Le Podcast du Foot #59 – Os franceses lá fora

LPDF 59

Foto: Reprodução

Le Podcast du Foot chega a sua edição #59 para falar das ambições das equipes da França em âmbito europeu. A fase de grupos da Uefa Champions League começa nas próximas semanas e os times franceses estão se preparando para fazer bonito. Paris Saint-Germain, Monaco e Lyon fazem as últimas contratações e os primeiros ajustes antes do debute em seus respectivos grupos.

O time da capital francesa, equipe mais forte do país, ficou no grupo A, ao lado de Arsenal, Basel e Ludogorets. O Lyon, vice-campeão francês na última temporada, caiu numa chave difícil, a H, ao lado de Juventus, Sevilla e Dínamo Zagreb. Já o time do Principado terá pela frente Bayer Leverkusen, Tottenham e CSKA Moscou, no grupo E.

Nesta edição, se reuniram Eduardo Madeira, Filipe Papini e Renato Gomes para analisar e projetar a participação francesa na Champions League. Além disso, demos uma palhinha do que pode acontecer na Liga Europa.

Clique abaixo e ouça o programa!

lpdfp

Anúncios

Quarta força… e caindo!

As derrotas se tornaram rotina para o Arsenal

Depois da Bundesliga e da Ligue 1, é a vez da Barclays Premier League se iniciar. Nesta temporada, o Campeonato Inglês tem um favorito disparado: o atual campeão nacional e vice-europeu, o Manchester United, além de times que almejam esse posto devido os grandes investimentos, como o novo rico, Manchester City e o sedento por títulos, Chelsea.

Mas a temporada 2011/12 pode culminar no declínio absoluto em algo de gosto duvidoso que é feito há anos por um dos mais tradicionais clubes do país: a política de contratar jovens valores feito pelo Arsenal.

É de conhecimento de todos que há algum tempo que os Gunners não fazem grandes investimentos nas janelas de transferências e decidem apostar mais em garotos. Claro que se investir em moleques há os prós e contras, mas a parte contrária parece pesar de forma esmagadora no clube londrino.

O Arsenal tem um longo histórico nos últimos anos de contratar garotos que se destacam na base de clubes e seleções de fora da Inglaterra, sempre mostrando que podem ter um futuro imenso. Mas quando chegam ao clube londrino, mostram exatamente o contrário: falto de preparo, nervosismo e afobação.

Adeus e até a próxima?

Mas como foi citado anteriormente, há os prós também. Cesc Fábregas e Samir Nasri estão no Arsenal desde jovens – Nasri ainda teve experiência no Marseille – e hoje são grandes pilares da equipes. Mesmo Cesc não me parecendo um líder como era Vieira ou Henry, é nítida a mudança de comportamento dos demais jogadores quando ele está em campo. Já Nasri é importante pois sempre joga e é regular.

Mas de que adianta ter os dois se não vem mais ninguém para ajudar?

De que adianta ter Fábregas e Nasri se quando van Persie não joga, a esperança de gols fica para Bendtner, mais uma aposta furada de Arsene Wenger?

De que adianta a dupla, se o lateral direito é Sagna, que acerta um cruzamento de vinte tentados?

Poderiamos ficar nisso o resto do dia…

Mas o fato é que esses negócios de gosto duvidoso vão derrubando o Arsenal. Nasri e Fábregas devem sair do clube e a responsabilidade, que já era grande, ficará ainda maior para cima dos garotos citados acima.

Menos mal que há Jack Wilshere, grande esperança do futebol inglês pro futuro.

Mas entrando de vez no tema central do post, lembro que após essa janela de transferências e o início da nova temporada, poderemos ter uma nova configuração de “forças do futebol inglês”.

Se formos olhar através dos últimos anos, colocaremos o Manchester United como principal força, graças aos títulos nacionais e as boas colocações obtidas em torneios Uefa. Logo em seguida, vem o Chelsea, que como foi citado antes, é sedento por títulos e para saciar essa sede, gasta dinheiro como se não houvesse amanhã. A terceira força deveria ser o Arsenal, mas eu não penso assim.

Já não é de hoje que os Gunners fazem boas temporadas, mas destoam em clássicos e jogos bobos, deixando a conquista do título como impossível. A gota d’água foi na temporada passada. O United começou a tropeçar em alguns jogos e o Arsenal tinha tudo para encostar, mas tropeçou mais que o rival e caiu demais na tabela. A derrocada foi tão vertiginosa, que os Gunners terão de disputar a fase prévia da Champions League, isso porque acabaram em quarto na última temporada do Campeonato Inglês, logo atrás de United, Chelsea e Manchester City.

Gervinho que se vire...

Temo pelo desempenho gunner nessa temporada. Apenas três reforços: Gervinho, Campbell e Oxlade-Chamberlain. Gosto demais do futebol do marfinense, mas não será ele que salvará a horta do Arsenal. Campbell tem feito barulho na Costa Rica, mas não é de hoje que os Gunners fracassam ao trazer jogadores daquela região do planeta. Já Chamberlain tem 17 anos e é uma promessa do futebol inglês, que jogava no Southampton. Os três negócios não animam em nada o torcedor do Arsenal…

Menos mal que o Arsenal se livrou do traste Clichy e o garoto Gibbs poderá mostrar para que veio no mundo futebolístico, mas volto a destacar a possível saída de Nasri e Fábregas. Se isso acontecer, o time “que necessitava só de amadurecimento e umas peças aqui e ali”, vai virar um time comum, com jogadores normais e um ou outro que se diferencia dos demais.

