Mais alguns meses na fila…

Esse torcedor está com sede de títulos (AFP)

No vídeo acima, você viu a final da FA Cup 2004/05, disputada entre Arsenal x Manchester United, vencida pelos Gunners. Acontece que de lá pra cá, o time londrino não ganhou nada.

Naquele jogo disputado no Millennium Stadium, o Arsenal que jogava desfalcado de Henry, segurou o 0x0 no tempo normal e no extra e nos pênaltis, Scholes errou pro Manchester e os Gunners se sagraram campeões da FA Cup.

Era um time que tinha uma boa base e também tinha tudo para se manter no topo durante um bom tempo. Mas não foi isso que se viu…

Na temporada seguinte, o Arsenal terminou em 4º na Premier League, caiu pro Bolton na fase oitavas de final da FA Cup, caiu pro Wigan na semifinal da Carling Cup, além do que seria o título mais importante de sua história, a Champions League, perdida na final pro Barcelona, em jogo que tinha tudo pra ser épico. Logo no início do jogo, Lehmann foi expulso por fazer falta em Eto’o, mesmo assim os Gunners marcaram com Campbell, mas após serem pressionados na segunda etapa inteira, sofreram a virada.

Na temporada 2006/07, o Arsenal terminou novamente em 4º na Premier League, caiu nas oitavas de final da FA Cup em dois jogos contra o Blackburn, caiu pro PSV na Champions League e ainda perdeu de virada a Carling Cup. Na final disputada contra o Chelsea, os Gunners saíram na frente com Walcott, mas Drogba fez dois e deu o título pros Blues.

Na temporada 2007/08, o Arsenal acabou com a 3ª colocação na Premier League, caiu nas oitavas de final da FA Cup após tomar 4×0 do Manchester, caiu pro Liverpool nas quartas-de-final da Champions League e caiu vergonhosamente na Carling Cup. O Arsenal pegou nas semifinais da competição o grande rival londrino, Tottenham e após 1×1 na ida, os Gunners tomaram 5×1 dos Spurs.

Em 2008/09, veio o 4º lugar na Premier League, caiu pro Manchester nas semifinais da Champions League e também na fase anterior a final, caiu pro Chelsea na FA Cup. Na Carling Cup que veio a eliminação vergonhosa. Nas quartas-de-final, o Arsenal caiu pro Burnley, após uma derrota por 2×0.

Na temporada 2009/10, 3º lugar na Premier League, eliminação pro Barcelona na Champions League, caiu nas quartas de final da Carling Cup pro Manchester City e na FA Cup, se rendeu ao “FuteBolton”. 3×1 pro Stoke City e time muito criticado.

Quem te viu... (PA)

Para completar essa lista de fracassos londrinos, faltava uma derrota acachapante para um time inferior em uma decisão. Isso aconteceu hoje. O Arsenal pegava o Birmingham, 16º colocado da Premier League. Os Gunners eram amplos favoritos, mas caíram para um time aguerrido e também pros próprios erros.

Os Blues abriram o placar com Zigic, que à princípio estava marcado por Djourou, que por motivo estranho, saiu de perto e deixou o gigantão sérvio livre pra marcar. No finalzinho da etapa final, quando a partida já estava 1×1 – Van Persie empatou – veio o grande erro do Arsenal. Após toque de cabeça de Nikola Zigic, a bola vinha fraquinha, Szczeszni faria defesa tranquila, só que Koscielny se antecipou e…furou feio, atrapalhando o goleiro Gunner, a bola sobrou limpinha para Oba Oba Martins, que mandou pras redes.

Quem diria? Obafemi Martins entra pra lista de “quem é vivo sempre aparece”. Andava sumidão o nigeriano e do nada faz um gol importantíssimo para a história de um clube.

O Birmingham tem seus méritos, é claro. Foi aplicado, marcou forte e em nenhum momento se omitiu. Foi pro ataque, Alex McLeish não recuou seu time – aliás, Martins estava no banco e entrou no lugar de um meio campista, mudando o esquema dos Blues -, contou com Foster em dia inspirado – o goleiro foi eleito o melhor da final – e mereceu ser campeão, mas o post destaca a fila do Arsenal e o impacto dessa derrota deve ser gigante.

Você imagina: Chega numa final como favorito, sai atrás, é ajudado pela arbitragem, busca o empate e no final do jogo, comete uma falha grotesca e perde o título, e ainda levando em conta esse retrospecto do Arsenal de ser um time “amarelão”, que impacto que essa derrota vai causar? Que impacto vai causar a um time de garotos, que via esse título como razão da confiança pra buscar a Premier League, buscar a FA Cup e eliminar o Barcelona na Champions League? Certamente não será um impacto bom. A fama de amarelão vai continuar, a fama de time que joga um futebol bonito mas que não ganha nada permanecerá. O time vai pegar nessa semana o Leyton Orient, pelo replay da FA Cup. The O’s chegarão certamente, com muita motivação, vai pegar um time da primeira divisão, não perde há dez jogos na terceira divisão e vai pegar um time em clima de velório. As chances do Leyton Orient aumentam bastante!

Se já é assim pro Leyton Orient, imagina pro Barcelona, que terá de vencer o Arsenal por um simples 1×0 pra se classificar na Champions League?

É uma derrota que derruba a motivação do Arsenal. Haviam torcedores que sonhavam com 4 títulos nessa temporada, pelo jeito terão de se contentar com nenhum título e mais um ano na final…

Em contrapartida, Birmingham fazendo história (Getty Images)

Anúncios

Domingo clássico na Inglaterra

Tyne-Wear Derby mobiliza a segurança

O domingo na Inglaterra ficou reservado pros clássicos.

Tivemos três jogos regionais e de grande rivalidade, fora outro de duas equipes fortes que são candidatas ao título.

