Le Podcast du Foot #62 | Desafios europeus de Monaco e Lyon

Os sobreviventes franceses nas competições europeias estiveram em pauta na edição #62 de Le Podcast du Foot. Eduardo Madeira conduziu o programa, que teve os comentários de Renato Gomes, do Centrocampismo, e Vinícius Ramos, do Ici C’est Paris.

Entre os assuntos debatidos esteve o confronto entre Monaco e Borussia Dortmund, pela Champions League. Na terça (11), começa a disputa com a partida de ida, na Alemanha. Será que o time do Principado terá força e ritmo para disputar a série com o BvB e manter o pique nas competições domésticas?

Já o Lyon, que declaradamente abriu mão do Campeonato Francês e passou a focar na Europa League, vai encontrar o Beşiktaş, de Şenol Güneş (técnico responsável por levar a Turquia ao terceiro lugar na Copa de 2002). Ao contrário do Monaco, os gones jogarão a primeira partida em casa, na quinta (13). Não será um confronto fácil e o podcast avaliou as chances do OL no confronto.

Você pode ouvir o programa clicando na imagem abaixo:

Trilha: Ao fundo da edição #62 de Le Podcast du Foot você estará ouvindo a banda Noir Desir e o álbum Des Visages des Figures, lançado em 2001. Com esse álbum, o grupo formado nos anos 80 e que seguiu na ativa até 2010 obteve o disco de platina e ainda ganhou o prêmio de “Álbum de Rock do Ano”, em 2002. O CD completo está disponível no YouTube:

Le Podcast du Foot #59 – Os franceses lá fora

LPDF 59

Foto: Reprodução

Le Podcast du Foot chega a sua edição #59 para falar das ambições das equipes da França em âmbito europeu. A fase de grupos da Uefa Champions League começa nas próximas semanas e os times franceses estão se preparando para fazer bonito. Paris Saint-Germain, Monaco e Lyon fazem as últimas contratações e os primeiros ajustes antes do debute em seus respectivos grupos.

O time da capital francesa, equipe mais forte do país, ficou no grupo A, ao lado de Arsenal, Basel e Ludogorets. O Lyon, vice-campeão francês na última temporada, caiu numa chave difícil, a H, ao lado de Juventus, Sevilla e Dínamo Zagreb. Já o time do Principado terá pela frente Bayer Leverkusen, Tottenham e CSKA Moscou, no grupo E.

Nesta edição, se reuniram Eduardo Madeira, Filipe Papini e Renato Gomes para analisar e projetar a participação francesa na Champions League. Além disso, demos uma palhinha do que pode acontecer na Liga Europa.

Clique abaixo e ouça o programa!

lpdfp

Le Podcast du Foot #9

Olha o Le Podcast du Foot aí, gente!!! (Getty Images)

O “Le Podcast du Foot” já está em sua edição de número nove! O trio de ferro do programa, Eduardo Junior, Filipe Papini e Bruno Pessa, parou por quase uma hora para debater a 12ª rodada do Campeonato Francês, o nosso querido “Francesão”.

Nessa jornada, os três líderes empataram. O líder Paris Saint-Germain ficou em um quente – com duas expulsões – 1×1 com o atual campeão Montpellier. O Marseille, assim como em jogos passados, cedeu o resultado ao adversário nos minutos finais: 2×2 com o Nice, com direito a gol do ex-jogador do time Abriel. O Lyon parou no Sochaux, 1×1, resultado que foi muito lamentado pelos profissionais do clube.

Quem gostou desses resultados foi o Saint-Étienne. Les Vérts venceram o Troyes por 2×0, chegam ao sétimo jogo invicto, com três vitórias seguidas. Será que os maiores campeões franceses tem banca para voltar a erguer o troféu máximo do futebol francês após 32 anos? Bruno e Filipe deram suas opiniões sobre o assunto.

E as competições UEFA não poderiam ficar de fora. Os já citados comentaristas analisaram as fracas atuações dos times franceses na Champions League, em exceção o PSG, além das boas campanhas na Europa League.

A Seleção Francesa não foi jogada de lado, sendo, não só tema de abordagem dos comentaristas, mas também motivo da pergunta de nosso internauta. Aliás, você pode mandar suas questões para o programa pelos nossos blogs, além do grupo “Ligue 1 Brasil” no “Facebook”.

Ouça no player abaixo!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Le Podcast du Foot #7

Aliadière ajudou o Lorient com dois gols (Getty Images)

Já chegamos a 7ª edição do Le Podcast du Foot, o conteúdo em áudio do “Europa Football” dedicado, única e exclusivamente, ao futebol francês. O blogueiro que vos comunica, Eduardo Junior, novamente apresentou e contou com a colaboração da dupla dinâmica: Bruno Pessa e Filipe Papini.