Pior ainda é ver que o posto de quarta força – que já não é algo agradável para um time 13 vezes campeão nacional – pode ser perdido.

Tottenham e Liverpool despontam como principais candidatos a essa simbólica vaga.

Os Spurs já tem uma base firmada há algumas temporadas, base essa que parece se enfraquecer através dos anos, mas não por saída de jogadores, pois a diretoria se mostra firme e não libera facilmente algumas peças, como Luka Modric, desejado pelo Chelsea. Esse enfraquecimento se deve as derrotas que sofrem e o modo como esses tropeços ocorrem.

Liverpool e o gatilho mais rápido da Inglaterra para acertar Suárez

Mas para este blogueiro, o principal time que pode tomar esse símbolo do Arsenal é o Liverpool. Na temporada passada, o time comandado por Kenny Dalglish se acertou durante a segunda metade da temporada e com o dinheiro da New England Sports Ventures, fez a contratação mais eficaz da última temporada na Inglaterra: Luís Suárez.

Se formos colocar em um contexto, poderiamos afirmar que o Ajax seria bombardeado de propostas por Suárez caso ele ficasse no clube holandês até este estágio do ano, mas os Reds foram mais espertos e o contrataram na metade da temporada 10/11. Agilidade que valeu à pena, pois o uruguaio foi muito bem naquele restinho de temporada.

Kenny Dalglish também tem seus méritos ao começar a usar mais garotos, que diferentemente do “esquema Arsenal”, são melhores aproveitados e tem a pressão aliviada. Jogadores como Martin Kelly e Jay Spearing mostraram na última temporada que tem bola para atuar entre os 11 titulares do Liverpool, sem sentir a pressão da enorme fila de títulos do clube.

Ah! Não podemos esquecer dos garotos que vieram de outros clubes, como Andy Carroll, que chegou na metade da última temporada, mas ainda não estorou, vide o grande investimento feito. Para essa temporada, chega um dos destaques do Sunderland, Jordan Henderson, de 22 anos.

O Liverpool se reforçou também trazendo o grande destaque do rebaixado Blackpool. Pode parecer redundante destacar isso como reforço, mas há de se confirmar que Charlie Adam se mostrou um jogador de grande qualidade vestindo a camisa dos Tangerines. Pode acrescentar demais ao elenco red e se tornar uma opção confiável caso demonstre no Liverpool o mesmo futebol que apresentou em seu tempo de Blackpool.

Os Reds se reforçaram bem e mantém o bom trabalho da temporada passada. É um bom modo e voltar a disputar a Champions League, que tem sido algo que não anda no cardápio de competições do clube.

Pelo jeito, Wenger terá de fazer mais consolos

E o Arsenal que se cuide. Poucos negócios feitos e esses “poucos” são de gosto duvidoso, pra não dizer ruins, com garotos que nunca estouram e fazem um jogo bom em nove, dez… Essas negociações duvidosas e a escassez de títulos faz com que destaques como Fábregas e Nasri migrem para outras ligas ou outras forças do país.

É crítica a situação! Se os reforços de peso não vierem, o Arsenal ficará naquela zona que fica entre o 6º e o 3º colocado. Pouco para um time que fica sempre almejando altos objetivos, mas nunca sai de sua zona de conforto.

Quem gosta disso é o Manchester City, que no seu plano de crescimento, desbanca um grande e ainda vai enfraquecendo esse rival.

Wenger precisa rever esse conceito dele de não gastar muito e só gastar com jovens jogadores. Claro, é de cada um o modo de dirigir o clube, mas isso não garante bom futebol, cancha, títulos e até torcida. Aliás, que garotinho vai querer torcer para um time que há anos não ganha nada?

Esse (não) é o Schalke que eu conheço!

Em pouco tempo, Ralf Rangnick já tem influência esse time do Schalke

Os jogos de ida da fase de quartas-de-final da Uefa Champions League já acabaram e a grande surpresa certamente foi o Schalke 04. Os Azuis Reais foram ao Giuseppe Meazza e simplesmente acabaram com a Internazionale.

Aliás, foi uma atuação que me deixou de queixo caído. Há tempos – levando em conta também os bons anos na metade da última decada – eu não via o Schalke jogar assim. Jogadores outrora chamados de medíocres, como Jurado e Edú, tiveram bela atuação. O time acostumado a cautela de Félix Magath, jogou solto agora no comando de Ralf Rangnick.

Mas só pra constar, foi um partidaço. Com 25 segundos de jogo, Stankovic acertou um petardo do círculo central e marcou o primeiro gol, isso porque Neuer havia saído para afastar uma bola e não voltou em tempo. O Schalke absorveu bem o gol. O time trocava passes com calma e também com extrema facilidade. A marcação interista era frágil e estava toda recuada.

Algo que percebi é que o time alemão havia feito pelo menos uns dois levantamentos para a grande área e tinha ganho todos. Pois é, em uma cobrança de escanteio, Papadopoulos teve liberdade pra cabecear e Matip marcou no rebote de Júlio César.

Porém, o Schalke se acomodou na vantagem e acabou recuando. A Inter não conseguia trabalhar tantas jogadas, por isso apostava muito nas bolas longas, porém, obtinha sucesso nessas jogadas. Quando trabalhou a bola, voltou a frente. Sneijder lançou Cambiasso, que escorou para Milito marcar.

O Schalke havia acordado, mas não mantinha o mesmo ritmo dos minutos iniciais.

Só que em boa jogada de Baumjohann, Edú marcou após finalizar duas vezes.