Asamoah Gyan fez esse gol aí no finzinho do jogo (AFP)

Pela manhã, dois clássicos no mesmo horário. Falarei primeiro do Tyne-Wear Derby, realizado entre Sunderland e Newcastle. As duas equipes estão separadas por 10 milhas e a rivalidade é intensa e essa rivalidade foi transportada pro campo. Muitas divididas, muitas cotoveladas e até confusão após o término do jogo – o goleiro do Newcastle, Harper, foi agredido por um torcedor do Sunderland -. Os gols só saíram na etapa final. Nolan de calcanhar abriu o placar pros Magpies e nos acréscimos de Howard Webb, Asamoah Gyan marcou sem querer. Bardsley finalizou, Harper espalmou e a bola bateu no ganês e entrou.

O tropeço não foi bom pro Sunderland. Se os Black Cats ainda querem chegar a alguma competição europeia, deveriam ter vencido seus rivais. Eles ficam agora na 6ª colocação com 34 pontos. Já pros Magpies, o resultado só fica ruim pelo fato da vitória ter escapado nos acréscimos, mas na classificação não foi ruim. O Newcastle está na 9ª colocação, com 29 pontos.

Não deu, Foster (Getty Images)

Ainda na manhã, tivemos o Derby de Birmingham, o clássico entre Birmingham City e Aston Villa. Diferentemente do Tyne-Wear Derby, que teve muita pancada, o derby de Birmingham foi um jogo mais aberto, ainda mais pelo desespero das duas equipes que ocupam posições nada confortáveis. Foi um jogo cheio de oportunidades dos dois lados, mas gols somente na etapa final. Os Blues abriram o placar com Johnson, desviando cobrança de falta de Murphy. O zagueiro Collins empatou pro Villa.

As duas equipes seguem “respirando juntos”. Isso porque o Birmingham é o 16º com 23 pontos e o Aston Villa é o 17º com 24 pontos. As duas equipes ocupam as duas primeiras posições acima da zona de rebaixamento.

Os Reds saíram na frente na etapa inicial (Getty Images)

Um pouquinho mais tarde, tivemos o derby de Merseyside, disputado entre Liverpool e Everton. Esse duelo não tem tanta rivalidade fora de campo, tanto até que esse derby é chamado de Derby da Amizade, devido ao grande número de famílias que comparecem nesses duelos. A rivalidade fica restrita para dentro das quatro linhas.

Vimos um jogo muito disputado em Anfield. Na primeira etapa, o Liverpool foi um pouquinho melhor, principalmente porque foi para cima. O Everton preferia se defender e tentar sair rápido no contra-ataque. Em algumas vezes até conseguiu graças a alguns passes errados do lado vermelho, mas não era sempre que levava perigo ao gol de Reina. Após muito tempo, Fernando Torres voltou a fazer uma partida convincente. O espanhol soube o que fazer nas bolas que recebia e em um lance, trombou com Distin, ganhou a jogada, deu um corte no marcador e deu um belo chute que acertou a trave. Seria um gol de placa. Outro que foi bem foi o português Raúl Meireles, uma das válvulas de escape dos Reds, sempre chegando ao ataque e abrindo o placar também. Ele aproveitou rebote de Howard pra mandar pras redes.

Beckford havia virado o jogo (Getty Images)

O segundo tempo mudou muito. Com poucos minutos, o Everton virou o jogo com gols de Distin e Beckford, ambos aproveitando bobeiras da defesa do Liverpool, que errava tecnicamente e principalmente em posicionamento. Os Reds conseguiram o empate num pênalti polêmico. Após chute errado de Skrtel, Maxi e Howard foram para a disputa e o argentino caiu. Na hora, deu a impressão de que o árbitro Phill Dowd havia dado saída de bola pela linha de fundo e após muitas reclamações, o pênalti foi marcado. Não sei não, mas acho que foi no grito. A marcação não foi clara. Não deu pra saber se “foi no grito” ou se foi alguma sinalização do auxiliar. Só sei que eu não daria pênalti. Tanto Howard quanto Maxi visam a bola e contato é nas pernas, sendo que nítidamente o goleiro vai atrás da bola com as mãos, pra mim foi choque de jogo. Mas tanto faz, porque Kuyt converteu.

Se Villa e Birmingham estão juntinhos na tabela, a mesma coisa pode ser dita de Liverpool e Everton. Os Toffees estão na 12ª colocação e os Reds estão na 13ª colocação e ambos tem 26 pontos – o Everton tem melhor saldo de gols.

Spurs e United fizeram jogo decepcionante (Reuters)

O outro jogo do dia era o mais esperado: Tottenham e Manchester United. A partida deixou a desejar. O jogo foi muito pegado, de muitos erros de passe e poucas emoções. No lado do Tottenham, era esperado que Gareth Bale literalmente acabasse com Rafael. Não foi bem isso que aconteceu. O galês não esteve em um de seus melhores dias. Tocou pouco na bola e errou muitos cruzamentos. O brasileiro mostrou personalidade. Fez Bale se preocupar com sua subida e não com sua marcação. Rafael apareceu bem no ataque, mas foi expulso. Ele levou dois cartões amarelos e deixou o United e situação delicada no fim do jogo.

O 0x0 ficou de bom tamanho. Na primeira etapa, não houve um domínio amplo de alguma equipe. O Tottenham parecia afobado e o Manchester nervoso, por isso muitos erros. Na etapa final, os Red Devils até começaram pressionando, mas a expulsão de Rafael jogou os planos da vitória por água abaixo. Jogando com um à mais, os Spurs se viram obrigados a jogar no ataque, mas não conseguiram furar a defesa do United.

O Manchester United permanece na liderança. Tem os mesmos 45 pontos do rival local, o Manchester City, mas com melhor saldo e duas partida a realizar, os Red Devils levam uma grande vantagem em relação aos Sky Blues. Já o Tottenham não entra no G4. Os Spurs estão na 5ª colocação com 37 pontos, um atrás do Chelsea.

