Veja como ficou a Seleção Europa Football

O amigo internauta, de boa fé participou, espalhou, votou e montou a Seleção Europa Football da temporada 2010/11.

Antes do resultado, deixa eu rasgar um pouquinho de seda. Muito obrigado a todos que votaram. Cada enquete – 12 no total – tiveram pelo menos 30 votos, o que pode parecer pouco, mas pra este humilde blogueiro é ótimo, mostra que há malucos que acessam este blog. Um muito obrigado e o resultado!

Técnico: Guardiola - 52%

Experiência acima de tudo

O Barcelona jogará a final no Wembley para não criar a estigma de time que joga bonito e perde no fim, já o Manchester United jogará a peleja sem grandes pressões do gênero que deverá sentir o Barça. É um time rodado e muito experiente. É assim que vão os Red Devils. É o segundo post do aquecimento pra final de amanhã.
 

Juntos, Giggs e Van der Sar somam 77 anos

Pra vocês, amigos internautas: qual a diferença entre velhice e experiência?

Para este blogueiro, “velhice” se refere a algo gasto demais, algo antigo e obsoleto, ou seja, que teve sua função, já a cumpriu e hoje pode ser chamado de “inútil” em seu meio, enquanto “experiência” se refere a algo que se adquire com muita prática, com muita rodagem e com tempo de aprendizagem. Quando quero me referir ao Manchester United, quero também me referir a experiência.

Se você olhar Van der Sar, que tem 40 anos e Giggs, de 37, pode me chamar de louco por considerar os dois peças fundamentais do time inglês. Você pode imaginar: “Como dois caras que tendo suas idades somadas, tem 77 anos podem ser peças fundamentais de um time finalista do maior torneio de clubes do mundo?”. Talvez não haja um explicação lógica, e sim o simples e rude “eles são peças importantes e ponto”.

Van der Sar catou este pênalti e o United se sagrou campeão europeu de 2008

Mas o fato é que Van der Sar, que chega a sua 5ª final de Champions League – venceu uma pelo Ajax e uma pelo Manchester e perdeu uma de cada lado – parece ser como o vinho: vai melhorando com o passar dos anos. O holandês fará amanhã seu último jogo como profissional, deixando pros fãs de futebol aquele gostinho de quero mais, só que há certas horas que um homem precisa deixar o emprego de lado e tomar as rédeas da família. É o que Van der Sar fará. Sua mulher, Anne-Marie van Kesteren, teve derrame cerebral em 2009 e o arqueiro holandês chegou a perder alguns jogos daquela temporada para cuidar da mulher. Embora ele possa deixar muitos fãs com saudades de suas defesas, o melhor para Edwin é cuidar de sua mulher e filhos.

Pode-se dizer que Ryan Giggs surpreendeu nesta temporada. O galês jogou durante sua vida inteira como um winger – um ponta, como queira – e com a renovação do elenco, Giggs perdeu um pouco do espaço para jovens, como Nani e Valencia. Mas com as inúmeras lesões de Fletcher e a instabilidade de Paul Scholes, fez com que Giggs conseguisse espaço como segundo volante. O meia galês se deu muito bem nesta nova função e se tornou um meio campista completo.

Giggs chegou a jogar com Solskjaer, Yorke e Stam

Se Van der Sar se encaminha para a quinta final de Champions em sua carreira, mas atuando por dois clubes diferentes, a final que será disputada no Wembley será a quarta de Ryan Giggs, todas pelo Manchester e no momento, ele “vence” por 2×1.

Engana-se quem pensa que a experiência que há no time do Manchester United se resuma a Giggs e Van der Sar. No quarteto defensivo, por exemplo, Ferdinand, Vidic e Evrá participarão da terceira final de Champions League pelo Manchester United, sem falar que o lateral-esquerdo francês já jogou uma final de Champions pelo Mônaco. Carrick, Nani e Rooney engrossam a lista de atletas que jogarão sua terceira final de Champions League pelo United – mas leva-se em conta que Nani ficou no banco e não participou da final de 2009.