Edú jogando muito bem...coisa rara!

Baumjohann, aliás, é um dos “ressucitados” de Ralf Rangnick. O ganês Sarpei, por exemplo, que era reserva do reserva, do reserva (…) no Schalke, passou a ocupar a posição de titular, antes ocupada por Lukasz Schmitz. Kluge, peça importante do antigo esquema de Magath, foi barrado. Edú pode ser considerado um “ressucitado” de Rangnick também. Ele até jogava com frequencia com o Mago, mas como meia direita, mas Ralf Rangnick recolocou o brasileiro em sua verdadeira posição, o ataque.

O torcedor da Inter já não gostou muito da primeira etapa de seu time. Os Nerazzurri só encontravam jogo na bola longa e jogadores como Eto’o e Sneijder estavam muito mal e ainda tiveram de ver um Schalke menos tímido que o normal. Mas como eu disse, “se o torcedor da Inter já não gostou muito do primeiro tempo”, deve ter sentido vontade de pedir o seu dinheiro de volta

O que se viu foi uma Inter entregue, sem ação nem reação. Após um começo de segundo tempo razoavelmente bom, falhas defensivas resultaram no gol da virada, anotado por Raúl – aproveitando a bobeira de Zanetti, que parou na área e deu condição pro espanhol -, o quarto gol, que foi contra de Ranocchia – de novo no cantinho esquerdo, de Zanetti e Chivu, esse último com atuação lamentável -, uma expulsão de Chivu e o quinto gol, anotado por Edú – num lance esquisito, onde a regra parecia ser: “A bola fica na defesa”.

Sobre a Inter: atuação ridícula e vexatória. O time estava desorganizado no meio campo, falhou demais na defesa e seus principais homens ofensivos não jogaram.

Jurado é outro que teve grande atuação. Raúl fez o de sempre (gols na UCL)

Sobre o Schalke: atuação maravilhosa. A melhor do time na temporada. Os Azuis Reais se defenderam bem, tinham calma na saída de jogo e tinham mais calma ainda para trocar passes no ataque. E de lambuja, contou com uma grande atuação de jogadores de nível duvidoso, como Jurado e Edú. O meia espanhol deitou e rolou no meio campo, se movimentou com muita liberdade e distribuiu muito bem o jogo. Já o brasileiro foi uma ótima opção de ataque, fazendo o pivô, se movimentando e principalmente, aproveitando as brechas na defesa interista.

Para resumir essa atuação do time alemão, dá para dizer que não foi o Schalke que eu conheço. E no bom sentido. O time não teve aquele futebol insonso dos tempos de Magath e sim um futebol vistoso e ofensivo, dos tempos de Rangnick no Hoffenheim. É só não cair no oba-oba que administra o placar com tranquilidade. Lembrando que o Schalke tem que perder por 4 gols de diferença para cair fora.

Para fechar sobre a Inter, o texto fica à cargo de Michel Costa

Barcelona praticamente classificado

Já a dupla espanhola encaminhou bem a classificação. O Real Madrid finalizou mais de 20 vezes e sofreu menos 5 arremates do Tottenham, não à toa meteu 4×0 no time londrino. Dificilmente os Merengues sofrerão uma derrota parecida. Se os Spurs quiserem ir à Wembley, só pelas arquibancadas. Se nas oitavas de final o Barcelona perdeu o jogo de ida pro Arsenal, nas quartas-de-final a história foi diferente. 5×1 pra cima do Shakhtar em um jogo muito movimentado. Pelo andar da carruagem, teremos um Superclasico em uma das semifinais.

No duelo inglês das quartas-de-final, o Manchester United bateu o Chelsea por 1×0 no Stamford Bridge, gol de Rooney e vai jogar pelo empate no Old Trafford. O jogo foi ruim, mas o time londrino foi prejudicado pela arbitragem. No fim do jogo, Ramires foi derrubado escandalosamente por Evrá dentro da área, mas Undiano Malenco não deu nada. Mas mesmo assim, o Manchester mereceu vencer. Jogou bola, já os Blues abusaram do jogo no modo “abafa”.

Hino Mania – Tottenham

Após algumas semanas sem o “Hino Mania”, a seção do blog que mostra os hinos dos clubes europeus, estamos de volta pra mostrar o hino de um time londrino, o Tottenham, que nesta semana eliminou o Milan da Champions League, após somar 1×0 no placar agregado.

Começamos, obviamente, com a letra:

Come on you Spurs, come on you Spurs,
Come on you Spurs, come on you Spurs,

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it like we did last year,

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it like we did last year

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it again,
We won’t give it up,
We’re gonna bring the cup,
Back home to White Hart Lane

They always come see us whether it’s rain or snow,
Our supporters never stop at home,
When it comes to playing football everybody knows,
Tottenham’s got a style of their own,
We hold the cup that everybody cherishes,
And we won’t let it out of our hands,
We can hear them singing on the terraces,
We can hear the voices of our fans

Come on you Spurs, come on you Spurs,
Come on you Spurs, come on you Spurs,

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it like we did last year,

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it like we did last year

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it again,
We won’t give it up,
We’re gonna bring the cup,
Back home to White Hart Lane

When we get them on the pitch at Wembley,
We’ll be entertaining you oi oi,
And just a touch of magic that you’re bound to see,
Like when Ossie’s Dream came true
Stevie can’t wait to hold the cup again,
Won’t be satisfied until it’s in his hands,
He’ll hold it up for everyone to see it then,
We’ll hear the voices of our fans

Come on you Spurs, come on you Spurs,
Come on you Spurs, come on you Spurs,

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it like we did last year,

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it like we did last year

Tottenham Tottenham,
No one can stop them,
We’re gonna do it again,
We won’t give it up,
We’re gonna bring the cup,
Back home to White Hart Lane

Grupo de Pop-Rock, Chas and Dave gravaram algumas músicas em homenagem ao Tottenham, como Hot Shot Tottenham e Tottenham Tottenham. Destacarei duas canções. A primeira delas é Glory, Glory Tottenham.