TÓPICOS INGLESES

>>O Manchester City passou sufoco no sábado. Os Citizens venciam o Wolverhampton por 4×1 e quase cederam o empate. A partida terminou 4×3 e o City fica na vice-liderança com 45 pontos. Os Wolves tem 21 pontos e estão na vice-lanterna;

>>O bósnio Edin Dzeko estreou pelo City justamente contra o Wolves. Pra quem não entendeu, ele jogava no Wolfsburg, que tem de apelido Lobos, mesmo apelido do Wolverhampton;

>>O Arsenal passou sem grandes dificuldades pelo rival local, o West Ham. 3×0 e a 3ª colocação com 43 pontos assegurada. Os Hammers seguram a lanterna com 20 pontos;

>>Destaque do jogo foi Van Persie, que fez dois gols e deu uma assistência;

>>O Chelsea reencontrou o caminho das vitórias e bateu o Blackburn por 2×0 e ficam na 4ª colocação com 38 pontos. Os Rovers estão na 11ª colocação com 28 pontos;

>>No jogo dos desesperados, melhor pro Fulham, que ficou no 1×1 com o Wigan fora de casa e permanece fora da zona perigosa. Os Cottagers ficam na 15ª colocação com 23 pontos  com e um ponto à menos, mas três posições abaixo vem o Wigan;

>>Demais Resultados: Stoke 2×0 Bolton; WBA 3×2 Blackpool

Classificação (Premier League)

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Que mal lhe pergunte, mas…alguém quer ser campeão italiano?

Os dois líderes tropeçaram e digo mais. Estão deixando a Inter chegar. Os Nerazzurri chegam a 4ª vitória seguida no comando de Leonardo e tem dois jogos à menos que o líder Milan. A diferença é de nove pontos. Se a Inter vencer seus dois jogos que tem de fazer e vencer o derby della madonnina assume a ponta – claro, dependendo dos critérios de desempate -. Ou seja, a Inter depende de si pra ser campeã.

Eto'o teve atuação de gala (AP)

No jogo deste fim de semana, a Inter contou com grande atuação do camaronês Eto’o. O camisa 9 da Inter fez dois belos gols – um numa bela tabela com Milito e finalizando colocando e o segundo numa cobrança de falta perfeita – e ainda deu uma assistência pro gol de Stankovic na goleada sobre o Bologna por 4×1. Milito fez o quarto gol interista e Jimenéz descontou pro Bologna.

A Internazionale permanece na 6ª colocação, agora com 32 pontos. Mas como citei antes, o time Nerazzurri tem dois jogos à menos, se vencer os dois, fica três pontos atrás do Milan e ainda tem o clássico no segundo turno. Ou seja, depende de si. O Bologna tem 22 pontos e está na 16ª colocação.

É, Cassano! Assim não dá! (AFP)

O tropeço do Milan foi fora de casa…mas foi para um dos últimos colocados, o Lecce. Destaque do jogo para Zlatan Ibrahimovic, que fez um golaço, um chute fantástico do meio da rua, que pegou Rosati de surpresa. Só que Rúben Olivera empatou e estragou a festa do Milan. O time Rossonero tinha visto no dia anterior o vice-líder Napoli ficar no 0x0 com a Fiorentina e com a vitória provisória, abria seis pontos na liderança.

Não é nada, não é nada, mas o Milan soma seu terceiro tropeço em cinco jogos – empates contra Udinese e Lecce e derrota pra Roma – e só não perdeu a liderança porque adversários como Napoli e Lazio foram incompetentes. O Milan está na liderança com 41 pontos, quatro pontos à mais que o vice-líder Napoli. Já o Lecce segue na zona de rebaixamento – 18ª colocação com 19 pontos.

TÓPICOS ITALIANOS

>>No finalzinho a Lazio voltou a vencer após duas rodadas. Os Biancocellesti derrotaram a Sampdoria por 1×0, gol de Kozák, aos 39 minutos do segundo tempo. A Lazio tem 37 pontos e está na 3ª colocação, enquanto a Samp está em 10º lugar com 26 pontos;

>>A Roma levou sorte nesta rodada. Bateu o Cesena por 1×0, gol contra de Pellegrini, aos 44 minutos do segundo tempo. Os Giallorossi estão na 4ª colocação, com 35 pontos, enquanto os Cavallucci Marini estão com 19 pontos, na 17ª colocação;

>>Após três tropeços consecutivos, a Juventus voltou a vencer: 2×1 pra cima do Bari. Agora, a Vecchia Senhora está na 5ª colocação, com 34 pontos, enquanto os Biancorosso estão na lanterna, com 14 pontos.

>>Na parte debaixo da tabela, destaque pro Brescia, que voltou a vencer após três partidas, vitória por 2×0 sobre o Parma, mas os Biancoazzurri permanecem na zona de rebaixamento, com 18 pontos. O Parma é o 14º com 22 pontos;

>>Demais resultados: Catania 1×1 Chievo; Genoa 2×4 Udinese; Cagliari 3×1 Palermo.

Classificação (ESPN)

Palpites???

 

Será que o tiozinho sabe quem serão os finalistas?

Após o fim de semana que tivemos o “início” da FA Cup – após duas fases, enfim os grandes entraram -, o meio de semana ficou reservado para a Carling Cup.

A segunda copa mais importante da Inglaterra está na sua fase semifinal. Nos dois jogos que tivemos, vimos partidas equilibradas e com placares parelhos e com difíceis previsões pros jogos de volta e obivamente, um palpite pros finalistas.

A Carling Cup pode ser a salvação tanto do West Ham, quanto do Birmingham (Reuters)

Certamente, o jogo que menos dá prognóstico é entre equipes que ocupam a parte debaixo da tabela da Premier League, West Ham x Birmingham. O jogo foi entre essas duas equipes foi muito equilibrado. Ora um dominava, ora outro dominava. Mas é aquela história. Num jogo de dois times de ponta, um jogador capaz de fazer algo diferente, desequilibra a partida e decide a seu favor. Agora, num jogo de dois times que frequentam a parte debaixo da tabela, só um erro pra decidir. A partida estava 1×1 – Noble abriu o placar pros Hammers num chute cruzado e Ridgewell empatou pro Birmingham – e o West Ham ficou com um à menos, já que Obinna foi expulso, mas não foi esse erro que decidiu, e sim uma falha do goleiro dos Blues. Carlton Cole chutou fraquinho, fraquinho…e Ben Foster aceitou, deixando a bola passar por baixo de seu corpo.

