Origi e Ruiz: As esperanças do Lille

Em 2011, o Lille uniu futebol vistoso com títulos

Em 2011, o Lille uniu futebol vistoso com títulos

Landreau – Debuchy, Chedjou, Rami e Emerson – Mavuba, Cabaye e Obraniak – Hazard, Sow e Gervinho

A formação citada acima foi a utilizada por Rudi Garcia no dia 21 de maio de 2011. Com esses onze atletas, mais Frau, Gueye e Túlio, o Lille empatou com o Paris Saint-Germain na capital e conquistou o Campeonato Francês, título que não vinha há mais de 55 anos.

Mais do que o caneco levado para casa, os Dogues se livraram do estigma de time que praticava um futebol bonito e vistoso, mas que sempre saia de campo derrotado. Além da técnica apresentada dentro das quatro linhas por Hazard, Cabaye, Gervinho e companhia, os números também fizeram com que aquele título se tornasse incontestável. O Lille foi a equipe que mais venceu naquela temporada (21), a que menos perdeu (4), a que mais fez gols (68) e a que menos viu suas redes serem balançadas (36).

Dois anos e alguns quebrados se passaram e daquele time só restam as marcantes lembranças. O Lille começou a temporada 2013/14 com apenas seis remanescentes daquela conquista: Franck Béria, Rio Mavuba, Florent Balmont, David Rozehnal, Idrissa Gueye e Túlio de Melo. Desse sexteto, apenas Mavuba pode ser considerado um jogador de vital importância naquela equipe, afinal, era o capitão, mas dos demais, apenas atletas que flutuavam entre o time titular e reserva.

Até mesmo Rudi Garcia, que havia assumido o comando técnico em 2008, se transferiu para a Roma ao término da última temporada. René Girard, treinador campeão nacional em 2012 com o Montpellier tornou-se o substituto.

Como se essas mudanças não fossem o bastante, hoje o Lille joga no moderníssimo estádio Pierre Mauroy (após muita confusão com os tão falados naming rights) e não mais no simpático Lille Métropole.

Diante de tantas mudanças e com a perda do jogador que tinha tudo para ser o grande astro da equipe nos próximos anos (Dimitri Payet, transferido para o Marseille), o Lille passa a apostar todas as suas fichas na garotada que sabe garimpar tão bem.

Aos 18 anos, Origi tem sido o titular de René Girard

Aos 18 anos, Origi tem sido o titular de René Girard

Para o ataque a grande esperança é Divock Origi, jogador de 18 anos. Sua chance é fazer o que nem Nolan Roux e Túlio de Melo foram capazes de fazer: substituir Moussa Sow a altura. Desde que o senegalês foi contratado pelo Fenerbahçe, o Lille sofre com atacantes irregulares e de poucos gols. Em dois anos no clube, Sow balançou as redes 32 vezes, enquanto isso, Roux e Túlio marcaram juntos 24 gols nesse período sem o senegalês.

O queniano Origi sempre teve o futebol na veia, já que seu pai, Mike Origi, foi atacante por mais de dez anos na Bélgica e sua família mora lá há muito tempo, até por isso Divock defende as seleções de base do país belga. Porém, a federação queniana já se mexe para tentar convencê-lo a defender a nação que Mike defendeu.

Com apenas 12 jogos no Campeonato Francês, Origi já tem dois gols com a camisa do Lille, sendo o primeiro em fevereiro, contra o Troyes. Na ocasião, o garoto entrou em campo aos 23 minutos da etapa final e balançou as redes menos de dez minutos depois. Com Garcia, nunca teve muito mais do que 20 minutos em campo, mas com Girard foi titular nos dois jogos e fez o gol da vitória do Lille na estreia da temporada.

