Mundial Sub-20: Você vai ouvir falar

Depois de fazer dois posts falando sobre jogadores europeus que se destacaram no Mundial Sub-20, o Europa Football prepara agora um post especial com jogadores que despontam como possíveis destaques de suas seleções europeias no Mundial Sub-20 que se inicia na próxima sexta-feira, na Colômbia.

Vamos a eles!

Áustria – Andreas Weimann (Aston Villa)

Andreas Weimann é o jogador mais badalado da Áustria

Do elenco austríaco, certamente Weimann é o jogador mais badalado. Ele está no Aston Villa desde a temporada 2007/08, mas nunca jogou com tanta regularidade. Isso ele conseguiu na última temporada, quando foi emprestado para o Watford e disputou a segunda divisão inglesa. Weimann disputou 18 partidas nos Hornets e anotou 4 gols. Na temporada que está perto de se iniciar, ele retorna ao Aston Villa e pode receber mais oportunidades. Weimann é atacante e fará 20 anos no dia 5 de agosto.

De olho em… Djuricin, atacante do Hertha Berlin, que mesmo não tendo a badalação de Weimann, é uma peça de grande importância da Áustria. De olho também no defensor do Rapid Viena, Michael Schimpelsberger, que é titular nas seleções de base da Áustria desde o Sub-17. Ele é o mais velho do time e por isso carrega a tarja de capitão.

Croácia – Mario Ticinovic (Hajduk Split)

Ticinovic foi o jogador mais jovem a assinar contrato com o Hajduk Split, clube da Croácia. Não à toa, ele é chamado de “Nedved croata”. Não sei se chega a tanto, mas de fato, ao vê-lo em campo, nota-se grande técnica e inteligência dentro das quatro linhas. Ticinovic, que já é o maestro do Hajduk Split, certamente será um dos “cabeças” da Croácia no Mundial. Junto com Ozobic, do Spartak Moscow, será um dos extremos da equipe. Ele vestirá a 11 e completará 20 anos no dia 20 de agosto.

De olho em… Matej Delac, uma das grandes promessas do futebol europeu para goleiro. Aos 16 anos era titular do Inter Zapresic e após boa participação na Euro Sub-19, foi comprado pelo Chelsea. De olho também em Pamic, principal referência ofensiva do time croata.

Espanha – Sérgio Canales (Real Madrid)

Esse já é mais conhecido. Canales despontou como grande destaque no Racing Santander, há duas temporadas. Após fazer um caminhão de gols e chamar a atenção de meio mundo, foi comprado pelo Real Madrid. Lá, Canales perdeu espaço e jogou pouco, sem falar da Euro Sub-19, onde foi pouco decisivo. O Mundial Sub-20 será a grande chance do meia atacante trazer os holofotes de volta pra si e mostrar para José Mourinho que merece mais oportunidades no time titular do Real Madrid. Canales vestirá a 10 e tem 20 anos.

De olho em… Oriol Romeu, mais uma cria do Barcelona (não precisa dizer mais, né?), só que não vestirá a camisa azul grená, pois recentemente foi contratado pelo Chelsea. Olho também em Dani Pacheco, jogador do Liverpool. Ele se destacou na última Euro Sub-19 e usará o Mundial Sub-20 para chamar a atenção do treinador do Liverpool, Kenny Dalglish, que usa muitos jovens em seu time.

França – Antoine Griezmann (Real Sociedad)

Griezmann é dotado de grande técnica

Griezmann foi uma das peças mais importantes da Real Sociedad na última temporada. O garoto participou de 37 dos 38 jogos da equipe e conseguiu até cavar uma vaguinha na seleção principal de Laurent Blanc. Na última Euro Sub-19, Griezmann foi o maestro do meio campo francês e um dos destaques do torneio. Olho nesse garoto! Esse sim tem um futuro imenso pela frente. Les Bleus agradecem! Griezmann vestirá a 11 e tem 20 anos.

De olho em… Gael Kakuta, que é aquele famoso atacante que se envolveu na transação Lens-Chelsea e que proibiu os Blues de negociarem por um tempinho. Polêmica à parte, Kakuta mostrou na última Euro Sub-19 muita técnica e habilidade. Vale ficar observando. De olho também em Lacazette, atacante de 1m74, mas muito veloz e envolvente em seus dribles. Na última Euro Sub-19, quase sempre entrou no decorrer dos jogos, mas sempre sendo decisivo.

