Balanço da janela: Inglaterra

Dando sequencia as análises finais das contratações, chegamos ao local onde as negociações são mais intensas, a Premier League. Na liga mais milionária do mundo, todos querem entrar pra mostrar seu valor e quem já está lá, mas se deu mal, quer sempre uma segunda chance. Vamos as principais mexidas!

Kun Agüero foi a grande contratação do City

Fazendo jûs ao apelido de “novo rico”, o Manchester City foi a equipe que mais gastou na terra da rainha. Foram mais de 81 milhões de libras investidos em contratações. A mais cara foi a de Kun Agüero, 39,6 milhões de libras. Os Citizens também gastaram uma nota preta para tirar Samir Nasri do Arsenal. Foram 24 milhões investidos. Completam a lista de chegadas no clube azul de Manchester, Gael Clichy, Stefan Savic, Costel Pantilimon e Owen Hargreaves.

Na lista de dispensados do clube, estão jogadores como Jô, Given, Boateng, Wright-Philips, Bellamy, Santa Cruz e Adebayor, todos eles com rodagem no elenco azul. Desses todos, somente os dois últimos a serem citados saíram por empréstimo. A venda mais lucrativa foi a de Jêrome Boateng, onde o City conseguiu quase 12 milhões ao vendê-lo pro Bayern.

Os Citizens fizeram altos investimentos para continuarem com o ambicioso plano de tomar conta do futebol inglês. É um dos favoritos ao título inglês e se o time encaixar, pode fazer barulho na Uefa Champions League.

Outro time que também não economizou na hora das transferências foi o Chelsea. O time londrino gastou 75 milhões de euros e acabou dando uma renovada em seu elenco. O jogador mais caro foi Juan Mata, de 23 anos, contratado por 23 milhões de libras. Por 19 milhões, veio Lukaku, de 18 anos. Oriol Romeu, Ulises Dávila, Thibaut Courtois e o brasileiro Lucas Piazón, outros contratados dos Blues estão todos abaixo dos 21 anos. Apenas Raúl Meireles – contratado por 11 milhões de libras – está acima dessa margem. O português tem 28 anos.

A diretoria do Chelsea aproveitou para se desfazer de jogadores que estavam sem espaço ou que decepcionaram em sua passagem pela Inglaterra, como no caso de Yuri Zhirkov, que foi vendido pro Anzhi por 13 milhões de euros. Jogadores como Benayoun e Mancienne foram outros a mudar de ares.

De Gea, Jones e Young são os novos Red Devils

O Manchester United seguiu a receita do Chelsea e decidiu trazer alguns jovens valores para seu elenco, como David De Gea, de 20 anos e Phil Jones, de 19. Ashley Young, que não chega a ser um jovem, mas que também não é nenhum veterano, também se juntou aos Red Devils. A grande diferença das jovens contratações das duas equipes está justamente nos valores. Enquanto o Chelsea trouxe Lukaku por 19 milhões e Courtois por 7 milhões, o Manchester United fez com que não houvesse essa disparidade. De Gea veio por 17 milhões, Jones por 16 milhões e Young por 15 milhões.

Outra diferença das negociações entre as duas equipes inglesas está nas dispensas. O Chelsea trouxe jovens valores, mas mandou poucos veteranos embora, já o United deu essa renovada. Van der Sar e Scholes encerraram suas carreiras, enquanto John O’Shea, Wes Brown e Owen Hargreaves, todos com muitos anos no clube, acabaram mudando de ares.

O Manchester ainda “se livrou” de duas apostas que não deram certo: Gabriel Obertan e Bebé. O francês nunca repetiu suas boas atuações dos tempos de Bordeaux e seleções de base de seu país, enquanto o português, contratado do nada por Sir Alex Ferguson, mostrou que do nada veio, pro nada voltará. Obertan foi em definitivo pro Newcastle, enquanto Bebé foi por empréstimo pro Besiktas.

Aparentemente, não só pelos negócios, como também pelo começo de temporada, a renovação do Manchester United tem sido mais bem sucedida que a renovação do Chelsea.