Entre os destaques da rodada, está a incrível reação do Lorient, que após ir pro intervalo perdendo pro Ajaccio por 4×1 no Moustoir, conseguiu empatar a partida com um gol marcado nos acréscimos. Também falamos da surpreendente campanha do Toulouse, que ultrapassou o Marseille na classificação.

Falando no time de Élie Baup, eles enfrentariam o Lyon, mas os fortes ventos – segundo o site da Ligue 1, ventos que ultrapassaram os 100 km/h – fizeram com que os bombeiros da cidade não liberassem a realização da partida.

Sorte do Paris Saint-Germain de Zlatan Ibrahimovic, que venceu o lanterna Nancy e disparou na liderança da competição. O time da capital francesa segue invicto, diferente do Bordeaux, que após nove rodadas imbatíveis, a equipe da terra do vinho caiu fora de casa diante do Bastia, 3×1.

Além disso, nossos comentaristas falaram dos times franceses nas competições UEFA, onde os grandes vencedores foram PSG e Lyon, que encaminham suas classificações na Champions League e na Europa League, respectivamente. Lille e Montpellier perderam e se complicaram na tabela da UCL, assim como Marseille e Bordeaux, que com tropeços fora de casa, precisam ficar mais atentos quanto as possibilidades de avanço na UEL.

Confira o podcast no player abaixo!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Le Podcast du Foot #4

Torcedores mirins do Valenciennes e do Marseille deram exemplo a uns e outros…

Agora viramos internacionais! O “Le Podcast du Foot” chegou aos ouvidos do pessoal do “Parlons Foot”, site francês, que ao fazer uma matéria sobre o companheiro Bruno Pessa e seu blog, acabou citando o “Europa Football”, além do “Brasil Lyonnais” do Filipe Papini. Merci beaucoup, mes amis!

Mas voltando ao que interessa, na quarta edição do podcast, falaremos da 7ª rodada do Campeonato Francês. A jornada, que se iniciou com cinco equipes invictas, terminou com apenas três. A dupla Lyon e Marseille saiu da rodada derrotada. O OL caiu em casa para o Bordeaux, enquanto o, até então, 100% OM foi goleado pelo Valenciennes.

O milionário Paris Saint-Germain venceu mais uma e também recebeu seu destaque, além dos atuais campeões do Montpellier, que voltaram a vencer na Ligue 1.

Bruno e Filipe também comentaram sobre os times franceses nas ligas européias. PSG, Montpellier e Lille jogarão fora da França na UEFA Champions League, assim como Lyon e Bordeaux na Europa League. O Olympique de Marseille será o único privilegiado do país que poderá receber seus torcedores nesta rodada européia.

Esse programa ficou um pouquinho maior que o último, mas espero que esses minutos há mais sejam acréscimos de qualidade.

Abraços!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Faça o download do podcast

A redenção de Diego

Líder em assistências na UEL, Diego conquista a Europa League (Getty Images)

O meio-campista Diego era o grande nome do Werder Bremen na temporada 2008/09. Maestro em campo, o brasileiro foi o principal condutor do time alemão em direção a final da antiga UEFA Cup, hoje, UEFA Europa League.

Suspenso, Diego não pôde disputar a decisão realizada em Istanbul. Jogando sem o astro da companhia, o Bremen sucumbiu à esquadra brasileira do Shakhtar Donetsk na prorrogação. O gosto da derrota ficou ainda mais amargo porque dias depois, Diego se despedira em direção de Turim, onde jogaria – e fracassaria – na Juventus.

Mas o vice-campeonato não foi bem digerido, já que durante muito tempo foi falado no tal “se”. SE o Diego tivesse jogado… SE o Diego não estivesse suspenso… Se isso, se aquilo, mas no geral, todos imaginavam que com o brasileiro em campo a história teria sido diferente, já que ele era o artilheiro do Werder Bremen na competição com seis gols.

Entendo que a revelação do Santos não tenha se abalado com todos esses acontecimentos aglomerados. Diego era jogador de nível internacional e tinha tudo para brilhar no calcio, mas não deu certo e voltou para a Alemanha e defender o Wolfsburg, onde mesmo tendo boas atuações – isso é por minha conta, não acho que tenha fracassado por completo – pôs tudo a perder com uma briga com Félix Magath na última rodada da Bundesliga de 2011.

O Mago não queria ter Diego no elenco dos Lobos e o brasileiro foi parar na Espanha, mais especificamente no Atlético de Madrid. Sem os investimentos astronômicos do rival da cidade, Real Madrid, o Atleti conseguiu remodelar seu time. Miranda, Arda Turan, Courtois e Falcão García se juntaram a Diego na nova empreitada.

Diego anotou o gol que confirmou o título do Atlético

O prêmio veio nesta quarta-feira, com a conquista da UEFA Europa League em Bucareste. O grande jogador da partida foi o Mr. Europa League, Falcão García, autor de dois gols, mas Diego também foi peça importante ao anotar o terceiro gol, o que sacramentou a conquista. Na comemoração, o brasileiro se ajoelhou e foi às lágrimas. Certamente, as lembranças e expectativas de 2009 vieram a sua mente, mas que só na Espanha ele pôde realizar. Foi sua redenção, sem dúvida alguma!

