É só luxo

Fábregas já vestiu a camisa do Barcelona... na festa da Espanha campeã do mundo

A novela mais chata e arrastada desse período de “férias” dos times europeus certamente é o romance Cesc Fábregas – Barcelona – Arsenal. Uns dizem que ele quer deixar os Gunners, outros dizem que não. Uns dizem que os londrinos pedem mais dinheiro, outros já dizem que logo ele se apresenta. Enfim, é um disse-me-disse sem fim…

Acredito que assim como eu, vocês já devem ter feito essa pergunta: “Por que o Barcelona está fazendo essas loucuras para trazer Fábregas?”

E eu tenho uma resposta: É luxo!

É luxo porque o presidente Sandro Rosell quer dar uma resposta a torcida. Em outras palavras, que seus torcedores sintam um pouquinho do que os torcedores do Real Madrid sentem. Quantas vezes vemos grandes jogadores sendo especulados no clube da capital espanhola e Florentino Pérez vinha e os trazia por um trasantlântico de dinheiro? É uma satisfação cega que a diretoria dá a torcida. Cega porque a dirigência olha pelo lado do fanático e apaixonado torcedor, e não do sério e profissional dirigente que deveria ser.

Já tem até torcedor do Barça com a camisa do Fábregas...

Fábregas é especulado no Barcelona desde que o mundo é mundo, e sempre aparece alguém dando como certa a sua ida para a Cataluña, enchendo os torcedores ansiosos por sua eventual chegada.

Outro motivo que me faz acreditar que a vinda de Fábregas não passa de luxo é quando tento encaixá-lo no time titular do Barcelona e simplesmente não consigo. Primeiro de tudo: nenhum clube seria capaz de oferecer quase 40 milhões de euros por um jogador para deixá-lo na reserva. Por isso vou direto ao ponto de que ele vem para ser titular. A questão é: no lugar de quem?

Xavi não sai do time. Iniesta também não. Que tal um meio campo com a dupla mais Fábregas? E quem marca? Mas Iniesta poderia ser colocado na posição de Pedro e o garoto daria lugar a Cesc. Tá bom, mas Alexis Sanchéz? Veio pra quê? Pra ser segundo reserva? Sem falar de Thiago Alcântara que surge com enorme destaque. Faria esse barulhão todo na pré-temporada para ser um terceiro, quarto (…) reserva?

É uma questão dura de entender. Guardiola improvisou Deus e o mundo na sua zaga na última temporada e o clube vai atrás de um meio campista caro, que nem sabemos se terá lugar entre os 11 principais do time. Pra ver como a influência da torcida é grande…

Mas mesmo assim é momento de frustar sua torcida – como se fosse possível frustar a torcida que vê seu time tri-campeão nacional e campeão europeu jogando essa bola toda – e “pensar com a cabeça”. O Barcelona precisa de zagueiros. Não precisam ser beques de outro mundo, mas pelo menos um que substitua bem Piqué e Puyol.

É Fábregas! Nunca te achei lá essas coisas...

E há outra história: nunca achei Fábregas esse jogadoraço que ouço falar. É muito bom jogador, mas nunca o vi como um substituto de Henry ou Vieira no quesito liderança dentro de campo no Arsenal. Muitas vezes o via sumido em campo, meio disperso e o pior, quase sempre com uma lesão.

Sei lá… podes discordar (até porque não canso de dizer que meu assunto MESMO é futebol alemão), mas nunca vi Fábregas como um grande craque.

Resumindo tudo: Fábregas no Barcelona não passa de luxo da diretoria blaugrana, de gastar com o que não precisa só para agradar a torcida e mostrar que não é tão diferente do Real Madrid, mostrando que também age impulsivamente ao ouvir gritos de torcida e imprensa.

Neymar está preparado para jogar na Europa?

Texto de: Romário Henderson

Jornais espanhóis falam de Neymar o tempo inteiro

O estilo do futebol europeu é totalmente diferente do futebol brasileiro. Para se dar bem por lá, é necessário ser conceituado taticamente, e Neymar, por mais que seja genial, ainda é imaturo taticamente

Seu futuro clube será o Real Madrid, clube dirigido por José Mourinho, que fez Samuel Eto´o e faz Cristiano Ronaldo marcar. Não pede que sejam combativos, mas exige disciplina tática, coisa que Neymar não tem.

