Sem Cavani, PSG corre maiores riscos contra o Lille

No Uruguai, Cavani não pega o Lille

No Uruguai, Cavani não pega o Lille

O ano de 2013 será fechado com chave de ouro na França: confronto direto entre Paris Saint-Germain e Lille no Parque dos Príncipes. O time da capital lidera o Campeonato Francês com 43 pontos e pode abrir cinco para o vice-líder Monaco, que perdeu para o Valenciennes na sexta-feira. Enquanto os visitantes poderão ultrapassar os monegascos em caso de vitória.

O desafio para a equipe do norte da França não é difícil apenas por enfrentar o líder da competição fora de casa, mas também pelo retrospecto do adversário de Paris. Nos últimos cinco jogos em casa pelo Campeonato Francês, o Paris Saint-Germain venceu todos, marcando 20 gols e sofrendo somente um. Também é válido lembrar que o PSG ainda não foi derrotado na capital: sete vitórias e dois empates.

A campanha do Lille como visitante não deixa a desejar, mas empolga pouco para o confronto deste domingo. Em nove partidas, os Dogues venceram quatro, empataram três e perderam dois. O que motiva é o número de gols sofridos, apenas três. Em casa, o PSG fez 26 gols, ou seja, frente-a-frente estará o time que mais fez gols em casa e o que menos sofreu fora.

Mas um fator pode ser preponderante para a partida de domingo: a ausência de Edinson Cavani. O uruguaio está em seu país natal, onde iniciou os trâmites envolvendo seu divórcio. Sem saber se o atacante chegaria a tempo, o técnico do PSG, Laurent Blanc, optou por deixa-lo de fora da lista de convocados para a partida. Com isso, a tendência é que o brasileiro Lucas ganhe vaga no time titular.

E é justamente nessa mudança que René Girard, treinador do Lille, deve trabalhar para conseguir vencer o aparentemente imbatível Paris Saint-Germain (não me venham relatar a derrota diante do Evian, no qual os parisienses estavam com time misto).

Souaré poderá ser peça chave no duelo

Souaré poderá ser peça chave no duelo

Um dos pontos fortes e de desequilíbrio dos times de Girard é a presença de um lateral agressivo no ataque. No Montpellier, era Garry Bocaly pela direita. No título em 2012, ele foi um dos grandes responsáveis pela conquista por sempre aparecer como elemento-surpresa no ataque. No Lille atual, esta peça está no lado oposto e atende por Pape Souaré.

Presença constante no jogo ofensivo do Lille, o senegalês já marcou três gols na atual temporada, dois em vitórias por 1-0. Em um time que atua com losango no meio-campo, a presença do lateral se torna ainda mais importante por ocupar uma faixa do gramado que não é preenchida pelos meio-campistas.

Para este jogo de domingo, as características de Souaré podem ser deveras importantes justamente porque quem lhe acompanhará não será Cavani. O uruguaio, na composição tática do PSG, seria o responsável por fechar o lado direito, este ocupado pelo senegalês quando vai ao ataque. Normalmente, Cavani exerce essa função com maestria.

Com Lucas substituindo o camisa 9 parisiense, a história muda totalmente de figura. O brasileiro ainda não aprendeu a recompor a marcação, além de ter imensas dificuldades em exercer a marcação por si só. Seu acompanhamento do adversário se dá até determinada parte do gramado e isso será o que Souaré mais vai querer.

No jogo contra o Ajaccio, ainda na 2ª rodada da Ligue 1, Lucas mostrou um pouco das dificuldades que tenha. Observe nos frames abaixo (clique nas imagens para ampliar):

Lucas - Frame 1

 

Lucas - Frame 2

 

Lucas - Frame 3

>> Assista ao gol de Pedretti:

Por fim, a maior dificuldade será bater de frente com Gregory van der Wiel. O holandês teve o bom futebol recuperado por Laurent Blanc, faz boa temporada em Paris e deve ficar bem atento às subidas do lateral adversário. Além disso, van der Wiel também é extremamente veloz, podendo ser um problema há mais para Souaré tanto na defesa, quanto no ataque.

