Quase tudo no lixo

Arranca, David Luíz (Fulham, site oficial)

E hoje o zagueiro brasileiro, David Luiz estreou como titular no Chelsea na partida contra o Fulham. Ele teve uma atuação praticamente impecável, mas pôs tudo a perder no fim do jogo, mas graças a Petr Cech, se deu bem.

Durante a partida, David foi preciso nos desarmes, errou poucos passes e avançava ao ataque. Em um determinado momento do segundo tempo, ele trocou de posição com Ivanovic e se aventurou na lateral-direita – posição onde já jogou no Benfica -, aparecendo bem no campo de ataque e se tornando até uma opção melhor do que o sérvio estava sendo.

Quem assistiu ao jogo, percebia que David Luíz não parecia um garoto estreando, e sim um veterano. Além de técnica e personalidade, ele mostrava vontade. Não tinha medo das divididas e na bola mais marcante dele no jogo, ele via a bola sair pela linha de fundo, seria escanteio pro Chelsea, mas ele deu uma acrobática bicicleta e mandou pra área pra testada de Kalou.

Só que às vezes, vontade além da conta dá problema.

Nos acréscimos de Mike Dean, Dempsey invadiu a área e na sede por roubar a bola, David Luiz cometeu pênalti.

Seria um final trágico para um estreia quase perfeita. Seria um pecado ao brasileiro, que nem teve que sofrer com aquela história de adaptação, já entrou, jogou e mostrou pra quê veio, mas embaixo dos três paus do Chelsea existe um baita goleiro, Petr Cech, que defendeu a cobrança de pênalti de Dempsey.

A imagem que ficará de David Luiz nesse jogo é de sua grande atuação…mas que quase foi jogada fora por um pênalti infantil. A julgar por esse jogo, ele terá futuro na Premier League, só falta melhorar um pouquinho a cabeça, pois nem sempre vontade ganha jogo.

>>Sobre o jogo:

Dempsey perdeu um pênalti no final

Tivemos um primeiro tempo equilibrado e chato, sem grandes chances de gol em um jogo muito preso no centro. O Fulham tinha uma marcação interessante. Duas linhas de 4 bem espaçadas dentro de campo, deixando espaço entre uma linha e outra, mas ainda assim impedindo a penetração do Chelsea. Na etapa final, o jogo ficou mais interessante. O Chelsea se mandou pro ataque, Ramires perdeu a timidez e saiu mais pro jogo, a zaga avançava e o Fulham se recolhia, mas sempre encaixava um contra-ataque ou outro. O 0x0 fica de bom tamanho – mais pelo empate do que pelo placar zerado – pois tivemos um time mais afim de se defender e outro que tinha dificuldades de penetrar na bem postada defesa adversária.

No Fulham, dá pra destacar Duff, que na primeira etapa foi quem buscou jogo, embora soltasse pouco a bola. Dempsey e Dembélé eram outras boas opções dos Cottagers. Simon Davies entrou no decorrer da partida e buscou jogo, assim como Gudjohnsen. Negativo no lado do Fulham foi Murphy. Nervoso e apático, errou demais.

No Chelsea, fora David Luiz, destaco Essien. A cada dia fico mais fã dele. O senso de posicionamento dele é coisa de outro mundo. Ramires esteve tímido na etapa inicial, mas na etapa final se soltou. Malouda esteve mal, assim como Anelka e Lampard. Torres parece meio desconfortável com a camisa do Chelsea, parece ansioso por marcar um gol. Teve boas oportunidades em seus pés, mas desperdiçou por nervosismo mesmo, escolhia a opção errada. Drogba – que semanas atrás foi destacado por este que vos tecla por estar voltando aos velhos tempos – começou no banco, entrou aos 25 do segundo tempo no lugar de Torres e fez mais que o espanhol.

Menção honrosa pra Mike Dean, que deixou de dar um pênalti de Hangeland em Malouda. Foi o único grande erro do árbitro que esteve bem na partida de hoje.

Anúncios

Isso é que é “feliz ano novo”

 

Ano novo, descanso...não!? Premier League

Começou 2011, e junto com o novo ano, continua a ‘velha’ Premier League. Os caras não pararam nem no primeiro dia do ano. Simplesmente 8 jogos da 21ª rodada foram realizados neste dia 1º de janeiro. Isso é que é “um feliz ano novo” – como diz o título.

Dos oito jogos, oito vencedores, nenhum empate, mas os grandes vencedores foram os amantes do futebol, fãs ou não da Premier League, que após o termino de um ano, onde um marasmo esportivo reina, você pode assistir a um jogo de alto nível, pois poucos países na europa tiveram jogos neste sábado. Tirando o Reino Unido, só tivemos jogos de primeira divisão em Israel – na Ucrânia tivemos jogos nas divisões inferiores -, isso levando em conta a Europa inteira.

Rooney volta a marcar após longo tempo (AP)

Os grandes felizardos foram os times de Manchester, o United e o City. Os Red Devils venceram o West Brom no primeiro jogo do ano na Premier League. Jogo movimentado. Rooney abriu o placar pro United, enquanto Morrison empatou pro WBA, somente na etapa final veio o gol da vitória do Manchester, com Chicharito. Mas tirando os lances de gols, valem algumas notas:

*O West Brom teve dois pênaltis e um não foi marcado. Neville derrubou Dorrans e Chris Foy mandou seguir. No outro pênalti, o que foi marcado, Odemwingie desperdiçou a cobrança.