Glory glory Tottenham Hotspur
Glory glory Tottenham Hotspur
Glory glory Tottenham Hotspur
And the Spurs go marching on

Tottenham are the greatest team the world has ever seen
Tottenham are the greatest team the world has ever seen
Tottenham are the greatest team the world has ever seen
And the Spurs go marching on

The pride of North of London were the kings of White Hart Lane
The pride of North of London were the kings of White Hart Lane
The pride of North of London were the kings of White Hart Lane
And the Spurs go marching on

Loyal Spurs supporters and they come to every game
Loyal Spurs supporters and they come to every game
Loyal Spurs supporters and they come to every game
To watch the Spurs go marching on

A segunda é Ossie’s Dream.

Come on you Spurs, Come on you Spurs,

Come on you…

Spurs are on their way to Wembley,
Tottenham’s going to do it again,
They can’t stop ‘em,
The boys from Tottenham,
The boys from White Hart Lane,

Spurs are on their way to Wembley,
The Kings are claiming their crown,
Everybody will be singing, When the Spurs go marching home

We are the boys from Keithy’s army
And we’re marching off to war,
We’re sending our soldiers to Wembley Under General Burkinshaw,

We know the enemy will fear us,
In the battle coming up,
They won’t even get near us
We’re gonna capture the cup

Come on you.…..

Spurs are on their way to Wembley,

Tottenham’s going to do it again,
They can’t stop ‘em,
The boys from Tottenham,
The boys from White Hart Lane,

Spurs are on their way to Wembley,
The Kings are claiming their crown,
Everybody will be singing, When the Spurs go marching home

In our ranks there’s Ossie Ardiles,
He’s had a dream for a year or two,
That one day he’s gonna play at Wembley,
Now his dream is coming true,

Ossie we’re gonna be behind, you,
Altogether man for man,
We know you’re gonna play a blinder
[Ossie] In de cup for Totting-ham

Come on you.…..

Spurs are on their way to Wembley,
Tottenham’s going to do it again,
They can’t stop ‘em,
The boys from Tottenham,
The boys from White Hart Lane,

Spurs are on their way to Wembley,
The Kings are claiming their crown,
Everybody will be singing, When the Spurs go marching home

Come on you.…..

Spurs are on their way to Wembley,
Tottenham’s going to do it again,
They can’t stop ‘em,
The boys from Tottenham,
The boys from White Hart Lane,

Spurs are on their way to Wembley,
The Kings are claiming their crown,
Everybody will be singing, When the Spurs go marching home

Ossie’s going to Wembley,
His knees have gone all trembley,
Come on you Spurs,
Come on you Spurs

Ossie’s going to Wembley,
His knees have gone all trembley,
Come on you Spurs,
Come on you Spurs

Ossie’s going to Wembley,
His knees have gone all trembley,
Come on you Spurs,
Come on you Spurs
[repeat to fade]

Nos próximos cânticos, não tem letra, até porque são canticos da torcida. O primeiro é em homenagem ao atacante irlandês Robbie Keane.

Aaron Lennon

Gomes

Bale

Lannoy foi mal, mas a ruindade dele deu graça ao jogo

Lannoy permitiu isso...(Reuters)

E a Champions League voltou!

Dois jogos abriram na terça-feira a fase de oitavas de final da Uefa Champions League e destaco Milan x Tottenham.

Tecnicamente não foi um jogo muito bom, mas uma peça deu graça ao jogo. Não, não foi nem Ibrahimovic, Robinho, Pato, Van der Vaart e nenhum outro jogadr e sim Stéphane Lennoy. Esse nome certamente lhe deve ser familiar. Lennoy é o mesmo árbitro que deixou o pau comer em Brasil x Costa do Marfim na Copa do Mundo e ele apitou Milan x Tottenham e apitando mal, deu graça ao jogo.

E o pessoal do Tottenham de certo gostou da pancada no Corluka (Getty Images)

Pior é que é verdade. O primeiro tempo foi meio chatinho, mas na etapa final, após uma entrada criminosa de Flamini, o jogo ganhou graça. O meia francês entrou num carrinho violentíssimo, mostrando as duas solas e pegando em cheio do croata Corluka. Lennoy só deu amarelo pra Flamini e à partir desse lance o pau começou a comer. Após alguns bate e bocas, outras pegadas duras, Gattuso veio a cena. Primeiro ele se estranhou com Crouch, e o gigantão inglês não foi bobo, deu uma revidada no meio campo. Só pelo enrosco, os dois mereciam amarelo.

A gota d’água da estupidez de Gattuso foi quando ele foi pra beira do campo e bateu boca com Joe Jordan, assistente de Harry Redknaap. Irritado, o volante italiano empurrou o assistente. Honestamente, rua. Lannoy não precisava nem pensar. O cara vai pra beira do campo bater boca com o assistente técnico e o empurra. Isso lá é coisa de jogo? Rua! Vendo o vídeo, percebo que o bandeira viu e foi ajudar a separar, ou seja, entra no saco de lixo também.