Ainda me lembro do dia que me xingaram no blog porque falei que Foster era fraquinho…Desde a época de Manchester United ele é inseguro, nunca botei fé nele e não vai ser nesta temporada que botarei fé nele.

O que esperar no jogo da volta? Não sei. O Birmingham é uma equipe muito forte jogando no St. Andrews e para mim, surge como o favorito, já que precisa vencer só por 1×0, mas o West Ham – mesmo estando mal na temporada – é um time meio maluco. Consegue fazer grandes atuações e fazer o jogo de sua vida, ora faz atuações patéticas e é humilhado. Acho que dá Birmingham, mas não me surpreenderia vendo os Hammers na final.

Ipswich, 19º colocado do Championship, surpreendeu o gigante Arsenal

O outro jogo foi hoje e dessa vez eu pude assistir, que foi Ipswich Town e Arsenal. Jogo ruim…Os Tractor Boys marcavam bem e não davam espaços nas laterais pros Gunners. Essa falta de espaço prejudicou o futebol de Theo Walcott, que poucas vezes apareceu na linha de fundo. O outro winger, Arshavin, fez uma partida terrível. Não foi a linha de fundo, não se movimentou, enfim, errou tudo que tentou. Demorou pra ser substituído. Fábregas é outro que esteve mal e assim como na temporada inteira, teve lampejos de bom futebol. Na frente, Bendtner foi peso morto. A zaga então…nem se fala.

Enquanto na primeira etapa tivemos poucas chances de gol, diria que quase nenhuma, na etapa final, a bola longa do Ipswich Town começou a atormentar a defesa Gunner. Principalmente o atacante Prinskin, que ficou três vezes com espaço, aproveitando cochilos da zaga. Nas duas primeiras vezes, ele deu bobeira e perdeu, na terceira vez ele não bobeou e mandou pras redes.

Bateu um certo desespero no Arsenal, que teve de correr atrás no marcador mas não conseguiu o resultado. Agora no Emirates Stadium, os Gunners terão de correr atrás do provável recuado Ipswich Town e tentar tirar a desvantagem do placar. Acho que dá Arsenal…mas, vai saber, né?

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Kenny Dalglish ainda não venceu na sua volta ao Liverpool (Reuters)

Mudamos de assunto mas permanecemos na Inglaterra. Blackpool e Liverpool se enfrentaram pela Premier League, era um jogo adiado da 19ª rodada. Os Reds sofreram a derrota de virada. Torres abriu o placar, mas Taylor-Fletcher e Campbell viraram pros Tangerines. Embora a campanha do Liverpool seja irrisória – 13ª colocação, com 25 pontos, quatro acima da zona de rebaixamento -, devemos valorizar a bela campanha do Blackpool. O elenco é limitado e o gasto com a equipe é baixo, é um dos menores orçamentos da Premier League e mesmo assim, os Tangerines estão na 9ª colocação, com 28 pontos.

Isso é que é “feliz ano novo”

 

Ano novo, descanso...não!? Premier League

Começou 2011, e junto com o novo ano, continua a ‘velha’ Premier League. Os caras não pararam nem no primeiro dia do ano. Simplesmente 8 jogos da 21ª rodada foram realizados neste dia 1º de janeiro. Isso é que é “um feliz ano novo” – como diz o título.

Dos oito jogos, oito vencedores, nenhum empate, mas os grandes vencedores foram os amantes do futebol, fãs ou não da Premier League, que após o termino de um ano, onde um marasmo esportivo reina, você pode assistir a um jogo de alto nível, pois poucos países na europa tiveram jogos neste sábado. Tirando o Reino Unido, só tivemos jogos de primeira divisão em Israel – na Ucrânia tivemos jogos nas divisões inferiores -, isso levando em conta a Europa inteira.

Rooney volta a marcar após longo tempo (AP)

Os grandes felizardos foram os times de Manchester, o United e o City. Os Red Devils venceram o West Brom no primeiro jogo do ano na Premier League. Jogo movimentado. Rooney abriu o placar pro United, enquanto Morrison empatou pro WBA, somente na etapa final veio o gol da vitória do Manchester, com Chicharito. Mas tirando os lances de gols, valem algumas notas:

*O West Brom teve dois pênaltis e um não foi marcado. Neville derrubou Dorrans e Chris Foy mandou seguir. No outro pênalti, o que foi marcado, Odemwingie desperdiçou a cobrança.

*No segundo pênalti, Rio Ferdinand – que derrubou Thomas na área – cometeu sua primeira falta na temporada

*Para fechar, falarei de Ronney, que voltou a marcar com bola rolando após 1418 minutos, mas no fim do jogo, sofreu um dura entrada no tornozelo esquerdo e mesmo machucado, permaneceu em campo – Alex Ferguson já havia feito três substituições -. O Shrek à princípio ficará duas semanas fora.

Nos números, o Manchester United continua na liderança, com 38 pontos, mas vencendo o vice-líder, Manchester City nos critérios de desempate. Já o West Brom segue na honrosa 14ª colocação, com 22 pontos.

Adam Johnson decidindo pro City (PA)

O outro Manchester, o City, bateu o Blackpool em City Of Manchester. O único gol da partida foi de Adam Johnson. Poderiam ser mais, isso porque Tévez desperdiçou um pênalti e ainda os Tangerines deram trabalho pros Sky Blues, algo até admitido pela comissão técnica do Manchester. Tanto que Joe Hart foi um dos melhores em campo.

Os Citizens estão agora na vice-liderança, com 38 pontos. Embora tenham o mesmo número de pontos do líder Manchester United, o City fica prejudicado pelo fato de ter dois jogos à mais que o líder. O Blackpool segue fazendo bonito, 10ª colocação, com 25 pontos.