*No segundo pênalti, Rio Ferdinand – que derrubou Thomas na área – cometeu sua primeira falta na temporada

*Para fechar, falarei de Ronney, que voltou a marcar com bola rolando após 1418 minutos, mas no fim do jogo, sofreu um dura entrada no tornozelo esquerdo e mesmo machucado, permaneceu em campo – Alex Ferguson já havia feito três substituições -. O Shrek à princípio ficará duas semanas fora.

Nos números, o Manchester United continua na liderança, com 38 pontos, mas vencendo o vice-líder, Manchester City nos critérios de desempate. Já o West Brom segue na honrosa 14ª colocação, com 22 pontos.

Adam Johnson decidindo pro City (PA)

O outro Manchester, o City, bateu o Blackpool em City Of Manchester. O único gol da partida foi de Adam Johnson. Poderiam ser mais, isso porque Tévez desperdiçou um pênalti e ainda os Tangerines deram trabalho pros Sky Blues, algo até admitido pela comissão técnica do Manchester. Tanto que Joe Hart foi um dos melhores em campo.

Os Citizens estão agora na vice-liderança, com 38 pontos. Embora tenham o mesmo número de pontos do líder Manchester United, o City fica prejudicado pelo fato de ter dois jogos à mais que o líder. O Blackpool segue fazendo bonito, 10ª colocação, com 25 pontos.

Outra ‘localidade’ que começou 2011 com o pé direito foi Londres. Arsenal e Tottenham venceram e estão no G4. Os Gunners bateram o Birmingham fora de casa com certa facilidade – algo pouco visto nos últimos tempos, pois os Blues perderam (com esse jogo) duas partidas de 25 no St. Andrews Ground – no jogo de número 200 de Cesc Fábregas na Premier League. Van Persie, Nasri e Johnson contra fizeram os gols dos Gunners, que agora ocupam a 3ª colocação, com 39 pontos – e um jogo à menos que o City e um à mais que o United. Já o Birmingham é o vice-lanterna com 19 pontos.

Agora falando do Tottenham, os Spurs passaram por um rival local, o Fulham. Só tivemos um gol, que foi anotado por Gareth Bale, que desviou cobrança de falta executada por Van der Vaart. O Tottenham novamente entrou no G4, deixando o Chelsea para três. Os Spurs tem 36 pontos e os Blues tem 34. Agora os comandados de Carlo Ancelotti ficam na obrigação de vencer o Aston Villa pra voltar ao G4.

Já o Fulham entra na zona de rebaixamento, com 19 pontos, isso graças ao West Ham, que bateu o Wolverhampton por 2×0 – Zubar contra e Sears marcaram pros Hammers – e agora figura fora da zona de descenso, com 20 pontos.

Joe Cole voltando a cena (Reuters)

Nos jogos que movimentaram o meio da tabela, destaque pro Liverpool, que venceu a boa equipe do Bolton no sufoco, 2×1, com um gol de Joe Cole aos 46 minutos da etapa final – Davies fez pro Bolton e Torres havia feito o primeiro do Liverpool.  Os Reds estão agora na 9ª colocação com 25 pontos, enquanto os Trotters caem para a 7ª colocação, com 29 pontos. E quem ultrapassou o Bolton com esse tropeço foi o Sunderland, que bateu o Blackburn por 3×0 – gols de Welbeck, Bent e Gyan – e estão uma posição acima, com um ponto à mais. O Stoke City foi outra equipe que venceu. A vitória da rodada foi sobre o Everton, 2×0 – gols de Jones e Jagielka contra – e sobem pra 8ª colocação, com 27 pontos.

Amanhã, Chelsea x Aston Villa e Wigan x Newcastle fecham a rodada.

Dois dias depois…

Após jogarem no domingo, vários times voltaram a campo na terça-feira

E seguimos com as incansáveis maratonas de jogos na Inglaterra. Onze equipes que entraram em campo no domingo (26) tiveram de encarar mais uma partidinha, simplesmente dois dias depois, na terça (28). Alguns tiveram que percorrer distâncias relativamente longas – como o Newcastle, que teve de percorrer 470 quilômetros até Londres -, outras nem saíram de seu lugar, como o West Ham, que permaneceu em Londres.

Lee Bowyer salvou o Birmingham nos acréscimos (AFP)

Começamos falando do Manchester United, que teve de ir do noroeste da Inglaterra e ir pro centro do país enfrentar o Birmingham, para tentar manter a ponta, coisa que não foi totalmente possível. Após um primeiro tempo morno, de muitos erros de passe e poucas emoções, os Red Devils abriram o placar no segundo tempo, com Dimitar Berbatov, que tabelou com Gibson e mandou para as redes. Foi o 13º gol do búlgaro na Premier League. O Manchester tinha a partida em mãos. Trocava passes, marcava forte e o Birmingham só tinha forças para jogar a bola na área, coisa que nem sempre dava certo. Uma hora deu, e nessa hora, Zigic escorou e Bowyer marcou. Só que o gol foi irregular. O atacante sérvio dos Blues ajeitou a bola com a mão para a finalização de Bowyer. Fora ainda ter havido uma possível falta do próprio Zigic em Ferdinand. Eu não daria, achei que o contato dos dois foi quando o atacante já estava no ar, mas não seria nada de outro mundo ser marcada a falta.

Mas a história que ficará é que o Manchester fica na liderança, mas sem a tranquilidade que a vitória lhe daria. Os Red Devils ocupam a liderança, mas com os mesmos 38 pontos do Manchester City e só vencem nos critérios de desempate. O empate foi lucrativo pro Birmingham, que chega a 19 pontos e deixa a zona de rebaixamento. Os Blues ocupam agora a (ainda incômoda) 16ª colocação.

O Manchester City saiu de Newcastle, no norte da Inglaterra com três pontos e voltou para o noroete inglês, sua casa e conquistou mais três pontos. Hoje os Citizens venceram o Aston Villa com facilidade, 4×0. O destaque do jogo foi “o homem que só vê a sua frente Lionel Messi”, Mário Balotelli. O italiano anotou três gols, sendo dois de pênalti. O quarto gol foi do defensor Lescott. O Manchester City, mesmo tendo sofrido alguns tropeços desnecessários, não desgruda dos líderes e está na segunda colocação, com os mesmos 38 pontos do rival e líder Manchester United. Já os Villans seguem em péssima situação. Estão na 15ª colocação, com 20 pontos e próximos da zona de rebaixamento.

Lennon abriu o placar pros Spurs (Getty Images)

O Tottenham deixou o centro da Inglaterra e migrou para sua ‘terra natal’, em Londres, onde recebeu o Newcastle, que saiu do norte do país, tendo de percorrer cerca de 470 quilômetros pro duelo de hoje. E essa distância foi percorrida em vão pelos Magpies, que perderam de novo – terceira em cinco jogos e segunda consecutiva -, nona na competição. Os gols dos Spurs foram marcados na etapa final, pelo Aaron “Ligeirinho” Lennon e Gareth “Papa-Léguas” Bale, ambos em suas jogadas características, jogadas velozes e finalizações cruzadas.

O Tottenham está no G4, ultrapassaram o Chelsea – são 33 pontos contra 31. O Newcastle segue com sua campanha irregular – 13º lugar, com 22 pontos – e tem de tomar cuidado para não começar a encostar na parte debaixo da tabela.

Agora pulamos pra parte debaixo da tabela, onde o Fulham pegou estrada até Stoke-on-Trent pegar o Stoke e conseguir grande vitória. Com dez minutos de jogo, Baird decidiu, com dois gols, um aos 4 minutos e outro aos 10′. Antes do jogo de hoje, Baird, que joga no Fulham desde 2007, só tinha um gol na Liga e termina com três.

Mas o que importa pros Cottagers é que eles deixam a zona de rebaixamento, chegam a 19 pontos, na 17ª colocação. Vitória que dá um pouco de sustentação ao técnico Mark Hughes. O Stoke segue em sua zona intermediária – 10ª colocação, com 24 pontos – e por lá deve permanecer, vai se firmando cada vez mais na Premier League.

Se o Fulham se deu bem, o mesmo não se pode dizer do West Ham, que tropeçou no Upton Park, diante do Everton, que teve de percorrer cerca de 350 quilômetros para essa partida. Os Toffes deram uma forcinha pros Hammers, com um gol de contra de Hibbert, mas Coleman marcou à favor e fechou no 1×1. O Everton está na 11ª colocação com 22 pontos, enquanto o West Ham permanece na vice-lanterna, com 17 pontos.

Outros Resultados

Sunderland 0x2 Blackpool
WBA 1×3 Blackburn

Amanhã

Arsenal x Wigan
Chelsea x Bolton
Liverpool x Wolves

Esse é o Boxing Day

 

Thanks...

Com um pouquinho de atraso do que o esperado, venho falar da tradicional rodada do Boxing Day na Terra da Rainha. Mas antes de falarmos dos jogos, você tem de conhecer o que significa o Boxing Day.

O Boxing Day é uma espécie de feriado realizado no dia seguinte ao natal. Enquanto as mulheres vão às favas com as compras – no Boxing Day há liquidações monstro nas lojas comerciais, com descontos absurdamente gigantes -, os homens tem como vantagem, acompanhar as rodadas completas no Reino Unido.

Na Inglaterra era pra funcionar assim. Mas você pergunta: “Era? Mas não é mais?”

Bom, os dez jogos da rodada 19 estavam marcados para domingo e segunda – 9 jogos domingo e 1 segunda -, mas “o amigo (da onça) do fã do futebol europeu” atrapalhou. A neve voltou a forçar o adiamento de alguns jogos: Everton x Birmingham e Blackpool x Liverpool. Na que tirasse o prazer de acompanhar o futebol na Inglaterra.

Cole fez dois no Craven Cottage (PA)

Para abrir o Boxing Day tivemos duelo londrino, entre Fulham x West Ham. Os Whites chegaram a sair na frente com Hughes, mas cederam a vitória aos Hammers, graças a sua defesa. Carlton Cole fez dois aproveitando “assistências” da zaga adversária, enquanto Piquionne se aproveitou da zaga mal posicionada para marcar. A atuação do Fulham foi tão desastrosa, que os amigos Matheus Schenk e Marcelo Ksseinsk, componentes do Fulham FC Brasil disseram ser uma das piores atuações do clube que eles viram, mas não é à toa, o Fulham entrou na zona de rebaixamento – 18ª colocação, com 16 pontos – e Mark Hughes balança fortemente. A vitória foi muito importante pro West Ham, que deu sinal de vida e deixa a lanterna, mas ainda está na incômoda 17ª colocação, com 16 pontos.

Uma hora após o término de Fulham x West Ham, mais torcedores de dez times diferentes puderam ver seus times em campo no feriado, foram mais cinco jogos.

Dimitar Berbatov decisivo (Reuters)

Primeiro embarcamos para Manchester, onde o United bateu a boa equipe do Sunderland. O destaque da partida foi novamente Dimitar Berbatov, que anotou dois tentos no jogo do Boxing Day. Anderson também teve boa atuação, sendo inclusive, aplaudido pela torcida do Manchester United, quando deixava o campo para ser substituído. Há quem diga que essa foi uma das melhores atuações do meia brasileiro no futebol inglês. Os Red Devils garantem mais uma rodada na ponta, com 37 pontos – e dois jogos à menos que o vice líder. Já o Sunderland está na 7ª colocação, com 27 pontos e não desgruda das zonas das ligas européias.

No mesmo horário do jogo do United, outra equipe de Manchester jogou, o City, que fora de casa bateu o Newcastle. O ‘infeliz e deprimido’ Tévez foi o grande homem da partida. Deu assistência pro gol de Gareth Barry e ainda fez outros dois. Pros Magpies, Andy Carroll marcou. Os Citizens estão na vice-liderança, com 35 pontos, dois atrás do líder, mas tem dois jogos à menos, fora ainda ter tido tropeços desnecessários, que lhe impedem de liderar. O Newcastle está na 9ª colocação, com 22 pontos.

O Bolton mantém sua bela campanha com mais uma vitória. The Trotters bateram no Reebok Stadium o West Brom. Embora o WBA tenha criado mais e melhores chances de gol, o Bolton foi mais preciso nas finalizações e fez dois gols, com Taylor e Elmander. The Trotters ficam na 6ª colocação, com 29 pontos, posição surpreendente. Já o West Brom segue com sua campanha regular, 12ª colocação, com 22 pontos, mantendo a média, permanece na primeirona.

Van der Vaart mostrando o 'porque' do dinheiro investido (PA)

Fechando o dia, tivemos o único jogo que pude assistir, Aston Villa e Tottenham. Aliás, bom jogo, que começou com muita correria dos dois lados e boas chances de gol. Aos poucos, os Spurs começaram a tomar conta da partida e logo abriram o placar com gol de Van der Vaart. Só que veio uma participação direta da arbitragem – que já havia anulado um gol de Kaboul bem duvidoso (acho que acertaram no lance, cujo a bola teria saído, quando Hutton tocou para o zagueiro completar) deu uma atrapalhada na partida. Após disputa de bola no alto, o árbitro Martin Atkinson viu cotovelada de Defoe em Collins e o expulsou. O atacante dos Spurs nem viu o zagueiro. Acho que fez falta, mas não tentou acertá-lo.

À partir da expulsão, o Tottenham dava campo ao Villa e de certa forma recuou demais. Conseguiu aumentar na etapa final, em rápido contra-ataque armado por Bale e Lennon, com complementação em gol de Van der Vaart, mas seguia recuado, até que veio uma substituição de certa forma, esdruxula. Harry Redknaap tirou Van der Vaart e colocou Crouch. Até aí tudo bem. Ele tirou um homem importante que sofre com muitas lesões, melhor preservar e colocar um atacante, acontece que o gigante atacante entrou como um terceiro zagueiro, ficou entre Dawson e Kaboul. Esse recuo desnecessário deixou com que o Aston Villa permanecesse com sua jogada tradicional na partida, a bola aérea e assim descontou, com Albrighton, que cruzou, ninguém tocou na bola e ela entrou. Os Villans mantinham a pressão, mas não conseguiram o empate. O Tottenham está na 5ª colocação com 30 pontos e torce para que Chelsea e Arsenal fiquem num empate, pra ninguém escapar. Já o Aston Villa está em situação delicada – 15ª colocação, com 20 pontos – e com perspectivas de venda dos principais jogadores na janela de janeiro.

*Outros Resultados

Wolverhampton 1×2 Wigan
Blackburn 0x2 Stoke City

*Hoje

Arsenal x Chelsea – 18h (Horário de Brasília) – Ao Vivo na ESPN, ESPN HD e na RedeTV!

E esse foi o Boxing Day na Inglaterra…

Goleada e liderança

Ronaldo vai jogando as críticas para longe (EFE)

O Real Madrid assumiu a liderança do Campeonato Espanhol. Os Merengues chegaram a 17 pontos, e agora só secam o Villarreal para firmarem a ponta da competição.

O Real Madrid abriu 3×0 para cima do Málaga, com dois gols do criticado Cristiano Ronaldo e um de Higuaín. Os Boquerones conseguiram descontar com Kris, mas Higuaín fez mais um e fechou a conta em 4×1. O Real Madrid teve mais posse de bola (58%42) e muito mais finalizações (20/9), sendo que mostrou eficiencia pouco vista nos outros jogos. Nove chutes foram na direção do gol, se levar em conta que o Madrid fez quatro… Foi bom. O Real Madrid tem 17 pontos e lidera, mas seca o Villarreal, que tem 15 pontos e segunda jogará fora contra o Hércules. Caso vença, o Submarino Amarelo assume a ponta da Liga. Com 7 pontos, o Málaga é o 12º.

Barça vence na raça de Puyol (AP)

O Barcelona passou sufoco. Encarou a boa equipe do Valencia no Camp Nou, e a vitória só veio de virada. Mesmo fora de casa, os Ches abriram o placar: Após passe errado de Iniesta no meio-campo, Mathieu chegou à linha de fundo e tocou para Pablo Hernandez marcar. Na etapa final, Xavi (que andou ficando de fora por alguns jogos, pois estava no limite de sua forma física e dizia precisar de um descanso) decidiu. Ele deu passe perfeito para a conclusão de Iniesta, depois, cruzou (ou colocou a bola) na cabeça de Puyol, que virou o jogo. O Valencia equilibrou bem o jogo. O Barcelona tem costume de ter posse de bola monstruosa, hoje não teve (54%45), o Valencia finalizou em número menor, mas equivalente ao Barça (11/8) e obrigou Victor Valdés trabalhar 5 vezes, contra 8 de César. O Barcelona está na segunda colocação, com 16 pontos, mesmo número de pontos do Valencia, mas no confronto direto, dá Barça.

– O Atlético de Madrid conquistou grande vitória no confronto madrileño contra o Getafe. O primeiro gol saiu na base da sorte, já que a falta cobrada por Simão bateu nas costas do goleiro Codina e entrou. Na etapa final, o brasileiro Diego Costa fechou a conta. Nas estatísticas, essa vitória foi mentirosa. O Getafe teve mais posse de bola (53%46), mais finalizações (15/11), mais chutes na direção do gol (8/6) e o goleiro De Gea teve de fazer 11 intervenções, contra 4 de Codina. O Atlético está na 5ª colocação com 13 pontos, enquanto o Getafe é o 7º com 10 pontos.

TROPEÇO(S)

Chelsea mantém a ponta

O Chelsea não repetiu a grande atuação da última rodada e jogando no Villa Park, os Blues ficaram no empate sem gols contra o Aston Villa. Na primeira etapa, as grandes oportunidades foram do Villa, mas faltou competência. Na etapa final, o jogo deu uma esfriada, mas a maioria das chances foram do Chelsea, só que as mais perigosas continuaram sendo dos donos da casa. O Chelsea ainda lidera, com 19 pontos, enquanto o Aston Villa é o 8º com 11 pontos.

ÊÊÊÊ Van der Sar!!!!

Decepção no Old Trafford! Após abrir 2×0 para cima do West Bromwich, o Manchester United cedeu o empate, com frango de Edwin Van der Sar. O 2×0 veio rapidamente. Chicharito, aproveitando rebote de Carson e Nani, após tabela com Berbatov. Impressão de placar resolvido, mas em duas bobeiras, o WBA empatou. Em cobrança de falta despretensiosa, Evrá acabou marcando contra, e após cruzamento da esquerda, Van der Sar foi segurar a bola e acabou deixando ela bater em seu rosto e sobrar para Tchoyi empatar. É a segunda vez que o West Brom surpreende um grande fora de casa. Primeiro foi o Arsenal, numa vitória por 3×2, agora o Manchester, neste empate surpreendente. Os Red Devils estão na 3ª colocação com 14 pontos e o WBA é o 6º com 12 pontos.

– Quem gostou desse tropeço do United foi o Arsenal. Os Gunners venceram o Birmingham de virada. The Blues abriram o placar com o gigante Zigic, mas com gols de Nasri, de pênalti e Chamakh, o Arsenal virou. O time londrino tem os mesmo 14 pontos do Manchester, mas vence nos critérios de desempate. O Birmingham é o 16º com 7 pontos e não consegue repetir a boa campanha da temporada passada.

– Quem também venceu de virada foi o Tottenham. Os Spurs saíram atrás contra o Fulham, com gol de Kamara, mas Pavlyuchenko e Huddlestone viraram para o Tottenham, que é uma das quatro equipes com 14 pontos, está na 5ª colocação. O Fulham é o 11º com 9 pontos.

Demais Resultados

Bolton 2×1 Stoke
Gols: Lee, Klasnic [BOL] e Delap [STO]

Newcastle 2×2 Wigan
Gols: Ameobi, Coloccini [NEW] e N’Zogbia (duas vezes) [WIG]

Wolverhampton 1×1 West Ham
Gols: Jarvis [WOL] e Noble [WHU]

Kickoff! Will start to Premier League

Campeonato Inglês

O melhor campeonato nacional vai ter seu início. A Premier League vem prometendo para esta temporada, com Manchester United e Chelsea como grandes favoritos, com Arsenal tentando entrar no meio da briga, com Liverpool tentando se reorganizar com Roy Hodgson, o Manchester City apostando alto com sua grana e com a volta do poderoso Newcastle. Começamos falando dos atuais campeões.

