Não está “nice”

Foto: Alexandre Debbache (OGC Nice Médias) & Serge Haouzi (Nice-Matin) - Bautheac e Pied lamentam as chances perdidas em Mônaco

Bautheac e Pied lamentam as chances perdidas em Mônaco

Grande surpresa da última temporada do Campeonato Francês, o Nice vai encerrando esta edição da competição com chances (pequenas, é verdade) de rebaixamento. Ao perder no domingo (20) para o Monaco, em partida válida pela 34ª rodada do torneio, as Águias ficaram na 15ª colocação com 39 pontos, seis acima do Sochaux, primeiro time dentro da zona de rebaixamento. Quando a 34ª jornada da temporada anterior foi encerrada, o Nice tinha 57 pontos, era o 6º colocado e estava somente três atrás do Lyon, sonhando com a impensável vaga na Liga dos Campeões (que se traduziu apenas em vaga na Liga Europa).

Muitos se questionam os motivos que levaram a esta queda de rendimento, principalmente porque a base do time foi mantida, assim como o experiente técnico Claude Puel. Analisando todas as nuances da temporada do Nice, levantei alguns pontos que podemos justificar como primordiais para esse notório declínio do time. Vamos a eles:

Lesões

A razão mais notada foi a série de lesões que assolou o time. Puel só conseguiu repetir a escalação uma vez durante todo campeonato (1-0 Guingamp e 0-1 Toulouse, 8ª e 9ª rodada). O treinador ainda foi obrigado a utilizar 27 jogadores durante a temporada.

Puel também se viu obrigado a aproveitar muitos atletas da base. Por mais que o Nice tenha uma reconhecida excelência na formação de jogadores, o número utilizado foi elevado e ocasionado pelas lesões. Foram 12 jogadores de 23 anos ou menos que atuaram nesta temporada pelas Águias, incluindo Mouez Hassen, 19 anos, Mohamed Said Benrahma, 18, Albert Rafetraniaina e Franck Honorat, ambos com 17.

O mais novo a entrar em campo foi um dos filhos do técnico: Paulin Puel, de apenas 16 anos. Isso foi na partida diante do Monaco. O detalhe é que Claude Puel já tinha o filho Gregoire (também jovem, de 22 anos) em campo, encerrando a partida, então, com as duas crias no time.

Devo ressaltar, também, que alguns dos sub-23 do elenco principal já são presenças constantes nos jogos, como são os casos de ‘Timo’ Kolodziejczak, 22 anos, e do meteoro Neal Maupay, 17.

Além da juventude do time, a dupla de zaga, que era um dos pontos fortes na última temporada, foi desmantelada. O argentino Renato Civelli se transferiu para o Bursaspor (Turquia) e Nemanja Pejcinovic não conseguiu manter o ritmo anterior. Em 2013/14, o sérvio fez apenas 14 jogos e participou de apenas uma partida em 2014, estando no estaleiro há mais de dois meses.

Para tentar tapar estes buracos, Puel fez diversas improvisações, como utilizar o lateral-esquerdo Kolodziejczak e o meio-campista Didier Digard na zaga. O remendo que mais está durando é a presença do também meio-campista Mathieu Bodmer entre os zagueiros. Aos 31 anos, o atleta é “macaco velho” no futebol francês e já desempenhou inúmeras funções pelos clubes que defendeu. Atuar no miolo de zaga foi apenas mais uma das posições que cumpriu com eficiência.

Pior ataque

Foto: Alexandre Debbache (OGC Nice Médias) & Serge Haouzi (Nice-Matin) - Cvitanich não marca há três meses

O argentino Dario Cvitanich não marca há três meses

Se a defesa sofreu por falta de peças, o ataque é ineficaz em função da queda de rendimento do principal atleta da posição. Hoje, o Nice tem o pior ataque do Campeonato Francês com apenas 29 gols marcados, média inferior a um por jogo. Neste mesmo estágio da temporada passada, as Águias haviam balançado as redes 51 vezes e tinham o 6º melhor ataque da competição ao lado do Montpellier (o Nice terminou com 57 tentos, o 5º mais positivo).