Ruiz fez sucesso em sua rápida passagem pela segunda divisão belga

Ruiz fez sucesso em sua rápida passagem pela segunda divisão belga

A outra aposta vem da Costa Rica: John Jairo Ruiz de 19 anos, também atacante. O garoto revelado pelo Deportivo Saprissa chegou a receber uma proposta formal do Barcelona em 2011, mas tornou-se um Dogue no ano seguinte. Ainda “verde”, Ruiz passou uma temporada no Royal Mouscron, clube da segunda divisão belga.

O costarriquenho foi grande destaque da equipe que quase subiu a elite do país, anotando 15 gols em 26 partidas, sendo o artilheiro do Mouscron na temporada, antes de voltar ao Lille.

Em entrevistas a imprensa da Costa Rica, Ruiz comentou que conversou com Girard e o técnico lhe pediu calma para desenvolver seu futebol e que costuma dar oportunidades aos jovens, servindo de alento para o segundo costarriquenho na história do futebol francês (Joel Campbell no Lorient foi o precursor).

Talento, Origi e Ruiz têm de sobra. Além da juventude, o que dá uma margem gigantesca para evolução, ambos ainda contam com a sustentação de alguns pilares como Mavuba e Balmont, jogadores experientes e de forte relação com a exigente torcida lillois. Mavuba, aliás, é o jogador que mais conversa com Ruiz, segundo destaca o próprio costarriquenho.

O que falta mesmo ao Lille é que essa pressão não recaia somente sobre a dupla. É preciso que Marvin Martin volte ao planeta Terra e demonstre o futebol que o levou à seleção francesa jogando pelo inexpressivo Sochaux, assim como Salomon Kalou precisa definir sua situação no clube para se tornar mais uma alternativa para Girard.

UM CASO A PARTE

Você deve estar se perguntando o motivo de não ter citado Florian Thauvin, principal reforço do Lille para esta temporada (contratado ainda no início deste ano). Considero o atleta um caso a parte. Toda novela envolvendo sua possível transferência para o Marseille ou até mesmo para o futebol inglês me deixa com a nítida impressão de que não ficará muito tempo nos Dogues.

Não digo isso por causa das especulações, mas sim por um caso muito parecido que envolveu um jogador que viria a vestir a camisa do Lille: Dimitri Payet. Na temporada 2010/11, o meia-atacante estava voando pelo Saint-Étienne e despertando interesse de várias equipes, entre elas o, na época “pobre”, PSG.

Poucos dias antes do fechamento da janela de transferências, Payet começou a forçar a barra para conseguir uma negociação, chegando a deixar de treinar e até de jogar. O Saint-Étienne bateu o pé e não vendeu o atleta no meio da temporada. Seis meses depois, Payet foi transferido para o Lille com um valor parecido ao proposto pelo PSG, com alguns detalhes mínimos persuadindo o Saint-Étienne.

Foi apenas um reforço da tese “quando o jogador bate o pé, não tem dirigente que dê jeito” e com Thauvin a situação parece ser a mesma. Ele pode até vestir a camisa do Lille e mostrar seu talento em alguns jogos, mas não o coloco como personagem central de um novo cenário pro clube. Deveria ser, é verdade, mas toda novela envolvendo sua saída faz com que não coloque minhas fichas nisso.

Imagens: Losc.fr

Considerações finais sobre a Ligue 1

A Bundesliga se encerrou com o Borussia Dortmund campeão e com o Wolfsburg se salvando do descenso na última rodada. Na Inglaterra, o Manchester United era campeão inglês, o Arsenal iria pra fase prévia da Champions League, enquanto o campeão da Carling Cup, o Birmingham, era rebaixado. Na Espanha, o Barcelona garantia o título e o Málaga era salvo por Júlio Baptista. Na Itália, o Milan era campeão, Napoli e Udinese voltavam a Champions e a Sampdoria era rebaixada. Faltava mais um campeonato a se encerrar.

Não falta mais. Hoje tivemos a última rodada da Ligue 1. Faço abaixo as considerações finais sobre o torneio.