Chelsea

O Chelsea vem pouco mexido em relação a temporada passada. Os Blues só deram uma pequena renovada em seu meio-campo. Michael Ballack e Deco, que não são mais garotos, deixaram a equipe. Ambos estão de volta aos seus países natal. O primeiro jogará a Bundesliga pelo Bayer Leverkusen, o segundo jogará o Brasileirão pelo Fluminense, clube onde também jogará o lateral/volante Belletti, que também estava no Chelsea. Joe Cole não fez uma de suas grandes temporadas, e por isso, após o termino de seu contrato, ele acabou deixando o clube e acertando com o Liverpool. Quem também deixou a equipe foi o português Ricardo Carvalho. Ele irá trabalhar com o compatriota José Mourinho, no Real Madrid. Falando nos Reds, de lá veio Yossi Benayoun, contratação que sinceramente, não me agradou muito. Do Twente, veio o garoto sérvio Slobodan Rajkovic. Porém, a melhor contratação é um jogador brasileiro. Ramires agradou os dirigentes londrinos com seu bom futebol no Benfica, e por que não na Copa, onde nos poucos jogos que fez foi muito bem? O brazuka chega para formar uma baita dupla de volantes com Essien. E pensar que esse cara até dia desses estava jogando no Joinville, aqui em Santa Catarina. Me lembro dele jogando a Copa Santa Catarina, agora jogará o Campeonato Inglês. Baita evolução. Eu espero um Chelsea do mesmo jeito do ano passado. Talvés não com aquele tanto de gols que fez na temporada anterior, mas jogando ofensivamente e vencendo jogos sim, eu espero.

Meu time do Chelsea: Cech; Ivanovic, Terry, Alex e Cole; Essien, Ramires e Lampard; Anelka, Malouda e Drogba

Quem Chega: Rajkovic (Twente), Benayoun (Liverpool), Ramires (Benfica)
Quem Sai: Belletti e Deco (Fluminense), Ballack (Bayer Leverkusen), Joe Cole (Liverpool), Stoch (Fenerbahçe), Bertrand (Nottingham Forest), Ricardo Carvalho (Real Madrid), Sinclair (Swansea), Kalas (Sigma), Taylor (Crewe), Cork (Burnley)
Objetivo: Ser bi-campeão inglês
Primeiro Adversário: O “time iô-iô” do West Bromwich
Principal Jogador: Drogba
Aposta: O estouro de Dani Sturridge
Treinador: Carlo Ancelotti

Manchester United

O Manchester United quer voltar a ter sua hegemonia. Após o tri-campeonato, vieram em seguida a saída de Cristiano Ronaldo e a perda da Premier League pro Chelsea. Mas para tentar bater os Blues, os Red Devils se mexeram pouco. O goleiro Ben Foster foi respirar novos ares em Birmingham e substituirá Joe Hart no Birmingham City. Duas apostas deixaram o clube. Tosic foi vendido ao CSKA Moscow e Mame Diouf foi emprestado do Blackburn. A vinda de mais destaque foi do mexicano Chicharito Hernandéz. Aposta interessante, dificilmente clubes ingleses apostam em jogadores latino-americanos. Há muita badalação em cima do garoto, mas o pouco que o vi jogar me dão a impressão de que a badalação faz sentido. O desconhecido Bebê, de 20 anos veio do Vitória de Guimarães. O United apostou em muitos garotos e de 20 anos, vem Chris Smalling, bom zagueiro, que estava no Fulham. Alex Ferguson tem um bom time em mãos e a julgar a também a pouco mexida equipe do Chelsea, o Manchester é um dos grades favoritos aos título com a equipe de Londres, mas entre essas duas equipes é dificil dizer quem é melhor.

Meu time do Man. Utd: Van der Sar; Rafael, Ferdinand, Vidic e Evrá; Carrick, Fletcher e Scholes; Giggs (Valencia), Nani e Rooney

Quem Chega: Smalling (Fulham), Hernandez (Chivas Guadalajara), Bebê (Vitória de Guimarães)
Quem Sai: Foster (Birmingham), Tosic (CSKA Moscow), Heaton e Drinkwater (Cardiff), Gray e James (Preston), Catchcart (Blackpool), Diouf (Blackburn)
Objetivo: Desbancar o Chelsea e voltar ao posto de campeão inglês
Primeiro Adversário: Duelo contra o tradicional Newcastle
Principal Jogador: Wayne Rooney
Aposta: Javier “Chicharito” Hernandez
Treinador: Alex Ferguson