Parte dessa fraqueza ofensiva passa pela fraca temporada do atacante Dario Cvitanich. Depois de anotar 19 gols e ser o vice-artilheiro da temporada passada do Campeonato Francês, o argentino foi às redes somente oito vezes em 2013/14. Para piorar, o atleta de 29 anos fez somente um gol em 2014 e não marca há três meses (nove jogos).

E se na temporada passada Cvitanich teve como maior seca apenas três partidas, nesta o argentino já ficou sem marcar por sete jogos e, atualmente, nove. O nervosismo pela falta de gols do argentino é refletido no número de cartões. Já são oito cartões amarelos, dois há mais que toda temporada passada.

Troca de casa

Querendo ou não, o fato do Nice ter trocado de estádio nesta temporada fez diferença. O acanhado Stade du Ray, com capacidade para 18.696 pessoas, era um diferencial do time devido à pressão que a torcida exercia em cima dos adversários. O pequenino estádio deu espaço a moderna Allianz Riviera, palco da próxima Eurocopa, e capaz de receber mais de 35 mil pessoas.

A média de público subiu significativamente, é verdade. Em 2012/13, a média era de 10.246 (terceira pior) e na anterior de 9.207 (segunda pior). Nesta já é de 24.160 pessoas, sétima melhor média do campeonato.

O que pesa de forma contrária, entretanto, não é a presença de público, mas sim os resultados. Na 34ª rodada da temporada passada, o Nice havia vencido 11 dos 18 jogos realizados no Stade du Ray, tendo a segunda melhor campanha como mandante. Na atual temporada venceu nove de 17 e ainda tem o dobro de derrotas (seis contra três).

Péssimo visitante

Porém, se campanha na Allianz Riviera poderia lhe credenciar a um posto no meio da tabela, a atuação longe dela é lamentável. O Nice tem a terceira pior campanha como visitante, tendo perdido 11 jogos e vencido apenas dois de 17.

O mais impressionante ainda é o ataque. Lembra que falei que tinha o pior ataque com 29 gols? Pois é, oito desses 29 gols foram como visitante. OITO! É disparado o pior ataque entre os times que jogam fora de casa.

Na temporada passada, o Nice somou 26 pontos longe de casa, 20 até a atual rodada.

Tabela difícil

Na matemática, o Nice precisa somar sete pontos dos 12 que disputará para evitar o rebaixamento, mas, pela tabela, essa fuga deverá vir antes. O Sochaux, que é o primeiro time dentro da zona de rebaixamento, pega o Paris Saint-Germain no próximo dia 27. Uma (provável) derrota já diminui a nota de corte para 39, fazendo com que o Nice precise somar quatro pontos.

A tabela do Nice, apesar da mínima chance de queda, inspira cuidados. No próximo dia 26 recebe o Stade de Reims, equipe que classifico como uma das mais perigosas quando joga fora de casa. Tem a 8ª melhor campanha como visitante e assim já atrapalhou as vidas de Lyon, Marseille e Lille.

Logo em seguida, as Águias fazem dois confrontos diretos longe da Allianz Riviera. Pegam o Sochaux no dia 4 de maio e o Evian, em partida sem data confirmada. A participação será encerrada em casa diante do Lyon.

A chance de rebaixamento, volto a dizer, é minúscula, mas o Nice precisará curar alguns traumas, principalmente o de jogar fora de casa. Apesar de ser muito mais forte que os adversários diretos, não pode se acomodar na vantagem técnica, muito menos se apegar na tabela mais difícil dos rivais. A fórmula é simples: jogar futebol!

Crédito das imagens: Alexandre Debbache (OGC Nice Médias) & Serge Haouzi (Nice-Matin)

*————————————————————————–*

Peço perdão pela demora em atualizar o blog. Tenho estado muito ocupado com o trabalho e a faculdade e nem sempre tenho aquela meia-hora marota pra começar a digitar alguma coisa. Sempre que possível tentarei trazer alguma coisa, isso eu garanto.