No banco de reservas do Manchester United ainda haverá a “bola de segurança” chamada Paul Scholes, que pode ser acionado para solucionar alguma instabilidade no meio campo.

Ferguson pode erguer a orelhuda pela terceira vez.

Mas em termos de experiência, nada no United se compara a Alexander Chapman Ferguson, ou simplesmente Fergie. Ele está no clube desde a temporada 86/87 e de lá para cá foram 12 títulos do Campeonato Inglês, cinco copas da Inglaterra, quatro copas da liga, dois mundiais e dois troféus da Champions League.

Experiência pouca é bobagem. Aliás, experiência talvez seja pouco para explicar Alex Ferguson. Ele simplesmente é um técnico de quase 70 anos, que está no ramo de treinadores desde os anos 70 – ele iniciou no escocês St. Mirren, em 74/75 – e não parou no tempo, está evoluindo junto com o futebol e me arrisco a dizer que ele é um dos extra-séries que não evolui junto com o esporte e sim que faz o esporte evoluir.

Sua bagagem, sua representatividade pro elenco do Manchester e sua postura nos jogos, me fazem crer que em jogos como esse, não basta só ter o melhor conjunto ou o craque da atualidade, mas basta ter é um treinador capaz de equilibrar o time e fazê-lo realmente jogar.

Se o Barcelona tem o futebol bonito e envolvente, o Manchester tem a experiência de quem já fez filas e mais filas de títulos na Inglaterra, além da sabedoria de que talvez não seja preciso mudar para bater o aparentemente imbatível adversário catalão, mas que seja melhor jogar pura e simplesmente do seu jeito.

– A Última Bola é Nele

Assim como fiz no post sobre o Barcelona, com o Manchester farei o mesmo esquema de mostrar a minha aposta para decidir amanhã.

Não sei se será este cara que decidirá. Tenho várias impressões pra partida de amanhã. Acho por exemplo, que se Giggs não precisar “se matar” pra marcar, tem tudo para ser decisivo, mas se precisar se esforçar mais marcando, não sei se terá condições físicas para poder decidir. Entendo eu também que Nani, às costas de Dani Alves pode ser uma peça chave para uma eventual vitória inglesa. Chicharito pode decidir também, como tem feito muito nesta segunda metade de temporada. Mas se fosse basquete e o Manchester precisasse de pontos para vencer faltando poucos segundos, a bola iria em Wayne Rooney.

Gol do renascimento de Rooney

O Shrek tem crescido no momento certo. Ele iniciou a temporada de forma ruim, ameaçando deixar o Manchester e demorou para engrenar, mas o dia 12 de fevereiro de 2011 ficou marcado como “o ressurgimento de Rooney”. No duro duelo contra o Manchester City, ele fez um fantástico gol de bicicleta, aos 33 minutos da etapa final, quando a partida estava empatada em 1×1. Aquele foi apenas o 6º gol de Rooney na temporada e de lá para cá, ele fez mais 9 gols, incluindo um hat-trick contra o West Ham, dois gols em dois jogos duros contra o Chelsea e um contra o Arsenal. O Rooney voltou!

Por isso entendo eu que se a coisa estiver feia e a vaca já estiver comprando a passagem pro brejo mais próximo, a bola vai na Wayne Rooney, nem que seja para dar um lançamento, fazer um drible no meio campo, cobrar um lateral e quem sabe, um memorável gol que valesse o título.

– Provável Escalação

Edwin Van der Sar; Fábio da Silva, Nemanja Vidic, Rio Ferdinand e Patrice Evrá; Antônio Valencia, Michael Carrick, Ryan Giggs e Luís Nani; Wayne Rooney; Javier “Chicharito” Hernández. 4-4-1-1.

