Le Podcast du Foot #74 | Futuro parisiense

A precoce eliminação na Liga dos Campeões coloca em xeque o futuro do Paris Saint-Germain. Mais do que a perda da vaga, pesa nesse cenário a atuação pouco convincente diante do Real Madrid, que deixa dúvidas pairando no ar sobre o poder competitivo do time francês.

Hoje já há questionamentos ao técnico Unai Emery e a alguns jogadores, como Marco Verratti (expulso no jogo de volta) e até mesmo de Kyllian Mbappé, que teve discreta atuação nos dois jogos.

Para projetar o futuro do PSG após mais essa pancada europeia, Eduardo Madeira e Vinícius Ramos se reuniram para a edição #74 de Le Podcast du Foot. Dê play abaixo e escute mais um programa:

Neymar versus Cavani: a disputa que nunca existiu

Falta química entre Neymar e Cavani? Números derrubam argumento | Foto: AFP/Getty Images

A derrota por 3 a 1 para o Real Madrid, na primeira mão das oitavas-de-final da Liga dos Campeões da Europa, trouxe uma série de repercussões negativas para o Paris Saint-Germainalgumas delas foram discutidas na edição #73 de Le Podcast du Foot.

Muitos falaram das tomadas de decisão de Neymar, das escolhas de Unai Emery, da forma como o time joga, enfim, poucas vezes uma derrota arrasou a milionária terra parisiense como essa.

Diversos desses argumentos, de fato, rendem discussão e bons debates. Alguns passam do limite, seja por críticas descabidas e até desconectadas com o jogo, seja por simplesmente serem mentirosas.

A que mais me intrigou foi a da tal “falta de química” entre a dupla Neymar e Edinson Cavani. Como argumento, utilizaram um dado que indicava que um não tocou a bola para o outro na partida. O fato, em si, não condiz com a verdade, como mostrou o analista de desempenho e jornalista Eduardo Cecconi em seu Twitter:

A informação provocou uma série de reações, inclusive, comentários desconectados da realidade. Cito aqui o do jornalista André Rizek, do Sportv (e deixo claro que a intenção não é desmerece-lo, porém, entendo que se fosse algo que eu tivesse dito, gostaria que fosse citado para corrigir ou, ao menos, rebater).

Em seu perfil no Twitter, logo após o jogo, disse que Neymar e Cavani “não são uma dupla, são uma disputa”. Assisti a um trecho do Redação Sportv do dia seguinte, Rizek reforçou o argumento e citou a referida informação de que Cavani e Neymar não trocaram passes entre si.

Pois bem, fui atrás de números, dados concretos e irrefutáveis que rebatessem essa afirmação. Encontrei estatísticas simples, pouco profundas, mas que jogam por terra o argumento da “disputa” entre os dois. Neymar deu 12 assistências na temporada do Campeonato Francês. Seis delas foram para Cavani. Já o uruguaio, que nunca foi afeito a passes para gol, deu quatro, duas para o brasileiro.

Se isso é falta de química, me desculpem, mas não sei o que é entendimento entre dois jogadores de ataque.

Para complementar, tomei o cuidado de olhar assistência por assistência, analisar com cuidado para ver se não foram lances fortuitos, casos de sorte mesmo. Portanto, segue abaixo um relato de cada passe para gol de Neymar e, em seguida, de Cavani – no título estão os links que redirecionam para os vídeos dos lances:

1 – Guingamp 0-3 PSG | 2ª rodada 

Neymar recebe a bola na faixa central e observa o deslocamento de Cavani entre os zagueiros. O uruguaio é lançado e marca após dois toques na bola.

2 – Metz 1-5 PSG | 5ª rodada 

Lance semelhante ao primeiro: Neymar recebe no centro, enxerga o deslocamento de Cavani e Kyllian Mbappé. O Pistolero chega antes depois do lançamento e marca o gol.

3 – PSG 6-2 Bordeaux | 8ª rodada 

A jogada deste gol envolveu o trio Mbappé, Neymar e Cavani. Os dois primeiros tabelaram e o brasileiro encontrou o uruguaio em condições de marcar na saída de Benoît Costil.