Porém, creio que esta será a menor das dificuldades, já que a aproximação de um meia ou até mesmo de um atacante, pressionará o defensor holandês e deverá provocar a abertura de maiores espaços.

Voltando a falar do substituto de Cavani, ainda existem as chances das entradas de Jérémy Ménez e Javier Pastore (este último com chances remotas), mas é bem provável que Lucas entre e cause essa dor de cabeça para o Paris. Ele será peça chave na partida e é justamente no espaço ocupado pelo brasileiro que Girard deverá fazer seu time jogar, mesmo com a possibilidade de Blanc inverte-lo com Ezequiel Lavezzi. É um ponto frágil do PSG, e é justamente o que o Lille quer, já que entrará em campo para jogar no erro do adversário.

O que muda no ataque?

A principal mudança está na característica dos jogadores que desempenharão as funções em campo. Apesar de o PSG estar desenhado no 4-3-3, o time se apresenta no 4-3-1-2 em várias partidas. Ibrahimović, pela qualidade de passe e inteligência em campo, recua e atua com armador em diversas oportunidades. Com esta movimentação, Cavani sai da direita e ocupa o espaço do sueco na área. Considero essa uma das grandes armas do Paris de Blanc, algo que pode fazer o sonho do título europeu se tornar mais concreto.

Com Lucas, o Paris pode até continuar com o mesmo deslocamento, mas perde um grande finalizador. Aliás, não há nem comparação. Enquanto o uruguaio já balançou as redes 12 vezes e é um dos atacantes mais letais da Europa, o brasileiro é motivo de chacota por ter poucos gols (apenas três). Nesta semana, inclusive, Blanc criticou Lucas ao dizer que ele precisa melhorar a finalização.

Resumindo: o PSG troca um dos melhores finalizadores do planeta por um dos mais promissores atacantes do mundo, mas que ainda peca nas finalizações.

Por fim, apesar do elenco recheado, quem sai ganhando nessa história toda é o Lille, já que bateria de frente com a forte dupla formada por Ibrahimović e Cavani, e agora irá encarar apenas um, sendo este auxiliado por dois finalizadores medianos (Lavezzi também deixa a desejar). Vale lembrar que o time de Girard sofreu apenas seis gols no campeonato todo.

Não creio que será uma partida aberta e repleta de oportunidades, mas sim um jogo estudado em que um episódio extracampo (a ausência de Cavani) pode decidir, já que credito essa ausência como a colocação do Lille em novo patamar no jogo.

Ficha técnica (clique nas imagens para ampliar):

PSG FormaçãoLille - Formação

Últimos confrontos em Paris

27 de janeiro/2013 – Paris Saint-Germain 1-0 Lille

18 de dezembro/2011 – Paris Saint-Germain 0-0 Lille

21 de maio/2011 – Paris Saint-Germain 2-2 Lille

30 de agosto/2009 – Paris Saint-Germain 3-0 Lille

9 de novembro/2008 – Paris Saint-Germain 1-0 Lille

*Imagens: Páginas oficiais de PSG, Lille e Ligue 1 (YouTube), Football User;

Painel Europa Football: Ibrahimović e Cavani podem jogar juntos?

Essa é a novidade do Europa Football nessa reta final de julho, o “Painel”. Sempre que possível, trarei especialistas para debater um assunto que está repercutindo entre os amantes do futebol, mais especificamente, entre os apaixonados da bola que rola no Velho Continente.

Os convidados da semana foram Flávio Botelho, Vinícius Ramos e Vitor Sérgio Rodrigues e eles deram suas opiniões sobre a futura dupla de ataque do Paris Saint-Germain: Edinson Cavani e Zlatan Ibrahimović. Será que podem jogar juntos? Laurent Blanc, novo técnico do time, ficará fixo ao 4-4-2 para encaixá-los? E o sueco aceitará não ser mais a única grande estrela do milionário elenco?