Le Podcast du Foot #46

Foto: PSG.fr - De peixinho, Matuidi deu a vitória ao PSG

Foto: PSG.fr – De peixinho, Matuidi deu a vitória ao PSG

O Paris Saint-Germain é cada vez mais líder no Campeonato Francês. Com o triunfo sobre o Ajaccio na Córsega e os tropeços de Monaco e Lille diante de Montpellier e Stade de Reims (respectivamente), o time da capital abriu cinco pontos na ponta da Ligue 1.

>> Confira a classificação após a 20ª rodada;

Um dos grandes nomes da rodada foi o sueco Zlatan Ibrahimović, que no triunfo parisiense por 2-1, deu passe pros dois gols do PSG. Também estiveram em evidência na França os atletas que estrearam em seus novos clubes, como M’Baye Niang, reforço do Montpellier (e que marcou um gol), e Djibrill Cissé, que chegou prometendo gols ao Bastia.

Com tudo da 20ª rodada, Eduardo Madeira apresenta mais um Le Podcast du Foot. Nesta semana, a edição #46. Os comentários ficaram a cargo de Flávio Botelho e Vinícius Ramos. Ouça o programa abaixo:

CLIQUE AQUI E OUÇA O PODCAST NO MIXCLOUD

CLIQUE AQUI E OUÇA O PODCAST NO UOL MAIS

Os 20 melhores jogos de 2013 na França

O surpreendente Epinal foi um dos personagens de 2013

O surpreendente Epinal foi um dos personagens de 2013

O ano de 2013 chegou ao final e o Europa Football preparou um apanhado especial com os 20 jogos mais marcantes do ano na França. A lista inicialmente seria de sete jogos, mas se estendeu a duas dezenas de partidas.

Para a formação da tabela de jogos, foram selecionadas partidas realizadas pelo Campeonato Francês da 1ª, 2ª e 3ª divisão, além de jogos da Copa da França e da Copa da Liga.

A lista foi elaborada de forma cronológica para que não haja discussões do tipo: “como o jogo A ficou na frente do jogo B?”.

Sem mais delongas, confira os 20 jogos marcantes de 2013 na França:

2012/2013

6 de janeiro – Epinal (4) 3-3 (2) Lyon – Copa da França (32 avos de final)

O Lyon começou 2013 com um tropeço monumental na Copa da França. Enfrentando o modesto Epinal, da terceira divisão, logo em sua estreia na competição, o time comandado por Rémi Garde sofreu uma vergonhosa derrota nos pênaltis. Depois de sair com 2-0 contra em 15 minutos, o OL virou na metade da etapa final, mas sofreu o terceiro gol, foi para a prorrogação e, posteriormente, disputa de pênaltis. Nos tiros da marca fatal, brilhou a estrela do goleiro Olivier Robin, um dos grandes heróis da classificação do Epinal. A aventura do time da terceira divisão parou nas oitavas-de-final, quando o RC Lens o eliminou com um triunfo por 2-0.

1 de fevereiro – Guingamp 4-3 Niort – Campeonato Francês/Segunda Divisão (23ª rodada)

Brigando pelo acesso à elite do futebol francês, o Guingamp deu enorme demonstração de força na 23ª rodada da Ligue 2. Enfrentando o ameaçado Niort, então 16º colocado, o EAG precisou de um milagre para vencer. Após sofrer o empate em 3-3 aos 31 minutos do 2º tempo, o Guingamp buscou a vitória no nono minuto de acréscimo! O gol foi do artilheiro Mustapha Yatabaré.

1 de fevereiro – Laval 4-5 Auxerre – Campeonato Francês/Segunda Divisão (23ª rodada)

No mesmo dia do maluco 4-3 entre Guingamp x Niort, outro jogo agitado marcou a 23ª rodada da segundona francesa. O Laval, que lutava contra o descenso, ia trazendo o Auxerre para esta briga ao abrir 2-0 com 40 minutos de jogo. Porém, antes do intervalo, o AJA buscou o empate com dois gols da joia Yaya Sanogo. Quando o relógio marcava 20 minutos do 2º tempo, mais reviravoltas e o marcador apontava 4-4, sendo que Sanogo havia anotado os dois gols do Auxerre. O placar só foi definido aos 43 minutos, quando Christopher Jullien fez o gol da vitória do AJA, 5-4.