4 – PSG 2-0 Troyes | 15ª rodada 

Jogada mais simples: Neymar recebeu na esquerda, tinha marcação por perto, diferente de Cavani, que estava livre na marca do pênalti. O camisa 9 foi acionado e guardou.

5 – Rennes 1-4 PSG | 18ª rodada 

Este foi, certamente, um dos gols mais bonitos. Neymar, com liberdade pela área central, lançou Cavani por elevação. Antes da chegada do goleiro, tocou por cobertura e marcou.

6 – PSG 6-2 Strabourg | 26ª rodada 

E, finalmente, o lance mais recente, mas que teve muita semelhança com outras jogadas: Neymar livre na área central, observa a movimentação de Cavani e o lança. O uruguaio, oportunista, guardou mais um.

Já nos passes de Cavani…

1 – Guingamp 0-3 PSG | 2ª rodada 

O gol saiu muito facilmente, mas ficou marcado por Cavani evitando a saída da bola pela linha de fundo e rolando para trás, onde estava Neymar, que fez o primeiro gol com a camisa parisiense.

2 – PSG 4-0 Montpellier | 23ª rodada 

Este talvez seja o único que dê para discutir se foi uma assistência intencional ou não, embora tenha me parecido proposital. Em rápido contra-ataque, Cavani recebeu na saída do goleiro e, sem o ângulo ideal, tocou por elevação. Antes de a bola entrar, Neymar marcou o gol.

Cavani e Neymar é a dupla fatal do PSG | Foto: Reprodução

Bom, lendo as descrições e assistindo aos lances, me parece claro que a tal “disputa” não existe. E ainda não entram na conta lances que não viraram gols, como aquele que Cecconi mostrou em Real x PSG. Esse dado poderia ser ainda maior.

O que se detectou foi, principalmente, um Neymar mais cerebral, jogando em uma faixa de campo mais recuada, mas sendo igualmente fatal, principalmente por ter um goleador nato em sua frente.

Aliás, quantos talvez tenham percebido isso ao longo da temporada? Como jornalista, sou muito crítico a minha profissão e me parece muito claro que, cada vez mais, se assiste menos futebol, mesmo existindo infinitas maneiras de acompanhar os jogos. Quantas partidas do PSG foram assistidas por nossa crônica especializada?

Ouso dizer que poucas.

E o reflexo é visto aí. Propaga-se uma opinião equivocada de que não há sintonia entre dois atletas que são responsáveis por mais da metade dos gols do PSG na liga nacional (42 de 81). Mais gritante ainda é ver que muitos desses tentos saíram de jogadas construídas pelos dois.

Se há uma rixa interna entre a dupla pouco importa. Isso é bom para vender jornais e caçar cliques de quem pouco está interessado em entender o jogo. Dentro das quatro linhas há entendimento e podemos ser categóricos: Neymar e Cavani não são uma disputa, como foi sugerido, mas, sim, uma dupla e tanto.

Le Podcast du Foot #73 | Real 3×1 PSG

A sonhada conquista da Liga dos Campeões da Europa ficou alguns quilômetros mais distante de Paris. O trio Neymar, Cavani e Mbappé sucumbiu a grandeza do Real Madrid e ao brilhantismo de Cristiano Ronaldo, perdendo por 3 a 1, na ida das oitavas-de-final, no Santiago Bernabéu. Na volta, em Paris, o PSG precisará vencer por 2 a 0 ou por três gols de diferença para seguir na competição.

Para analisar tudo que aconteceu no confronto de ida, Eduardo Madeira, Flávio Botelho e Renato Gomes estiveram reunidos na edição #73 de Le Podcast du Foot.

Unai Emery errou na escalação? Lo Celso ou Lass? Dí Maria poderia ter jogado? Thiago Motta fez falta? E o que mudar até a volta, no dia 6 de março? Tudo isso e muito mais foi aprofundado no programa que você escuta abaixo, no MixCloud: