Quase tudo no lixo

Arranca, David Luíz (Fulham, site oficial)

E hoje o zagueiro brasileiro, David Luiz estreou como titular no Chelsea na partida contra o Fulham. Ele teve uma atuação praticamente impecável, mas pôs tudo a perder no fim do jogo, mas graças a Petr Cech, se deu bem.

Durante a partida, David foi preciso nos desarmes, errou poucos passes e avançava ao ataque. Em um determinado momento do segundo tempo, ele trocou de posição com Ivanovic e se aventurou na lateral-direita – posição onde já jogou no Benfica -, aparecendo bem no campo de ataque e se tornando até uma opção melhor do que o sérvio estava sendo.

Quem assistiu ao jogo, percebia que David Luíz não parecia um garoto estreando, e sim um veterano. Além de técnica e personalidade, ele mostrava vontade. Não tinha medo das divididas e na bola mais marcante dele no jogo, ele via a bola sair pela linha de fundo, seria escanteio pro Chelsea, mas ele deu uma acrobática bicicleta e mandou pra área pra testada de Kalou.

Só que às vezes, vontade além da conta dá problema.

Nos acréscimos de Mike Dean, Dempsey invadiu a área e na sede por roubar a bola, David Luiz cometeu pênalti.

Seria um final trágico para um estreia quase perfeita. Seria um pecado ao brasileiro, que nem teve que sofrer com aquela história de adaptação, já entrou, jogou e mostrou pra quê veio, mas embaixo dos três paus do Chelsea existe um baita goleiro, Petr Cech, que defendeu a cobrança de pênalti de Dempsey.

A imagem que ficará de David Luiz nesse jogo é de sua grande atuação…mas que quase foi jogada fora por um pênalti infantil. A julgar por esse jogo, ele terá futuro na Premier League, só falta melhorar um pouquinho a cabeça, pois nem sempre vontade ganha jogo.

>>Sobre o jogo:

Dempsey perdeu um pênalti no final

Tivemos um primeiro tempo equilibrado e chato, sem grandes chances de gol em um jogo muito preso no centro. O Fulham tinha uma marcação interessante. Duas linhas de 4 bem espaçadas dentro de campo, deixando espaço entre uma linha e outra, mas ainda assim impedindo a penetração do Chelsea. Na etapa final, o jogo ficou mais interessante. O Chelsea se mandou pro ataque, Ramires perdeu a timidez e saiu mais pro jogo, a zaga avançava e o Fulham se recolhia, mas sempre encaixava um contra-ataque ou outro. O 0x0 fica de bom tamanho – mais pelo empate do que pelo placar zerado – pois tivemos um time mais afim de se defender e outro que tinha dificuldades de penetrar na bem postada defesa adversária.

No Fulham, dá pra destacar Duff, que na primeira etapa foi quem buscou jogo, embora soltasse pouco a bola. Dempsey e Dembélé eram outras boas opções dos Cottagers. Simon Davies entrou no decorrer da partida e buscou jogo, assim como Gudjohnsen. Negativo no lado do Fulham foi Murphy. Nervoso e apático, errou demais.

No Chelsea, fora David Luiz, destaco Essien. A cada dia fico mais fã dele. O senso de posicionamento dele é coisa de outro mundo. Ramires esteve tímido na etapa inicial, mas na etapa final se soltou. Malouda esteve mal, assim como Anelka e Lampard. Torres parece meio desconfortável com a camisa do Chelsea, parece ansioso por marcar um gol. Teve boas oportunidades em seus pés, mas desperdiçou por nervosismo mesmo, escolhia a opção errada. Drogba – que semanas atrás foi destacado por este que vos tecla por estar voltando aos velhos tempos – começou no banco, entrou aos 25 do segundo tempo no lugar de Torres e fez mais que o espanhol.

Menção honrosa pra Mike Dean, que deixou de dar um pênalti de Hangeland em Malouda. Foi o único grande erro do árbitro que esteve bem na partida de hoje.

Isso é que é “feliz ano novo”

 

Ano novo, descanso...não!? Premier League

Começou 2011, e junto com o novo ano, continua a ‘velha’ Premier League. Os caras não pararam nem no primeiro dia do ano. Simplesmente 8 jogos da 21ª rodada foram realizados neste dia 1º de janeiro. Isso é que é “um feliz ano novo” – como diz o título.

Dos oito jogos, oito vencedores, nenhum empate, mas os grandes vencedores foram os amantes do futebol, fãs ou não da Premier League, que após o termino de um ano, onde um marasmo esportivo reina, você pode assistir a um jogo de alto nível, pois poucos países na europa tiveram jogos neste sábado. Tirando o Reino Unido, só tivemos jogos de primeira divisão em Israel – na Ucrânia tivemos jogos nas divisões inferiores -, isso levando em conta a Europa inteira.