11 de fevereiro – Angers 3-2 Lens – Campeonato Francês/Segunda Divisão (24ª rodada)

Na rodada seguinte da segunda divisão da França, virada heroica do Angers diante do Lens. Perdendo em casa por 2-1, o time mandante se viu em situação delicada quando Fabien Boyer foi expulso aos 40 minutos da etapa final. Porém, El Jadeyaoui, aos 45’, e Ayaru, aos 50’, viraram para o Angers e fecharam a partida em 3-2.

29 de março – Chateauroux 2-3 Angers – Campeonato Francês/Segunda Divisão (30ª rodada)

O Angers voltou promover virada heroica no dia 29 de março, em partida válida pela 30ª rodada da Ligue 2. Após abrir o placar com menos de 20 minutos diante do Chateauroux, o Angers vacilou entre os 30 e 32 minutos da etapa final, sofrendo a virada. Porém, aos 47 minutos e aos 49, Ravet e Fall marcaram, respectivamente, e deram a vitória aos visitantes.

6 de abril – Toulouse 3-4 Nice – Campeonato Francês (31ª rodada)

Contra o Toulouse, Anin marcou o último gol antes do acidente de carro

Contra o Toulouse, Anin marcou o último gol antes do acidente de carro

Para muitos, Toulouse 3-4 Nice será marcado pela bizarrice. Ali Ahamada e David Ospina, goleiros dos dois times, falharam na maioria dos gols. O arqueiro do Toulouse, inclusive, foi expulso no segundo tempo. O jovem Bosetti também foi excluído da partida por tentar dar um carrinho voador em M’Bengue. Mas o que marcou foi o autor do gol da vitória do Nice: Kevin Anin. O volante fez seu último gol antes do grave acidente de carro que sofreu meses depois e que lhe tirou dos gramados, muito provavelmente, de forma definitiva.

13 de abril – Fréjus St-Raphaël 2-2 Epinal – Campeonato Francês/Terceira Divisão (32ª rodada)

O modesto Epinal volta a nossa lista com a busca de um empate heroico na terceira divisão francesa. Perdendo por 2-0 pro Fréjus St-Raphaël e jogando com 10 desde os 25 minutos da etapa final, quando Dembele foi expulso, o pequenino time que havia derrotado o Lyon na Copa da França arrancou um pontinho nos minutos finais da partida. Rother, aos 40’, e Chouleur de pênalti, aos 45’, foram os responsáveis pelo empate.

17 de abril – Évian (4) 1-1 (1) PSG – Copa da França (quartas-de-final)

Após empate por um gol no tempo regulamentar e na prorrogação, o milionário Paris Saint-Germain sucumbiu ao valente Évian na disputa por pênaltis das quartas-de-final da Copa da França. Com Ibrahimović parando no goleiro Laquait e Thiago Silva acertando o travessão, o time da capital saiu de campo eliminado da competição. O triunfo foi o gás que o time de Annecy necessitava para chegar até a final da competição.

20 de abril – Saint-Étienne 1-0 Rennes – Copa da Liga (Final)

Dois times na fila chegaram à decisão da Copa da Liga Francesa: o Saint-Étienne, que não vencia nada desde 1981, e o Stade Rennais, que não ergueu troféu algum desde 1971. Por fim, venceu o time mais tradicional e que estava há menos tempo na fila. O ASSE fez 1-0 com o artilheiro Brandão, marcando na decisão pelo segundo ano seguido (no ano anterior havia marcado pelo Marseille). O título também foi a consagração de Pierre-Emerick Aubameyang, astro do time, e de Christophe Galtier, técnico do time e mentor deste longo e ótimo trabalho.