Outra ‘localidade’ que começou 2011 com o pé direito foi Londres. Arsenal e Tottenham venceram e estão no G4. Os Gunners bateram o Birmingham fora de casa com certa facilidade – algo pouco visto nos últimos tempos, pois os Blues perderam (com esse jogo) duas partidas de 25 no St. Andrews Ground – no jogo de número 200 de Cesc Fábregas na Premier League. Van Persie, Nasri e Johnson contra fizeram os gols dos Gunners, que agora ocupam a 3ª colocação, com 39 pontos – e um jogo à menos que o City e um à mais que o United. Já o Birmingham é o vice-lanterna com 19 pontos.

Agora falando do Tottenham, os Spurs passaram por um rival local, o Fulham. Só tivemos um gol, que foi anotado por Gareth Bale, que desviou cobrança de falta executada por Van der Vaart. O Tottenham novamente entrou no G4, deixando o Chelsea para três. Os Spurs tem 36 pontos e os Blues tem 34. Agora os comandados de Carlo Ancelotti ficam na obrigação de vencer o Aston Villa pra voltar ao G4.

Já o Fulham entra na zona de rebaixamento, com 19 pontos, isso graças ao West Ham, que bateu o Wolverhampton por 2×0 – Zubar contra e Sears marcaram pros Hammers – e agora figura fora da zona de descenso, com 20 pontos.

Joe Cole voltando a cena (Reuters)

Nos jogos que movimentaram o meio da tabela, destaque pro Liverpool, que venceu a boa equipe do Bolton no sufoco, 2×1, com um gol de Joe Cole aos 46 minutos da etapa final – Davies fez pro Bolton e Torres havia feito o primeiro do Liverpool.  Os Reds estão agora na 9ª colocação com 25 pontos, enquanto os Trotters caem para a 7ª colocação, com 29 pontos. E quem ultrapassou o Bolton com esse tropeço foi o Sunderland, que bateu o Blackburn por 3×0 – gols de Welbeck, Bent e Gyan – e estão uma posição acima, com um ponto à mais. O Stoke City foi outra equipe que venceu. A vitória da rodada foi sobre o Everton, 2×0 – gols de Jones e Jagielka contra – e sobem pra 8ª colocação, com 27 pontos.

Amanhã, Chelsea x Aston Villa e Wigan x Newcastle fecham a rodada.

Dois dias depois…

Após jogarem no domingo, vários times voltaram a campo na terça-feira

E seguimos com as incansáveis maratonas de jogos na Inglaterra. Onze equipes que entraram em campo no domingo (26) tiveram de encarar mais uma partidinha, simplesmente dois dias depois, na terça (28). Alguns tiveram que percorrer distâncias relativamente longas – como o Newcastle, que teve de percorrer 470 quilômetros até Londres -, outras nem saíram de seu lugar, como o West Ham, que permaneceu em Londres.

Lee Bowyer salvou o Birmingham nos acréscimos (AFP)

Começamos falando do Manchester United, que teve de ir do noroeste da Inglaterra e ir pro centro do país enfrentar o Birmingham, para tentar manter a ponta, coisa que não foi totalmente possível. Após um primeiro tempo morno, de muitos erros de passe e poucas emoções, os Red Devils abriram o placar no segundo tempo, com Dimitar Berbatov, que tabelou com Gibson e mandou para as redes. Foi o 13º gol do búlgaro na Premier League. O Manchester tinha a partida em mãos. Trocava passes, marcava forte e o Birmingham só tinha forças para jogar a bola na área, coisa que nem sempre dava certo. Uma hora deu, e nessa hora, Zigic escorou e Bowyer marcou. Só que o gol foi irregular. O atacante sérvio dos Blues ajeitou a bola com a mão para a finalização de Bowyer. Fora ainda ter havido uma possível falta do próprio Zigic em Ferdinand. Eu não daria, achei que o contato dos dois foi quando o atacante já estava no ar, mas não seria nada de outro mundo ser marcada a falta.

Mas a história que ficará é que o Manchester fica na liderança, mas sem a tranquilidade que a vitória lhe daria. Os Red Devils ocupam a liderança, mas com os mesmos 38 pontos do Manchester City e só vencem nos critérios de desempate. O empate foi lucrativo pro Birmingham, que chega a 19 pontos e deixa a zona de rebaixamento. Os Blues ocupam agora a (ainda incômoda) 16ª colocação.

O Manchester City saiu de Newcastle, no norte da Inglaterra com três pontos e voltou para o noroete inglês, sua casa e conquistou mais três pontos. Hoje os Citizens venceram o Aston Villa com facilidade, 4×0. O destaque do jogo foi “o homem que só vê a sua frente Lionel Messi”, Mário Balotelli. O italiano anotou três gols, sendo dois de pênalti. O quarto gol foi do defensor Lescott. O Manchester City, mesmo tendo sofrido alguns tropeços desnecessários, não desgruda dos líderes e está na segunda colocação, com os mesmos 38 pontos do rival e líder Manchester United. Já os Villans seguem em péssima situação. Estão na 15ª colocação, com 20 pontos e próximos da zona de rebaixamento.

Lennon abriu o placar pros Spurs (Getty Images)

O Tottenham deixou o centro da Inglaterra e migrou para sua ‘terra natal’, em Londres, onde recebeu o Newcastle, que saiu do norte do país, tendo de percorrer cerca de 470 quilômetros pro duelo de hoje. E essa distância foi percorrida em vão pelos Magpies, que perderam de novo – terceira em cinco jogos e segunda consecutiva -, nona na competição. Os gols dos Spurs foram marcados na etapa final, pelo Aaron “Ligeirinho” Lennon e Gareth “Papa-Léguas” Bale, ambos em suas jogadas características, jogadas velozes e finalizações cruzadas.

O Tottenham está no G4, ultrapassaram o Chelsea – são 33 pontos contra 31. O Newcastle segue com sua campanha irregular – 13º lugar, com 22 pontos – e tem de tomar cuidado para não começar a encostar na parte debaixo da tabela.