A credencial do brasileiro é sua refinada qualidade técnica e protagonismo conquistado num dos grandes clubes do país, isso com apenas 19 anos de idade.

Analisando a formação tática preferível pelo Mourinho, o 4-2-3-1, onde Neymar se encaixaria? Bem, na extremidade da linha 3. Hoje, Mourinho escala Ronaldo pela esquerda e Di Maria pela direita. Neymar tem mais bola do que Di Maria para ser titular? Óbvio que tem, mas somente essa qualidade bastará? Com Mourinho, não.

O fato, em minha opinião, é que o craque santista não está preparado para atuar na Europa… ainda. Seria conveniente ficar no Brasil, amadurecer mais para chegar à Europa definitivamente preparado.

Pré-temporada dos europeus-> Como o calendário europeu é plausível, não? Times com tempo suficiente para se preparar, viajar, ganhar dinheiro, realizar amistosos… Decididamente, iniciam as competições bem fisicamente, com os times montados e, por isso, assistimos jogos de alta qualidade técnica.

Virou obsessão?-> Sandro Rossel, presidente do Barcelona, está disposto a pagar valores estratosféricos para contratar Cesc Fábregas. Tudo isso porque Josep Guardiola, técnico da equipe catalã, disse que seus jogadores jogarão, no máximo, 4 mil minutos em toda a temporada. Para isso, é necessário ter um elenco forte, para poder revezar os atletas e o rendimento da equipe continuar em alto nível.

Gastança desenfreada bastará?

Após algum tempinho sem colunistas, o Europa Football finalmente terá um cidadão para compartilhar seus conhecimentos sobre futebol europeu. Romário Henderson chega pra vestir a camisa 11 do blog!


Texto de: Romário Henderson

Fortuna madridista

Não é de hoje que o Real Madrid é um clube que faz altíssimos investimentos. A base nem sempre é aproveitada. Eu comparo o clube merengue à charmosa escuderia Ferrari: duas potências no esporte que investem nos melhores do mundo, preterindo valores formados na base, ou seja, optam pela experiência e rodagem aos inexperientes.

Nem sempre os gastos, às vezes excessivos, ajudam o clube a almejar os objetivos. Falando mais recentemente, a partir de 2002, quando Florentino Perez era presidente do Real, uma super equipe foi montada. No elenco, atletas como, por exemplo, Roberto Carlos, Beckham, Figo, Zidane e Ronaldo. Bem, em tese, o favoritismo dos galácticos era evidente em qualquer competição que disputasse.

No futebol, as teorias costumam blefar, pois o que vale mesmo são os resultados, e eles não vieram como Florentino Perez e, sobretudo, os “aficcionados” madridistas esperavam. Os gastos são recuperados com vendas dos produtos oficiais do clube, mas as façanhas, depois de perdidas, são irrecuperáveis.

Para a temporada 2011/2012, a gastança está desenfreada. Nuri Sahin, Altintop e Fábio Coentrão são alguns exemplos. O último, inclusive, foi comprado por 30 milhões de euros. Será que um lateral, por mais ótimo que seja, vale tudo isso? O que Florentino Perez quer de fato é a conquista da Champions League, coisa que não veio em sua primeira passagem. E, claro, brecar a hegemonia catalã nos últimos anos.

Alexis Sanchéz foi apresentado nesta segunda no Barcelona

Barça fora dos trilhos-> Todos sabem que o Barcelona forma seus atletas para chegarem ao time profissional prontos. Não é à toa que na equipe titular, apenas três não foram revelados pelo clube. Curiosamente, após a venda de Bojan, invés de buscar uma “jóia” na base para reposição, os catalães optaram em trazer alguém de fora. O chileno Alexis Sanchez foi contratado junto a Udinese. E outro que pode pintar é Fábregas, proveniente do Arsenal. Fora dos trilhos momentaneamente ou de vez?

Villas-Boas tem missão dura-> Desde que comprou os blues em 2003, Roman Abramovich ainda não pôde saborear um título de Champions. Chegou perto em 2008. O técnico contratado, André Villas-Boas, após fazer ótima temporada com o Porto, terá que provar que, de fato, é um promissor treinador. O elenco do Chelsea é reduzido e envelhecido. Não adianta vencer a Premier League e/ou a Copa da Inglaterra. É imprescindível a conquista da Champions. Com essa equipe, o jovem treinador terá que se desdobrar e levantar a linda taça, que, diga-se, é o sonho de consumo do bilionário russo.