Rooney volta a marcar após longo tempo (AP)

Os grandes felizardos foram os times de Manchester, o United e o City. Os Red Devils venceram o West Brom no primeiro jogo do ano na Premier League. Jogo movimentado. Rooney abriu o placar pro United, enquanto Morrison empatou pro WBA, somente na etapa final veio o gol da vitória do Manchester, com Chicharito. Mas tirando os lances de gols, valem algumas notas:

*O West Brom teve dois pênaltis e um não foi marcado. Neville derrubou Dorrans e Chris Foy mandou seguir. No outro pênalti, o que foi marcado, Odemwingie desperdiçou a cobrança.

*No segundo pênalti, Rio Ferdinand – que derrubou Thomas na área – cometeu sua primeira falta na temporada

*Para fechar, falarei de Ronney, que voltou a marcar com bola rolando após 1418 minutos, mas no fim do jogo, sofreu um dura entrada no tornozelo esquerdo e mesmo machucado, permaneceu em campo – Alex Ferguson já havia feito três substituições -. O Shrek à princípio ficará duas semanas fora.

Nos números, o Manchester United continua na liderança, com 38 pontos, mas vencendo o vice-líder, Manchester City nos critérios de desempate. Já o West Brom segue na honrosa 14ª colocação, com 22 pontos.

Adam Johnson decidindo pro City (PA)

O outro Manchester, o City, bateu o Blackpool em City Of Manchester. O único gol da partida foi de Adam Johnson. Poderiam ser mais, isso porque Tévez desperdiçou um pênalti e ainda os Tangerines deram trabalho pros Sky Blues, algo até admitido pela comissão técnica do Manchester. Tanto que Joe Hart foi um dos melhores em campo.

Os Citizens estão agora na vice-liderança, com 38 pontos. Embora tenham o mesmo número de pontos do líder Manchester United, o City fica prejudicado pelo fato de ter dois jogos à mais que o líder. O Blackpool segue fazendo bonito, 10ª colocação, com 25 pontos.

Outra ‘localidade’ que começou 2011 com o pé direito foi Londres. Arsenal e Tottenham venceram e estão no G4. Os Gunners bateram o Birmingham fora de casa com certa facilidade – algo pouco visto nos últimos tempos, pois os Blues perderam (com esse jogo) duas partidas de 25 no St. Andrews Ground – no jogo de número 200 de Cesc Fábregas na Premier League. Van Persie, Nasri e Johnson contra fizeram os gols dos Gunners, que agora ocupam a 3ª colocação, com 39 pontos – e um jogo à menos que o City e um à mais que o United. Já o Birmingham é o vice-lanterna com 19 pontos.

Agora falando do Tottenham, os Spurs passaram por um rival local, o Fulham. Só tivemos um gol, que foi anotado por Gareth Bale, que desviou cobrança de falta executada por Van der Vaart. O Tottenham novamente entrou no G4, deixando o Chelsea para três. Os Spurs tem 36 pontos e os Blues tem 34. Agora os comandados de Carlo Ancelotti ficam na obrigação de vencer o Aston Villa pra voltar ao G4.

Já o Fulham entra na zona de rebaixamento, com 19 pontos, isso graças ao West Ham, que bateu o Wolverhampton por 2×0 – Zubar contra e Sears marcaram pros Hammers – e agora figura fora da zona de descenso, com 20 pontos.

Joe Cole voltando a cena (Reuters)

Nos jogos que movimentaram o meio da tabela, destaque pro Liverpool, que venceu a boa equipe do Bolton no sufoco, 2×1, com um gol de Joe Cole aos 46 minutos da etapa final – Davies fez pro Bolton e Torres havia feito o primeiro do Liverpool.  Os Reds estão agora na 9ª colocação com 25 pontos, enquanto os Trotters caem para a 7ª colocação, com 29 pontos. E quem ultrapassou o Bolton com esse tropeço foi o Sunderland, que bateu o Blackburn por 3×0 – gols de Welbeck, Bent e Gyan – e estão uma posição acima, com um ponto à mais. O Stoke City foi outra equipe que venceu. A vitória da rodada foi sobre o Everton, 2×0 – gols de Jones e Jagielka contra – e sobem pra 8ª colocação, com 27 pontos.

Amanhã, Chelsea x Aston Villa e Wigan x Newcastle fecham a rodada.

Dois dias depois…

Após jogarem no domingo, vários times voltaram a campo na terça-feira

E seguimos com as incansáveis maratonas de jogos na Inglaterra. Onze equipes que entraram em campo no domingo (26) tiveram de encarar mais uma partidinha, simplesmente dois dias depois, na terça (28). Alguns tiveram que percorrer distâncias relativamente longas – como o Newcastle, que teve de percorrer 470 quilômetros até Londres -, outras nem saíram de seu lugar, como o West Ham, que permaneceu em Londres.

