Le Podcast du Foot #94 | Os caras do ano na França

2018 foi, definitivamente, um ano especial para o futebol francês. Foi esta a temporada em que a França voltou a erguer uma Copa do Mundo, a segunda de sua história. Foi também o período em que voltamos a ver uma equipe do país a chegar a uma decisão europeia. O Marseille, porém, ficou sem a taça, mas valeu a campanha histórica na Liga Europa. No futebol feminino, vimos o Lyon emplacar a melhor jogadora e o melhor treinador do planeta. Enfim, rolou muita coisa que colocaram os franceses em evidência.

Para homenagear as pessoas que fizeram o ano de 2018 ser mais do que marcante, a turma de Le Podcast du Foot se reuniu e escolheu os nomes de destaque da temporada, entre atletas e treinadores franceses ou que atuam na França. Eduardo Madeira comandou a edição #94 ao lado de Filipe Papini e Renato Gomes.

Ouça abaixo o programa:

Le Podcast du Foot #79 | Classificados!

Duas rodadas, duas vitórias e classificação garantida para a França. Os Bleus corresponderam ao favoritismo no grupo C e não deram sopa para o azar na Copa do Mundo ao vencer os jogos contra Austrália e Peru.

Em Le Podcast du Foot, a vitória sobre a seleção de Paolo Guerrero esteve em discussão. O editor Eduardo Madeira recebeu Bruno Pessa, Flávio Botelho e Renato Gomes, que analisaram a vitória sobre os peruanos e projetaram o jogo contra a Dinamarca, na rodada final.

Ouça abaixo:

Se preferir escute no iTunes:

Deschamps quer neutralizar o jogo pelos lados

Deschamps fará duas mexidas na França | Foto: AFP

Depois de uma estreia vitoriosa, mas com atuação decepcionante, a França já encara jogo decisivo contra o Peru, nesta quinta-feira (21), às 12h, pela segunda rodada do Grupo C da Copa do Mundo. Decisivo por poder garantir a classificação antecipada e também por colocar o time a prova contra um adversário que precisará da vitória caso queira manter vivo o sonho de disputar o mata-mata.

Para este jogo, mexidas importantes. Olivier Giroud ingressa no lugar de Ousmane Dembélé e o time volta a ter um centroavante de mais porte físico. Já na faixa central, Corentin Tolisso dá espaço para Blaise Matuidi.

A entrada do jogador da Juventus aponta para o detalhe mais importante da estratégia francesa de Didier Deschamps. A imprensa francesa, incluindo veículos importantes como L’Equipe, RMC e Le Parisien, informa que ele deverá atuar aberto pela esquerda, num 4-2-3-1 que pode variar para um 4-4-2. Com isso, Kyllian Mbappé é deslocado para a direita.

A ideia de Deschamps é nítida: neutralizar o lado direito peruano, forte pelas associações entre Luís Advíncula e André Carrillo, da mesma forma, explorar as fragilidades defensivas de Miguel Trauco no lado oposto com Mbappé – que fatalmente teria dificuldades para conter as subidas do lateral-direito se fosse mantido na posição anterior.

Essa preocupação com o lado direito peruano se faz necessária, especialmente pelo que foi visto na estreia dos sul-americanos contra a Dinamarca. Muitas das jogadas ofensivas do Peru saíram por aquele lado, geralmente com Advíncula aprofundando e Carrillo fechando na área.

O próprio lance do pênalti em cima de Cueva, assinalado pelo VAR, é um exemplo disso, como mostra a imagem abaixo: 

Carrilo se desloca para o centro e abre espaço para um livre para Advíncula acionar Cueva, que seria derrubado por Yurary Poulsen | Foto: SportvA entrada de Matuidi busca brecar essas jogadas. Tendo em vista que Mbappé não tem a recomposição como ponto forte, seria um tanto arriscado deixar Lucas Hernandez exposto a esse tipo de ataque. Matuidi é veloz e tem imposição física, podendo brecar essas ações.

Além disso, a França poderá executar melhor o pressing, tão criticado por Deschamps na estreia. Matuidi fornece mais recursos a pressão e roubada de bola se comparado com Dembélé.

A tendência é que neutralizando essa arma peruana, o adversário francês aposte ainda mais suas fichas em Paolo Guerrero, que deve ser titular. Como bem explicou Joza Novalis, em Le Podcast du Foot, além da qualidade técnica, o atacante serve como um desafogo para o meio de campo, recebendo bolas em profundidade e prendendo os zagueiros para a chegada de outros companheiros de time. Isso já foi explorado na derrota por 1 a 0 contra a Dinamarca, tendo Jefferson Farfán na frente. Com Guerrero, isso deve ser ainda mais utilizado.

Aí é esperar que Raphaël Varane e Samuel Umtiti estejam em dias iluminados para segurarem um Guerrero sedento para mostrar que a luta para disputar o mundial não foi em vão.

Será um jogo estratégico. Frente a frente, uma França precisando mostrar serviço contra um Peru que precisa vencer. Só que diferentemente do que sugere o senso comum, são os franceses que vão entrar para neutralizar os peruanos. E essa é uma bola dentro de Deschamps.

Prováveis formações