Um barcelonista em Saint-Étienne

Garcia foi apresentado oficialmente como novo comandante do Saint-Étienne | Foto: Divulgação/ASSE.fr

Óscar García desembarcou em Saint-Étienne com um árduo desafio pela frente na equipe local. Além de ser o clube de maior expressão que coloca no seu curto currículo como treinador, o espanhol de 44 anos terá a missão de reestruturar uma equipe que passou quase dez temporadas com Christophe Galtier como técnico.

Mas além dos resultados dentro de campo, García tentará propor uma nova filosofia de jogo: o badalado modelo barcelonista.

Promissor meia-atacante, de 1,84m, e com passagens pelas seleções espanholas de base, além da olímpica, em Atlanta, 1996, ele foi formado no Barcelona, por onde atuou entre 1984 e 1999 – contabilizando tempo de base e profissionalismo. Nesse período, conviveu com grandes jogadores e, principalmente, com grandes treinadores, como Johan Cruyff. Foi da convivência com o holandês que García ganhou o incentivo para virar técnico (foi auxiliar de Cruyff na seleção da Catalunha) e propagar a filosofia de jogo barcelonista.

Em 2013, quando treinava o Brighton, na segunda divisão inglesa, o espanhol foi entrevistado pelo The Independent e deixou muito clara a citada influência de Cruyff. “Você pode ver que dos jogadores que ele teve enquanto foi nosso treinador, a maioria é treinador agora, porque aprendemos muito. Estamos tentando ensinar aos nossos jogadores o que ele nos ensinou”, disse.

“Uma das coisas incríveis que me lembro era de que antes das partidas, Cruyff explicava o que pensava que aconteceria no jogo. Os jogadores achavam que ele era louco. Mas, na maioria das vezes, acontecia o previsto”, acrescentou.

Na mesma ocasião, García afirmou que cresceu com a mentalidade e a filosofia do Barcelona, inclusive, ajudou a formar jogadores como Rafinha Alcântara, Mauro Icardi e Gerard Deulofeu, que passaram pelo seu crivo nas canteras do clube catalão.

“Você precisa da bola”

O tiki-taka, filosofia de jogo que ficou conhecida no período de Pep Guardiola no comando do Barcelona, tem como alguns dos princípios a manutenção da posse de bola, realização de passes diagonais, curtos e em todas as direções.

Como manda o figurino, García tenta fazer com que seus times apliquem este conceito e explica que sua filosofia é ter a bola e passa-la quantas vezes for possível até encontrar o espaço. “Você precisa da bola, mas também precisa saber o que fazer com ela. A bola tem que correr, mas isso não significa que o jogador tenha que correr tanto quanto ela, mesmo que seja evidente que o jogador deva estar bem preparado para entrar na dinâmica”, disse ao Independent.

Na mesma entrevista, o espanhol ainda detalhou que a proposta que apresentava aos atletas do Brighton era sempre retomar a bola o mais rápido possível – esse “rápido” tem prazo de 5 segundos.

O discurso é muito bonito e dá a entender que o Saint-Étienne terá um panorama diferente na temporada. Veremos na prática. Como já foi debatido na última edição de Le Podcast du Foot, o ASSE será um dos times mais interessantes a ser visto na próxima Ligue 1 e a razão é a chegada de um barcelonista, que promete revolucionar o time verde.

Pré-temporada

Para medir a temperatura do início de trabalho, o Saint-Étienne fará cinco amistosos ao longo da pré-temporada:

5 de julho | Saint-Étienne x Nyon (3ª divisão suíça)
8 de julho | Saint-Étienne x Ajaccio
15 de julho | Saint-Étienne x Dijon
22 de julho | Saint-Étienne x Real Sociedad
26 de julho | Saint-Étienne x Montpellier

A rodada de abertura da Ligue 1 está programada para acontecer entre os dias 4, 5 e 6 de agosto e o Saint-Étienne começara em casa contra o Nice, de Lucien Favre.

Óscar García

Clubes:

2009-10 | Seleção da Catalunha (auxiliar)
2010-12 | Barcelona (base)
2012-13 | Maccabi Tel-Aviv
2013-14 | Brighton
2014 | Maccabi Tel-Aviv
2015-17 | Red Bull Salzburg

Títulos:

2012/13 | Campeonato Israelense – Maccabi Tel Aviv
2015/16 | Campeonato Austríaco e Copa Austríaca – Red Bull Salzburg

Anúncios

Le Podcast du Foot #65 | Os novos técnicos da Ligue 1

A temporada 2017/18 do Campeonato Francês promete ser interessante nas casamatas dos 20 times participantes. Isso porque alguns clubes optaram por trazer novos treinadores e apostaram em nomes que prometem mudar o cenário do torneio.

O nome mais chamativo é o de Marcelo Bielsa (foto). Referendado técnico, tido como exemplo para muitos treinadores, como Pep Guardiola, o argentino retorna à França após dois anos para comandar o Lille.

Outros times que apostam em novos técnicos são Saint-Étienne e Nantes. Os Verdes trouxeram Óscar García, ex-Red Bull Salzburg, e os Canários apostam no italiano Cláudio Ranieri, campeão inglês com o Leicester City na temporada 2015/16.

Esse novo cartel de treinadores da Ligue 1 foi tema de debate em Le Podcast du Foot #65. Eduardo Madeira, Filipe Papini e Renato Gomes discutiram o assunto na nova edição do programa.

Ouça abaixo e deixe sua opinião abaixo!