Nenhuma grande surpresa na escalação do Manchester. Ferguson, que tinha muito o costume de preservar Rafael de jogos grandes, devido a sua inexperiência, não faz isso com o irmão do garoto e Fábio, lateral-esquerdo destro, jogará como titular na lateral-direita, deixando seu irmão, antigo titular, na reserva. Fergie faz bem em explorar este bom momento vivido pelo defensor brasileiro e quem sabe não chame a atenção de Mano Menezes, que estará no Wembley. Só se lembre, Fábio, se por acaso você se machucar, quebre a perna para que Mano acredite que você tenha se machucado. Marcelo não fez isso e está de fora da seleção…

O que rolou de novo na parada da Copa

*Bom, o Europa Football está de volta, em novo endereço, novo formato, mas com a mesma qualidade de sempre. Os primeiros posts irão falar do mesmo assunto, o que rolou na parada da Copa do Mundo, que não é muito bem uma parada, pois o que os clubes se movimentam é algo fora do comum, os times só não jogam, mas se mexem. Começamos falando na Alemanha.

Ele voltou

Durante 1999 e 2002, Michael Ballack vestiu a camisa do Bayer Leverkusen. Após passar algum tempo no Bayern de Munich e mais algum tempo no Chelsea, ele está de volta, o camisa 13 foi contratado pelo Leverkusen. Certamente foi a movimentação que mais mexeu com o mercado alemão.  O Leverkusen não terá que pagar nada, pois o contrato de Ballack com o Chelsea havia acabado

*O que uma Copa do Mundo faz. Você certamente não sabia quem era Jong-Tae-Se antes da Copa e de saber que a seleção dele, a Coréia do Norte enfrentaria o Brasil. Pois é, na Ásia ele é chamado de Rooney Asiático, e o Bochum está de olho no atacante chorão.

*Marko Arnautovic surgiu muito bem no Twente, mas ao se transferir para a Internazionale, pouco jogou, agora ele tenta a sorte no Werder Bremen. Seu contrato com o clube alemão é de quatro anos. Vamos ver no que dá. Ele tem apenas 21 anos, surgiu de forma avassaladora no Twente, esperava que ele pudesse surpreender na Inter, não foi o que aconteceu, espero ver coisa melhor agora no Bremen.

*Você que acompanha a Bundesliga ou apenas a Seleção da Alemanha, com certeza já deve ter ouvido o nome de Gerald Asamoah. O atacante de 31 anos, deixou o Schalke 04 e assinou com o St. Pauli, time recém promovido a primeira divisão alemã. Asamoah assinou por dois anos com o St. Pauli e ele estava há 10 anos jogando no Schalke, só que nos últimos anos ele acabou perdendo muito espaço.

Armin Veh em mais um desafio na Alemanha

Armin Veh é aquele tipo de treinador que conquista um título, fica valorizado, busca outros ares, mas não se firma. Ele conquistou um título alemão com o Stuttgart, mas não se acertou mais nesse clube, foi para o Wolfsburg, que começava a temporada 2009/2010 com o rótulo de atual campeão, mas fracassou, levou o time ao fundo do poço, time esse que tinha a mesma base campeã alemã, acabou sendo demitido. Mais um clube grande lhe dá uma chance. O Hamburgo, que demitiu Bruno Labbadia no fim da temporada, aposta em Veh para a próxima temporada. Vamos ver se ele arma um bom time ou se ele apenas amontoará onze atletas em campo.

*De volta a Champions League, o Schalke 04 está tentando montar um time competitivo, e trouxe a revelação grega Kyriakos Papadopoulos, de 18 anos, que estava no Olympiakos. Ele certamente será banco, isso se não for emprestado para ganhar experiência, pois o Schalke além de Bordon, trouxe Metzelder, que estava no Real Madrid e Tim Hoogland, que defendia o Mainz.

*Zoran Tosic pertencia ao Manchester United, mas foi um dos responsáveis por evitar o rebaixamento do Colônia. O time de Podolski não só perdeu o atleta de volta, como a chance de tê-lo por pelo menos mais uma temporada foi pro espaço, ele acertou com o CSKA. No post reservado para falar das outras ligas especifico essa transação.