Gattuso perdendo a cabeça (L'Equipe)

Após o jogo, veio o pior. Gattuso foi agredir Joe Jordan, acertando-lhe uma cabeçada.

Gattuso já ficaria de fora por ter levado um cartão amarelo – numa pegada em Piennar, que se fosse somada as outras confusões, seria o 2º amarelo, ou até a pegada não aconteceria por ele já ter sido expulso -, o segundo, que lhe tira do jogo da volta, mas pode ter certeza que a Uefa vai puni-lo e pode desfalcar o Milan em jogos futuros pelas competições da Uefa.

Lannoy ainda anulou um gol de Ibrahimovic. Mas nessa acertou, Ibra empurrou Dawson, conseguindo uma vantagem pra marcar o gol.

Já, já falo sobre o jogo, mas o que dá pra dizer é que se “não fosse Lannoy, o jogo não teria graça”. Após a entrada de Flamini em Corluka – que apareceu mais tarde no banco de reservas de muletas e com uma baita pedra de gelo no pé – ele perdeu o controle do jogo, deixou o pau cantar, mas ficou meio na cara que o Tottenham, não tão habituado a jogar competições europeias, estava com a cabeça no lugar, enquanto o rodado Milan, parecia um time de novatos, totalmente perdido em seu nervosismo.

A nota pra arbitragem: 1

Se ele quisesse aumentar a “cagada”, ele não anularia o gol de Ibra, fora as várias sequencias de lances de pênalti – que pra mim não aconteceram – que ele “poderia” ter marcado – o “poderia” se refere pelo fato de caso fosse um árbitro meio brasileiro, marcar os pênaltis.

Sobre a partida, tivemos um primeiro tempo onde o Tottenham surpreendeu. Os Spurs foram pro ataque e durante os dez minutos iniciais, sufocaram o Milan. Já os Rossoneros não haviam entrado em campo. Thiago Silva, como volante, foi mal. Toda saída de bola que passava por seus pés, perdia a velocidade. E realmente, a transição defesa-ataque do Milan era muito lenta. O Tottenham diminuiu o ritmo, mas os Rossoneros não apertavam.

Só um contra-ataque... (Getty Images)

Seedorf errou tudo que tentou, não é à toa que Allegri colocou Pato em seu lugar no intervalo. Robinho foi pra posição do holandês e o Milan melhorou, começou a jogar, mas como disse acima, após aquela entrada de Flamini em Corluka, não só Lannoy perdeu o controle do jogo, como o time italiano perdeu a cabeça, tentando ganhar mais na catimba do que na bola. E o Tottenham seguia na boa, sempre esperando um contra-ataque com Lennon e em uma escapada, e esse contra-ataque veio. Lennon disparou, deixou Yepes sem pai nem mãe e tocou pra Crouch marcar. Foi o famoso “bem feito” pro time que mais quis bater do que jogar bola.

Vale destacar, que Sandro, titular pelo Tottenham, foi muito bem. Muito seguro e não brincou no serviço.

Agora na volta, o Milan terá de correr atrás dos Spurs. 1×0 é prorrogação, 2×0 lhe classifica, qualquer vitória por um gol de diferença, sendo que o Tottenham marque também, classificará o time italiano. Os ingleses passam com o empate.

Ainda hoje…

Ainda dizem que ele não joga nada...

…Vimos a história ser escrita. Raúl marcou pro Schalke e chegou ao seu 69º gol na Champions League, ultrapassando Gerd Müller, se tornando o maior artilheiro da história da competição.

Sobre o jogo, não vi, só li mesmo sobre a partida e pelo que parece, o Valencia foi melhor. Começou assustado, pois viu o Schalke ir pro ataque e incomodar, mas logo os donos da casa tomaram conta da partida, criaram chances e abriram o placar com Soldado. Na etapa final, o cenário se repetia, mas quando os Azuis Reais esboçaram uma pressão, empataram com Raúl. Além de ser o 69º gol dele na Champions League, foi o 71º em competições europeias, desempatando o “duelo particular” contra o Inzaghi – que tem 70 gols. Depois disso o Schalke passou a cozinhar o jogo e leva um bom resultado pra Gelsenkirchen.

Esse 1×1 complica a vida do Valencia, que terá de fazer o resultado fora de casa. Mesmo assim, permaneço achando que é um jogo com poucas previsões. Os Ches seguem muito bem na Liga BBVA, enquanto o Schalke oscila muito na Bundesliga, mas os Azuis Reais volta e meia tem uma atuação ácima da média, pode ser que na volta essa atuação possa acontecer.

Como o jogo da volta será daqui algumas semanas, ainda não darei meus palpites, esperarei pra ver as notícias que sercam esses quatro times.

Domingo clássico na Inglaterra

Tyne-Wear Derby mobiliza a segurança

O domingo na Inglaterra ficou reservado pros clássicos.

Tivemos três jogos regionais e de grande rivalidade, fora outro de duas equipes fortes que são candidatas ao título.

Asamoah Gyan fez esse gol aí no finzinho do jogo (AFP)

Pela manhã, dois clássicos no mesmo horário. Falarei primeiro do Tyne-Wear Derby, realizado entre Sunderland e Newcastle. As duas equipes estão separadas por 10 milhas e a rivalidade é intensa e essa rivalidade foi transportada pro campo. Muitas divididas, muitas cotoveladas e até confusão após o término do jogo – o goleiro do Newcastle, Harper, foi agredido por um torcedor do Sunderland -. Os gols só saíram na etapa final. Nolan de calcanhar abriu o placar pros Magpies e nos acréscimos de Howard Webb, Asamoah Gyan marcou sem querer. Bardsley finalizou, Harper espalmou e a bola bateu no ganês e entrou.

