É a hora do Marseille se testar

Élie Baup terá o desafio de provar o valor do elenco do Marseille (Foto: France Football)

Élie Baup terá o desafio de provar o valor do elenco do Marseille
(Foto: France Football)

Ao cair em um grupo com Arsenal, Borussia Dortmund e Napoli na Liga dos Campeões, o Olympique de Marseille ganhou uma chance única de medir a real força de seu elenco nesta temporada. A base das últimas temporadas foi mantida e reforços pontuais (como Payet, Imbula e Mendy) foram feitos, o que só ajudará o competente técnico Élie Baup a fazer um trabalho mais sólido.

Engana-se, também, quem coloca o time francês como carta fora do baralho nessa chave. Se levássemos em conta a sempre supervalorizada tradição, o Marseille dividiria o posto de principal força com o Borussia Dortmund, já que ambos têm a mesma quantidade de finais e títulos da Liga dos Campeões.

Mas, como disse acima, a tradição é supervalorizada, logo, devemos analisar o momento atual e isso não descarta o OM.

Se levarmos em conta que os alemães são os favoritos por carregarem o status de vice-campeões do continente e permanecerem com a mesma base dos últimos anos, sobra uma vaga para três times que são equivalentes.

Sim, não me venham com história de “ah, é da França, é ruim, não presta”. Toda vez que falam isso, só ouço “blá, blá, blá” e nem levo em conta.

Sobre os adversários, começamos com o Arsenal, que passa por um momento delicado, onde o futebol apresentado não convence a torcida e o clube não consegue contratar ninguém de peso, apenas garotos de qualidade duvidosa, logo, é uma presa fácil para equipes de maior porte, portanto, enfraquecida.

Já o Napoli está vivenciando uma situação nova com Rafa Benitez no comando técnico e vários reforços badalados, como Pepe Reina, Gonzalo Higuaín e Raúl Albiol. Logo, não é correto afirmar que esse time vá dar liga imediatamente, apesar de demonstrar, ao menos no papel, força para ir longe nesta temporada.

O poder do Marseille vem justamente em algo que os italianos ainda não têm: conjunto. O time armado por Élie Baup foi construído há algumas temporadas por Didier Deschamps e vem recebendo retoques desde então.

Para esta temporada, vários reforços vieram, como o promissor lateral-esquerdo Benjamin Mendy, o atacante Saber Khalifa e o volante Giannelli Imbula, ambos opções para rechear o elenco. A contratação que mudou o patamar do Marseille foi Dimitri Payet. O ex-jogador do Lille tem dado, neste principio de temporada, a incisão que tanto faltou ao time no ano passado, tornando o jogo do time mais vistoso.

Payet mudou o patamar do Marseille (Foto: France Football)

Payet mudou o patamar do Marseille
(Foto: France Football)

Além disso, o “casamento” de Payet com André Ayew, Mathieu Valbuena e André-Pierre Gignac será de extrema importância para o time. Juntos podem formar um quarteto que nem mesmo o Paris Saint-Germain tem sido capaz de formar. Élie Baup tem em mãos um grupo de atacantes Inteligentes, velozes, rápidos e decisivos.

Essa Liga dos Campeões será o momento exato para o atual elenco do Olympique de Marseille testar sua verdadeira força. No papel, sem exagero algum, tem um time mais forte que o milionário Monaco e capaz de fazer jogo duro com o PSG, faltava mesmo um momento para se medir com adversários fortes de outros países.

O OM finalmente tem um time titular que lhe faz sonhar com grandes coisas nesta temporada. Claro, o título europeu é utopia, mas vale ressaltar que há duas temporadas, com um grupo inferior e vivendo um momento turbulento no campeonato doméstico, os únicos franceses a ganharem a Europa chegaram as quartas-de-final da Liga dos Campeões.

O elenco do Marseille agora está mais gorducho, mas ainda abaixo dos ricaços da França, é claro, mas o suficiente para mostrar que Arsenal, Borussia Dortmund e Napoli, apesar de mais nome, não terão vida fácil na Liga dos Campeões. O teste é agora e o OM tem tudo para ser aprovado com louvor.

