Roma conquista seu título na temporada

Totti decisivo (AFP)

Os clássicos italianos são um barato. São cercados de rivalidade nas arquibancadas e dentro de campo. Muitas vezes, o torcedor prefere ver seu time vencer o clássico regional e do que conquistar um título. É questão de gosto, mas acontece de encontrarmos fanáticos que chegam a esse ponto.

Lazio e Roma fizeram hoje o Derby della Capitale. Ambas as equipes não almejam o título e terão de se contentar com uma eventual vaga em alguma competição internacional. Muito pra um, pouco pra outro.

Os Biancocelesti estavam na 5ª colocação, com 51 pontos e durante bom tempo ficaram ocupando um dos postos na zona de classificação pra Champions League. Definitivamente é uma temporada acima do esperado, se levarmos em conta que a Lazio chegou até a lutar contra o rebaixamento na temporada passada.

Já os Giallorossi estavam na 6ª colocação, com 46 pontos, distante demais do título, distante da zona de classificação da Champions League e ainda era recém eliminado da mesma Champions League de forma vexatória, após tomar 6×2 do Shakhtar no placar agregado. Temporada pra lá de decepcionante, para um time que perdeu a chance de ser campeão italiano na última temporada.

Digo que “perdeu” o título italiano por causa desse jogo aqui, diante da Sampdoria, na 35ª rodada da Série A, quando a Roma, jogando no Olímpico lotado, perdeu pra Samp por 2×1 e desperdiçou a chance de permanecer na liderança da competição. A Inter tomou a ponta e levantou o caneco.

No clássico de hoje então, teríamos a Lazio querendo muito a vaga na Champions League e a Roma tentando se reconstruir e quem sabe, chegar a alguma competição internacional.

Mas se lembra o que digitei acima, dizendo que a “campanha da Lazio é acima do esperado”? Basicamente dá pra dizer que o time não tem cancha, não tem experiência, ou seja, cai fácil na presa do adversário. Assim dá pra descrever o clássico.

Dividida light (Reuters)

A partida foi ruim, muito truncada, poucas chances de gols e muitas pancadas. Costumo dizer que clássicos como esse tem porrada, sangue, braço decepado e tiro na cara. Na hora mais decisiva, a Roma catimbou e a Lazio caiu na armadilha.

Com a partida em 1×0 à favor da Roma – gol de Totti, de falta, num frangaço do Muslera -, os Giallorossi começaram a fazer cera no fim do jogo, prendendo a bola na linha de fundo, demorando pra cobrar faltas, laterais e outras ceras do tipo. Até que Radu deu uma cabeçada em Simplício, primeiro ato de descontrole. O segundo ato de descontrole envolveu o mesmo Fábio Simplício, que sofreu pênalti. Aliás, no jogo do 1º turno, Fábio Simplício também sofreu um pênalti, ou seja, ele foi o grande protagonista do clássico na temporada. No lance, Ledesma foi expulso e Totti converteu o penal.

Totti vibra com o gol (Fotonotizia)

Não é só por causa dos dois gols que Totti foi o grande personagem da partida. Ele apanhou um bocado. Travou duelos de gladiadores com Biava e Matuzálem, mas diga-se de passagem, não foi nenhum santinho em campo. Não fugia de uma dividida, deixa braço, perna, coração…Mas numa balança, ele apanhou mais e não se esquentou tanto como vive fazendo. Porém, com a bola no pé, foi o maestro romanista.

Foi o grande título da Roma na temporada, vencer os dois derbys da temporada. O time pode não erguer nenhum troféu, pode não valer vaga pra nada – embora eu seja um daqueles que ache que título tem seu valor, mesmo não dando vaga pra nenhuma competição -, mas tem o valor motivacional pros jogadores, que podem buscar uma motivação pro restante da temporada e o vale mais pros torcedores, que garantiram mais alguns meses de gozação aos torcedores da Lazio.