A torcida do Lille tirou a barriga da miséria com dois títulos (AFP)

– Título mais do que merecido pro Lille. O time do norte francês apresentou o melhor e mais vistoso futebol do torneio. Melhor ataque com 65 gols e segunda melhor defesa, com 34 gols sofridos. O trio Gervinho-Hazard-Sow foi o diferencial da equipe.

– Mas o título do Lille se tornou mais possível ainda devido aos tropeços tolos do Olympique de Marseille, que encerrou mal a temporada. Heinze já disse que vai embora. Talvez aconteçam mais mudanças.

– O Lyon não mereceu ir para a Champions League… muito menos o PSG. As duas equipes tropeçaram muito nas últimas rodadas. O OL somou 8 pontos dos últimos 15 e o Paris somou 4, ou seja, foi pra UCL o time que errou menos. Mas se fosse possível fazer uma ‘doação’ de vagas, doaria essa vaga da França pro Hannover na Alemanha.

Carlão ajudou o Sochaux nesta caminhada para a UEL. Ele renovou seu contrato até 2014

– O Sochaux jogará a Europa League muito por sua bela campanha no Stade Auguste Bonal. Dos 58 pontos conquistados pelo time do Franco Condado, 40 foram conquistados em seu estádio. Só Lille e Lyon conseguiram mais pontos como mandantes.

– O Rennes, que chegou a brigar pelo título, caiu demais e ficou fora até da Liga Europa. Isso graças a sua vertiginosa queda nas últimas rodadas. Depois que emendou cinco vitórias seguidas do jogo contra o PSG (1×0 em 05/02) até o 1×0 sobre o Montpellier (05/03), o Rennes jogou mais 12 partidas e venceu só uma. Foram pontos que fizeram muita falta, que caso fossem somados, poderiam deixar o time da Bretanha até com chances de título.

– O Bordeaux foi a grande decepção da temporada. Houve uma grande mexida no elenco e até no comando técnico. Tigana, que substituiu Blanc só estragou um time que já estava aos pedaços e foi demitido no fim da temporada. Brigas, trocas e péssimos negócios marcaram essa péssima temporada dos Girondins.

– Nessa listinha de decepções, entram também Auxerre, Toulouse e Saint-Etienne. O AJA foi a grande surpresa da última temporada, tendo chegado até na fase de grupos da Champions League, mas na atual temporada, chegaram até a figurar na zona de rebaixamento. Já as campanhas de TFC e ASSE começaram de forma empolgante, com os dois lá em cima, mas logo caíram e terminaram a Ligue 1 de forma irregular.

– O saco de pancadas do torneio foi o Arles Avignon, com ridículos 12 pontos e somente duas vitórias. Foram 21 gols marcados e 70 sofridos, pior ataque e pior defesa.

Derrota por 2x0 diante do Lyon, rebaixou o Monaco

– A nota triste do torneio fica por conta do rebaixamento do Monaco, 7 vezes campeão nacional. O time do principado precisava somente vencer o Lyon, mas perdeu por 2×0 e caiu pra Ligue 2. Foi simplesmente o desfecho de uma má organização que já dura anos. A campanha do Monaco foi muito irregular. Só pra tomar de exemplo, no mês de abril, os vermelhos e brancos somaram 9 pontos de 12 e chegaram a vencer o Lille, futuro campeão. Mas no mês de maio, foram somados 6 pontos em 15. Essa irregularidade pesou na queda.

– Só pra fechar: acho que na próxima temporada a mídia deveria dar mais espaço pra Ligue 1, que provou nesta temporada que pode sim ser tão boa quanto qualquer outra. Muito equilíbrio, – algo que muita gente diz pesar a favor do Brasileirão – primeiro na briga pelo título e depois de uma filtrada na luta, veio a briga contra o descenso. Na última rodada, tínhamos 9 times querendo escapar do descenso.

O outro ponto é de opinião minha: Prefiro ver os garotos do Lille jogarem do que o experiente time do Manchester. Não estou dizendo que um é melhor que o outro, só que prefiro ver Hazard-Gervinho-Sow do quê Rooney-Chicharito-Giggs. É só questão de gosto.