O preço do sucesso

O Montpellier nunca foi um time grande. No máximo, médio. O MHSC tem algumas participações na primeira divisão francesa, já até obteve alguns resultados interessantes – principalmente na época de Valderrama -, mas na maioria das oportunidades na Ligue 1, lutou contra o rebaixamento.

Giroud, Belhanda e Utaka, três destaques do Montpellier, vibram com o gol

Nesta temporada, fugindo de todas as expectativas, o time comandado por René Girard está indo muito bem e lidera a primeira divisão do país. Alguns jogadores como Yanga-Mbiwa, Jamel Saihi, Younes Belhanda e Olivier Giroud despontam como grandes nomes do time, assim como os jovens Remi Cabella e Benjamin Stambouli, que vão recebendo muitas oportunidades na atual temporada. Jogadores mais rodados, como o brasileiro Victorino Hilton, Garry Bocaly, Souleymane Camara e John Utaka estão por lá para dar o toque de experiência necessário nos grandes times.

Porém, além dos ótimos resultados, o sucesso trás algumas conseqüências ruins. Olivier Giroud, artilheiro do Campeonato Francês e líder de assistências do Montpellier, já é alvo de muitos clubes. No final de 2011, o artilheiro da equipe recebeu uma proposta de oito milhões de euros do Newcastle, mas considerando baixa a oferta, o presidente Louis Nicollin decidiu rejeitá-la e ainda afirmou que “Giroud tem contrato até 2014 e vale pelo menos 40 milhões de euros”.

Porém, quando clubes maiores crescem os olhos pra cima do seu principal jogador, Nicollin acaba cedendo um pouco. No grande duelo diante do Paris Saint-Germain – confronto dos dois líderes que acabou empatado em 2×2 -, olheiros do Bayern e do Napoli estavam presentes no Parc des Princes para assistir a partida. Giroud não marcou gols, mas fez o cruzamento para o segundo gol, anotado por Utaka.

Louis Nicollin já criou raízes no Montpellier (Reuters)

Nicollin já admitiu recentemente que será difícil segurar o atacante, já que sua multa rescisória é relativamente baixa – beira os 15 milhões de euros – e seu bom futebol tem aparecido para mais gente. Não por acaso, Giroud substituiu Karim Benzema no duelo da Seleção Francesa contra a Alemanha, em Bremen. O atacante do Montpellier anotou um gol… Justamente no país do Bayern, e a França venceu por 2×1.

Resultado disto tudo: Os rumores de uma possível transferência para o clube bávaro aumentam. A conceituada revista Kicker publicou hoje que o Bayern prepara uma oferta de 16 milhões de euros para trazer Giroud.

É o preço do sucesso! Nicollin pode até achar que seu jogador vale 40, 50, 60 milhões de euros, mas com uma multa baixa, vai ser difícil segurá-lo. Giroud não vale toda a grana que o presidente do Montpellier acha que vale, mas vendê-lo pro Bayern pela tal oferta – lembrando que não é nada oficial – seria ótimo! Principalmente porque o MHSC investiu menos de cinco milhões em sua compra, seria um lucro e tanto.

Claro que muitas vezes não vale à pena vender seu craque, mas o Montpellier tem prazo de validade. Esse time não se manterá no topo do futebol francês por muito tempo. Dois, três, quatro anos talvez, mas o fato é que dificilmente Nicollin irá manter este bom time. Os clubes franceses não são fortes economicamente, vide os vários jogadores do país que se transferem para a Premier League.

Aliás, o presidente Nicollin, que está no comando do MHSC desde 1974, já teve alguns bons times em mãos, mas se desfez de quase todos. Mais recentemente, o time que tinha Tino Costa, Victor Hugo Montaño e Emir Spahic chegou a Europa League, tendo até brigado pelo título francês na temporada em que chegou ao torneio UEFA. Isso foi na temporada 2008/09! Faz pouco tempo, e hoje, esses caras que formavam a espinha dorsal do time, estão vagando por outros clubes.

