Um clássico e vários problemas

A temporada alemã foi oficialmente aberta no último sábado. Schalke 04 e Borussia Dortmund disputaram na Veltins Arena em Gelsenkirchen o título da Supercopa da Alemanha. O vencedor foi o time dono da casa. Após 0x0 no tempo normal, a estrela do jovem goleiro Fährmann, que já brilhara ativamente durante os 90 minutos de bola rolando, brilhou ainda mais na disputa de penalidades, dando o título ao Schalke.

Assistindo ao jogo, foram vistos por este blogueiro alguns problemas nas duas equipes. Aliás, não podemos dizer que são novos problemas. Essas deficiências nos 11 iniciais de Schalke e Borussia são visíveis desde a temporada anterior.

Começamos com os atuais campeões da Bundesliga e vice da Supercopa, o Borussia Dortmund. Assim como na vitoriosa temporada 2010/11, os aurinegros controlam o jogo com extrema facilidade, mas gostam de perder uma montoeira de gols. Tá certo que ontem Fährmann estava em dia inspirado, mas muitas de suas defesas foram feitas em chutes que foram em cima de seu corpo.

Fährmann foi muito bem... mas os atacantes "ajudaram" (Getty Images)

Também não dá pra dizer que Lucas Barrios fez uma falta monstruosa pro BVB. Quem acompanhou a última temporada alemã, sabe que o paraguaio gostava de perder uns golzinhos também.

O Dortmund precisa mesmo é calibrar as finalizações. Segundo o site da Bundesliga, o BVB finalizou 24 vezes, contra somente 9 do Schalke. É muita coisa! Aliás, é até muito ruim dar mais de vinte chutes e não anotar nenhum gol.

Pra corrigir esse problema, além de muito treinamento pros garotos Götze, Kagawa – que é mais um passador do que um finalizador – e Grosskreutz, o BVB precisa de um reserva melhor para Barrios. Tá certo que Lewandowski é jovem e tem muito a evoluir, mas ele não inspira muita confiança. É aquele típico centro-avante alto, que se atrapalha com a bola, tem certa técnica e adora perder um gol.

Já o grande problema do Schalke está na coletividade. A zaga não se acerta, o meio campo é, digamos, “insonso” e por consequência, o ataque nem participa do jogo.

Na partida de ontem, tivemos muitos lances que a zaga azul real se posicionava mal, e até mesmo no mano-a-mano com o rival, tomava atitudes erradas.

Holtby participou pouco do jogo

No meio campo, o grande problema está na enorme variação de esquemas, que acaba deixando os jogadores um tanto quanto confusos e pouco participativos. No início, o Schalke estava no 4-2-3-1 (com Matip e Holtby; Baumjohann, Raúl e Draxler), mas houve horas que partia para um 4-1-3-2 (com Matip; Baumjohann, Holtby e Draxler). Aliás, Raúl atuou boa parte do jogo na linha de meio campo, chegando a fazer o Schalke jogar num 4-1-4-1, com o espanhol na mesma linha de Baumjohann, Holtby e Draxler.

Claramente faltava um armador para o Schalke. Pela direita, Baumjohann apanhou bastante e deu sequência a poucas jogadas. Já pela esquerda, Draxler pouco tocou na bola e não ajudou Füchs que apoiava por seu setor. Jurado entrou na etapa final, mas o problema permaneceu. Faltava aparecer mais o garoto Lewis Holtby para armar o jogo, mas aí vem o problema do esquema. O novo camisa 10 azul real estava jogando praticamente de volante, então suas chegadas ao ataque não eram tão constantes e eram mais pra auxiliar do que pra armar.

Aliás, essa é uma mania de botar um meia como segundo volante é característica do técnico Ralf Rangnick. Jurado fez essa função na temporada passada, mas o espanhol pelo menos participava constantemente do jogo ofensivo. Holtby não fez isso e não sei se ele sabe fazer isso. O melhor esquema para contar com o garoto em campo seria um 4-3-1-2 (4-1-2-1-2), pois aí sim ele teria campo pra trafegar e armar o jogo.

Se Barrios não fez tanta falta assim pro Borussia Dortmund, o mesmo não posso dizer de Farfán. É claro que o paraguaio é mais jogador que o peruano, mas o meio campista azul real era o motorzinho do time. Era Farfán quem conduzia o time pro ataque, sendo sempre o homem que imprimia velocidade a equipe. O peruano disputaria a Copa América, mas lesionado ficou de fora.

O alento pras duas equipes é que mesmo nessa listinha de problemas, podemos tirar alguns pontos positivos.