Agora pros Biancocelesti fica a sensação de que realmente falta cancha pro time. A Lazio perdeu a cabeça no fim do jogo. Deixou a Roma segurar a bola e impaciente, foi pra porrada. Vale lembrar que provavelmente o time romano vai disputar uma competição internacional na próxima temporada e não é perdendo a cabeça que eles vão fazer bonito.

Ai, a arbitragem…

Jogadores da Juve reclamam de pênalti mal marcado (La Presse)

Quem é que diz que só no Brasil é que a arbitragem atrapalha? Engano seu. Hoje em dois dos grandes campeonatos europeus, “os homens do apito” aprontaram das suas. Na Itália, o clássico Roma x Juventus teve um pênalti polêmico, que foi marcado no grito. Na Alemanha, em um jogo que não era o de maior destaque no sábado, um árbitro aniversariante do dia fez lambanças em número excessivo.

Totti converteu o polêmico penalti (La Presse)

Começamos na Itália, onde tivemos o clássico Juventus x Roma, no Olímpico de Turim. O jogo em si foi morno. A Juventus no tradicional 4-4-2, com Storari no gol, o garoto Sorensen na lateral direita, Bonucci e Chiellini no miolo de zaga e Grosso na esquerda; os volantes eram Felipe Melo e Aquilani, com o italiano saindo mais pro jogo; Pepe estava aberto na direita e Marchisio na esquerda; Quagliarella e Iaquinta formavam a dupla de ataque. Na Roma, um 4-3-1-2, com Júlio Sérgio no gol; Cassetti na lateral direita, Mexés e Burdisso no miolo e Riise na esquerda; De Rossi, Greco e Simplício formavam um trio de meias, que marcavam e atacavam. Menéz ficava mais à frente dos três homens, enquanto Vucinic e Totti ficavam no ataque. Os gols da partida saíram na primeira etapa. A Juve abriu o placar com Iaquinta. Aquilani deu uma caneta e cruzou para Iaquinta, de meia-bicicleta mandou para as redes. Me surpreendeu a passividade da marcação da Roma, que deixou Aquilani com muito espaço. O jogo seguia morno, até que veio à cena o árbitro Nicola Rizzoli. Falta para Roma. Totti foi para a bola, que desviou na mão de Pepe, que estava de costas, sem ver nada. Rizzoli não deu nada, mas ao ver os reclames exaltados de Totti, deu pênalti. Não foi pênalti e o pior foi a marcação no grito. Totti converteu. A etapa final foi meio morna, a Roma teve mais posse de bola, foi melhor, mas a Juve criava mais, porém, sem gols. A Juventus chega a 20 pontos, está na 4ª colocação, enquanto a Roma é a 6ª colocada, com 19 pontos.

Ainda no sábado, a Fiorentina (9º) bateu o Cesena (19º) por 1×0, gol de Gilardino.

Amanhã

Data Hora Resultado Local
14/11/2010 (Dom) 09h30 Lazio x Napoli Olímpico de Roma – Roma
14/11/2010 (Dom) 12h00 Palermo x Catania Renzo Barbera – Palermo
14/11/2010 (Dom) 12h00 Sampdoria x Chievo Luigi Ferraris – Gênova
14/11/2010 (Dom) 12h00 Udinese x Lecce Stadio Comunale Friuli – Údine
14/11/2010 (Dom) 12h00 Bari x Parma Stadio San Nicola – Bari
14/11/2010 (Dom) 12h00 Bologna x Brescia Renato Dall’Ara – Bolonha
14/11/2010 (Dom) 12h00 Cagliari x Genoa Stadio Comunale Sant´Elia – Cagliari
14/11/2010 (Dom) 17h45 Internazionale x Milan San Siro – Milão

 

"Handtelaar" (Team 2 Sport Photo)

Agora falamos da Alemanha, onde a juizada fez mais besteira. Não era nem no principal jogo do dia. O grande jogo do dia era St. Pauli x Leverkusen, mas o grande erro do dia foi no duelo entre Wolfsburg x Schalke. Um gol de mão e outros lances discutíveis marcaram a atuação de Wolfgang Stark.