Giroud começa a ganhar espaço nos Bleus

Além do mais, Giroud não vale toda a grana que Nicollin acha que vale – exageros à parte, o presidente do clube acha que ele vale muito dinheiro. O #17 do Montpellier é muito bom atacante, sabe fazer o pivô, tem boa técnica e o principal, sabe marcar gols. Mas sempre fica aquela pontinha de dúvida: será que é uma temporada atípica ou ele joga isso tudo mesmo?

Esquecendo toda a grana envolvida, todas as negociações, os termos, os contratos, enfim, deixando de lado tudo que envolva cifras e condições, será que vale à pena Giroud ir para o Bayern? É quase certo que chegará como reserva de Mário Gomez. O francês irá mesmo para substituir o reserva Olic, que deve deixar o clube bávaro. Pro time alemão é ótimo! O Bayern tem ótimos jogadores, mas não tem um elenco grande e sólido. Com a vinda de Giroud, o cacife ofensivo fica maior. Mas pro atacante, seria uma experiência nova: de grande nome do Montpellier, para reserva nos bávaros, porém, com uma possibilidade de crescimento na carreira maior do que no clube francês. É uma faca de dois gumes!

Vamos aguardar os próximos capítulos!

Opostos… mas não tanto

Mais uma semana, mais jogos da Champions League. Assim como na última semana, volto aqui para mais uma prévia dos duelos que virão nesta semana. Leia abaixo o que espero dos quatro confrontos da semana.

——————————-

Um dos duelos mais equilibrados desta fase de oitavas-de-final da UEFA Champions League é entre Olympique de Marseille e Internazionale. Porém, a fase de ambas as equipes não traduz muito essa igualdade.

O time francês, que iniciou mal a temporada – o Marseille chegou a ficar na lanterna da Ligue 1 -, se ajeitou dentro das quatro linhas e não perde desde novembro. Já a esquadra italiana está com seu segundo comandante. Após os fracasso com Gasperini, Claudio Ranieri assumiu e parece tomar o mesmo caminho de seu antecessor. A Inter não vence a seis partidas e tem acumulado vexames, como as derrotas por 4×0 diante da Roma, 1×0 diante do Novara e 3×0 contra o Bologna – estes dois últimos em casa, com times da parte inferior da tabela da Série A. No momento, os Nerazzurris não iriam nem para a Liga Europa!

Loic Rémy será a grande ausência do duelo (Reuters)

Não enxergo nenhuma hipótese que coloque a Inter como favorita no duelo. O momento ruim e o péssimo futebol das últimas rodadas me fazem pensar assim. Em contrapartida, não considero o Marseille favorito.

O OM vem de dois decepcionantes empates na Ligue 1 e ainda perdeu Loic Rémy pro confronto. Um desfalque tremendo, já que o #11 do Marseille é o grande jogador do time na atual temporada.

Os últimos resultados e a lesão de Rémy podem não deixar o Marseille no mesmo patamar da Inter, mas não lhe dão uma vantagem considerável, algo que pelo menos pra mim, estava de acordo com a presença do artilheiro da equipe.

Mesmo assim, aposto em um 2×1 pro time francês e o duelo ficaria aberto para Milão.

FRANCOS FAVORITOS

O Real Madrid tem mais time, tem o brilhante José Mourinho, um craque como Cristiano Ronaldo… Enfim, há uma enorme lista de motivos que coloquem o time merengue como francos favoritos no duelo contra o CSKA.

A aposta do time russo, certamente é o frio. O CSKA tem até um time ajustado e contam com Doumbia em grande temporada, mas o fato é que o Campeonato Russo só irá reiniciar em março. Este importantíssimo duelo diante do Real Madrid será o primeiro do time em 2012.

Honda está de volta ao time (Reuters)

A boa nova do time russo fica por conta do retorno de Keisuke Honda. O japonês estava fora, contundido e ainda recebeu algumas propostas de transferência no final de janeiro, porém, permaneceu em Moscow.

Outro problema pode ser o ritmo de jogo. O Zenit, diante do Benfica, mostrou um pouco deste problema. Não atrapalhou tanto – até porque o time venceu por 3×2 -, mas claramente faltaram momentos de regularidade dentro da partida, o time de Spalletti declinou de ritmo várias vezes durante a partida. Isso deve ocorrer com o CSKA, e contra o Real Madrid tem tudo pra ser letal.