Confira abaixo os pareceres dos três colegas que toparam participar da edição de estreia do Painel:

Painel Europa Football

 

*Qualquer dificuldade em compreender o que está escrito, clique em cima da imagem que ela aparecerá ampliada.

Opostos… mas não tanto

Mais uma semana, mais jogos da Champions League. Assim como na última semana, volto aqui para mais uma prévia dos duelos que virão nesta semana. Leia abaixo o que espero dos quatro confrontos da semana.

——————————-

Um dos duelos mais equilibrados desta fase de oitavas-de-final da UEFA Champions League é entre Olympique de Marseille e Internazionale. Porém, a fase de ambas as equipes não traduz muito essa igualdade.

O time francês, que iniciou mal a temporada – o Marseille chegou a ficar na lanterna da Ligue 1 -, se ajeitou dentro das quatro linhas e não perde desde novembro. Já a esquadra italiana está com seu segundo comandante. Após os fracasso com Gasperini, Claudio Ranieri assumiu e parece tomar o mesmo caminho de seu antecessor. A Inter não vence a seis partidas e tem acumulado vexames, como as derrotas por 4×0 diante da Roma, 1×0 diante do Novara e 3×0 contra o Bologna – estes dois últimos em casa, com times da parte inferior da tabela da Série A. No momento, os Nerazzurris não iriam nem para a Liga Europa!

Loic Rémy será a grande ausência do duelo (Reuters)

Não enxergo nenhuma hipótese que coloque a Inter como favorita no duelo. O momento ruim e o péssimo futebol das últimas rodadas me fazem pensar assim. Em contrapartida, não considero o Marseille favorito.

O OM vem de dois decepcionantes empates na Ligue 1 e ainda perdeu Loic Rémy pro confronto. Um desfalque tremendo, já que o #11 do Marseille é o grande jogador do time na atual temporada.

Os últimos resultados e a lesão de Rémy podem não deixar o Marseille no mesmo patamar da Inter, mas não lhe dão uma vantagem considerável, algo que pelo menos pra mim, estava de acordo com a presença do artilheiro da equipe.

Mesmo assim, aposto em um 2×1 pro time francês e o duelo ficaria aberto para Milão.

FRANCOS FAVORITOS

O Real Madrid tem mais time, tem o brilhante José Mourinho, um craque como Cristiano Ronaldo… Enfim, há uma enorme lista de motivos que coloquem o time merengue como francos favoritos no duelo contra o CSKA.

A aposta do time russo, certamente é o frio. O CSKA tem até um time ajustado e contam com Doumbia em grande temporada, mas o fato é que o Campeonato Russo só irá reiniciar em março. Este importantíssimo duelo diante do Real Madrid será o primeiro do time em 2012.

Honda está de volta ao time (Reuters)

A boa nova do time russo fica por conta do retorno de Keisuke Honda. O japonês estava fora, contundido e ainda recebeu algumas propostas de transferência no final de janeiro, porém, permaneceu em Moscow.

Outro problema pode ser o ritmo de jogo. O Zenit, diante do Benfica, mostrou um pouco deste problema. Não atrapalhou tanto – até porque o time venceu por 3×2 -, mas claramente faltaram momentos de regularidade dentro da partida, o time de Spalletti declinou de ritmo várias vezes durante a partida. Isso deve ocorrer com o CSKA, e contra o Real Madrid tem tudo pra ser letal.

Detalhe: Malafeev, titular absoluto do Zenit, não pegou o Benfica por estar lesionado e Zhevnov, seu subtituto, falhou nos dois gols portugueses. Igor Akinfeev, titular do CSKA e da Seleção Russa, teve problemas no joelho ainda em agosto do ano passado e segue fora. Será que a história se repete?

