 0 0 4 -21

– Quem lidera o Grupo F é a campeã de 2004, a Grécia, que bateu Israel. Os gregos saíram na frente num gol “meio-espírita” de Salpingidis, mas Spyropoulos fez contra e empatou, mas Karagounis fez o gol da vitória grega. A Grécia lidera com 8 pontos. Pelo mesmo grupo, Letônia e Geórgia ficaram no 1×1.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg
1 Grécia 8 4 2 2 0 2
2 Croácia 7 3 2 1 0 4
3 Geórgia 6 4 1 3 0 1
4 Israel 4 4 1 1 2 0
5 Letônia 4 4 1 1 2 -2
6 Malta 0 3 0 0 3 -5

– No Grupo G, a Inglaterra decepcionou de novo, ficou no 0x0 com a sensação Montenegro. Será que teremos mais uma Eurocopa sem o English Team? E o “retrancado, defensivo, anti-futebolístico” time da Suíça goleou País de Gales, por 4×1.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg
1 Montenegro 10 4 3 1 0 3
2 Inglaterra 7 2 2 1 0 6
3 Suíça 3 3 1 0 2 0
4 Bulgária 3 3 1 0 2 -4
5 País de Gales 0 3 0 0 3 -5

Paulo Bento ajeitando o time (Getty Images)

– No Grupo H, Portugal venceu  mais uma, mas não lidera. Diante da Islândia, os portugueses abriram o placar com Cristiano Ronaldo de falta. Os islandeses empataram com um gol polêmico. Helguson cabeceou, a zaga de Portugal tentou afastar, mas ela entrou. Não houve um angulo que esclarecesse o lance. Raúl Meireles, num petardo e Postiga, aproveitando rebote infantil do goleiro fecharam em 3×1. A Dinamarca venceu o Chipre em casa por 2×0.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg
1 Noruega 9 3 3 0 0 3
2 Portugal 7 4 2 1 1 3
3 Dinamarca 6 3 2 0 1 1
4 Chipre 1 3 0 1 2 -3
5 Islândia 0 3 0 0 3 -4

– No Grupo I, a Espanha suou mais do que esperava, mas derrotou a Escócia fora de casa. Os espanhóis abriram 2×0, com Villa de pênalti e Iniesta. Naismith e Piqué contra empataram. Llorente, que saiu do banco e fez o gol da vitória. A República Tcheca venceu Liechtenstein fora de casa, por 2×0, com gols de Necid e Kadlec.

P Seleções Pt Jg Vt Em De Sg
1 Espanha 9 3 3 0 0 7
2 República Tcheca 6 3 2 0 1 2
3 Escócia 4 4 1 1 2 -1
4 Lituânia 4 3 1 1 1 -1
5 Liechtenstein 0 3 0 0 3 -7