Le Podcast du Foot #65 | Os novos técnicos da Ligue 1

A temporada 2017/18 do Campeonato Francês promete ser interessante nas casamatas dos 20 times participantes. Isso porque alguns clubes optaram por trazer novos treinadores e apostaram em nomes que prometem mudar o cenário do torneio.

O nome mais chamativo é o de Marcelo Bielsa (foto). Referendado técnico, tido como exemplo para muitos treinadores, como Pep Guardiola, o argentino retorna à França após dois anos para comandar o Lille.

Outros times que apostam em novos técnicos são Saint-Étienne e Nantes. Os Verdes trouxeram Óscar García, ex-Red Bull Salzburg, e os Canários apostam no italiano Cláudio Ranieri, campeão inglês com o Leicester City na temporada 2015/16.

Esse novo cartel de treinadores da Ligue 1 foi tema de debate em Le Podcast du Foot #65. Eduardo Madeira, Filipe Papini e Renato Gomes discutiram o assunto na nova edição do programa.

Ouça abaixo e deixe sua opinião abaixo!

Procura-se um técnico

E aí? É você?

Após passar quatro anos nas mãos de Roberto Mancini e mais dois nas mãos de José Mourinho, conseguindo uma vasta galeria de troféus, a Internazionale se vê na obrigação de buscar de forma certeira um novo treinador, após ter fracassado com dois ‘professores’ na mesma temporada.

Rafa Benítez foi o treinador na primeira metade da temporada 2010/11, mas fez a Inter desaprender a jogar. Usando a mesma base campeã da Europa, o espanhol não agradou e não durou a temporada inteira. Na segunda metade de temporada, veio Leonardo, ídolo do rival Milan. O brasileiro mexeu e mexeu nesse time, que acabou transformando uma defesa outrora sólida em uma verdadeira peneira, se dando ao luxo de tomar 5 do Schalke no Giuseppe Meazza. Ao que tudo indica, Leonardo deverá se mudar para Paris e ser diretor do Paris Saint-Germain.

O presidente da Inter, Massimo Moratti, já está de olho em novos nomes. A cada dia, a imprensa italiana surge com um possível treinador. Mas a pergunta é: quem virá?

Nomes não faltam. O que realmente falta é analisar se esses nomes realmente podem ser do agrado da diretoria e da torcida interista.

Ancelotti ganhou a Champions League com o Milan

Um dos melhores nomes certamente é de Carlo Ancelotti. O italiano foi dispensado do Chelsea no final da última temporada e títulos não faltam para comprovarmos sua alta capacitação. Com o Milan, Ancelotti foi bi-campeão europeu e uma vez campeão italiano, da Copa Itália e do Mundial de Clubes. No Chelsea, faturou uma Premier League e uma FA Cup.

Mas duas coisas podem atrapalhar essa negociação. Primeiro e mais simples, é o fato de Ancelotti ter dito que quer “umas férias”. Nada que uma boa negociação não resolva. Muricy Ramalho é um exemplo nacional. Ao sair do Fluminense, disse querer “férias”, hoje pode conquistar a América com o Santos.

O segundo e complicado ponto é a alta identificação de Carlo Ancelotti com o Milan. Foram cinco anos como jogador e oito como treinador do time Rossonero. É alto risco para Carlo e para a Inter. A diretoria interista talvez não queira passar pelo constrangimento de trazer novamente um ídolo da equipe rival para um cargo importante, como foi Leonardo. O brasileiro fracassou, o que representaria outro peso na vinda de Carlo. Tá certo que Ancelotti é muito mais experiente que Léo, mas esse fracasso brasileiro sempre seria lembrado ao italiano pela imprensa e torcida. Para Carlo, complica pois pode passar pelo que o próprio Leonardo passou. Para quem andou passeando em outro planeta e não ficou sabendo, no derby della Madonnina do 2º turno da Série A, a torcida do Milan chamou Leonardo de “Judas Interista”. Será que Ancelotti levaria isso numa boa? Não sei. Talvez fosse melhor ficar em sua zona de conforto.

Ancelotti pode até ser um excelente nome, mas honestamente, não apostaria minhas fichas nele.

Já se sabe que El Loco Bielsa não será técnico da Inter. Bom pro clube. O treinador argentino tem costume de armar times loucamente ofensivos e com uma fragilidade de um cristal fino na defesa. Seria melhor Leonardo do que Bielsa.

Além de Bielsa, nomes como os de Fábio Capello e André Villas-Boas foram descartados – até porque Villas-Boas acertou com o Chelsea. Fala-se também em Sinisa Mihajlovic, Guus Hiddink, Luciano Spalletti, Delio Rossi, Rudi Garcia e Gian Piero Gasperini.

Rudi Garcia é cogitado na Internazionale

Sigo achando que a melhor opção, sem levar em conta o passado e as identificações, é Carlo Ancelotti, mas reconheço que descartar aspectos como os citados anteriormente é praticamente impossível. Mas me surpreendi quando falaram em Rudi Garcia, técnico do Lille. Por que não ele? Garcia fez o LOSC jogar um futebol veloz e vistoso, sem se comprometer na defesa. Na temporada em que o Lille saiu da fila, o time teve o melhor ataque, com 68 gols anotados e a segunda melhor defesa, sofrendo somente 36 tentos.

Mas também há o seguinte: Rudi Garcia está ingressando na lista de técnicos vencedores agora. Talvez seja um salto maior do que a perna para ele, mas valeria o desafio. Bastaria a Inter ter paciência com Garcia, que levou certo tempo para fazer do Lille o belo time que é hoje. Começou com um time somente de futebol vistoso, acabou com um time que joga bem e vence.

Enfim, a Inter conviverá com esses percalços. Um tem identificação com o rival, outro é muito jovem, outro não é lá grande coisa, etc.. Cabe agora a Massimo Moratti – que hoje disse que pode ser que Leonardo fique – e a diretoria analisarem bem os nomes e saberem exatamente qual escolher, para não darem bolas foras como foi na última temporada.

PS: O Cuca está sem clube, hehe.