Detalhe: Malafeev, titular absoluto do Zenit, não pegou o Benfica por estar lesionado e Zhevnov, seu subtituto, falhou nos dois gols portugueses. Igor Akinfeev, titular do CSKA e da Seleção Russa, teve problemas no joelho ainda em agosto do ano passado e segue fora. Será que a história se repete?

Acho que os Merengues já definem o duelo na ida, 3×0.

TRADIÇÃO vs. OBSESSÃO

Napoli e Chelsea é outro duelo enroscado. Os italianos carregam nas costas a tradição vinda dos tempos de Maradona e Careca, além de terem eliminado na fase anterior, nada mais, nada menos que o poderoso Manchester City. Já o Chelsea se classificou na bacia das almas e com o momento não sendo dos melhores, a obsessão por conquistar a Champions League deve se tornar mais forte e eloquente na cabeça de atletas e torcedores.

É rede! (Reuters)

O Napoli vem crescendo na Série A. Não perde e não sofre gols a quatro partidas. A última derrota dos comandados de Mazzarri em San Paolo foi na metade de dezembro, quando tomou 3×1 da Roma. De lá pra cá, foram seis partidas, com quatro vitórias e dois empates. Honestamente, sempre gostei deste time do Napoli. Mazzarri coloca o time num esquema diferente – 3-4-3 – e dá certo, eles quase sempre jogam bem. E me chamam mais a atenção os três homens de frente: Edinson Cavani – autor de 16 gols nos últimos 18 jogos -, Ezequiel Lavezzi e Marek Hamsik. Se não é o melhor, está entre os cinco melhores trios da Itália!

Já o momento do Chelsea não é legal. Os Blues ainda não venceram em fevereiro e estão a quatro jogos sem vencer. Outro problema do time londrino são os empates. São sete em toda Premier League e seis deles vindo de dezembro pra cá. Menos mal que Drogba volta ao time – após Fernando Torres quebrar a marca dos 1000 minutos sem marcar gols -, mas não custa lembrar que o marfinense perdeu o pênalti mais importante de sua carreira na final da CAN, talvez ainda esteja abalado, vide o seu ótimo relacionamento com seu país.

Pobre Villas-Boas! Topou entrar em um desafio ambicioso e pode cair se o Chelsea não vingar na Champions. Roman Abramovic não tem paciência com os técnicos dos Blues e se não ver John Terry – que não deve jogar, assim como Cole – erguer a orelhuda, vai mandando “pofexô por pofexô” – aliás, Luxa está aí – embora!

Eu aposto em vitória do Napoli por 3×1.

CRÍTICAS COMO ADVERSÁRIO

O Bayern vive num turbilhão de emoções. Dos 15 pontos disputados em 2012, os bávaros conquistaram 8 e ainda eliminaram o Stuttgart da DFB Pokal. Números bons, concordam? Mas não para um time como o Bayern. Soberba? Talvez sim, mas se formos ver o contexto, o time bávaro foi ultrapassado por Dortmund e Gladbach na tabela de classificação da Bundesliga. Ou seja, os 8 pontos não foram tão bons assim…

Para completar, o time está jogando mal. Robben, criticado por todos os lados – inclusive por Beckembauer – agora é reserva. Müller segue sendo titular indiscutível, mas jogando uma bolinha murcha, enquanto Kroos e Ribéry não voltaram ao ritmo do final de 2011. As críticas são justas, mas estão pressionando demais o time, coisa que anda muito nítida nas últimas rodadas.

Todos de olho em Shaqiri (Reuters)

Já o Basel foi uma das grandes supresas da fase de grupos. A eliminação do Manchester United não foi mera sorte dos suíços. Thorsten Fink e mais tarde Heiko Vogel armaram um time consistente e tiveram méritos na classificação. Basta ver que em jogos oficiais, o Basel não perde desde agosto! Mas em contrapartida, vem de três empates consecutivos…

Mas todos os olhos estarão em cima de Xherdan Shaqiri, contratado pelo Bayern para a disputa da próxima temporada, mas que defende o Basel atualmente. É dificil saber qual será a reação do garoto de 20 anos, mas todos estarão de olho!

Após em Bayern 2×1.