O tropeço não foi bom pro Sunderland. Se os Black Cats ainda querem chegar a alguma competição europeia, deveriam ter vencido seus rivais. Eles ficam agora na 6ª colocação com 34 pontos. Já pros Magpies, o resultado só fica ruim pelo fato da vitória ter escapado nos acréscimos, mas na classificação não foi ruim. O Newcastle está na 9ª colocação, com 29 pontos.

Não deu, Foster (Getty Images)

Ainda na manhã, tivemos o Derby de Birmingham, o clássico entre Birmingham City e Aston Villa. Diferentemente do Tyne-Wear Derby, que teve muita pancada, o derby de Birmingham foi um jogo mais aberto, ainda mais pelo desespero das duas equipes que ocupam posições nada confortáveis. Foi um jogo cheio de oportunidades dos dois lados, mas gols somente na etapa final. Os Blues abriram o placar com Johnson, desviando cobrança de falta de Murphy. O zagueiro Collins empatou pro Villa.

As duas equipes seguem “respirando juntos”. Isso porque o Birmingham é o 16º com 23 pontos e o Aston Villa é o 17º com 24 pontos. As duas equipes ocupam as duas primeiras posições acima da zona de rebaixamento.

Os Reds saíram na frente na etapa inicial (Getty Images)

Um pouquinho mais tarde, tivemos o derby de Merseyside, disputado entre Liverpool e Everton. Esse duelo não tem tanta rivalidade fora de campo, tanto até que esse derby é chamado de Derby da Amizade, devido ao grande número de famílias que comparecem nesses duelos. A rivalidade fica restrita para dentro das quatro linhas.

Vimos um jogo muito disputado em Anfield. Na primeira etapa, o Liverpool foi um pouquinho melhor, principalmente porque foi para cima. O Everton preferia se defender e tentar sair rápido no contra-ataque. Em algumas vezes até conseguiu graças a alguns passes errados do lado vermelho, mas não era sempre que levava perigo ao gol de Reina. Após muito tempo, Fernando Torres voltou a fazer uma partida convincente. O espanhol soube o que fazer nas bolas que recebia e em um lance, trombou com Distin, ganhou a jogada, deu um corte no marcador e deu um belo chute que acertou a trave. Seria um gol de placa. Outro que foi bem foi o português Raúl Meireles, uma das válvulas de escape dos Reds, sempre chegando ao ataque e abrindo o placar também. Ele aproveitou rebote de Howard pra mandar pras redes.

Beckford havia virado o jogo (Getty Images)

O segundo tempo mudou muito. Com poucos minutos, o Everton virou o jogo com gols de Distin e Beckford, ambos aproveitando bobeiras da defesa do Liverpool, que errava tecnicamente e principalmente em posicionamento. Os Reds conseguiram o empate num pênalti polêmico. Após chute errado de Skrtel, Maxi e Howard foram para a disputa e o argentino caiu. Na hora, deu a impressão de que o árbitro Phill Dowd havia dado saída de bola pela linha de fundo e após muitas reclamações, o pênalti foi marcado. Não sei não, mas acho que foi no grito. A marcação não foi clara. Não deu pra saber se “foi no grito” ou se foi alguma sinalização do auxiliar. Só sei que eu não daria pênalti. Tanto Howard quanto Maxi visam a bola e contato é nas pernas, sendo que nítidamente o goleiro vai atrás da bola com as mãos, pra mim foi choque de jogo. Mas tanto faz, porque Kuyt converteu.

Se Villa e Birmingham estão juntinhos na tabela, a mesma coisa pode ser dita de Liverpool e Everton. Os Toffees estão na 12ª colocação e os Reds estão na 13ª colocação e ambos tem 26 pontos – o Everton tem melhor saldo de gols.

Spurs e United fizeram jogo decepcionante (Reuters)

O outro jogo do dia era o mais esperado: Tottenham e Manchester United. A partida deixou a desejar. O jogo foi muito pegado, de muitos erros de passe e poucas emoções. No lado do Tottenham, era esperado que Gareth Bale literalmente acabasse com Rafael. Não foi bem isso que aconteceu. O galês não esteve em um de seus melhores dias. Tocou pouco na bola e errou muitos cruzamentos. O brasileiro mostrou personalidade. Fez Bale se preocupar com sua subida e não com sua marcação. Rafael apareceu bem no ataque, mas foi expulso. Ele levou dois cartões amarelos e deixou o United e situação delicada no fim do jogo.

O 0x0 ficou de bom tamanho. Na primeira etapa, não houve um domínio amplo de alguma equipe. O Tottenham parecia afobado e o Manchester nervoso, por isso muitos erros. Na etapa final, os Red Devils até começaram pressionando, mas a expulsão de Rafael jogou os planos da vitória por água abaixo. Jogando com um à mais, os Spurs se viram obrigados a jogar no ataque, mas não conseguiram furar a defesa do United.

O Manchester United permanece na liderança. Tem os mesmos 45 pontos do rival local, o Manchester City, mas com melhor saldo e duas partida a realizar, os Red Devils levam uma grande vantagem em relação aos Sky Blues. Já o Tottenham não entra no G4. Os Spurs estão na 5ª colocação com 37 pontos, um atrás do Chelsea.