Inglaterra – Dean Parrett (Tottenham)

Cria do Tottenham, o meio campista Dean Parrett vive andando de clube em clube, sempre emprestado pelos Spurs. Na última temporada, Parrett esteve no Plymouth Argyle e no Charlton. Somando os jogos pelas duas equipes, ele esteve em campo em 18 oportunidades, tendo marcado dois gols. É esperar pra ver mais desse garoto, pois como cansamos de saber, são poucos os clubes ingleses que dão oportunidades para esses garotos. Parrett vestirá a 15 e tem 19 anos.

De olho em… Matt Phillips, jogador do Blackpool e que ganhou minutos importantes na última temporada, tendo jogado bastante pelos Tangerines.

Portugal – Roderick (Benfica)

Roderick comanda a defesa lusa

Roderick é considerado o mais promissor defensor do futebol português. Ele mostra qualidades como senso apurado de marcação e bom posicionamento. Até por isso ele é sempre observado pelos técnicos que passam pelo Benfica, embora jogue pouco pelo clube. Devido a sua experiência nas seleções de base, receberá a tarja de capitão de Portugal, que sonha com um eventual tri-campeonato mundial. Roderick vestirá a 5 e tem 20 anos.

De olho em… Nélson Oliveira, do Benfica, que é apontado por muitos como um sucessor de Pauleta. Na base benfiquista, ele anotou 59 gols em 60 jogos, números impressionantes.

*Só pra constar, darei meu palpite pro título: França. Sei que esses torneios sub alguma coisa sempre mostram surpresas e equipes que nem imaginávamos ter times de base surpreendem, mas essa geração da França é muito forte.

Vaga antecipada com representações diferentes

Alemanha perto da vaga depois de bater a Áustria (Reuters)

Com o término dos campeonatos nacionais e dos torneios entre clubes da Uefa, só me resta falar das seleções, que estão disputando as Eliminatórias da Eurocopa 2012. E no fundo, sabemos que a classificação antecipada para o torneio que será disputado na Polônia e na Ucrânia representa mais para umas seleções do que para outras.

Algumas dessas seleções já carregam junto para essa fase eliminatória da Euro, uma boa base armada durante as Eliminatórias e a fase final da Copa do Mundo. Outras seleções de renome internacional, ao invés de carregar entrosamento, boa base e um leque de opções, carregam coisas piores, como desconfianças, pressões, mal futebol e poucas opções para uma eventual mudança.

Se Klose não joga, aparece Mário Gómez, que fez dois gols contra a Áustria (Dpad)

Vejamos o exemplo da Alemanha: Joachim Löw tem em mãos um grupo jovem e entrosado e também de muito potencial. Ele ainda viu na Bundesliga vários valores surgirem em praticamente todos os times, podendo assim, sempre contar com alternativas interessantes na hora do aperto. No Grupo A, a Alemanha lidera com 18 pontos, sete à mais que a vice-líder Bélgica e ainda tem menos jogos que o selecionado belga.

A Alemanha tem 4 jogos para somar cinco pontos. Ao que tudo indica, logo deve se classificar. Essa vaga antecipada não representa tanto assim para os alemães. A única grande dúvida de Low é na lateral-esquerda. Aogo e Badstuber já passaram por lá e não passaram confiança. Schmelzer é quem tem jogado por lá, mas não repete as boas atuações que teve com a camisa do Dortmund. Nos jogos que sobrariam a Nationalelf com a vaga antecipada, seriam apenas testes para os últimos detalhes serem ajustados, como a lateral-esquerda.

Seleções como Holanda e Espanha vivem a mesma situação. A vaga para a Eurocopa deve vir de forma antecipada e ambas tem bases fortes e opções boas para reposição. Bert van Marwijk e Vicente Del Bosque usariam estas partidas para cumprir tabela como testes finais para a disputa da Euro.

O figurante Lampard, ainda fez um gol de pênalti (Getty Images)

Mas há exemplos contrários, como a Inglaterra.

Depois da vexatória Copa do Mundo, onde o English Team em nenhum momento apresentou um futebol decente e foi varrida pela Alemanha nas oitavas-de-final, Fábio Capello viu as críticas aumentarem e até hoje não se sabe ao certo que time tem mesmo a Inglaterra.

No gol, Joe Hart não repete as grandes atuações do Manchester City. Jogadores como Glen Johnson e Lampard têm jogado mais pela falta de opções do que pelo bom futebol apresentado. E no ataque, Bent não passa toda confiança necessária que se deve ter em um “homem-gol”.