Arsenal

É mais uma temporada onde os garotos do Arsenal tentarão se reencaixar no grupo dos “Super Gigantes”. E para essa temporada, os Gunners contam como principal reforço o marroquino Marouane Chamakh, que defendia o Girondins de Bordeaux. Belo reforço, ainda mais porque Robin Van Persie vive machucado e talvés até seja uma melhor opção pelos lados ou até como um meia. Para reforçar a zaga, chega Koscielny, bom zagueiro que estava no Lorient. O Arsenal tenta repetir a temporada passada, onde apostou no desconhecido Vermaelen e se deu bem. Quem também chega é o garoto brasileiro Wellington Silva, que estava no Fluminense, porém, acho que ele só deverá jogar nas copas. Nessa janela, o Arsenal se livrou de “algumas tralhas”. Eduardo da Silva, que pouco fez, só ganhou o consolo do mundo inteiro devido a sua grave lesão, mas não fará falta. O meu chará se transferiu pro Shakhtar. O brasileiro Pedro Botelho voltou a ser emprestado, dessa vez pro Cartagena. Os veteranos Silvestre e Gallas tiveram seus contratos encerrados e por enquanto estão sem clube. Senderos foi para o Fulham. A perda que fará falta é o promissor Fran Mérida, que queria jogar em seu país natal e por seu clube de coração e acabou se transferindo pro Atlético de Madrid. Sol Campbell se transferiu pro Newcastle. Arsene Wenger terá o mesmo trabalho das outras temporadas. Não montar simplesmente “um bom time, que joga bonito e encanta a todos”, mas fazer com que esses garotos se tornem vencedores e decisivos.

Meu time do Arsenal: Almunia; Sagna, Vermaelen, Koscielny e Clichy; Denilson, Song e Fábregas; Van Persie, Arshavin e Chamakh

Quem Chega: Wellington Silva (Fluminense), Chamakh (Bordeaux), Koscielny (Lorient)
Quem Sai: Mérida (Atlético de Madrid), Pedro Botelho (Cartagena), Eduardo (Shakhtar Donetsk), Campbell (Newcastle), Gilbert, Silvestre e Gallas (Sem clube), Coquelin (Lorient), Senderos (Fulham), Watt (Leeds United)
Objetivo: Surpreender e chegar ao título
Primeiro Adversário: Clássico contra o Liverpool em Anfield
Principal Jogador: Fábregas
Aposta: No amadurecimento de Carlos Vela
Treinador: Arsene Wenger

Liverpool

Após uma temporada muito ruim, o Liverpool tenta se reconstruir nessa nova temporada e para isso, sai Rafael Benítez e chega Roy Hodgson, treinador vice-campeão da Europa League com o Fulham. Dos jogadores que deixaram a equipe, “duas tralhas” foram embora. Riera foi pro Olympiakos e Degen pro Stuttgart, mas ambos não vão deixar falta alguma. Benayoun virou a casaca e se transferiu pro Chelsea. Mascherano está próximo de deixar a equipe. A principal contratação dos Reds veio do Chelsea, Joe Cole, belo reforço. Contratado desde o início do ano, Jovanovic se juntou a equipe agora e jogará essa temporada pelo Liverpool. Poulsen, que estava na Juventus chega também, mas dessa contratação eu não gostei. Poulsen é o famoso “butinudu” ou “Mascherano sem grife”, não gosto dos dois. Wilson, ex-Rangers e Shelvey, ex-Charlton também chegam para reforçar a equipe. Não sei muito o que esperar do Liverpool. A sua “espinha dorsal” nem sempre está em campo. Gerrard não anda jogando o que pode e Fernando Torres vive no estaleiro. Roy Hodgson pode ter papel importante. Ele fez o time do Fulham chegar a final da Liga Europa e quem sabe possa fazer esse time do Liverpool jogar sem Gerrard e Torres.

Meu time do Liverpool: Reina; Johnson, Carragher, Agger e Fábio Aurélio; Lucas, Gerrard, Aquilani e Maxi Rodriguez; Kuyt e Torres

Quem Chega: Danny Wilson (Rangers), Cole (Chelsea), Németh (AEK), Shelvey (Charlton), Jovanovic (Standard Liège), Itandje (Kavala), Simon (Córdoba), Poulsen (Juventus)
Quem Sai: Mihailov (Twente), Riera (Olympiacos), Martin (Dons), Threlfall (Bradford), Benayoun (Chelsea), Degen (Stuttgart)
Objetivo: Voltar a Champions League
Primeiro Adversário: Clássico em casa contra o Arsenal
Principal Jogador: Steven Gerrard
Aposta: Pacheco, que se destacou pela Espanha na Euro Sub 19
Treinador: Roy Hodgson

Manchester City

Querendo entrar no bloco dos grandes ingleses, o Manchester City investiu alto e aposta em uma vaga na Champions League. Do futebol espanhol, vieram dois jogadores: David Silva (Valencia) e Yaya Touré (Barcelona), da Alemanha, Jerome Boateng (Hamburgo) e do futebol italiano, Kolarov (Lazio). Os brasileiros Jô e Robinho estão de volta de empréstimo, mas ou serão reservas ou negociados, assim como o equatoriano Caicedo. Essa é mais de última hora, Balotelli foi contratado. Para desinchar um pouco o elenco, muita gente saiu. Mwarwari e Sylvinho estão sem clube, Bojinov retornou ao Parma, Petrov foi pro Bolton, Garrido pra Lazio e por aí vai. O técnico Roberto Mancini não vai poder reclamar de falta de jogadores. Tem em suas mãos, um time de grande qualidade que para mim, estará brigando com Liverpool, Arsenal e Tottenham pelo posto de “3º time inglês”, o City deu uma boa ajeitada em seu elenco.