TÓPICOS INGLESES

>>O Manchester City passou sufoco no sábado. Os Citizens venciam o Wolverhampton por 4×1 e quase cederam o empate. A partida terminou 4×3 e o City fica na vice-liderança com 45 pontos. Os Wolves tem 21 pontos e estão na vice-lanterna;

>>O bósnio Edin Dzeko estreou pelo City justamente contra o Wolves. Pra quem não entendeu, ele jogava no Wolfsburg, que tem de apelido Lobos, mesmo apelido do Wolverhampton;

>>O Arsenal passou sem grandes dificuldades pelo rival local, o West Ham. 3×0 e a 3ª colocação com 43 pontos assegurada. Os Hammers seguram a lanterna com 20 pontos;

>>Destaque do jogo foi Van Persie, que fez dois gols e deu uma assistência;

>>O Chelsea reencontrou o caminho das vitórias e bateu o Blackburn por 2×0 e ficam na 4ª colocação com 38 pontos. Os Rovers estão na 11ª colocação com 28 pontos;

>>No jogo dos desesperados, melhor pro Fulham, que ficou no 1×1 com o Wigan fora de casa e permanece fora da zona perigosa. Os Cottagers ficam na 15ª colocação com 23 pontos  com e um ponto à menos, mas três posições abaixo vem o Wigan;

>>Demais Resultados: Stoke 2×0 Bolton; WBA 3×2 Blackpool

Classificação (Premier League)

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Que mal lhe pergunte, mas…alguém quer ser campeão italiano?

Os dois líderes tropeçaram e digo mais. Estão deixando a Inter chegar. Os Nerazzurri chegam a 4ª vitória seguida no comando de Leonardo e tem dois jogos à menos que o líder Milan. A diferença é de nove pontos. Se a Inter vencer seus dois jogos que tem de fazer e vencer o derby della madonnina assume a ponta – claro, dependendo dos critérios de desempate -. Ou seja, a Inter depende de si pra ser campeã.

Eto'o teve atuação de gala (AP)

No jogo deste fim de semana, a Inter contou com grande atuação do camaronês Eto’o. O camisa 9 da Inter fez dois belos gols – um numa bela tabela com Milito e finalizando colocando e o segundo numa cobrança de falta perfeita – e ainda deu uma assistência pro gol de Stankovic na goleada sobre o Bologna por 4×1. Milito fez o quarto gol interista e Jimenéz descontou pro Bologna.

A Internazionale permanece na 6ª colocação, agora com 32 pontos. Mas como citei antes, o time Nerazzurri tem dois jogos à menos, se vencer os dois, fica três pontos atrás do Milan e ainda tem o clássico no segundo turno. Ou seja, depende de si. O Bologna tem 22 pontos e está na 16ª colocação.

É, Cassano! Assim não dá! (AFP)

O tropeço do Milan foi fora de casa…mas foi para um dos últimos colocados, o Lecce. Destaque do jogo para Zlatan Ibrahimovic, que fez um golaço, um chute fantástico do meio da rua, que pegou Rosati de surpresa. Só que Rúben Olivera empatou e estragou a festa do Milan. O time Rossonero tinha visto no dia anterior o vice-líder Napoli ficar no 0x0 com a Fiorentina e com a vitória provisória, abria seis pontos na liderança.

Não é nada, não é nada, mas o Milan soma seu terceiro tropeço em cinco jogos – empates contra Udinese e Lecce e derrota pra Roma – e só não perdeu a liderança porque adversários como Napoli e Lazio foram incompetentes. O Milan está na liderança com 41 pontos, quatro pontos à mais que o vice-líder Napoli. Já o Lecce segue na zona de rebaixamento – 18ª colocação com 19 pontos.

TÓPICOS ITALIANOS

>>No finalzinho a Lazio voltou a vencer após duas rodadas. Os Biancocellesti derrotaram a Sampdoria por 1×0, gol de Kozák, aos 39 minutos do segundo tempo. A Lazio tem 37 pontos e está na 3ª colocação, enquanto a Samp está em 10º lugar com 26 pontos;

>>A Roma levou sorte nesta rodada. Bateu o Cesena por 1×0, gol contra de Pellegrini, aos 44 minutos do segundo tempo. Os Giallorossi estão na 4ª colocação, com 35 pontos, enquanto os Cavallucci Marini estão com 19 pontos, na 17ª colocação;

>>Após três tropeços consecutivos, a Juventus voltou a vencer: 2×1 pra cima do Bari. Agora, a Vecchia Senhora está na 5ª colocação, com 34 pontos, enquanto os Biancorosso estão na lanterna, com 14 pontos.

>>Na parte debaixo da tabela, destaque pro Brescia, que voltou a vencer após três partidas, vitória por 2×0 sobre o Parma, mas os Biancoazzurri permanecem na zona de rebaixamento, com 18 pontos. O Parma é o 14º com 22 pontos;

>>Demais resultados: Catania 1×1 Chievo; Genoa 2×4 Udinese; Cagliari 3×1 Palermo.

Classificação (ESPN)

Roubado? Sim! Injusto? Não!

 

Howard Webb errou feio no jogo de hoje

Tivemos neste domingo o jogo mais esperado da terceira fase da FA Cup: Manchester United x Liverpool. Só que a arbitragem atrapalhou.

Os Red Devils venceram por 1×0 com um gol de pênalti que não houve. Atrapalhou o rumo da partida, mas não dá para dizer que “se não fosse o pênalti, o Liverpool venceria”, pois os Reds foram muito mal, o Manchester United dominou o jogo.