Lee Bowyer salvou o Birmingham nos acréscimos (AFP)

Começamos falando do Manchester United, que teve de ir do noroeste da Inglaterra e ir pro centro do país enfrentar o Birmingham, para tentar manter a ponta, coisa que não foi totalmente possível. Após um primeiro tempo morno, de muitos erros de passe e poucas emoções, os Red Devils abriram o placar no segundo tempo, com Dimitar Berbatov, que tabelou com Gibson e mandou para as redes. Foi o 13º gol do búlgaro na Premier League. O Manchester tinha a partida em mãos. Trocava passes, marcava forte e o Birmingham só tinha forças para jogar a bola na área, coisa que nem sempre dava certo. Uma hora deu, e nessa hora, Zigic escorou e Bowyer marcou. Só que o gol foi irregular. O atacante sérvio dos Blues ajeitou a bola com a mão para a finalização de Bowyer. Fora ainda ter havido uma possível falta do próprio Zigic em Ferdinand. Eu não daria, achei que o contato dos dois foi quando o atacante já estava no ar, mas não seria nada de outro mundo ser marcada a falta.

Mas a história que ficará é que o Manchester fica na liderança, mas sem a tranquilidade que a vitória lhe daria. Os Red Devils ocupam a liderança, mas com os mesmos 38 pontos do Manchester City e só vencem nos critérios de desempate. O empate foi lucrativo pro Birmingham, que chega a 19 pontos e deixa a zona de rebaixamento. Os Blues ocupam agora a (ainda incômoda) 16ª colocação.

O Manchester City saiu de Newcastle, no norte da Inglaterra com três pontos e voltou para o noroete inglês, sua casa e conquistou mais três pontos. Hoje os Citizens venceram o Aston Villa com facilidade, 4×0. O destaque do jogo foi “o homem que só vê a sua frente Lionel Messi”, Mário Balotelli. O italiano anotou três gols, sendo dois de pênalti. O quarto gol foi do defensor Lescott. O Manchester City, mesmo tendo sofrido alguns tropeços desnecessários, não desgruda dos líderes e está na segunda colocação, com os mesmos 38 pontos do rival e líder Manchester United. Já os Villans seguem em péssima situação. Estão na 15ª colocação, com 20 pontos e próximos da zona de rebaixamento.

Lennon abriu o placar pros Spurs (Getty Images)

O Tottenham deixou o centro da Inglaterra e migrou para sua ‘terra natal’, em Londres, onde recebeu o Newcastle, que saiu do norte do país, tendo de percorrer cerca de 470 quilômetros pro duelo de hoje. E essa distância foi percorrida em vão pelos Magpies, que perderam de novo – terceira em cinco jogos e segunda consecutiva -, nona na competição. Os gols dos Spurs foram marcados na etapa final, pelo Aaron “Ligeirinho” Lennon e Gareth “Papa-Léguas” Bale, ambos em suas jogadas características, jogadas velozes e finalizações cruzadas.

O Tottenham está no G4, ultrapassaram o Chelsea – são 33 pontos contra 31. O Newcastle segue com sua campanha irregular – 13º lugar, com 22 pontos – e tem de tomar cuidado para não começar a encostar na parte debaixo da tabela.

Agora pulamos pra parte debaixo da tabela, onde o Fulham pegou estrada até Stoke-on-Trent pegar o Stoke e conseguir grande vitória. Com dez minutos de jogo, Baird decidiu, com dois gols, um aos 4 minutos e outro aos 10′. Antes do jogo de hoje, Baird, que joga no Fulham desde 2007, só tinha um gol na Liga e termina com três.

Mas o que importa pros Cottagers é que eles deixam a zona de rebaixamento, chegam a 19 pontos, na 17ª colocação. Vitória que dá um pouco de sustentação ao técnico Mark Hughes. O Stoke segue em sua zona intermediária – 10ª colocação, com 24 pontos – e por lá deve permanecer, vai se firmando cada vez mais na Premier League.

Se o Fulham se deu bem, o mesmo não se pode dizer do West Ham, que tropeçou no Upton Park, diante do Everton, que teve de percorrer cerca de 350 quilômetros para essa partida. Os Toffes deram uma forcinha pros Hammers, com um gol de contra de Hibbert, mas Coleman marcou à favor e fechou no 1×1. O Everton está na 11ª colocação com 22 pontos, enquanto o West Ham permanece na vice-lanterna, com 17 pontos.

Outros Resultados

Sunderland 0x2 Blackpool
WBA 1×3 Blackburn

Amanhã

Arsenal x Wigan
Chelsea x Bolton
Liverpool x Wolves