Os centroavantes do Bayern

Quem dera que Mario Gomez fosse reserva no Bayern, pura e simplesmente, pelos gols em profusão de Mario Mandžukić. Se Super Mario receber mais minutos, não duvido que bata o recorde do atual titular. Porém, o croata, como cheguei a dizer meses atrás, tem muito mais mobilidade e tira a previsibilidade que o time tem com Mario Gomez.

Normalmente, Mandžukić invertia seu posicionamento com Thomas Müller, mas notei nos jogos recentes que esse “troca-troca” é constante em todos os setores do ataque. Exceto Ribéry, que fica mais preso na esquerda – embora também apareça algumas vezes pelo centro – todos os homens de frente participam dessa rotação ofensiva. Em um mesmo jogo, os bávaros ficam com, pelo menos, três centroavantes diferentes, além das trocas na armação de jogadas.

Capturei algumas imagens do primeiro tempo de Wolfsburg x Bayern, duelo vencido pelos bávaros por 2×0, para demonstrar essa movimentação:

Com dois minutos, Mandzukic deixa a área para as entradas de Kroos e Müller

Com dois minutos, Mandzukic deixa a área para as entradas de Kroos e Müller

Nesse lance, o desenho em campo já coloca Mandzukic avançado

Nesse lance, o desenho em campo já coloca Mandzukic avançado

Menos de um minuto depois, Müller já está no ataque

Menos de um minuto depois, Müller já está no ataque

Observe esta jogada: note como Kroos, Müller e Mandžukić começam em uma posição e rapidamente conseguem mudar a formatação ofensiva.

A jogada começa com Kroos pelo centro e Müller na direita

A jogada começa com Kroos pelo centro e Müller na direita

Logo, Mandzukic avança e Kroos entende o recado

Logo, Mandzukic recua e Kroos entende o recado

No final da jogada, Kroos já era o centroavante

No final da jogada, Kroos já era o centroavante com Müller centralizado

Note também que, na saída de bola, o Bayern geralmente forma um triângulo, com o homem da bola centralizado e outros dois pelos lados para auxiliar. Normalmente, Bastian Schweinsteiger fica mais recuado para organizar essa saída.

Schweini começou o lance de trás

Schweini começou o lance de trás

É por essas e outras que Mario Gomez e até mesmo Robben não retornam ao time titular. São jogadores mais fixos e previsíveis e que só atrapalham a movimentação armada por Jupp Heynckes.

Verdades e mentiras sobre Guardiola no Bayern

Guardiola treinará o Bayern até 2016(Foto: Getty Images)

Guardiola treinará o Bayern até 2016
(Foto: Getty Images)

Não era para chocar, mas muita gente ficou perplexa com o Bayern de Munique anunciando a contratação de Josep Guardiola para a próxima temporada, como se o clube bávaro ficasse fora do grande centro futebolístico, com instalações fétidas e que não tivesse dinheiro nem para comprar aquele chiclete que é usado como troco no bar da esquina. Além disso, a imprensa italiana – não me questione, não entendi também – já bancava a informação dias atrás.

Feito o anúncio oficial, vi, li e ouvi diversas coisas sobre o tema. Algumas coisas tinham sentido, outras nem tanto, porém, com algum valor, mas encontrei outras tantas análises de pessoas que tem seu corpo presente no século XXI, mas a mente parece estar na idade da pedra.

Por essas outras, tentarei colocar os pingos nos “is” e esclarecer ou confirmar alguns tópicos erguidos durante o dia.

→ Sempre acreditei na informação: MENTIRA!

Nunca botei fé nessa negociação, admito na cara dura. A “SKY Italia” bancou essa história desde o início, mas eu segui relutante. Mas convenhamos uma TV italiana confirmando a negociação de um técnico espanhol com um clube alemão é bem suspeito. Qual era a chance daquilo tudo ser real? Se era pequena ou grande não sabemos, o fato é que ela se concretizou.

Aproveito este tópico para desculpar-me com quem se sentiu ofendido comigo quando disse que estavam crendo em uma “lorota”. Não era minha intenção, caso tenha mesmo ofendido, mas, em nenhum momento, acreditei nessa história.

→ Sacanagem com Jupp Heynckes: MENTIRA!