O que rolou de novo na parada da Copa

*Bom, o Europa Football está de volta, em novo endereço, novo formato, mas com a mesma qualidade de sempre. Os primeiros posts irão falar do mesmo assunto, o que rolou na parada da Copa do Mundo, que não é muito bem uma parada, pois o que os clubes se movimentam é algo fora do comum, os times só não jogam, mas se mexem. Começamos falando na Alemanha.

Ele voltou

Durante 1999 e 2002, Michael Ballack vestiu a camisa do Bayer Leverkusen. Após passar algum tempo no Bayern de Munich e mais algum tempo no Chelsea, ele está de volta, o camisa 13 foi contratado pelo Leverkusen. Certamente foi a movimentação que mais mexeu com o mercado alemão.  O Leverkusen não terá que pagar nada, pois o contrato de Ballack com o Chelsea havia acabado

*O que uma Copa do Mundo faz. Você certamente não sabia quem era Jong-Tae-Se antes da Copa e de saber que a seleção dele, a Coréia do Norte enfrentaria o Brasil. Pois é, na Ásia ele é chamado de Rooney Asiático, e o Bochum está de olho no atacante chorão.

*Marko Arnautovic surgiu muito bem no Twente, mas ao se transferir para a Internazionale, pouco jogou, agora ele tenta a sorte no Werder Bremen. Seu contrato com o clube alemão é de quatro anos. Vamos ver no que dá. Ele tem apenas 21 anos, surgiu de forma avassaladora no Twente, esperava que ele pudesse surpreender na Inter, não foi o que aconteceu, espero ver coisa melhor agora no Bremen.

*Você que acompanha a Bundesliga ou apenas a Seleção da Alemanha, com certeza já deve ter ouvido o nome de Gerald Asamoah. O atacante de 31 anos, deixou o Schalke 04 e assinou com o St. Pauli, time recém promovido a primeira divisão alemã. Asamoah assinou por dois anos com o St. Pauli e ele estava há 10 anos jogando no Schalke, só que nos últimos anos ele acabou perdendo muito espaço.

Armin Veh em mais um desafio na Alemanha

Armin Veh é aquele tipo de treinador que conquista um título, fica valorizado, busca outros ares, mas não se firma. Ele conquistou um título alemão com o Stuttgart, mas não se acertou mais nesse clube, foi para o Wolfsburg, que começava a temporada 2009/2010 com o rótulo de atual campeão, mas fracassou, levou o time ao fundo do poço, time esse que tinha a mesma base campeã alemã, acabou sendo demitido. Mais um clube grande lhe dá uma chance. O Hamburgo, que demitiu Bruno Labbadia no fim da temporada, aposta em Veh para a próxima temporada. Vamos ver se ele arma um bom time ou se ele apenas amontoará onze atletas em campo.

*De volta a Champions League, o Schalke 04 está tentando montar um time competitivo, e trouxe a revelação grega Kyriakos Papadopoulos, de 18 anos, que estava no Olympiakos. Ele certamente será banco, isso se não for emprestado para ganhar experiência, pois o Schalke além de Bordon, trouxe Metzelder, que estava no Real Madrid e Tim Hoogland, que defendia o Mainz.

*Zoran Tosic pertencia ao Manchester United, mas foi um dos responsáveis por evitar o rebaixamento do Colônia. O time de Podolski não só perdeu o atleta de volta, como a chance de tê-lo por pelo menos mais uma temporada foi pro espaço, ele acertou com o CSKA. No post reservado para falar das outras ligas especifico essa transação.