Ainda assim, há respiros de confiança neste time inglês. Jack Wilshere foi uma grata surpresa da temporada na Premier League e hoje já é titular do time de Fábio Capello. Scott Parker renasceu no West Ham, além do trio de defesa que já joga junta há anos: Terry, Ferdinand e Cole.

Mesmo assim, a Inglaterra não apresenta um futebol convincente, com oscilações dentro do próprio jogo e vacilos gigantescos durante a partida. Fábio Capello convive com a falta de opções e também com as críticas justas. O técnico italiano comete muitos equívocos nos jogos, como ontem no duelo contra a Suíça, quando escalou Lampard como titular. O meia do Chelsea fez figuração em campo e foi substituído no intervalo.

Capello é muito criticado (AP)

Uma vaga com antecedência representaria muito para a Seleção Inglesa. Fábio Capello poderia ter mais tranquilidade para rever algumas peças e com menos pressão, poder firmar uma base sólida e forte para a Eurocopa, até porque pelo andar da carruagem, a Inglaterra é quem quer se tornar a “nova Espanha”. Não essa Espanha atual e sim a velha Espanha. Aquela que você depositava muita confiança e na “hora H” falhava. A Inglaterra da última década foi assim…

Só que para o English Team perder esse rótulo, não terá apenas de conviver com a instabilidade de seu futebol, mas também com um duro adversário: a Seleção de Montenegro. Os montenegrinos tem a mesma campanha da Inglaterra e ainda não perderam. Pode pintar como surpresa na Euro 2012.

Quem parece seguir o caminho inverso da Inglaterra é a França. Após aquelas cenas vergonhosas na última Copa do Mundo, Les Bleus tem Laurent Blanc no comando técnico e o ex-treinador do Bordeaux tem montado uma base boa e consistente, com destaques da Ligue 1, mais as peças fundamentais, como Ribéry e Benzema – esse nem tão fundamental assim.

Blanc reconstruindo a França (EQ)

Mesmo estando em início de trabalho, Blanc já tem basicamente uma base. Rami e Mexès formam a dupla de zaga. M’Vila, Alou Diarra, Diaby e Gourcuff são as principais peças para formarem a faixa central do meio-campo. Nasri e Ribéry na criação para Benzema. Sem falar que jogadores como Valbuena, Rémy e Gameiro, destaques do campeonato nacional, começam a se tornar peças importantes do time, sempre jogando, sejam como titulares ou como suplentes que entram durante a peleja. Ou seja, já há uma base, enquanto a Inglaterra engatinha nesse quesito.

A oscilação francesa é diferente da inglesa. Les Bleus oscilam pois sua base ainda não se tornou um conjunto forte e muitas vezes falta o entrosamento, enquanto no English Team, a oscilação se deve a falta de peças e a teimosia de Capello.

A Itália segue o mesmo caminho da França: Base boa, novo técnico e boa parte do caminho andado. Para ambos, a vaga antecipada significa a consolidação de um bom trabalho feito, além da confirmação de uma boa base montada.

A vaga antecipada pode garantir conforto e confiança para uns, para outros, alívio e quanto para outros, apenas uma parte do caminho andado. Então vamos seguir acompanhando as Eliminatórias da Eurocopa para ver se essas minhas previsões realmente acontecerão.

Holanda decepciona, perde e é eliminada

1507427_w2

A Holanda literalmente decepcionou na Euro Sub 19. Dependia de si contra a já eliminada Áustria para se garantir na próxima fase e ainda contava com a momentânea vitória da França sobre a Inglaterra, que lhe dava a chance de empatar para se classificar. Pois é, conseguiu perder.

A França vencia a Inglaterra por 1×0, gol de Tafer, até que aos 43 minutos do segundo tempo, pênalti para a Áustria. Djuricin foi para a bola e fez o gol da vitória austríaca. Para a sorte holandesa, mesmo perdendo, se classificava, pois a derrota inglesa classificava o time holandês, só que nos acréscimos, Philips marcou e classificou a Inglaterra. Final trágico para a Holanda.

No dia 27, a França vai encarar a surpreendente Seleção da Croácia, que de quase eliminada, acabou com Portugal, enquanto a Inglaterra terá de encarar a poderosa Espanha, serão dois belos jogos.

Classificação

Pos Times Pts Sg Conf. Direto

França
Inglaterra
7
4
+8
0

Áustria
Holanda
3
3
-5
-3
AUS 1-0
HOL 0-1