O Bayern foi completamente ético com o atual treinador do time, Jupp Heynckes. Todos os dirigentes foram muito claros quando houve o acerto com Guardiola: Heynckes pôde decidir seu futuro, se queria renovar seu contrato ou não, dependia apenas dele. Segundo a imprensa alemã, o veterano comandante tomou sua decisão antes do natal e já considerava real a aposentadoria.

Jupp Heynckes terá um final digno e o Bayern tratou a situação com maior dignidade possível.

→ Guardiola e Bayern têm estilos diferentes: MENTIRA!

O Bayern tem um dos maiores índices de posse de bola da Europa, batendo de frente com o Barcelona, ou seja, valorizam demais a pelota quando a tem em seu domínio. A grande diferença entre um e outro está no ponto dos bávaros serem mais incisivos e enfeitarem – não encontrei termo melhor – menos que os catalães. Caberá a Guardiola escolher se manterá esse ímpeto alemão ou vai impor seu estilo, mas o jogo de ambos se assemelha.

O catalão também valoriza os atletas oriundos das categorias de base, atitude que os clubes alemães, inclusive o Bayern, têm adotado nos últimos anos. Phillip Lahm, Holger Badstuber, David Alaba, Bastian Schweinsteiger, Toni Kroos e Thomas Müller, todos estes tem muitos minutos na temporada e são oriundos da base bávara. Além destes, o lateral Emre Can e o meia Mitchell Weiser – esse é cria do Colônia e está emprestado ao Kaiserslautern – devem ganhar mais espaço, assim como outras crias do Bayern.

→ O Bayern não tem mobilidade: MENTIRA!

Se me falassem isso há um ano, eu assentiria essa frase, mas os tempos são outros. Müller, Kroos, Ribéry e Mandžukić – que é meia de origem formam um quarteto de intensa movimentação e trocas de lugares dentro de campo. Com Mário Gomez no lugar do croata, essa movimentação é quebrada, mas a trinca de armação seguirá agindo e confundindo os adversários.

Porém, se Guardiola optar por um “falso nove de ofício”, Mandžukić, Gomez e a terceira opção, Pizarro, devem rodar. Müller, que já foi atacante quando esteve na base bávara, pode ocupar essa lacuna, assim como Ribéry, que já foi testado por Jupp Heynckes na função.

→ Os resultados não serão imediatos: VERDADE!

Bom, isso é puro palpite. Não acredito que Guardiola já chegue mexendo em tudo, até porque, como foi dito anteriormente, o Bayern tem um estilo de jogo que lhe agrada, mas alguns retoques ele deverá fazer, talvez a diminuição do ritmo, também citada anteriormente, aconteça. Mas as semelhanças devem colaborar no futuro.

→ Mais visibilidade a Bundesliga: VERDADE!

O Campeonato Alemão já deixou o italiano e o espanhol para trás, não há dúvida, mas há quem considere o torneio da terra do chucrute superior a Premier League. Ainda assim, há quem desvalorize o campeonato no Brasil, até por isso a surpresa com o anúncio do Bayern. Sem falar dos que assistem dois jogos por ano e “sabem” tudo dos times.

Guardiola chamará a atenção para um campeonato que cresce cada vez mais, tanto tecnicamente, quanto na forma organizacional e econômica. Quem sabe o auge da Bundesliga não seja na próxima temporada?

→ Choque de gigantes nos bancos: VERDADE!

O confronto mais esperado será Borussia Dortmund x Bayern, não apenas pela qualidade de ambos os times, mas pelo duelo Jürgen Klopp versus Pep Guardiola, os dois maiores técnicos dos últimos cinco anos na Europa. Frente a frente, dois estrategistas e que prezam pelo jogo ofensivo.

Além disso, Christian Streich, Thomas Tuchel, Dieter Hecking, Mirko Slomka e outros bons técnicos da Bundesliga, poderão testar suas forças com Guardiola, feito improvável com Pep na Espanha.

→ Novo técnico, novo esquema: MEIA VERDADE!

Pode ser que Guardiola chegue, desfaça o 4-2-3-1 – 4-4-2 sem a bola – de Heynckes e passe a adotar o 4-3-3 tão famoso em terras catalãs, mas será que ele fará isso mesmo? Pep só trabalhou no Barcelona, onde rola toda aquela história de “ter o mesmo esquema, mesma filosofia, mesmo estilo de jogo (…)” da base até o time profissional, ou seja, é meio arriscado dizer que esse é mesmo o esquema favorito de Guardiola – se é que ele tem um. Por isso, esse tópico está na linha tênue entre a verdade e a mentira, só o espanhol chegando ao Bayern para termos certeza disso.

