TOP 7: Previsões pro futebol europeu em 2012

2011 vem chegando ao fim e chegou a hora do blog dar um ponto final neste longo – teve 365 dias como todos os outros – e cansativo ano com as previsões dos anos seguintes. Atenção para o Pai Dinah e suas previsões!

– Goleada da Bundesliga

Seis empates sem gols em 289 jogos. Preciso dizer mais?

– Badalados, esquecidos e adorados

A Premier League será o campeonato nacional mais badalado de todos. Seja pelos estádios sempre lotados ou pelos times fortes e milionários, a Liga Inglesa vai ser o torneio que mais vai atrair fãs. Porém, os grandes destaques dos times serão os estrangeiros, sejam eles vindos de outros países da Europa ou de outro continente. Mesmo assim, os poucos jogadores ingleses restantes nos times poderosos da Inglaterra serão os mais populares entre os torcedores.

– Três times só de especulação

Hoje, com vários veículos de comunicação no mundo – jornais impressos, televisos, online, etc. -, a vontade de tomar à frente e dar a notícia em primeira mão se torna obrigação, por isso, especulações saírão de todos os lugares possíveis. Os jornalistas não são bobos e miram logo os times mais ricos. Milionários como Paris Saint-Germain, Manchester City, Chelsea e Real Madrid poderão formar até três times se contratarem 60% dos jogadores que serão especulados.

– Só se faz de morto

O Barcelona irá perder sim! Mas não será pra times do alto escalão europeu. O time de Guardiola perderá pra equipes medianas da liga espanhola. Mas isso será só pra se fazer de morto e dar o “pulo do gato” na hora decisiva, diante das grandes forças do futebol europeu.

– Arenas alemãs lotadas

Com toda modernidade possível, mas com o respeito a tradição dos torcedores mais fanáticos, os estádios e arenas dos times alemães estarão lotadas durante o 2º turno inteiro da Bundesliga. Só pra constar, não faltará cerveja pra ninguém nos jogos.

– Desfecho do Campeonato Espanhol

Minha bola de cristal não deu grandes detalhes, mas o título espanhol ficará entre Real Madrid e Barcelona, assim como o artilheiro da competição sairá de um dos dois times.

– “O Lyon não é mais o mesmo…”

Admito que acho engraçado o clichê de alguns comentáristas esportivos. Eu, que comento para a web rádio Futebol Plus, admito que também uso de alguns desses para poder concluir meus pensamentos. Vindo dos outros, não me irrito, apenas acho engraçado. O time que mais sofrerá com esses clichês será o Olympique Lyonnais. Você se cansará de ouvir que “o Lyon não é mais o mesmo desde a saída de Juninho Pernambucano”. Sempre lembrando que desde que o eterno camisa 8 lyonês deixou o clube, o Lyon não faltou a nenhuma edição da Liga dos Campeões, tendo sido semifinalista em uma delas.

Um bom final de ano e um início melhor ainda! Até a próxima!

Obs: Antes que reclamem, essas previsões são baseadas na pesquisa dos alunos da “Universidade de Astrologia, Previsão, Visionarismo, Profecias e Estatísticas Obviedade da Silva”

O segredo de Guardiola

Pep Guardiola é um grande técnico?

Acho que sim.

Mas o fato de ter tido e ainda ter em mãos jogadores como Messi, Xavi, Iniesta e outros ajudou bastante pra que ele se tornasse esse “grande técnico”?

Também acho que sim.

Mas então, por que ele arranja tanta antipatia de alguns jogadores?

Beleza, Ibra? (Reuters)

Essa é uma pergunta que pelo menos eu não tenho resposta.

Logo que chegou ao Barcelona, Guardiola já se desfez de peças como Ronaldinho Gaúcho, Deco e Samuel Eto’o. Com um pouco mais de relutância, manteve o camaronês em seu elenco e fez com que ele se tornasse uma das peças chave do Barcelona campeão europeu da temporada 08/09. Mas o bom convívio durou pouco: na temporada seguinte, Eto’o era trocado pelo sueco Zlatan Ibrahimovic. Erro fatal!

Não só Eto’o era novamente campeão europeu – daquela vez pela Inter – como Ibrahimovic se tornaria um tormento na vida de Guardiola. O pouco futebol apresentado pelo sueco era nítidamente contrastado com os 68 milhões de euros investidos pelo Barça. Ibra virou banco e obviamente não gostou disso.

Hoje, o sueco brilha no Milan, mas mesmo assim, como nos tempos de Barcelona, segue soltando farpas em direção de Guardiola, claramente dedicando seu fracasso ao seu treinador em campos espanhóis.