Meu time do Manchester City: Given; Richards, K. Touré, Kompany e Kolarov; Barry, Vieira, Y. Touré e David Silva; Tévez e Adebayor

Quem Chega:  Kolarov (Roma), Yaya Touré (Barcelona), David Silva (Valencia), Boateng (Hamburgo), Caicedo (Málaga), Jô (Galatasaray), Robinho (Santos), Balotelli (Internazionale)
Quem Sai: Bojinov (Parma), Petrov (Bolton), Mwarwari e Sylvinho (Sem Clube), Marshall (Walsall), Garrido (Lazio), Clayton (Leeds), Ball (Swindon), Onuoha (Sunderland), Tutte (Rochdale)
Objetivo: Chegar a Champions League
Primeiro Adversário: Provável confronto de seis pontos com o Tottenham, jogo de abertura da temporada
Principal Jogador: Tévez
Aposta: O alemão polivalente, Jerome Boateng
Treinador: Roberto Mancini

Tottenham Hotspur

O Tottenham não quer pegar o bonde e saltar no meio do caminho, para isso, quer se consolidar como uma potência inglesa e voltar a Liga dos Campeões. Para isso, a equipe pouco se mexeu. O único reforço mesmo é o volante do Internacional, Sandro. Giovani dos Santos volta de empréstimo, mas não sei se será essa a temporada que ele explodirá. Em compensação, ninguém do time principal deixou a equipe, somente jogadores que pouco jogavam. Harry Redknapp tem a seu favor o mantimento da base do Tottenham. Tem um time bom e que perdeu aquela fama de “grande contra os pequenos e pequeno contra os grandes”. Pode não ter ganho todos os jogos contra os grandes, mas deu muito trabalho e deverá ser assim de novo esta temporada. Um time entrosado, a base não foi mexida e o competente treinador permanece, a sequencia de trabalho pode dar resultado.

Meu time do Tottenham: Gomes; Hutton, Dawson, King e Corluka; Palacios, Huddlestone, Lennon e Bale; Pavlyuchenko e Defoe

Quem chega: Dos Santos (Galatasarsay), Sandro (Internacional)
Quem sai: Gudjohnsen (Mônaco), Walker (Karriereende), Cox (Barnet), Dervite (Villarreal), Taarabt (QPR), Janson (Northampton, Button (Plymouth), Bostock (Hull)
Objetivo: Se consolidar como time forte, continuando a disputar a Liga dos Campeões
Primeiro Adversário: Manchester City, na abertura do Campeonato Inglês
Principal Jogador: Gareth Bale (É mais por opinião, o Tottenham tem mais conjunto e poucos destaques individuais)
Aposta: Rose
Treinador: Harry Redknapp

Outros Destaques

*O Stoke City se reforçou com o bom atacante Jones, que estava no Sunderland

*O Wolverhampton permaneceu na “primeirona” e trouxe os bons Hunt, ex-Hull e Fletcher, ex-Burnley. Ambos haviam sido rebaixados com seus times anteriores

*Além de Sol Campbell, o Newcastle trouxe o garoto Dan Gosling, que estava no Everton e fez história no clube por um gol contra o Liverpool, numa prorrogação de FA Cup

*Para substituir Smalling, o Fulham tirou do Arsenal, Senderos, porém, perdeu Nevland pro Viking FK

*Não custa lembrar, Martin O’Neill pediu o boné e não treina mais o Aston Villa

*Pra não passar o sufoco da temporada passada, o West Ham trouxe Piquionne, que se destacou no Portsmouth, o volante da seleção alemã, Hitzlsperger, que estava na Lazio, Barrera do Pumas e o rodado Ben Haim, ex-Chelsea e Manchester City, ele estava junto com Piquionne no Pompey. Em compensação, Ilan, que foi decisivo na temporada passada, não teve seu contrato renovado

*O Everton trouxe Mucha, bom goleiro, que jogou a Copa pela Eslovênia e ainda trouxe Jermaine Beckford, artilheiro pelo Leeds United

*O Sunderland vai receber por empréstimo dos Manchester’s City e United Onuoha e Welbeck respectivamente. O Galatasaray tirou do Sunderland Lorik Cana

*O Birmingham trouxe pro lugar de Hart, o goleiro Ben Foster. O grandão Zigic também foi contratado

Primeira rodada

Sábado

8h45 
Tottenham x Manchester City – White Hart Lane

11h
Aston Villa x West Ham – Villa Park
Blackburn x Everton – Ewood Park
Bolton x Fulham – Reebok Stadium
Sunderland x Birmingham – Stadium Of Light
Wigan x Blackpool – DW Stadium
Wolverhampton x Stoke – Molineux

13h30

Chelsea x West Brom – Stanford Bridge

Domingo

12h 
Liverpool x Arsenal – Anfield

Segunda-Feira

16h 
Manchester United x Newcastle – Old Trafford