Agora pulamos pra parte debaixo da tabela, onde o Fulham pegou estrada até Stoke-on-Trent pegar o Stoke e conseguir grande vitória. Com dez minutos de jogo, Baird decidiu, com dois gols, um aos 4 minutos e outro aos 10′. Antes do jogo de hoje, Baird, que joga no Fulham desde 2007, só tinha um gol na Liga e termina com três.

Mas o que importa pros Cottagers é que eles deixam a zona de rebaixamento, chegam a 19 pontos, na 17ª colocação. Vitória que dá um pouco de sustentação ao técnico Mark Hughes. O Stoke segue em sua zona intermediária – 10ª colocação, com 24 pontos – e por lá deve permanecer, vai se firmando cada vez mais na Premier League.

Se o Fulham se deu bem, o mesmo não se pode dizer do West Ham, que tropeçou no Upton Park, diante do Everton, que teve de percorrer cerca de 350 quilômetros para essa partida. Os Toffes deram uma forcinha pros Hammers, com um gol de contra de Hibbert, mas Coleman marcou à favor e fechou no 1×1. O Everton está na 11ª colocação com 22 pontos, enquanto o West Ham permanece na vice-lanterna, com 17 pontos.

Outros Resultados

Sunderland 0x2 Blackpool
WBA 1×3 Blackburn

Amanhã

Arsenal x Wigan
Chelsea x Bolton
Liverpool x Wolves

Tabús

 

Gomez ajudou a manter o tabú (Reuters)

Ah, esses tabus! Uns ficam, outros vão embora. Começamos na Alemanha. Você sabe quando foi a última vez que o Bayer Leverkusen venceu o Bayern pela Bundesliga? Foi no dia 24 de agosto de 2004. O Leverkusen, de França e Berbatov, aplicou um impiedoso 4×1. Abaixo, veja o vídeo com lances deste jogo.

Passaram seis anos e o Leverkusen segue sem vencer o Bayern. Para falar a verdade, no jogo de hoje, eu botava fé no Werkself, mas não foi dessa vez. Eram quatro vitórias consecutivas e jogando na Bay Arena, contra um Bayern, que estava há cinco jogos sem perder, mas sem uma sequencia de vitórias, por isso, botava fé no Leverkusen.

 

Vidal empatou a partida (Getty Images)

As duas equipes tinham esquemas espelhados, o 4-2-3-1. O Leverkusen jogava com Adler no gol; depois Schwaab, Hyypiä, Friedrich e Kadlec; Vidal e Rolfes; Sam na direita, Barnetta na esquerda e Renato Augusto por dentro e mais à frente, Derdyiok. O Bayern jogava com Butt; Lahm, Van Buyten, Breno e Pranjic; Tymoshchuk e Öttl; Müller na direita, Kroos na esquerda e por dentro Schweinsteiger e no ataque, Mário Gómez. O Leverkusen pressionou durante a primeira etapa inteira. O Bayern estava mal, em outro planeta, mesmo assim, conseguiu o gol. Schweinsteiger tabelou com Müller e cruzou na cabeça de Mário Gómez, que não perdoou. O Bayern não jogava nada, era pressionado e empurrado na defesa, mesmo assim, tirou um zero do marcador. No fim da primeira etapa, o Leverkusen foi premiado pela pressão exercida. Sam foi derrubado por Pranjic, dentro da área, pênalti. O lance gerou certa discussão, sobre ser ou não dentro da área, mas foi dentro sim. O chileno Arturo Vidal cobrou bem e deixou tudo igual. Na etapa final, tivemos um jogo aberto. As duas equipes foram para cima, os dois técnicos começaram a mexer ofensivamente. Por exemplo, Jupp Heynckes trocou o defensivo lateral Schwaab pelo ofensivo Castro, vendo que Pranjic não estava dando conta de Sam, com a ajuda de Castro, complicaria a vida do lateral-esquerdo adversário. Já Van Gaal, tirou Tymoshchuk e colocou Ribéry, colocando Schweinsteiger e sua melhor posição, segundo volante, reposicionando também Kroos. Só que com o tempo, isso passou, Heynckes passou a fechar o Leverkusen e Van Gaal não fez a mínima de adiantar seu time. Por fim, 1×1. O Leverkusen está na 3ª colocação, com 25 pontos, nove atrás do líder, enquanto o Bayern é o 8º com 20, catorze atrás do líder. E o tabú permanece, seis anos do Leverkusen sem vencer o Bayern.

 

Grande virada do BVB (Witters)

Quem consegue parar o Borussia Dortmund? O BVB conseguiu mais uma grande vitória, de virada, fora de casa e diante de uma das surpreendentes equipes da Bundesliga, o Freiburg. Os Brasileiros de Breisgau entraram no 4-1-4-1. No gol Baumann; na defesa, Mujdza, Barth, Toprak e Bastians; à frente da zaga, Schuster; mais à frente, Putsila, Rosenthal, Makiadi e Abdessadki; mais à frente o artilheiro Cissé. O Dortmund entrou com seu tradicional 4-2-3-1. Weidenfeller no gol; Piszczek, Hummels, Subotic e Schmelzer; Bender e Sahin; Götze pela direita, Grosskreutz na esquerda e Kagawa por dentro; Barrios é o centro-avante. Na etapa inicial, poucos lances de emoção, somente um gol esquisito, mas que foi irregular. Na falta, que originou o gol, Rosenthal ganhou de Grosskreutz e levou um puxão muito, mas muito sutil e seguiu na jogada, deu um drible da vaca no outro marcador, se desequilibrou e caiu, falta anotada. No levantamento, veio a esquisitisse. Weidenfeller saiu e disputou com Cissé, a bola foi espirrada para trás, Subotic foi tirar de quase dentro do gol, mas chutou em cima de Hummels e entrou. O goleiro do BVB reclamou muito de falta, mas eu não vi, embora não tenha ficado muito claro. Na etapa final, o Borussia foi com tudo para cima, encurralou o Freiburg, chegou a ter um gol anulado (bem anulado, pois Barrios tirou a bola da mão do goleiro) e conseguiu a virada. De cabeça, Lewandowski empatou e em uma boa subida de Piszczek, ele cruzou para Mujdza marcar contra. O BVB teve os contra-ataques, e em um deles, Kuba perdeu o gol mais feito da história do clube: Lewandowski disputou com o zagueiro, o goleiro estava junto e a bola sobrou para Kuba, que correu alguns metros, ficou próximo a pequena área, com a trave aberta e… mandou por cima. Esse erro quase teve consequencias maiores, pois o Freiburg chegou a meter uma bola na trave, mas tudo acabou bem, 2×1. O Borussia Dortmund é líder, com 34 pontos, sete pontos à frente do vice-líder, enquanto o Freiburg é o 6º com 21 pontos.