24 de maio – Red Star 2-1 Fréjus St. Raphaël – Campeonato Francês/Terceira Divisão (38ª rodada)

Um dos jogos mais simbólicos da temporada na 3ª divisão francesa foi justamente na última rodada. No Stade Bauer, na capital do país, o Red Star, 15º colocado, enfrentava o Fréjus St. Raphaël, 3º colocado. Para resumir: estavam frente-a-frente um time que estava caindo de divisão e outro que estava subindo. Com dois gols de Jean-Jacques Mandrichi, o Red Star venceu de virada e evitou o rebaixamento (o Bourg-Péronnas perdeu pro Carquefou e foi ultrapassado pelos parisienses). De quebra, o tropeço fez com que o Fréjus St. Raphaël fosse deixado para trás pelo CA Bastia, que venceu o Créteil Lusitanos, e ficasse sem o acesso.

31 de maio – Évian 2-3 Bordeaux – Copa da França (Final)

Durante toda temporada 2012/13, tanto Évian quanto Bordeaux não acreditavam que pudessem conquistar algum título. O time de Annecy se preocupava mais em permanecer na elite francesa, enquanto a equipe da terra dos vinhos fazia campanha mediana na Ligue 1. No último dia de maio, entretanto, os dois times estavam com seus fãs no Stade de France decidindo a Copa da França. Em uma partida pra lá de animada, os Girondins venceram por 3-2 e levaram o troféu para a casa. O grande nome da partida foi o centroavante Cheick Diabaté, autor de dois gols e que também perdeu um pênalti. A conquista foi justa, mas muitos sentiram pena do simpático Évian, que fez por merecer chegar à decisão e vendeu caro a derrota.

2013/2014

6 de outubro – Montpellier 5-1 Lyon – Campeonato Francês (9ª rodada)

Durante as últimas temporadas, temos apertado na tecla (tanto no blog quanto no podcast) que o Lyon está em um patamar abaixo dos times de ponta da França, apesar de ainda esboçar alguns brilharecos. Porém, logo na 9ª rodada do Campeonato Francês da atual temporada, o OL sofreu uma derrota simbólica e que demonstrou o novo momento do clube. Enfrentando o Montpellier, que ainda não havia vencido na temporada, o Lyon foi destruído com uma humilhante derrota por 5-1. O nome do jogo foi Rémy Cabella, autor de dois gols e dois passes para gols.

6 de outubro – Olympique de Marseille 1-2 Paris Saint-Germain (9ª rodada)

O primeiro “Le Classique” da atual temporada foi muito nervoso, só para variar. Mas quem colaborou (e muito) para que o jogo fosse tenso foi a arbitragem comandada por Clément Turpin. Thiago Motta cometeu pênalti em Mathieu Valbuena aos 30 minutos da etapa inicial e, de forma absurda, foi expulso. O lance gerou a revolta de todos no PSG, ainda mais porque André Ayew converteu a cobrança. Com Maxwell e Ibrahimović, o clube da capital virou e saiu do Vélodrome com os três pontos. Vale destacar também a participação do jovem Adrien Rabiot, que entrou para ocupar a lacuna deixada após a expulsão, não sentiu a pressão e jogou bem.

27 de outubro – Saint-Étienne 2-2 Paris Saint-Germain – Campeonato Francês (11ª rodada)

Lemoine foi expulso após receber cotovelada

Lemoine foi expulso após receber cotovelada

Duas rodadas depois, a arbitragem voltou a aparecer em um jogo do PSG, desta vez, ajudando o clube da capital. Perdendo pro Saint-Étienne no Geoffrey-Guichard por 2-0 e sendo completamente dominado pelos Vérts, os parisienses foram beneficiados pelo árbitro Ruddy Buquet, que expulsou Fabien Lemoine. O volante do ASSE disputava bola com Ezequiel Lavezzi e, durante o “puxa-puxa”, recebeu uma cotovelada. Com o rosto ensanguentado, viu o cartão vermelho. O Saint-Étienne sentiu o baque e cedeu o empate nos acréscimos.