FUTEBOL INGLÊS

A Inglaterra toda o quer

Começamos falando do jogador mais falado no futebol inglês: Joe Cole. O Chelsea pelo jeito não renovará seu contrato, e agora, Deus e o mundo o querem em seus elencos, começamos com o Tottenham. O técnico Harry Redknaap, disse em entrevista ao The Sun que o clube já está articulando um planos para trazê-lo para os Spurs. O Tottenham já conversou com o agente de Cole. Só que dias antes, o mesmo The Sun havia publicado que o destino de Joe Cole deveria ser o Manchester United. Só que a fonte do jornal inglês de certa forma não chega a ser confiável: Os amigos de Cole, amigos esses que teriam dito que o destino preferido de Cole seria o Manchester United, é esperar para ver.

*Quem está se mexendo mesmo é o West Ham. Os donos David Sullivan e David Gold prometeram reforços. Começaram com o banco. Avram Grant chega para comandar a equipe. O israelense, ex-Chelsea e Portsmouth, substituirá Gianfranco Zola. Pro meiocampo, chegou o alemão Thomas Hitzlsperger, que defendia a Lazio. Bom jogador, tem boa chegada de trás e finalização.  O resto é só na especulação e é especulação de certa forma, de tremer as estruturas.

Alguns jornais de São Paulo dizem que Neymar, do Santos, está com um pé no West Ham. Muita gente pensa que seria ruim pro garoto, já que o West Ham ultimamente só briga contra o descenso e sei lá mais o que, já eu, acho que seria de certa forma, um bom desafio pro garoto, caso ele queira assumir uma responsabilidade, já que se ele fosse pro West Ham, seria o astro do time, viria com toda a pinta, poderia botar a bola debaixo do braço e dizer: “Eu sou o craque, eu vou liderar essa equipe”. Seria bom, ainda mais com a outra especulação que surgiu em torno do West Ham. Román Riquelme, o próprio. Ele está com problemas no Boca Juniors e está de saída, o West Ham está aí. O jornal Daily Mail disse que Román já recusou a proposta de outro clube inglês.

Trocando de clube

Será que é uma boa troca? Joe Cole está de saída do Chelsea, para seu lugar, Carlo Ancelotti pediu a contratação de Yossi Benayoun do Liverpool, e pelo que está circulando, Chelsea e Liverpool estão próximos de um acerto. Não sei se é uma boa troca. Joe Cole é veloz, habilidoso, finaliza bem, tem muitas qualidades, já as qualidades que eu enxergo no Benayoun são o seu esforço em campo e sua não omição, no resto, pode-se dizer que é um jogador comum. Fora o fato de Benayoun ser mais velho, ou seja, o Chelsea perde a chance de renovar com um jogador jovem, que ainda tem muito o que render, para acertar com um jogador mais velho, que quando tiver seu contrato acabado, será de certa forma um jogador imprestável, enquanto Cole, teria um gás ainda.

*Carlos Tévez foi o primeiro a virar a casaca, Vidic pode ser o próximo. O jornal inglês The Sun publicou que Nemanja Vidic pode se transferir para o Manchester City. Os Sky Blues deverão oferecer 20 milhões de libras pelo zagueiro sérvio. A saída de Vidic é tão eminente, que o United está de olho em Kjaer do Palermo.

*Ainda falando de jogadores sérvios… Nikola Zigic está trocando de clube. O gigante de 2,02 metros de altura está deixando o Valencia e vai para o Birmingham. A transação girou em torno dos 7 milhões de euros e Zigic jogará no Birmingham por quatro temporadas. Achei uma boa pro sérvio, trocar as idas e vindas no Valencia para buscar a sorte na Inglaterra, gostei.

*Quem também fez um bom negócio foi o Bolton. Acertou a contratação de Martin Petrov, que estava no Manchester City. O búlgaro até que estava bem, mas convivendo com lesões, mas após essa temporada, onde o City trouxe vários “jogadores de nome”, ele acabou perdendo espaço.