O Liverpool aos poucos tenta se acertar e nessa última janela de transferências, gastou mais de 57 milhões de libras. Os Reds não chegaram a fazer grandes loucuras e se reforçaram mais com destaques da própria Premier League do que com estrelas de fora. Jordan Henderson – negócio mais caro do clube, 15 milhões – veio do Sunderland, Charlie Adam veio do Blackpool, Downing chegou do Aston Villa, Bellamy regressou ao Liverpool após algum tempo de Manchester City e José Enrique veio do Newcastle. Completam a lista de reforços dos Reds a revelação uruguaia, Coates e o goleiro brasileiro Doni.

Mas pode-se dizer que o grande reforço do Liverpool foram as saídas de muita gente que pouco acrescentou ao time em seu tempo por lá. Paul Konchesky foi pro Leicester por 1,4 milhões, N’Gog foi pro Bolton por 3 milhões, Jovanovic foi pro Anderlecht por 704 mil euros, enquanto Poulsen, Ínsua, Kyrgiakos, El Zhar e Degen saíram de graça. Aquilani e Cole, apostas furadas dos Reds foram por empréstimo para Milan e Lille, respectivamente.

O Liverpool se mexeu bem, mesmo não tendo feito loucuras. Foram contratações pensadas e boas, além das ótimas saídas, porque o ruim de ter esses malucos no banco de reservas, é que em alguma hora eles terão de entrar.

Será que se machucará pouco?

O Arsenal gastou bastante… mas não dá pra dizer que gastou bem. Dos 54 milhões de libras gastos pelos Gunners, o investimento mais caro foi no jovem de 18 anos, Oxlade-Chamberlain, 12 milhões. O clube londrino ainda gastou 10 milhões cada em Gervinho e Arteta. Per Mertesacker veio por 6 milhões. Curiosamente, Mertesacker e Arteta gostam de um departamento médico…

Carl Jenkinson, o brasileiro André Santos, Park Chu-Young e Benayoun completam a lista de contratados do Arsenal. Nada que deixe o torcedor Gunner ansioso por títulos…

Se o Arsenal “ganhou” pouco nas contratações, perdeu demais nas saídas. Por 25 milhões de euros, Fàbregas foi pro Barcelona, já Samir Nasri, por 24 milhões, foi pro Manchester City. A saída dos dois ocasionou uma dura queda no nível do time, que já não era dos mais altos… Clichy, Bendtner, Denílson, Eboué e Vela foram outros atletas com rodagem no time titular do Arsenal que deixaram o clube.

Que ergam as mãos os torcedores do Arsenal contentes com as mexidas no seu time!

BOLA DENTRO (CHEGADAS)

– Scott Parker, bom meio campista que estava no West Ham, chegou no Tottenham. Negócio bom e barato dos Spurs, que gastaram 4 milhões de libras;

Bryan Ruíz está a disposição de Martin Jol

– O Fulham trouxe dois jogadores interessantes para esta temporada: Bryan Ruíz, ex-Twente e Grygera, ex-Juventus. Os dois devem ajudar bastante;

– O Aston Villa foi outro que se mexeu bem. Trouxe do Wigan, Charles N’Zogbia, do Manchester City o experiente goleiro Shay Given e o meio campista Jermaine Jenas veio do Tottenham. Devem dar experiência ao jovem time do Villa;

– O West Brom trouxe de volta Zoltán Gera. Gosto do futebol do húngaro. Ele havia perdido espaço no Fulham, mas acredito que no WBA ele possa não só jogar mais partidas como ser decisivo;

– O Newcastle trouxe boas peças de reposição para os lugares de Carroll e Nolan. Vieram Demba Ba e Yohan Cabaye;

– O Stoke City se mexeu bem nessa janela. Trouxe o zagueiro Upson, que estava no West Ham e tem passagens pela seleção inglesa. Trouxe também o volante Palacios, além de Peter Crouch. Não havia time mais propício para Crouch jogar! Tinha de ser no time dos laterais malucos;

BOLA DENTRO (SAÍDAS)

– O Tottenham se livrou do fraco Alan Hutton, que foi pro Aston Villa. De quebra, ainda arranjou um time para Bentley, o West Ham. Pena pros Spurs que no caso de Bentley é só um empréstimo;