 

Thomas Tuchel vibra com seu "time zumbi" (Getty Images)

E o Mainz ressurgiu! Após um período sem vitórias, somente com derrotas, o 05 tinha tudo para perder pro Monchengladbach. Esteve duas vezes atrás do marcador e conseguiu virar a partida. O Mainz não está com sorte no assunto “goleiro”. Müller, que foi especulado na seleção alemã, está machucado e ainda nem estreou na temporada. Seu reserva imediato, Wetklo, vinha bem, mas se contundiu nesse jogo contra o Gladbach. O terceiro goleiro, Pieckenhagen entrou no meio da etapa inicial. Na primeira etapa, jogo aberto, chances dos dois lados, mas nenhum gol. Na etapa final, poucas chances, muitos gols e gols bonitos. O Gladbach abriu o placar com um belo chute cruzado de Reus e o Mainz empatou com Schürrle, foram os “gols feios”, mas depois… Reus pegou a bola no meio campo, carregou até a entrada da área e soltou para Bobadilla, que devolveu com precisão, o garoto tocou na saída do goleiro e fez o segundo. Allagui entrou aos 30 minutos da etapa final, aos 31′, ele meteu um belo sem pulo e empatou. Poucos minutos depois, Fuchs deu um longo lançamento para quem? Allagui, que chapelou o goleiro Heimeroth e mandou para as redes, golaço, de placa. O Mainz se recuperou e é o vice-líder, com 27 pontos, enquanto o Gladbach é o vice-lanterna com 10.

– O resultado que mais me surpreendeu nesta rodada foi a derrota do Eintracht Frankfurt. As Águias foram atropeladas pelo Hoffenheim, um inexperado 4×1. Os Hoffes foram eficientes. Não deram tantos chutes à gol, mas fizeram quatro. Ibisevic fez dois, Vukcevic fez um, assim como Mlapa, que protagonizou uma cena lamentável. Não tive precisão do lance, mas ele deu uma entrada duríssima, se eu não me engano, em Occhs, porém, por reclamação, o jogador do Frankfurt levou amarelo, mas após o gol, Mlapa foi provocar Occhs, levou amarelo, bem feito! O Hoffenheim chega a 21 pontos, na 5ª colocação, enquanto o Eintracht Frankfurt, cai para a 7ª colocação, com 20 pontos.

Menção Honrosa! Esse quadro estreia agora e o “Menção Honrosa” do dia na Bundesliga vai pro Schalke, que atropelou o apático Werder Bremen, 4×0. E esse é o Raúl que eu conheço, ele fez três dos quatro gols, o outro gol foi de Metzelder.

Ainda neste sábado…

Hannover 3×2 Hamburgo
Nüremberg 1×3 Kaiserslautern

E amanhã…

Stuttgart x Colônia
St. Pauli x Wolfsburg

 

Van der Vaart empatou a peleja (PA)

Vamos ao tabú inglês, esse sim foi quebrado. Tottenham x Arsenal é a maior rivalidade de Londres, porém, os Spurs estavam há 17 anos sem vencer os Gunners no campo deles, seja no Highbury ou no Emirates Stadium. Só que hoje, os comandados de Harry Redknaap quebraram esse incomodo jejum.

 

Kaboul fezs esse gol aí (Getty Images)

No duelo que foi realizado no Emirates Stadium, o Arsenal entrou no seu 4-2-3-1. Fabianski; Sagna, Koscielny, Squillaci e Clichy; no meio campo, Denílson e Song Bilong; Fábregas por dentro, na direita Nasri e na esquerda Arshavin; Chamakh era o centro-avante. O Tottenham estava no seu 4-4-1-1. Gomes no gol; Hutton, Gallas, Kaboul e Ekoto formavam o quarteto defensivo; no meio campo, Jenas e Modric no miolo, na direita Lennon e na esquerda Bale; Van der Vaart um pouquinho mais atrás do centro-avante Pavlyuchenko. Na primeira etapa, o Tottenham foi engolido pelo Arsenal. Marcava mal, criava pouco e principalmente, dava muitos espaços. Em dois desses espaços, 2×0. No primeiro, Nasri foi lançado, driblou Gomes e mandou pro gol. Mais tarde, Arshavin cruzou e Chamakh marcou. O Arsenal teve mais chances, mas bobeou e foi punido. Na etapa final, o Tottenham voltou com tudo e conseguiu o que esperava. Primeiro, Gareth Bale que recebeu livre, na desarrumada zaga dos Gunners, e de pé esquerdo marcou. Você olha pro atual time do Arsenal, e pensa: que jogador é o mais diferenciado? Fábregas. Justo ele cometeu um dos pênaltis mais infantis do ano. Em cobrança de falta pro Tottenham, ele inclinou o braço descaradamente, estando dentro da área, pênalti. Van der Vaart converteu, empatando tudo. O gol abalou o Arsenal, que acabou levando a virada. De cabeça, Kaboul fez o gol da vitória dos Spurs. Não tiro os méritos do Tottenham, que realmente se superou neste jogo, mas não me muda o fato de que os Gunners deram uma popular… amarelada. O Tottenham tem 22 pontos e é o 6º colocado, enquanto o Arsenal, tem 26, e é o 3º colocado, poderia ter assumido a liderança, se tivesse vencido.