→ Bayer de Munique trouxe Guardiola: MENTIRA!!!!

Longe de querer despejar arrogância ou cuspir regra na cara de alguém, mas custa saber a diferença de Bayer e Bayern? O primeiro é de Leverkusen e do remédio, o segundo é da Baviera, simples e sem ligação alguma. Por que a confusão? Mal comparando, é como chamar o time Coritiba com o nome da cidade Curitiba e vice-versa – embora aí haja uma relação. Além do mais, o Google está aí, faça bom uso dele caso não tenha certeza de algo.

Seleção do primeiro turno

O primeiro turno da Bundesliga chegou ao seu final com o Bayern muito próximo do título. Apesar das dezoito rodadas que ainda faltam ser disputadas, o time bávaro lidera a competição com nove pontos de vantagem para o vice-líder, Bayer Leverkusen, e mais doze em relação com o bicampeão Borussia Dortmund. Além do mais, os comandados de Jupp Heynckes possuem o ataque mais produtivo, com 44 gols, e a defesa menos vazada, com apenas sete gols sofridos.

Apesar de ser líder absoluto, o Bayern não foi completamente dominante na seleção do primeiro turno armada pelo blog “Europa Football”. Nomes de destaque dos surpreendentes Bayer Leverkusen e Eintracht Frankfurt também figuram na lista.

Confira abaixo, os onze jogadores que fazem parte desta seleção, com alguns acréscimos abaixo:

Os onze melhores do primeiro turno da Bundesliga

Os onze melhores do primeiro turno da Bundesliga

1 – Kevin Trapp – Eintracht Frankfurt

Com a queda do Kaiserslautern para a segunda divisão, Kevin Trapp arrumou suas malas e foi pra Frankfurt defender o Eintracht. Sem grandes dificuldades, assumiu a titularidade do time de Armin Veh e se tornou um dos grandes nomes desse primeiro turno de Bundesliga com importantes defesas, sendo o homem chave da defesa. O goleiro de 22 anos atuou em todas as partidas do Frankfurt, deixando o veterano Oka Nikolov no banco. Trapp ainda não é especulado na seleção alemã, muito pela enorme concorrência, mas fica o registro de suas excelentes atuações pelo Eintracht.

2 – Daniel Carvajal – Bayer Leverkusen

Os antigos problemas nas laterais do Leverkusen foram solucionados com a contratação de Daniel Carvajal, de 22 anos. O espanhol é cria do Real Madrid e obteve destaque atuando no time B dos Merengues. Os alemães optaram por apostar no garoto e se deram muito bem. Carvajal não passa apuros defensivos e tem sido uma excelente arma ofensiva. Neste primeiro turno, o lateral-direito marcou um gol e deu cinco assistências.

3 – Philipp Wollscheid – Bayer Leverkusen

O Bayer Leverkusen também tinha problemas no miolo de zaga. Muita gente passou por lá, ninguém resolveu. Sem medo de desafios, Philipp Wollscheid chegou do Nürnberg e assumiu a titularidade com personalidade. O alemão de 23 anos participou de quase todos os jogos do Leverkusen e conseguiu manter a regularidade, tornando a defesa, antigo problema, um dos setores mais fortes do time. O Leverkusen sofreu somente 22 gols no primeiro turno, tendo a quarta melhor defesa. Além disso, Wollscheid concluiu quase 90% de seus passes neste primeiro turno.

4 – Dante – Bayern

A zaga do Bayern de Munique nunca foi aquele “senhor problema” que muitos saíram pregando na última temporada. O problema estava no fato de Boateng e Badstuber serem instáveis, mas se entendiam bem. Para dar uma sustentação maior na defesa, os bávaros foram atrás do brasileiro Dante, que vinha de excelentes temporadas pelo Borussia Mönchengladbach. Escolha perfeita! Perto dos trinta anos, Dante vive a melhor fase da carreira e se tornou titular do time com muita tranquilidade, virando peça de confiança de Jupp Heynckes. O brasileiro tem mostrado segurança e enorme frieza ao vestir a pesada camisa bávara, fazendo por merecer uma chance na seleção brasileira.