Tão perto... mas tão distante... (Reuters)

Ibrahimovic é talvez o único “inimigo público” de Guardiola. Dos jogadores “de nome” que Pep mandou embora do Barcelona, Ibra é o único que segue criticando o treinador à distância. Recentemente, o sueco chegou a chamar Pep de “filósofo”, obviamente com uma dose enorme de sarcasmo. Eto’o já chegou a dizer que não entendia o motivo de sua saída e criticou a mudança que Guardiola queria fazer no clube. Calados, Deco e Ronaldinho nunca falaram nada demais. Mas certamente Eto’o guarda uma mágoa maior e não tenha se expressado ainda querendo evitar uma polêmica maior ou simplesmente não teve a oportunidade de vir a público comentar sobre o assunto. Deco e Ronaldinho também devem guardar uma certa raiva do treinador, que os dispensou e após desse fato, ganhou títulos e mais títulos, além de ter ficado com a fama de bom moço.

Nessa semana, mais um ex-jogador do Barcelona mostrou sua antipatia com Pep Guardiola:

Não consegui falar direito com ele durante uma temporada toda. E, quando era possível, falava coisas estranhas, pouco comuns a um treinador. Se tivéssemos conversado bem, provavelmente ainda estaria no Barcelona

Guardiola não confiava em mim. Sempre que falávamos, ele me deixava sem resposta e era pouco claro nas justificativas para me deixar fora da equipe. Até que surgiu a oferta do Manchester City. Nesta época, confesso que até a minha família começou a pensar que havia um problema qualquer com ele. Sempre pensei que tinha condições para encerrar a minha carreira lá, mas estava enganado

Yaya Touré

Não deixa de ser um fato novo. Eu poderia jurar que Touré havia trocado o Barcelona pelo Manchester City por causa do caminhão de dinheiro oferecido pelos ingleses. Agora veio à tona esse distanciamento do marfinense com o treinador.

Aliás, só puxando uma extensão: Touré disse que Guardiola pouco falava com ele, o curioso é que Ibrahimovic – sempre ele – e Bojan – outro ex-jogador do Barcelona que saiu do clube criticando Guardiola – soltaram as mesmas reclamações ao treinador. O sueco afirmou que “tudo ia bem no Barcelona, mas após a virada de 2009 para 2010, algo aconteceu e Guardiola emendou dois meses sem conversar com ele”. Enquanto Bojan, em sua despedida do clube blaugrana disse que “se despediu de quem se portou bem com ele e não de Guardiola, que passou todo o verão sem falar com ele”.

Quando decidi fazer esse post, tinha em minha cabeça que Guardiola só conversava com o pessoal da base, ou seja, com jogadores que assim como ele, foram criados pelo Barça, sabem como funciona o “esquema Barcelona” e talvez até alguns desses atletas tenham passado por suas mãos e já tenham laços antigos de amizado com Pep, mas ao fazer uma “googlada” pra ver quem mais havia criticado o treinador, percebi que não é exatamente isso que acontece.

Não sou um grande entendedor de futebol espanhol, mas sei que no Barcelona há alguns jogadores criados pelo clube que tem certo potencial, mas por ficarem tanto tempo esquecidos no banco de Guardiola, acabam se desmotivando e a carreira vai pro buraco.

Líder da "panela"? (Reuters)

Vide esses grandes problemas de relacionamento que Guardiola tem com ex-jogadores e com todos eles destacando os mesmos problemas, só pode ser verdade – ou está tudo clinicamente combinado -, e só pode ser verdade também que há uma “panelinha” no clube, onde há os jogadores criados no Barcelona – e algum outro gato pingado, como Dani Alves – que acabam se dando muito bem com Guardiola e formam um “grupo forte”.

Só que esses problemas internos e essas “panelinhas” – que por declarações de ex-jogadores, me deixam com a nítida sensação que existem mesmo – são muito bem protegidas. Desde que Guardiola chegou ao clube, há uma camuflagem enorme sobre o elenco e a comissão técnica. Raramente surge uma polêmica envolvendo o clube fora das quatro linhas. As polêmicas que o Barça se vê envolvido são dentro do gramado, como nas incessantes disputas contra o Real Madrid na última temporada.

Não é anormal haver “panelinhas” em um grupo de atletas. Muito pelo contrário. Num grupo enrome de pessoas, sempre haverá um determinado subgrupo de pessoas que irá se dar melhor e por isso ficará mais tempo junto. É normal do ser humano! Mas cabe aos jogadores saber distinguir que o cara que não é seu amigo também está no grupo e que todos estão no mesmo barco. Não é sempre que isso acontece. Há vários casos de grupos de jogadores derrubando treinador ou coisas do tipo, sem o consentimento de outros atletas.