 

Bowyer foi o único a finalizar no time do Birmingham (Reuters)

O Chelsea começa a declinar na tabela do Campeonato Inglês. Os Blues tropeçaram fora de casa e já vêm o Manchester United no cangote. No papel, os times foram opostos. O Birmingham entrou com um time defensivo, 4-3-1-2, enquanto o Chelsea, veio com um time agressivo, 4-3-3, com um meio campo que tinha Ramires e Malouda. Por falar no francês, ele foi muito sacrificado no meio campo, não é sua melhor posição. Por fim, essa estratégia dos Blues “deu certo”. A equipe de Londres deu nada mais, nada menos que 25 chutes, 10 foram à gol, 15 não, enquanto o Birmingham deu singelo 1 chute à gol durante a partida inteira e foi o gol. Jerome escorou de cabeça e Bowyer completou pro fundo das redes. Bobeira de Mikel. Alex havia saído para marcar e o nigeriano estava de olho em Bowyer, do nada largou a marcação e aí veio o gol. Depois só deu Chelsea e… Ben Foster. Goleiro muito criticado por este que vos tecla, pegou o que podia e o que não podia, fez milagres, principalmente Drogba e Kalou, que perderam vários gols. O ex-goleiro do Manchester United foi sem dúvida o melhor em campo. O Birmingham deixa a zona de rebaixamento, chegando a 13ª colocação, com 16 pontos, enquanto o Chelsea permanece líder, com 28 pontos, mas vê os adversários encostarem.

– O Manchester United continua sem convencer, encantar e deslanchar, mas consegue seus pontinhos que lhe rendem a disputa pela ponta. Hoje, os Red Devils venceram o Wigan em Old Trafford. Os dois gols da vitória saíram em cruzamentos para a grande área. De Park para Patrice Evrá (quem diria?! O lateral esquerdo apareceu como centro avante) e de Rafael para Chicharito. Outros dois pontos à destacar: No intervalo entre o primeiro e o segundo gol, o Wigan perdeu dois jogadores expulsos: Alcaráz e Rodallega; Wayne Rooney, aos 11′ da etapa final entrou no lugar de Park, voltando ao time do MUFC, após lesões e confusões com Alex Ferguson e renovação de contrato. O Manchester ultrapassa o Arsenal e é o vice-líder, com 28 pontos, enquanto o Wigan é o 18º com 14 pontos, dentro da zona de rebaixamento.

Menção Honrosa! do sábado na Premier League vai pro Bolton. No duelo direto contra o Newcastle, os Trotters aplicaram uma impiedosa goleada, 5×1. Lee foi o único do Bolton a fazer só um gol, já que Davies e Elmander fizeram dois cada. Nos Magpies, o artilheiro Carroll descontou. O Bolton entrou no G4. 4ª colocação, com 22 pontos, poucos apostariam isso. O Newcastle tem 18 pontos e está em 10º lugar.

Ainda no sábado…

Blackpool 2×1 Wolverhampton
Liverpool 3×0 West Ham
West Brom 0x3 Stoke

E no domingo…

Blackburn x Aston Villa
Fulham x Manchester City

E na segunda…

Sunderland x Everton

Enquanto clássico fica zerado…

... Liverpool sai da zona de rebaixamento (Getty Images)

No clássico do dia, entre Birmingham x Aston Villa, placar zerado, mas quem se destacou foi mesmo o Liverpool. Os Reds venceram o Bolton e finalmente saíram da zona de rebaixamento.

O único gol do jogo saiu aos 40 minutos do segundo tempo, quando Torres de calcanhar tocou para Maxi Rodríguez, que mandou pro fundo das redes. O Liverpool dá um salto para a 12ª colocação, com 12 pontos, enquanto o Bolton também tem 12 pontos, mas é o 10º

– O Newcastle conseguiu uma grande goleada para cima do Sunderland. Ameobi fez dois gols, enquanto Nolan fez três. Bent descontou pro Sunderland. O Newcastle está na 7ª colocação com 14 pontos, enquanto o Sunderland tem 12 pontos, na 11ª colocação.

– Amanhã tem mais um jogo que fecha a rodada, Blackpool x West Bromwich.

CORTARAM DOIS JOGOS!

Stade Louis II não pode recer Mônaco x Bordeaux (AFP)

Hoje teríamos quatro partidas pela Ligue One: Olympique de Marseille x Rennes (jogo que já foi adiado de ontem pra hoje), Mônaco x Bordeaux, Lille x Valenciennes e Montpellier x PSG. Pois é, só os dois últimos jogos aconteceram, já que as fortes chuvas impossibilitaram que os dois primeiros jogos acontecessem.

O Paris Saint Germain deu outra bobeira tremenda de subir na tabela e apenas empatou com o Montpellier. O PSG abriu o placar com o veterano Giuly, após muvuca na pequena área. Depois, “uma Estrada atravessou o caminho do PSG”. Estrada empatou o jogo. O Paris agora é o 7º com 16 pontos, enquanto o MHSC é o 6º com 18 pontos.

Outro empate pelo mesmo placar. O Lille saiu na frente do Valenciennes aos 40 minutos do segundo tempo, no azar do goleiro Penneteau. Sow finalizou na trave a bola bateu no braço do goleiro e entrou. No minuto seguinte, o Valenciennes empatou com Pujol. O Lille é o 8º com 15, enquanto o Valenciennes é o 11º com 14.

Classificação

GD Pts
1 Brestois +7 21
2 Rennes +7 19
3 Olympique de Marseille +7 18
4 Saint-Etienne +3 18
5 Toulouse +3 18
6 Montpellier +1 18
7 Paris Saint-Germain +6 16
8 Lille +2 15
9 Lyon -1 15
10 Auxerre +3 14
11 Valenciennes +1 14
12 Lorient 0 14
13 Bordeaux 0 14
14 Caen -1 14
15 Nancy -5 14
16 Sochaux +2 13
17 Nice -5 13
18 Lens -9 10
19 Monaco -2 9
20 AC Arles Avignon -19 2