Não estou dizendo que ele voltará à seleção, que será um grande craque e concorrerá a Bola de Ouro no fim do ano, mas Diego conseguiu, com três anos de atraso, saber o que é jogar e conquistar uma Liga Europa – ou Copa da UEFA. Foi um peso tirado de suas costas e ele teve méritos com suas sete assistências pra gols, líder no quesito no torneio europeu.

Jogando em um time de ambições menores, Diego pôde voltar a apresentar um futebol convincente. A falta de obrigação em ser o astro do time – cargo dado a Falcão García – “libertou” a técnica e habilidade presa em seus tempos de Juventus e Wolfsburg – dois clubes com grandes metas e apostando alto em Diego.

A consolidação da temporada do brasileiro pode ser concluída no próximo fim de semana com uma vaga na próxima UEFA Champions League. Emprestado pelos Lobos até 2014 ao Atlético de Madrid, Diego teria a maior competição interclubes do mundo para mostrar que pode ser decisivo e tendo a batuta em mãos, orquestrando a sinfonia colchonera.

O preço alto da soberba

É, Pastore... Não deu! (Reprodução: PSG.fr)

Durante toda a história, somente dois clubes franceses conquistaram torneios continentais: o Olympique de Marseille, que já foi campeão da Liga dos Campeões e o Paris Saint-Germain, que já ergueu a Taça das Taças.

Não são números pra lá de expressivos, muito pelo contrário. Mas levando em conta a quantidade absurda de jogadores que os times franceses cedem para grandes clubes de outras ligas, dava para imaginar resultados melhores. Se os clubes do país tivessem um maior poder aquisitivo, não só manteriam muitos jogadores como formariam equipes capazes de bater de frente com as grandes forças européias.

Mesmo assim, estando colocada em um posto de destaque mediano no cenário continental, os times da França se sentem no direito de “esnobar” um torneio como a Europa League.

Na temporada passada, o Lille, por exemplo, futuro campeão francês e contando com o entrosado trio Hazard-Sow-Gervinho, jogou boa parte da Liga Europa com time misto. A gota d’água foi no mata-mata contra o PSV Eindhoven. Após empatar em casa por 2×2, o técnico Rudi Garcia mandou pro jogo de volta, na Holanda, um time quase reserva. Moussa Sow e Hazard entraram em campo quando a vaca já estava se dirigindo pro brejo mais próximo.

Na atual temporada, Lyon e Marseille até que fizeram bonito na Uefa Champions League – ambos conseguiram no sufoco suas qualificações pro mata-mata – mas o Lille deu vexame ao cair fora da competição sem nem pegar Liga Europa.

Na própria Europa League, o vexame foi maior. O Rennes não se classificar é normal. O time rubro-negro não tem como costume disputar competições continentais e a falta de experiência era totalmente aceitável. Mas o Paris Saint-Germain???? Vexame!

A Qatar Sports Investiments botou muita grana no clube, trouxe nomes de peso como Ménez, Gameiro e Pastore, e o PSG tem muito mais time que muita gente que se classificou. Porém, o descaso do time com o torneio foi grande.

Em casa, o time parisiense fez sua parte. Venceu os três jogos, marcou oito gols e sofreu apenas três. Mas fora de casa, o PSG somou somente um mísero ponto em cima do fraquíssimo Slovan Bratislava. O grande detalhe desses três jogos como visitante, é que o time parisiense estava com time misto.

Agora olha o estrago que essas eliminações tolas poderão causar ao futebol francês:

Esse ranking acima é da UEFA e que indica a posição de cada liga européia. Ele determina quantas vagas para torneios continentais cada país poderá fornecer.

As três primeiras colocadas podem ceder quatro times para a Champions League e mais três para a Europa League. As três seguintes colocações fornecem três vagas para as duas competições. Depois do sétimo ao décimo quarto lugar, são cedidas duas vagas para a UCL e por aí vai…

Neste momento, a França ocupa a quinta colocação no ranking da Uefa, com 53.344 de coeficiente. A Ligue 1 ainda está muito distante da Série A, mas em contrapartida, vê as ligas portuguesa e russa se aproximarem. Se os dois países ultrapassarem a França neste ranking, a Ligue 1 perderá uma vaga na Champions League.

Mais do que nunca, os franceses terão de torcer para Lyon e Marseille chegarem longe na Champions League, pois são os únicos que podem manter as 3 vagas do país para a Champions League. Tanto Rússia, quanto Portugal, tem quatro times disputando as competições UEFA.

Pior vai ser ver depois uma eventual choradeira de “certos times” que possivelmente ficarão de fora da Champions League por ficarem em 4º lugar…

Durma-se com um barulho desses!