6 – Bastian Oczipka – Eintracht Frankfurt

O nome é complicado de falar e escrever, mas a participação de Bastian Oczipka neste primeiro turno de Bundesliga descomplicou a vida de seu time. Após algumas temporadas sendo emprestado de time em time pelo Bayer Leverkusen, o jogador de 23 anos se tornou titular do Eintracht Frankfurt e foi uma das principais peças ofensivas do time de Armin Veh. Além de participar de todas as partidas das Águias, Oczipka deu oito assistências, número extraordinário para um lateral-esquerdo.

5 – Pirmin Schwegler – Eintracht Frankfurt

Parte da boa campanha do Frankfurt neste primeiro turno não se deve apenas aos já citados Trapp e Oczipka, mas também passa pelos pés do volante e capitão Pirmin Schwegler. Capaz de marcar firme, o suíço tem se notabilizado pelos passes. Segundo o site oficial da Bundesliga, Schwegler tem 82% de passes completados e já tem duas assistências. Além disso, o volante ajudou o Frankfurt nas goleadas sobre Werder Bremen e Hoffenheim, marcando um gol em cada jogo.

8 – Toni Kroos – Bayern

Sou fã do estilo de jogo de Toni Kroos. Meia técnico, de bom passe, ótima visão de jogo, chegada a área e finalização. É o que chamamos de “jogador moderno”, cumpre bem suas funções defensivas e ofensivas, se tornando uma peça que qualquer técnico gostaria de ter em seu time. Sorte de Jupp Heynckes que viu Kroos marcar seis gols e dar cinco assistências nesse primeiro turno. Na opinião deste humilde blogueiro, o 39 bávaro foi o melhor jogador da Bundesliga depois de Ribéry.

9 – Thomas Müller – Bayern

Quem diria que o garoto que há um ano se prendia ao time titular do Bayern pelo simples motivo de ter sido a revelação da Copa de 2010, hoje seria um dos principais nomes da Bundesliga? Essa é a história de Thomas Müller. O meia-atacante de 23 anos se deu muito bem nesse Bayern com mais mobilidade e viu seu jogo encaixar com o novo centroavante Mandžukić. Müller deixou o primeiro turno com nove gols e nove assistências.

10 – Mario Götze – Borussia Dortmund

Livre das lesões que o atormentaram no segundo turno da temporada passada, a jovem estrela do Dortmund, Mario Götze, pôde mostrar o seu melhor futebol a Alemanha. Sem encontrar problemas para se adaptar ao time com o novo contratado Marco Reus, o camisa 10 do Borussia Dortmund fez excelente primeiro turno, onde marcou seis gols e deu quatro assistências. O tento mais importante foi contra o Bayern na Allianz Arena, onde evitou a derrota para o time bávaro.

7 – Franck Ribéry – Bayern

Dos 17 jogos do Bayern neste primeiro turno de Campeonato Alemão, o francês Franck Ribéry participou de apenas 12, número suficiente para entrar na seleção do torneio e ainda se tornar o principal nome do turno. Foram sete assistências distribuídas durante a dúzia de jogos, além de outros quatro gols marcados. Segundo a lenda bávara, Paul Breitner, que recentemente esteve no Brasil, Ribéry é o melhor jogador da Bundesliga e um dos melhores do mundo. Não consigo discordar dessa afirmação.

11 – Stefan Kiessling – Bayer Leverkusen

Stefan Kiessling começa a dar novos rumos a sua inconstante carreira. Após idas e vindas que foram marcadas por participação em Copa do Mundo e a amargura do banco de reservas no Leverkusen, o centroavante de 1,91m vai curtir suas férias como artilheiro do Campeonato Alemão. Autor de 12 gols e quatro assistências em 17 jogos, Kiessling deixa uma pulga atrás da orelha de Löw, afinal, a Alemanha tem apenas Klose e Gomez pro ataque. Será que o desajeitado atacante do Leverkusen volta a seleção?

Menções honrosas: ter Stegen (Gladbach), Klose (Nürnberg), Luiz Gustavo (Bayern), Diego (Wolfsburg), Huzti (Hannover), Juan Arango (Gladbach), Meier (Frankfurt), Holtby (Schalke) Lewandowski (Dortmund)