Le Podcast du Foot #20

FBL-FRA-LIGUE1-SOCHAUX-PSGTEMOS UM CAMPEONATO!

O Paris Saint-Germain foi surpreendido pelo Sochaux e perdeu por 3×2 no Auguste Bonal. Com esse tropeço parisiense, quem se animou foi a dupla “olímpica”, Marseille e Lyon. O OM venceu, no sufoco, o Valenciennes pelo marcador mínimo, enquanto o OL atropelou o Bordeaux no Chaban-Delmas, quebrando um tabu sem vitórias no campo dos Girondins que perdurava desde 2007.

Esses e outros destaques foram temas do nosso tradicional bate-papo sobre futebol francês, o “Le Podcast du Foot”, apresentado por Eduardo Junior e que contou com as análises de Filipe Papini e Vinícius Ramos.

Ouça no player abaixo:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

>>Faça o download deste podcast:

O verdadeiro campo dos sonhos

Lyon 4x4 PSG foi o grande jogo da rodada na França

Em meio a um mundo cheio de coisas – desculpe, mas foi a melhor definição que encontrei para definir – na internet, volta e meia encontramos algo bacana e que nos ocupa algum tempo. Um desses locais é o blog “O Campo dos Sonhos“. O dono do blog, autointitulado como Gaius Ceaser – nome de Augusto, um antigo Imperador Romano – posta com frequencia alguns links com jogos históricos. 98% dessas partidas são completas e muitas vezes é bom acompanhar essas pelejas para notar as mudanças do futebol antigo pro atual.

Mas vocês sabiam que existe um verdadeiro “Campo dos Sonhos”? Este campo está no Stade Gerland. A casa do Olympique Lyonnais proporciona a seus torcedores jogos movimentos e de placares elásticos.

Les Gones se acostumaram com isso principalmente na última década, mas como pontapé inicial na nova série de dez anos, eles viram Lyon e Paris Saint-Germain empatarem em 4×4. Confira abaixo, alguns jogos marcantes no Gerland.

22/10/2002 – Lyon 3×3 Internazionale

Era a quarta rodada da primeira fase de grupos da UEFA Champions League da temporada 2002/03 e em jogo bem aberto, Lyon e Inter ficaram no 3×3. O time francês foi para o intervalo vencendo por 2×1 e na etapa final, cedeu a virada. Porém, Sonny Anderson, autor do primeiro gol do OL, salvou o time que na época era treinado por Paul Le Guen, 3×3.

08/03/2005 – Lyon 7×2 Werder Bremen

O confronto era válido pelas oitavas-de-final da Champions League da temporada 2004/2005 e o Lyon, campeão francês, já havia vencido o Werder Bremen, campeão alemão, por 3×0. No duelo de volta, disputado no Gerland, o time ainda treinado por Le Guen matou o duelo na etapa inicial, ao ir pro intervalo com 3×1 de vantagem. Na etapa final, a maionese desandou e com dois gols de Wiltord, um cada de Malouda, Essien e Berthod, o Lyon meteu 7×2 no Bremen.

13/06/2006 – Lyon 8×1 Le Mans

Esse jogo marcava o fechamento da temporada para o Lyon. Les Gones eram campeões de forma antecipada, era também o quinto título consecutivo. Na festa realizada no Stade Gerland, a língua principal foi a portuguesa. O gol inicial, porém, único do Le Mans, foi marcado por Grafite – que anos mais tarde despontaria no Wolfsburg campeão alemão. Só que Fred anotou três gols, Cris e Juninho marcaram um cada e o português Tiago também deixou sua marca. No final da partida, o marcador era de 8×1 para os campeões nacionais.

08/11/2009 – Lyon 5×5 Marseille

Esse com certeza foi um dos jogos mais marcantes de todos, uma das partidas mais emocionantes da última década na França. Após 1º tempo movimentado e que terminara empatado em 2×2, o Marseille abriu na etapa final o confortável placar de 4×2. Só que em uma grande remontada – com ajuda da arbitragem, diga-se de passagem -, o Lyon conseguiu a virada com dois gols de Lisandro e um de Michel Bastos. O 5×4 que parecia ser definitivo, acabou se transformando em um 5×5. Em saída esquisita de Lloris – que já havia falhado nos dois primeiros gols -, M’Bia deixou tudo igual. Certamente foi o grande jogo daquela edição da Ligue 1.