*Você se lembra de Beckford? Se não, refresco sua memória. Ele estava no Leeds United, na 3ª divisão, fazendo um caminhão de gols e foi o responsável pela eliminação do Manchester United na Copa da Inglaterra, marcando o gol que eliminou o gigante inglês. Pois é, ele se reunirá a Cahill, Pienaar, Howard e cia no Everton. Beckford fez 31 gols nesta temporada e ajudou o Leeds a subir para a segundona inglesa, só que sem contrato, pulou para a primeira divisão.

FUTEBOL FRANCÊS

Buscando um lugar ao sol

Um dos destaques do Rennes na temporada passada foi o atacante Jimmy Briand, marcando cinco gols em vinte e três jogos. Ele assinou um contrato de quatro temporadas com o Lyon.  Claude Puel mostrou-se contente com a vinda de Briand, enquanto o atacante mostrou-se feliz em poder jogar uma Champions League. Será que agora o Briand desbanca Sidney Govou? Gostei, boa contratação, tem personalidade dentro de campo.

Ainda falando do Lyon, o jornal L’Equipe apurou a noticia de que o clube está de olho em Paulo Henrique Ganso. A proposta pelo camisa 10 santista seria de 20 milhões de euros. Seria uma boa, não só pelo jogador que Ganso é, mas também porque o Lyon precisa de um camisa 10. Outra especulação lyonesa é de que Rami, do Lille, estaria vindo por 10 milhões de euros.

*Finalmente achei um site com especulações no futebol francês, é o L’Equipe, e lá, além de passar a informação de que o Lyon quer Ganso, fala que para substituir Chamakh, o Bordeaux está de olho em Rémy, do Nice.

Venha Anderson, a torcida parisiense lhe acolherá

Olha o meu PSG aí, gente!!!! Anderson pode aparecer na capital francesa. Mas calma, tem mais interesses no meio. Dizem as más línguas que Alex Ferguson gostou de Sessegnon, o habilidoso Sessegnon. Em troca, os ingleses mandariam o brasileiro Anderson pro PSG. Olha, aceitamos. O Sessegnon “está verde” ainda. A pressão no PSG temporada passada foi gigantesca, e ele mostrava muito nervosismo. Driblava, mostrava habilidade, mas acaba errando muito e em certo jogos, se omitindo, quem sabe Alex Ferguson para tornar Sessegnon um jogador de alto nível?

*Deus e o mundo querem Luís Fabiano, Didier Deschamps disse querer o Fabuloso no Marseille. A briga é grande pelo camisa 9 do Brasil.

*Saindo do campo da especulação, entrando no campo das transações confirmadas, o Marseille, o mesmo time que está de olho em Luís Fabiano, acertou a contratação de César Azpilicueta, garoto de 20 anos, estava no Osasuna. Dizem ser uma grata revelação do futebol espanhol, vamos ver como se sai na França.

*O Mônaco está se mexendo, trouxe alguns jogadores desconhecidos, outros pouco conhecidos, como Hansson, que estava no Rennes, o mais conhecido é Daniel Niculae. Bom atacante, estava no Auxerre e assinou por três temporadas.

*No Bordeaux, a mexida mais representativa foi a vinda do novo treinador, o ex-jogador Jean Tigana. Ele vem pro lugar de Laurent Blanc.

*No Lille, chega Moussa Sow, que estava no Rennes. O bom atacante, ex-Rennes, chegando prometendo gols e chega sonhando em ir longe na Liga Europa.

Grande contratação

Tentando sair do quase… fomos pra Liga Europa, quase… ganhamos de um grande, o Rennes está se reforçando e sua melhor contratação foi Victor Hugo Montaño, um dos grandes destaques do Montpellier na última temporada.

*Só para completar, todos já sabem, mas só para garantir, Laurent Blanc deixou o Bordeaux e assumiu o comando da Seleção da França. Vamos ver se ele dá um jeito, porque aquilo não é uma bagunça, a seleção francesa simplesmente é uma “Casa da Mãe Joana Organizada”, não entra quem quer, entrava quem o Domenech queria ou eventualmente que uma “panelinha” queria, mas fazia o que bem entendia, vamos ver se Blanc põe ordem na casa.