– Por empréstimo, o Aston Villa mandou para a Grécia o limitado Jean II Makoun. Ele ficará no Olympiacos;

– O West Bromwich conseguiu faturar quase 2 milhões de libras mandando o frangueiro goleiro Scott Carson para o Bursaspor;

– O pessoal do Stoke City não deve ter pensado duas vezes quando viu que o contrato de Eidur Gudjohnsen estava se encerrando e decidiu: “Vá com Deus!”. E ele foi… Está no AEK Athenas;

BOLA FORA (CHEGADAS)

– O Tottenham trouxe o veteraníssimo Brad Friedel. Ele é bom goleiro, mas não sei o que os Spurs querem com um goleiro de 40 anos em seu elenco;

– O Manchester City vive emprestando Adebayor de time em time. O próximo time do togolês será o Tottenham, torcida que odeia o atacante. Junte uma torcida irada com um atacante mediano! Só pode dar coisa ruim;

– Com o passar dos anos, o futebol de Tuncay Sanli cai… e com o passar dos anos aparecem mais clubes lhe dando chances. Agora será a vez do Bolton;

– Ainda no Bolton, chegou N’Gog. Atacante horroroso!;

BOLA FORA (SAÍDAS)

– O Bolton perdeu seu principal atacante, Johan Elmander. E ainda não ganhou nenhum trocado, porque ele foi de graça pro Galatasaray. Perda total;

Até a próxima!

O pior jogador da temporada alemã

Mertesacker vibra com seu gol. Uma das poucas felicidades na temporada

Per Mertesacker é indiscutívelmente um dos grandes zagueiros do futebol alemão. Desde que surgiu no Hannover, tem mostrado que não é apenas uma promessa. Lidera há muitos anos a zaga do Werder Bremen e constantemente é convocado pra seleção alemã, tendo inclusive disputado as duas últimas copas do mundo.

Mas acontece que ele vive temporada terrível. Erra em quase todos os jogos. Erra posicionamento e principalmente, tecnicamente. Não parece mais ser aquele jogador inteligente, que dificilmente  era vencido pelos atacantes, aquele zagueiro que dificilmente falhava. “Aquele zagueiro” deve ter ficado na África do Sul, porque ele é, pelo menos pra mim, o pior jogador da temporada alemã.

Claro que devem haver jogadores que estejam fazendo temporadas piores – Camoranesi, por exemplo, chegou com muita badalação no Stuttgart, não jogou nada e está voltando pra Argentina – mas geralmente quando se é feita uma análise dessas, se leva em conta os jogadores de times grandes e de mais nome, é o caso de Mertesacker. Ele é o símbolo da horrorosa campanha do Werder Bremen na Bundesliga.

Nesta spieltag ele teve uma atuação ruim. Junto com Silvestre, ele era o ponto fraco da equipe contra o Bayern, sempre errando passes e perdendo bolas fáceis. Ele até fez um gol com calma de atacante – após desvio de Prödl, ele ficou sozinho na esquerda, parou e bateu no cantinho de Kraft -, mas depois se descontrolou. Fez um gol contra bobo e no fim do jogo, com a vontade de se redimir, foi pro ataque e deixou a zaga nas mãos dos volantes.

Enfim, Mertesacker tem sido o símbolo dessa má campanha do Bremen. Pelo que representa a torcida de seu clube, ele não pode jogar o que está jogando e não pode errar tanto e do jeito que está errando. Pode-se dizer que ele foi contaminado pela crise técnica do time, pela crise interna, que envolve as dúvidas quanto a capacidade de treinar de Thomas Schaaf, assim como a capacidade de contratar de Klaus Allofs.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Sobre o jogo, começamos falando do Bayern, que entrou com um esquema diferente. Tá, era sim o 4-2-3-1 habitual, mas Van Gaal fez algo interessante. Colocou Luís Gustavo na lateral esquerda e Danijel Pranjic como volante esquerdo, para segurar Marín e Fritz. Botou dois laterais esquerdos, só que um no meio campo.