Acho que os Merengues já definem o duelo na ida, 3×0.

TRADIÇÃO vs. OBSESSÃO

Napoli e Chelsea é outro duelo enroscado. Os italianos carregam nas costas a tradição vinda dos tempos de Maradona e Careca, além de terem eliminado na fase anterior, nada mais, nada menos que o poderoso Manchester City. Já o Chelsea se classificou na bacia das almas e com o momento não sendo dos melhores, a obsessão por conquistar a Champions League deve se tornar mais forte e eloquente na cabeça de atletas e torcedores.

É rede! (Reuters)

O Napoli vem crescendo na Série A. Não perde e não sofre gols a quatro partidas. A última derrota dos comandados de Mazzarri em San Paolo foi na metade de dezembro, quando tomou 3×1 da Roma. De lá pra cá, foram seis partidas, com quatro vitórias e dois empates. Honestamente, sempre gostei deste time do Napoli. Mazzarri coloca o time num esquema diferente – 3-4-3 – e dá certo, eles quase sempre jogam bem. E me chamam mais a atenção os três homens de frente: Edinson Cavani – autor de 16 gols nos últimos 18 jogos -, Ezequiel Lavezzi e Marek Hamsik. Se não é o melhor, está entre os cinco melhores trios da Itália!

Já o momento do Chelsea não é legal. Os Blues ainda não venceram em fevereiro e estão a quatro jogos sem vencer. Outro problema do time londrino são os empates. São sete em toda Premier League e seis deles vindo de dezembro pra cá. Menos mal que Drogba volta ao time – após Fernando Torres quebrar a marca dos 1000 minutos sem marcar gols -, mas não custa lembrar que o marfinense perdeu o pênalti mais importante de sua carreira na final da CAN, talvez ainda esteja abalado, vide o seu ótimo relacionamento com seu país.

Pobre Villas-Boas! Topou entrar em um desafio ambicioso e pode cair se o Chelsea não vingar na Champions. Roman Abramovic não tem paciência com os técnicos dos Blues e se não ver John Terry – que não deve jogar, assim como Cole – erguer a orelhuda, vai mandando “pofexô por pofexô” – aliás, Luxa está aí – embora!

Eu aposto em vitória do Napoli por 3×1.

CRÍTICAS COMO ADVERSÁRIO

O Bayern vive num turbilhão de emoções. Dos 15 pontos disputados em 2012, os bávaros conquistaram 8 e ainda eliminaram o Stuttgart da DFB Pokal. Números bons, concordam? Mas não para um time como o Bayern. Soberba? Talvez sim, mas se formos ver o contexto, o time bávaro foi ultrapassado por Dortmund e Gladbach na tabela de classificação da Bundesliga. Ou seja, os 8 pontos não foram tão bons assim…

Para completar, o time está jogando mal. Robben, criticado por todos os lados – inclusive por Beckembauer – agora é reserva. Müller segue sendo titular indiscutível, mas jogando uma bolinha murcha, enquanto Kroos e Ribéry não voltaram ao ritmo do final de 2011. As críticas são justas, mas estão pressionando demais o time, coisa que anda muito nítida nas últimas rodadas.

Todos de olho em Shaqiri (Reuters)

Já o Basel foi uma das grandes supresas da fase de grupos. A eliminação do Manchester United não foi mera sorte dos suíços. Thorsten Fink e mais tarde Heiko Vogel armaram um time consistente e tiveram méritos na classificação. Basta ver que em jogos oficiais, o Basel não perde desde agosto! Mas em contrapartida, vem de três empates consecutivos…

Mas todos os olhos estarão em cima de Xherdan Shaqiri, contratado pelo Bayern para a disputa da próxima temporada, mas que defende o Basel atualmente. É dificil saber qual será a reação do garoto de 20 anos, mas todos estarão de olho!

Após em Bayern 2×1.