"A regra é clara (embora não seja)" (Sky)

Eu falaria primeiramente do jogo do Leverkusen, mas os erros do árbitro Wolfgang Stark no jogo Wolfsburg x Schalke mudaram a minha atenção. O Wolfsburg, que jogava no 4-3-1-2. Benaglio era o goleiro; Pekarik na ala direita, Kjaer e Barzagli era a dupla de zaga, Schäfer era o lateral esquerdo; Josué ficava à frente da zaga, Hasebe na direita, Dejagah na esquerda e Diego na armação. Grafite de Dzeko formavam a dupla de ataque. Já o Schalke jogava no tradicional 4-4-2. Neuer no gol; Uchida na lateral direita, Höwedes, Metzelder era a dupla de zaga, Schmitz na lateral-esquerda; Jones e Rakitic eram os volantes; Farfán estava na esquerda, Edú na direita; Raúl e Huntelaar eram os atacantes. O Wolfsburg não teve trabalho para abrir 2×0. Grafite, de cabeça fez o primeiro, Edin Dzeko, chutando com um pé e a bola batendo no outro fez o segundo. O Schalke chegou a descontar com o brasileiro Edú, até que na etapa final veio o grande erro. Após chute de fora da área, a bola sobrou para Huntelaar, que dominou com o braço e mandou para as redes do Wolfsburg. Erro grosseiro do árbitro, que determinou o empate em 2×2. Fora isso, tivemos alguns lances discutíveis, como pênaltis não marcados (?!), a (correta) expulsão de Dejagah (carrinho por trás) e Steve McLaren aplaudindo ironicamente o árbitro em sua saída, com cartolas ao seu lado. Mas como disse o comentarista da ESPN, Gerd Wenzel, McLaren não é inocente. Ele tirou Diego e Grafite durante a partida para fechar o time. O Wolfsburg é o 12º com 14 pontos, enquanto o Schalke é o 16º com 10 pontos.

– No jogo mais importante do dia na Bundesliga, o Bayer Leverkusen derrotou o St. Pauli e assumiu a vice-liderança da Bundesliga. O St. Pauli jogou no esquema da moda, 4-2-3-1. Kessler no gol; Rothenbach na direita, Zambrano e Thoranbt no miolo de zaga, e Oczipka na esquerda. Daube e Lehmann eram os volantes; Bruns na direita, Asamoah na esquerda e Takyi no centro, enquanto Ebbers era o centro-avante.  O Leverkusen estava no mesmo esquema. Adler no gol; Schwaab na direita, Friedrich e Reinartz no miolo de zaga e Kadlec na esquerda; Vidal e Rolfes eram os volantes. Sam estava na direita, Barnetta na esquerda e Renato Augusto armava o time; Helmes era o centro-avante. O Leverkusen foi muito superior, graças a incopetência dos rivais. O St. Pauli errava muitos passes e dava chance ao Leverkusen. Na etapa final veio o gol. Após jogada confusa, o brasileiro Renato Augusto estufou as redes. O Leverkusen tem os mesmos 24 pontos do Mainz, mas nos critérios de desempate, leva vantagem e está na segunda colocação. O St. Pauli é o 13º com 13 pontos. Falei ácima do Mainz, o 05 foi derrotado pelo Hannover, 1×0.

Demais Resultados

13/11/2010 (Sáb) 12h30 Kaiserslautern 3 x 3 Stuttgart Fritz Walter Stadion – Kaiserslautern
13/11/2010 (Sáb) 12h30 Colônia 0 x 4 Borussia M’gladbach RheinEnergie Stadion – Colônia
13/11/2010 (Sáb) 12h30 Werder Bremen 0 x 0 Eintracht Frankfurt Weser Stadion – Bremen

Amanhã

Data Hora Resultado Local
14/11/2010 (Dom) 12h30 Hoffenheim x Freiburg Rhein Neckar Arena – Hoffenheim
14/11/2010 (Dom) 14h30 Bayern de Munique x Nuremberg Allianz Arena – Munique