Löwe substituiu muito bem Marcel Schmelzer (Getty Images)

No Borussia Dortmund, começo com os bons substitutos que o time arranjou. O desconhecido Chris Löwe, que jogava no Chemnitzer, da terceira divisão alemã, desde a Liga Total Cup na última semana, substituiu muito bem o lesionado lateral-esquerdo Marcel Schmelzer. Me chama a atenção em Löwe sua vigorosidade, tanto na defesa quanto no ataque. O problema é ele ser reserva de Schmelzer, que na última temporada atuou em todos os jogos do Dortmund.

Artilheiro do último Campeonato Belga, Ivan Perisic aparece como uma boa aposta do Borussia Dortmund. Habilidoso, veloz e de bom chute. Essas foram as impressões que tive do meia-atacante croata.

Ilkay Gundogan, outro contratado, veio com a dura missão de substituir Nuri Sahin e se depender só do jogo de ontem, vai ter êxito nesse desafio. Organizou bem o meio campo borussiano e suas subidas ao ataque não eram em vão, todos os seus avanços resultavam em alguma possibilidade boa de gol.

Agora, Fährmann que se cuide: virão centenas de comparações com Neuer (Dpa)

No Schalke, a “única” coisa boa foi Ralf Fährmann. Substituto de Manuel Neuer, o goleiro de 22 anos começou no Schalke melhor do que Manu no Bayern. Enquanto Fährmann segurou o 0x0 no tempo normal e catou pênaltis decisivos nas disputas de penais, dando o tíulo da Supercopa pro Schalke, Neuer é hostilizado pelos Ultras do Bayern e tem falhado nos amistosos do time bávaro.

Desde o início, achava uma boa opção o jovem Fährmann. Se o Frankfurt foi rebaixado na última temporada, não foi por culpa dele, que assumiu a titularidade na reta final da temporada e conseguiu se destacar.

Só um acréscimo sobre Fährmann: ele adora catar um pênalti contra o Borussia Dortmund. Na última rodada da temporada 2010/11, ele pegou dois pênaltis, um cobrado por Barrios e outro cobrado por Dede. Aliás, sobre o pênalti do brasileiro, ele tinha obrigação moral de deixar a bola entrar, pois era o último jogo de Dede com a camisa do BVB e o Frankfurt já estava praticamente rebaixado (falou o borussiano que vos tecla).

Mas se por acaso Jurgen Klopp e Ralf Rangnick vierem a ler esse post, fica a dica pra eles do que corrigir até o dia 5, quando o Dortmund abre a Bundesliga diante do Hamburgo e o dia 6, quando o Schalke pega o Stuttgart.

Pintou o campeão

"Mainz" uma vítima na Bundesliga (AFP)

É claro que o título é só uma brincadeira. Eu sou daqueles que acho que em pontos corridos, não se pode ficar dizendo que time A ou B é campeão faltando muitas rodadas, mas o fato é que o Mainz 05 está avassalador e neste sábado, bateu o Hoffenheim e chega a sua sétima vitória em sete jogos, na liderança isolada da Bundesliga.

O jogo começou movimentado e com dois minutos, Szalai foi lançado entre os zagueiros e tocou para Allagui marcar. O Hoffenheim começou a trocar mais passes e a chegar ao campo de ataque, porém, o jogo estava aberto e as chances eram dos dois lados. Só que um brasileiro chamou a “responsa”. Luís Gustavo carregou a bola e deixou Ba em ótimas condições, aí ele não perdoou. Repetição da fita. Logo aos 2 minutos da segunda etapa, Szalai recebeu entre os zagueiros, mas não tocou para o companheiro e sim pro fundo das redes. O terceiro gol veio com Holtby, que pela esquerda fez belo lance e finalizou, a bola bateu em Luís Gustavo e entrou. O Hoffenheim chegou a descontar com Sigurdsson de falta, mas de pênalti, Schürrle fechou a conta em 4×2. O Mainz é a sensação da Alemanha, lembra a Seleção nacional na Copa do Mundo, time que mescla jovens e experientes e vai chamando a atenção de todos. O time de Schürrle, Holtby, Allagui e cia é líder da Bundesliga, com 21 pontos, sete à mais que o vice-líder Borussia Dortmund, que ainda não jogou. O Hoffenheim está na 5ª colocação, com 11 pontos.

Amanhã, Stuttgart x Eintracht Frankfurt, Bayer Leverkusen x Werder Bremen, Borussia Dortmund x Bayern fecham a rodada da Bundesliga.

>>Veja os gols de Mainz x Hoffenheim no canal de vídeos do Europa Football

Demais Resultados

Freiburg 3×2 Colônia
Gols: Rosenthal (duas vezes), Cissé [FRE], Mohamad e Matuschyk [COL]

Hamburgo 2×1 Kaiserslautern
Gols: Kacar e Moting [HAM], Lakic [KAI]

Monchengladbach 1×1 Wolfsburg
Gols: Marx [MON] e Kahlenberg [WOL]

Nüremberg 2×1 Schalke
Gols: Frantz, Wolf ]NUR\ e Huntelaar ]SCH\

Alguém segura o Mainz?