Ryan Giggs só se aproveitou do erro de Webb (PA)

Sobre a partida em si, começamos com o lance que decidiu o jogo, o pênalti em Berbatov. Ele invadiu a área, driblou Agger e se jogou, Howard Webb deu pênalti. Algo de certa forma estranha. O bulgaro não foi nem tocado, pênalti que deu inveja a muitos árbitros brasileiros. Uma coisa é fato, desde a fatídica atuação na final na Copa do Mundo, Howard Webb, pode-se dizer, passa por um mal momento. Ele tem errado constantemente. Ryan Giggs converteu o pênalti e abriu o placar.

O outro lance que envolveu a arbitragem prejudicou novamente o Liverpool. Steven Gerrard entrou de forma violenta no meio campo. Ele deu um carrinho por cima da bola, lance maldoso. Steven Ge foi corretamente expulso.

No restante do jogo, o United dominou. Teve mais posse de bola, botou o Liverpool na roda e em alguns momentos chegou a fazer uma blitz nos Reds. Já o Liverpool – que reestreava no comando técnico Kenny Dalglish, técnico que foi três vezes campeão inglês e duas vezes campeão da FA Cup treinando o Liverpool – não mostrou muita resistência. Criou pouco, em alguns momentos chegou a avançar a marcação e dar uma incomodada no United – nada de outro mundo -, mas deixava Fernando Torres muito isolado no ataque e até por isso perdeu o jogo.

Eu não sou daqueles que pensa que só porque “foi roubado”, a derrota é injusta. Erro de arbitragem – infelizmente – faz parte do futebol, é uma das adversidades do esporte, assim como jogos em chuva, neve, com expulsões e não foi por causa do ridículo pênalti anotado por Howard Webb que o Liverpool perdeu. A expulsão só ajudou o Manchester pra dominar o jogo, mas os Red Devils se sobressaíram, foram melhores e com justiça passam para a próxima fase da FA Cup.

O Leicester ofereceu mais resistência do que o esperado (Getty Images)

Dando uma vasculhada em outros jogos do dia na FA Cup, vemos que outros dois times de Londres não bobearam – como o Arsenal – e passaram de fase na FA Cup. O Tottenham bateu o rival igualmente londrino, o Charlton, da terceira divisão inglesa. O destaque do jogo foi Jermain Defoe, que anotou dois gols. O terceiro gol dos Spurs foi anotado por Townsend. O outro time de Londres que se saiu bem foi o Chelsea, que atropelou o Ipswich Town, 7×0, com gols de Kalou, Anelka, Edwards (contra) e dois gols cada de Kalou e Lampard.

O Manchester City foi surpreendido neste domingo. Encontrou um time mais complicado do que parecia ser. O Leicester City, da segunda divisão, deu muito, mas muito trabalho aos Sky Blues e fazendo por merecer o replay. The Foxes abriram o placar com um minuto de jogo, gol de Bamba. Aliás, Bamba, que é zagueiro, deitou e rolou na defesa adversária nas bolas aéreas. O City não conseguia ganhar uma bola no alto, mesmo assim, virou com Milner e Tévez. Mas o Leicester seguia melhor no jogo, sempre incomodando o time visitante e na falha de Hart, King empatou e forçou o replay. Agora você verá duas listas de jogos:

Resultados da 3ª fase (Soccerway)

Próxima Fase

Torquay vs Crawley Town ou Derby
Watford vs Brighton
Bolton vs Wigan
Arsenal ou Leeds vs Huddersfield
Fulham vs Tottenham
Everton vs Chelsea
Southampton vs Manchester United
Swansea vs Leyton Orient
Burnley vs Burton
Birmingham vs Coventry
Doncaster Rovers ou Wolves vs Stoke ou Cardiff
Notts County vs Leicester ou Man City
Stevenage vs Reading
Aston Villa vs Blackburn Rovers
West Ham vs Nottingham Forest
Sheffield Wednesday vs Wycombe ou Hereford

Agora migramos pra Copa da França, onde tivemos uma grande zebra.

Evian surpreendeu o Marseille (L'Equipe)

Atual campeão francês, o Olympique de Marseille caiu logo em sua estreia pro Évian TG, líder da segundona francesa. Com 16 minutos, o OM já perdia por 2×0. Aos 12 minutos, Barbosa abriu o placar e quatro minutos depois, Sagbo fez o segundo. Na etapa final, Cambon deu uma forcinha pro Marseille marcando contra, mas Berigaud matou de vez o OM. Os atuais campeões franceses caem fora, mas não sei não, acho que acabou saindo no lucro o Marseille, pois a equipe disputará ainda a semifinal da Coupe de La Ligue – pega o Auxerre -, as oitavas de final da Champions League – jogo duro contra o Manchester United – e ainda busca o bicampeonato da Ligue One. É um calendário meio inchado e às vezes é melhor dar essa aliviada no calendário.

Se o Marseille deu essa bobeira, o mesmo não pode ser dito pro Rennes, que meteu um impiedoso 7×0 no Cannes, da terceira divisão. Tettey e o artilheiro Victor Hugo Montaño fizeram dois gols cada, enquanto M’Villa, Camará e Brahimi fizeram mais um cada, completando a humilhação rubro-negra. Outras equipes da primeira divisão que jogaram hoje foram Nancy e Brest. ASNL empatou por 2×2 com o Aurillac – André Luiz marcou – e venceu nos pênaltis, enquanto o Brest passou pelo Issy, da 6ª divisão, 1×0 na prorrogação.

Resultados da fase 32 avos de final (Soccerway)

Jogos da fase 16 avos de final (Soccerway)