FUTEBOL INGLÊS

A Inglaterra toda o quer

Começamos falando do jogador mais falado no futebol inglês: Joe Cole. O Chelsea pelo jeito não renovará seu contrato, e agora, Deus e o mundo o querem em seus elencos, começamos com o Tottenham. O técnico Harry Redknaap, disse em entrevista ao The Sun que o clube já está articulando um planos para trazê-lo para os Spurs. O Tottenham já conversou com o agente de Cole. Só que dias antes, o mesmo The Sun havia publicado que o destino de Joe Cole deveria ser o Manchester United. Só que a fonte do jornal inglês de certa forma não chega a ser confiável: Os amigos de Cole, amigos esses que teriam dito que o destino preferido de Cole seria o Manchester United, é esperar para ver.

*Quem está se mexendo mesmo é o West Ham. Os donos David Sullivan e David Gold prometeram reforços. Começaram com o banco. Avram Grant chega para comandar a equipe. O israelense, ex-Chelsea e Portsmouth, substituirá Gianfranco Zola. Pro meiocampo, chegou o alemão Thomas Hitzlsperger, que defendia a Lazio. Bom jogador, tem boa chegada de trás e finalização.  O resto é só na especulação e é especulação de certa forma, de tremer as estruturas.

Alguns jornais de São Paulo dizem que Neymar, do Santos, está com um pé no West Ham. Muita gente pensa que seria ruim pro garoto, já que o West Ham ultimamente só briga contra o descenso e sei lá mais o que, já eu, acho que seria de certa forma, um bom desafio pro garoto, caso ele queira assumir uma responsabilidade, já que se ele fosse pro West Ham, seria o astro do time, viria com toda a pinta, poderia botar a bola debaixo do braço e dizer: “Eu sou o craque, eu vou liderar essa equipe”. Seria bom, ainda mais com a outra especulação que surgiu em torno do West Ham. Román Riquelme, o próprio. Ele está com problemas no Boca Juniors e está de saída, o West Ham está aí. O jornal Daily Mail disse que Román já recusou a proposta de outro clube inglês.

Trocando de clube

Será que é uma boa troca? Joe Cole está de saída do Chelsea, para seu lugar, Carlo Ancelotti pediu a contratação de Yossi Benayoun do Liverpool, e pelo que está circulando, Chelsea e Liverpool estão próximos de um acerto. Não sei se é uma boa troca. Joe Cole é veloz, habilidoso, finaliza bem, tem muitas qualidades, já as qualidades que eu enxergo no Benayoun são o seu esforço em campo e sua não omição, no resto, pode-se dizer que é um jogador comum. Fora o fato de Benayoun ser mais velho, ou seja, o Chelsea perde a chance de renovar com um jogador jovem, que ainda tem muito o que render, para acertar com um jogador mais velho, que quando tiver seu contrato acabado, será de certa forma um jogador imprestável, enquanto Cole, teria um gás ainda.

*Carlos Tévez foi o primeiro a virar a casaca, Vidic pode ser o próximo. O jornal inglês The Sun publicou que Nemanja Vidic pode se transferir para o Manchester City. Os Sky Blues deverão oferecer 20 milhões de libras pelo zagueiro sérvio. A saída de Vidic é tão eminente, que o United está de olho em Kjaer do Palermo.

*Ainda falando de jogadores sérvios… Nikola Zigic está trocando de clube. O gigante de 2,02 metros de altura está deixando o Valencia e vai para o Birmingham. A transação girou em torno dos 7 milhões de euros e Zigic jogará no Birmingham por quatro temporadas. Achei uma boa pro sérvio, trocar as idas e vindas no Valencia para buscar a sorte na Inglaterra, gostei.

*Quem também fez um bom negócio foi o Bolton. Acertou a contratação de Martin Petrov, que estava no Manchester City. O búlgaro até que estava bem, mas convivendo com lesões, mas após essa temporada, onde o City trouxe vários “jogadores de nome”, ele acabou perdendo espaço.

*Você se lembra de Beckford? Se não, refresco sua memória. Ele estava no Leeds United, na 3ª divisão, fazendo um caminhão de gols e foi o responsável pela eliminação do Manchester United na Copa da Inglaterra, marcando o gol que eliminou o gigante inglês. Pois é, ele se reunirá a Cahill, Pienaar, Howard e cia no Everton. Beckford fez 31 gols nesta temporada e ajudou o Leeds a subir para a segundona inglesa, só que sem contrato, pulou para a primeira divisão.