O que considero anormal é Guardiola se envolver em uma dessas “panelinhas”. Não é certo! Ele, como líder e até autoridade diante de um grupo, não pode entrar em um subgrupo, descartando quem não se envolve com isso. Fora da área de trabalho é outra história, lá fora, ele faz o que bem entender, a vida é dele!

Guardiola soube filtrar bem o elenco catalão e hoje tem poucos jogadores, porém em número suficiente para disputar a temporada. O normal seria que esse pequeno número de jogadores ficasse unido e não existisse um subgrupo, mas se realmente há, Pep tem de saber administrar esse problema. Enquanto ele conseguir controlar, “tudo bem”, mas na hora que perder o controle, sai da frente!

Mas não custa lembrar que estou escrevendo sobre uma hipótese, também sobre algumas interpretações de declarações de ex-jogadores do Barcelona contra Guardiola. Se todas as hipóteses que levantei forem falsas, pobre de mim, que digitou mais de 1000 palavras à toa…

É só luxo

Fábregas já vestiu a camisa do Barcelona... na festa da Espanha campeã do mundo

A novela mais chata e arrastada desse período de “férias” dos times europeus certamente é o romance Cesc Fábregas – Barcelona – Arsenal. Uns dizem que ele quer deixar os Gunners, outros dizem que não. Uns dizem que os londrinos pedem mais dinheiro, outros já dizem que logo ele se apresenta. Enfim, é um disse-me-disse sem fim…

Acredito que assim como eu, vocês já devem ter feito essa pergunta: “Por que o Barcelona está fazendo essas loucuras para trazer Fábregas?”

E eu tenho uma resposta: É luxo!

É luxo porque o presidente Sandro Rosell quer dar uma resposta a torcida. Em outras palavras, que seus torcedores sintam um pouquinho do que os torcedores do Real Madrid sentem. Quantas vezes vemos grandes jogadores sendo especulados no clube da capital espanhola e Florentino Pérez vinha e os trazia por um trasantlântico de dinheiro? É uma satisfação cega que a diretoria dá a torcida. Cega porque a dirigência olha pelo lado do fanático e apaixonado torcedor, e não do sério e profissional dirigente que deveria ser.

Já tem até torcedor do Barça com a camisa do Fábregas...

Fábregas é especulado no Barcelona desde que o mundo é mundo, e sempre aparece alguém dando como certa a sua ida para a Cataluña, enchendo os torcedores ansiosos por sua eventual chegada.

Outro motivo que me faz acreditar que a vinda de Fábregas não passa de luxo é quando tento encaixá-lo no time titular do Barcelona e simplesmente não consigo. Primeiro de tudo: nenhum clube seria capaz de oferecer quase 40 milhões de euros por um jogador para deixá-lo na reserva. Por isso vou direto ao ponto de que ele vem para ser titular. A questão é: no lugar de quem?

Xavi não sai do time. Iniesta também não. Que tal um meio campo com a dupla mais Fábregas? E quem marca? Mas Iniesta poderia ser colocado na posição de Pedro e o garoto daria lugar a Cesc. Tá bom, mas Alexis Sanchéz? Veio pra quê? Pra ser segundo reserva? Sem falar de Thiago Alcântara que surge com enorme destaque. Faria esse barulhão todo na pré-temporada para ser um terceiro, quarto (…) reserva?

É uma questão dura de entender. Guardiola improvisou Deus e o mundo na sua zaga na última temporada e o clube vai atrás de um meio campista caro, que nem sabemos se terá lugar entre os 11 principais do time. Pra ver como a influência da torcida é grande…

Mas mesmo assim é momento de frustar sua torcida – como se fosse possível frustar a torcida que vê seu time tri-campeão nacional e campeão europeu jogando essa bola toda – e “pensar com a cabeça”. O Barcelona precisa de zagueiros. Não precisam ser beques de outro mundo, mas pelo menos um que substitua bem Piqué e Puyol.

É Fábregas! Nunca te achei lá essas coisas...

E há outra história: nunca achei Fábregas esse jogadoraço que ouço falar. É muito bom jogador, mas nunca o vi como um substituto de Henry ou Vieira no quesito liderança dentro de campo no Arsenal. Muitas vezes o via sumido em campo, meio disperso e o pior, quase sempre com uma lesão.

Sei lá… podes discordar (até porque não canso de dizer que meu assunto MESMO é futebol alemão), mas nunca vi Fábregas como um grande craque.

Resumindo tudo: Fábregas no Barcelona não passa de luxo da diretoria blaugrana, de gastar com o que não precisa só para agradar a torcida e mostrar que não é tão diferente do Real Madrid, mostrando que também age impulsivamente ao ouvir gritos de torcida e imprensa.