Esses dois aí (Schaaf e Allofs) estão ameaçados

Thomas Schaaf escalou mal o time. Se Van Gaal colocou dois “laterais esquerdos”, ele colocou dois direitos, mas sem o mesmo efeito bávaro. Pasanen, jogando na lateral, não subiu, Fritz ficou jogando sozinho no meio campo. Mas o maior erro certamente foi escalar Silvestre. Quando era mais novo, já não era lá essas coisas, imagina agora que ele tem 33 anos. O pior é que no lado dele jogava Arjen Robben. Se o holandês botasse na frente, nem com uma Ferrari, Silvestre o pegaria.

Mas mesmo assim, a primeira etapa foi equilibrada. Poucas chances de gol e muitos erros. Na etapa final, o Bremen abriu o placar com o gol de Mertesacker destacado acima, mas os verdes recuaram demais e dando campo pro Bayern, que alcançou a virada. Na falha dos “três” laterais – Pasanen, que foi mal no 1º combate, Fritz, que foi frouxo no 2º combate e Silvestre, que não acompanhou Robben – Robben empatou. O segundo gol foi contra de Mertesacker, mas a maior falha foi de Prödl – que fazia bom jogo -, que desarmou Gómez na grande área, tentou sair jogando sozinho perdeu a bola e depois saiu o gol contra. O Bremen se descontrolou, foi pro ataque, Mertesacker virou um meia armador, fazendo com que os volantes tivessem de lhe cobrir. Em uma dessas coberturas, Frings se atrapalhou com a bola, Müller ganhou, tocou pra Klose que mandou pras redes. Vale lembrar que Klose fez 53 gols com a camisa do Werder Bremen. Ainda deu tempo pra Tim Wiese dar uma bordoada em Müller e ser expulso de campo.

A única coisa que o Bremen pode reclamar é de um pênalti que Torsten Kinhöfer não deu. Trinks cruzou e Luís Gustavo cortou com o braço. Isso quando o jogo estava 1×1, mas falando sério, o Bayern mandou na etapa final, o Werder Bremen se apequenou e mereceu perder. Não seria esse pênalti que tiraria a vitória, nem desmerecesse a vitória do Bayern.

A vitória bávara lhes coloca no G3, na 3ª colocação, com 36 pontos, 14 atrás do líder, enquanto o Bremen segue em situação delicada, ocupando a 15ª colocação, uma acima da zona de rebaixamento, com 22 pontos. Nos últimos 11 jogos, o Bremen venceu só duas, tendo perdido sete.

TÓPICOS ALEMÃES

>>O Borussia Dortmund voltou a vencer. 3×0 pra cima do Wolfsburg

>>Jurgen Klopp parece querer que Götze seja o substituto de Kagawa, lhe colocando na posição central dos três meias. Outra alternativa é Zidan, que jogou pouco.

>>A vantagem do BVB na liderança é de 11 pontos pro Leverkusen.

>>Na sexta, o Leverkusen venceu o confronto direto contra o Hannover, 2×0.

>>Holtby decidiu o clássico entre Kaiserslautern e Mainz, 1×0 pro 05.

>>Os irregulares Schalke e Hamburgo perderam. Os Azuis Reais perderam pro Hoffenheim por 1×0 e o HSV por 2×0 pro Nüremberg.

>>No Hoffenheim, Ryan Babel estreou. Embora tenha perdido gols fáceis, foi importante nas puxadas de contra-ataque, que aliás, não foram poucos.

>>O St. Pauli conquistou três pontos importantes num confronto direto. 3×0 sobre o Colônia.

>>Takyi fez os dois gols do St. Pauli, aliás, o primeiro foi muito bonito.

>>No domingo, nenhum mandante venceu. O Stuttgart caiu pro Freiburg e o Eintracht pro Monchengladbach, ambos por 1×0.

>>No jogo do Stuttgart, o garoto bom de bola, Harnik, perdeu um gol com a trave aberta. Após rebote do goleiro, a trave ficou vazia, ele com calma e equilibrado pro chute errou.

>>Só pra fechar, foram divulgadas neste domingo, fotos de Robben e Müller. Ambos bateram boca no gramado, mas o holandês acertou um legítimo soco no garoto alemão.

Classificação (Bundesliga)