3 de novembro – Lille 2-0 Monaco – Campeonato Francês (12ª rodada)

Fazendo campanha surpreendente no Campeonato Francês, o Lille, de René Girard, iria testar forças contra o milionário Monaco na 12ª rodada da competição. Em tarde inspirada do centroavante Nolan Roux, os Dogues mostraram que não estavam para brincadeira, venceram por 2-0 com dois gols do atacante e provocaram a primeira derrota dos monegascos na Ligue 1.

10 de novembro – Saint-Étienne 1-2 Lyon – Campeonato Francês (13ª rodada)

Se a situação do Lyon não é nada boa na questão de títulos, o contrário é dito quando os torcedores lembram o derby contra o Saint-Étienne. O OL engordou a lista de jogos invictos no Geoffrey-Guichard alimentada desde 1994 com mais um triunfo nesta temporada. O gol da vitória dos visitantes (que mais parecem mandantes) veio nos acréscimos, com um gol de cabeça de Jimmy Briand. Porém, não foi apenas isso que marcou a partida. Sem poder levar torcedores para o jogo, o elenco do Lyon ficou com sangue nos olhos durante a partida e até mesmo o veterano Joël Bats (aquele da Copa de 86 e do pênalti de Zico) provocou a torcida adversária, provocando uma confusão que poderia ter trazido maiores problemas para a realização da peleja.

22 de novembro – Fréjus St. Raphaël 2-3 Bourg-Péronnas – Campeonato Francês/Terceira Divisão (13ª rodada)

Acredito que muita gente nunca tenha ouvido falar do Fréjus St. Raphaël. Mas, a partir deste post, vai conhecê-lo como “time da virada”, porém, não no sentido criado no Brasil. Já nesta temporada, o Fréjus viu o triunfo diante do Bourg-Péronnas desandar nos minutos finais. Vencendo por 2-1 no Stade Eugène-Pourcin, os ventos começaram a mudar quando o senegalês Matar Fall foi expulso aos 43 minutos da etapa final. Como tragédia pouca é bobagem, aos 46’, Jordan Gaubey, e aos 47’, Lakdar Boussaha, viraram o jogo. Desde então, o Fréjus não venceu mais e despencou da 4ª colocação para a 8ª na 3ª divisão do país.

1 de dezembro – Paris Saint-Germain 4-0 Lyon – Campeonato Francês (15ª rodada)

O Lyon voltou a receber um choque de realidade ao encarar o PSG em Paris. Inoperante no Parc des Princes, o OL saiu da capital humilhado e com um 4-0 na bagagem. O sueco Zlatan Ibrahimović marcou duas vezes de pênalti, sendo a primeira cobrança no estilo Panenka.

15 de dezembro – Lyon 2-2 Olympique de Marseille – Campeonato Francês (18ª rodada)

Lyon e Marseille podem não estar em seus melhores dias, mas sempre é garantia de bom jogo quando se enfrentam (recentemente tivemos um 5-5, por exemplo). Este ano foi a vez das duas equipes nos presentearem com um bem jogado 2-2 no Stade Gerland. Os mandantes abriram 2-0 com Lacazette e Gomis, e tiveram chances de alargar a vantagem, mas as desperdiçaram e pagaram um preço caro: o empate. Gignac e Thauvin marcaram em falhas do goleiro Remy Vercoutre e levaram um ponto para a casa.

22 de dezembro – Paris Saint-Germain 2-2 Lille – Campeonato Francês (19ª rodada)

Mavuba marcou no último jogo do ano na Ligue 1

Mavuba marcou no último jogo do ano na Ligue 1

O ano de 2013 (e nossa lista) não poderia ser encerrado da melhor maneira possível. PSG e Lille protagonizaram um dos melhores jogos do ano na França, e com uma surpresa: o time do norte não se assustou com o adversário milionário e jogou de igual pra igual, mesmo atuando fora de casa. A partida acabou 2-2, mas poderia ter acabado com vitória lillois, time que criou as melhores chances na etapa final. O jogo também ficou marcado pelo entrevero entre Ibrahimović e Rio Mavuba. Os dois se agrediram e receberam apenas o cartão amarelo (minutos depois, Mavuba marcou para o Lille).