FUTEBOL FRANCÊS

Buscando um lugar ao sol

Um dos destaques do Rennes na temporada passada foi o atacante Jimmy Briand, marcando cinco gols em vinte e três jogos. Ele assinou um contrato de quatro temporadas com o Lyon.  Claude Puel mostrou-se contente com a vinda de Briand, enquanto o atacante mostrou-se feliz em poder jogar uma Champions League. Será que agora o Briand desbanca Sidney Govou? Gostei, boa contratação, tem personalidade dentro de campo.

Ainda falando do Lyon, o jornal L’Equipe apurou a noticia de que o clube está de olho em Paulo Henrique Ganso. A proposta pelo camisa 10 santista seria de 20 milhões de euros. Seria uma boa, não só pelo jogador que Ganso é, mas também porque o Lyon precisa de um camisa 10. Outra especulação lyonesa é de que Rami, do Lille, estaria vindo por 10 milhões de euros.

*Finalmente achei um site com especulações no futebol francês, é o L’Equipe, e lá, além de passar a informação de que o Lyon quer Ganso, fala que para substituir Chamakh, o Bordeaux está de olho em Rémy, do Nice.

Venha Anderson, a torcida parisiense lhe acolherá

Olha o meu PSG aí, gente!!!! Anderson pode aparecer na capital francesa. Mas calma, tem mais interesses no meio. Dizem as más línguas que Alex Ferguson gostou de Sessegnon, o habilidoso Sessegnon. Em troca, os ingleses mandariam o brasileiro Anderson pro PSG. Olha, aceitamos. O Sessegnon “está verde” ainda. A pressão no PSG temporada passada foi gigantesca, e ele mostrava muito nervosismo. Driblava, mostrava habilidade, mas acaba errando muito e em certo jogos, se omitindo, quem sabe Alex Ferguson para tornar Sessegnon um jogador de alto nível?

*Deus e o mundo querem Luís Fabiano, Didier Deschamps disse querer o Fabuloso no Marseille. A briga é grande pelo camisa 9 do Brasil.

*Saindo do campo da especulação, entrando no campo das transações confirmadas, o Marseille, o mesmo time que está de olho em Luís Fabiano, acertou a contratação de César Azpilicueta, garoto de 20 anos, estava no Osasuna. Dizem ser uma grata revelação do futebol espanhol, vamos ver como se sai na França.

*O Mônaco está se mexendo, trouxe alguns jogadores desconhecidos, outros pouco conhecidos, como Hansson, que estava no Rennes, o mais conhecido é Daniel Niculae. Bom atacante, estava no Auxerre e assinou por três temporadas.

*No Bordeaux, a mexida mais representativa foi a vinda do novo treinador, o ex-jogador Jean Tigana. Ele vem pro lugar de Laurent Blanc.

*No Lille, chega Moussa Sow, que estava no Rennes. O bom atacante, ex-Rennes, chegando prometendo gols e chega sonhando em ir longe na Liga Europa.

Grande contratação

Tentando sair do quase… fomos pra Liga Europa, quase… ganhamos de um grande, o Rennes está se reforçando e sua melhor contratação foi Victor Hugo Montaño, um dos grandes destaques do Montpellier na última temporada.

*Só para completar, todos já sabem, mas só para garantir, Laurent Blanc deixou o Bordeaux e assumiu o comando da Seleção da França. Vamos ver se ele dá um jeito, porque aquilo não é uma bagunça, a seleção francesa simplesmente é uma “Casa da Mãe Joana Organizada”, não entra quem quer, entrava quem o Domenech queria ou eventualmente que uma “panelinha” queria, mas fazia o que bem entendia, vamos ver se Blanc põe ordem na casa.