Holtby é cria do Schalke. Olha onde tá o Mainz e onde tá o Schalke... (Reuters)

Será que alguém consegue parar o Mainz 05? Hoje foi iniciada a 5ª rodada com três jogos e os Die Nullfünfer venceram o Colônia. Foi a quinta vitória em cinco jogos.

Após um jogo muito truncado, onde o Mainz teve dificuldades para furar o ferrolho do Colônia, até que Thomas Tuchel preferiu tirar de campo, um de seus grandes destaques, Schürrle e colocar Lewis Holtby. Quem diria que o garoto decidiria? Com um gol de cabeça e outro aproveitando rápido contra-ataque, o garoto que completou 20 anos no último sábado fez os dois gols que deram a vitória ao Mainz. Nas estatísticas, o Colônia mostra como joga: Sem a bola. No sábado, contra o Bayern o time teve mísera posse de bola, hoje a posse só subiu quando perdia por 1×0. Nas finalizações, o Mainz arrematou 20 vezes. O Mainz chega a 100% de aproveitamento, líder isolado da Bundesliga, com cinco pontos de vantagem para o Hoffenheim, e no sábado, o popular “jogão”. Bayern x Mainz, na Alianz Arena. Com 4 pontos, o Colônia é o 11º.

Müller foi decisivo (AP)

O Bayern não jogou bem. Jogou pro gasto, mas foi o suficiente para bater o então invicto Hoffenheim. O jogo começou movimentado, já que com menos de um minuto, Ibisevic recebeu na cara de Butt e não perdoou. O Bayern foi para cima, mas tinha dificuldades. Müller e Schweinsteiger estavam sumidos, enquanto Ribéry era bem marcado. Porém, havia um buraco na defesa bávara, o lado esquerdo, de Contento e Badstuber. Por lá, o Hoffenheim perdeu a chance de matar o jogo. Na etapa final, Van Gaal tentou tapar o buraco, trocando Contento por Pranjic, além de colocar mais um atacante, Olic no lugar de Kroos. O Hoffenheim, que já havia entrado com um esquema mais conservador (o time acostumado com o 4-3-3, entrou no 4-4-2, com Mlapa no banco) recuou muito e não conseguia sair pro jogo. Caso chegasse aos 30 minutos, o Bayern bateria seu recorde negativo de tempo sem marcar gols na Bundesliga  (o último gol havia sido de Schweinsteiger, aos 47 minutos do segundo tempo, contra o Wolfsburg na primeira rodada), mas aos 28 minutos, Ribéry chamou a “responsa”, cortou pro meio, finalizou, Haas espalmou e na sobra, Müller empatou. Na finalização, Ribéry se chocou com Beck e torceu o tornozelo, saiu contundido. O Hoffenheim parecia ter se contentado com o empate, se fechou e nos acréscimos foi penalizado, com o gol de Van Buyten. O jogo foi equilibrado, mas eu esperava mais dessa partida. O Bayern é o 7º colocado com 8 pontos e o Hannover ainda é o vice-líder com 10 pontos.

Quem segue em má fase é o Werder Bremen, que caiu diante do Hannover. Derrota por 4×1. O Hannover é o 3º e o Bremen é o 12º

REAL ABRE A RODADA VENCENDO

Mesmo criticado, Ronaldo marcou (Reuters)

Com uma arbitragem confusa (para não dizer comprometedora), o Real Madrid derrotou o Espanyol no Santiago Bernabéu. Não pude assistir ao jogo, mas pelo que li, foi um 3×0 enganoso.

O primeiro gol surgiu de um erro de arbitragem. Cristiano Ronaldo cobrou falta, a bola bateu no braço de alguém na barreira, sem a mínima intenção e o pênalti foi marcado. O português cobrou e abriu o placar. Forlín e Galán no Espanyol e Pepe no Real Madrid foram expulsos, dizem as más línguas que a expulsão de Galán foi equivocada. No fim do jogo, Higuaín e Benzema fecharam a conta em 3×0. Após o jogo, José Mourinho soltou mais uma (no sábado passado, ele disse que o Real não merecia ter vencido), dessa vez, ele foi mais profundo: “É difícil jogar num campo de plantação de batatas”. Pois é, o Santiago Bernabéu tá feio no quesito gramado. Os jogadores do Espanyol reclamaram da expulsão de Galán, segundo eles, está havendo uma proteção aos craques. O treinador Pochettino, do Espanyol, pediu imparcialidade e respeito para os árbitros.

Ainda nesta terça, o Osasuna meteu 3×1 na Real Sociedad e o Athletic venceu o Mallorca por 3×0.