E no último fim de semana, o jogo que, digamos, selou a abertura dos duelos com placares malucos no Stade Gerland, Lyon 4×4 Paris Saint-Germain. O time de Michel Bastos, Lisandro, Gomis e cia. jogava mal, mas em uma recuperação incrível, abriu 3×1 e posteriomente 4×2. O PSG pressionou demais na etapa final, Carlo Ancelotti mexeu muito bem no time e o 4×4 obtido pelo time de Paris nos últimos minutos fez justiça ao marcador.

O preço alto da soberba

É, Pastore... Não deu! (Reprodução: PSG.fr)

Durante toda a história, somente dois clubes franceses conquistaram torneios continentais: o Olympique de Marseille, que já foi campeão da Liga dos Campeões e o Paris Saint-Germain, que já ergueu a Taça das Taças.

Não são números pra lá de expressivos, muito pelo contrário. Mas levando em conta a quantidade absurda de jogadores que os times franceses cedem para grandes clubes de outras ligas, dava para imaginar resultados melhores. Se os clubes do país tivessem um maior poder aquisitivo, não só manteriam muitos jogadores como formariam equipes capazes de bater de frente com as grandes forças européias.

Mesmo assim, estando colocada em um posto de destaque mediano no cenário continental, os times da França se sentem no direito de “esnobar” um torneio como a Europa League.

Na temporada passada, o Lille, por exemplo, futuro campeão francês e contando com o entrosado trio Hazard-Sow-Gervinho, jogou boa parte da Liga Europa com time misto. A gota d’água foi no mata-mata contra o PSV Eindhoven. Após empatar em casa por 2×2, o técnico Rudi Garcia mandou pro jogo de volta, na Holanda, um time quase reserva. Moussa Sow e Hazard entraram em campo quando a vaca já estava se dirigindo pro brejo mais próximo.

Na atual temporada, Lyon e Marseille até que fizeram bonito na Uefa Champions League – ambos conseguiram no sufoco suas qualificações pro mata-mata – mas o Lille deu vexame ao cair fora da competição sem nem pegar Liga Europa.

Na própria Europa League, o vexame foi maior. O Rennes não se classificar é normal. O time rubro-negro não tem como costume disputar competições continentais e a falta de experiência era totalmente aceitável. Mas o Paris Saint-Germain???? Vexame!

A Qatar Sports Investiments botou muita grana no clube, trouxe nomes de peso como Ménez, Gameiro e Pastore, e o PSG tem muito mais time que muita gente que se classificou. Porém, o descaso do time com o torneio foi grande.

Em casa, o time parisiense fez sua parte. Venceu os três jogos, marcou oito gols e sofreu apenas três. Mas fora de casa, o PSG somou somente um mísero ponto em cima do fraquíssimo Slovan Bratislava. O grande detalhe desses três jogos como visitante, é que o time parisiense estava com time misto.

Agora olha o estrago que essas eliminações tolas poderão causar ao futebol francês:

Esse ranking acima é da UEFA e que indica a posição de cada liga européia. Ele determina quantas vagas para torneios continentais cada país poderá fornecer.

As três primeiras colocadas podem ceder quatro times para a Champions League e mais três para a Europa League. As três seguintes colocações fornecem três vagas para as duas competições. Depois do sétimo ao décimo quarto lugar, são cedidas duas vagas para a UCL e por aí vai…

Neste momento, a França ocupa a quinta colocação no ranking da Uefa, com 53.344 de coeficiente. A Ligue 1 ainda está muito distante da Série A, mas em contrapartida, vê as ligas portuguesa e russa se aproximarem. Se os dois países ultrapassarem a França neste ranking, a Ligue 1 perderá uma vaga na Champions League.

Mais do que nunca, os franceses terão de torcer para Lyon e Marseille chegarem longe na Champions League, pois são os únicos que podem manter as 3 vagas do país para a Champions League. Tanto Rússia, quanto Portugal, tem quatro times disputando as competições UEFA.

Pior vai ser ver depois uma eventual choradeira de “certos times” que possivelmente ficarão de fora da Champions League por ficarem em 4º lugar…

Durma-se com um barulho desses!