Tévez sem noção

Ao que tudo indica, o argentino Carlos Tévez não jogará a próxima temporada pelo Manchester City. Bastaria saber seu novo clube. A Internazionale é a grande interessada em seu futebol, mas do nada, surgiu uma surpreendente oferta de 40 milhões de euros feita pelo Corinthians. Oferta essa que foi rejeitada pelo clube inglês, mesmo sabendo que o argentino quer voltar pro Brasil.

Para este blogueiro que vos fala, Tévez não passa de um sem noção. Claro, acho ele um atacante de muito bom nível, mas a cabecinha é meio fraca.

Já não é de hoje que Tévez se diz descontente com isso, triste com aquilo e que quer ser feliz em outro lugar.

Tirando o West Ham, em todos os times que Tévez passou, saiu de forma confusa.

Tévez foi vencedor no Boca Juniors... mas saiu armando confusão

No Boca Juniors, trocava concentrações e ganhava folgas para passar algumas horas com sua namorada, gerando a ira de ídolos do clube, como Barros Schelotto e Palermo.

Carlitos deixou o Corinthians sem a Libertadores. Isso é motivo de sobra pra gerar a ira dos obsessivos corintianos. Por fim, saiu brigado com o então técnico Emerson Leão.

Após passagem pelo West Ham, onde salvou o time do descenso com gols importantes, Tévez chegava ao Manchester United e alimentava sua fama de sem noção. Após um primeiro ano bom, acabou sendo banco de Berbatov no segundo ano. Mesmo assim, ele tinha moral com a torcida. Podemos dizer que Carlitos foi um dos poucos jogadores que conseguiu fazer com que os fãs Red Devils ficassem contrariados com Sir Alex Ferguson em sua opção de deixar Tévez no banco. Isso é um feito e tanto.

Agora no rival do United, o City, Tévez demonstra mais níveis de estupidez. Já é pelo menos a segunda vez que o argentino diz estar “triste, descontente e querendo voltar”.

"Ai! Fiz m"

O “engraçado” dessa história é que diferente de outras do gênero, Tévez não fracassou em campos europeus. Foram 154 jogos entre West Ham, Manchester United e City e 69 gols pelos três times. Números expressivos.

Outra parte “engraçada” bate de frente com aquele discurso padrão de todo jogador. Duvido que algum atleta não queira ser ídolo de um clube. Por quanto maior que seja esse clube, sempre é bom ser adorado por milhares de fãs e ter seu nome gritado por vários locais do mundo. Essa tem sido a relação de Tévez com o futebol inglês.

Alguém acha que os torcedores do West Ham não gostam de Tévez graças ao milagroso gol que salvou o time do descenso na temporada 06/07? Alguém também acha que os torcedores do Manchester United preferem Berbatov a Tévez? A mesma coisa será da torcida do Manchester City. Eles amam o argentino!

Se Carlitos for ver as besteiras que tem feito através dos anos de sua carreira, vai perceber que o melhor pra sua carreira é permanecer nos Sky Blues, onde é ídolo, a estrela do time e peça primordial do ambicioso plano de subida do clube.

Tévez quer voltar a sorrir

Reconheço que é direito de toda pessoa querer trabalhar onde bem entender e onde for bem aceito. No caso de Tévez, seja aqui no Brasil ou na Inglaterra, ele será bem aceito. Mas o que questiono é o modo como o argentino tem trocado de equipes. Na maioria das vezes foram por motivos banais e ocasionados por ele mesmo, como tristeza, saudade da terra natal, falta de felicidade e coisas do tipo. Pode ser que eu esteja falando a maior besteira do mundo por achar que isso tudo é balela pra conseguir quem sabe um salariozinho maior, um carinho maior da torcida e da comissão técnica e por aí vai, mas isso que Tévez diz lhe atrapalhar são sentimentos e isso só ele sabe.

Mas pra resumir tudo: pra mim, Tévez estará errado ao trocar o Manchester City por qualquer clube. Lá é ídolo, capitão, líder, jogará nada mais nada menos do que uma Premier League e ainda tem a chance de disputar uma Champions League. Na Inter terá de recomeçar do zero e no Corinthians pode acabar reencontrando tudo aquele que diz faltar na Inglaterra, mas sem a evolução de sua carreira.

Pode ser que eu esteja enganado, mas “só o tempo dirá”.

Anúncios

Palpites???

 

Será que o tiozinho sabe quem serão os finalistas?

Após o fim de semana que tivemos o “início” da FA Cup – após duas fases, enfim os grandes entraram -, o meio de semana ficou reservado para a Carling Cup.

A segunda copa mais importante da Inglaterra está na sua fase semifinal. Nos dois jogos que tivemos, vimos partidas equilibradas e com placares parelhos e com difíceis previsões pros jogos de volta e obivamente, um palpite pros finalistas.

A Carling Cup pode ser a salvação tanto do West Ham, quanto do Birmingham (Reuters)

Certamente, o jogo que menos dá prognóstico é entre equipes que ocupam a parte debaixo da tabela da Premier League, West Ham x Birmingham. O jogo foi entre essas duas equipes foi muito equilibrado. Ora um dominava, ora outro dominava. Mas é aquela história. Num jogo de dois times de ponta, um jogador capaz de fazer algo diferente, desequilibra a partida e decide a seu favor. Agora, num jogo de dois times que frequentam a parte debaixo da tabela, só um erro pra decidir. A partida estava 1×1 – Noble abriu o placar pros Hammers num chute cruzado e Ridgewell empatou pro Birmingham – e o West Ham ficou com um à menos, já que Obinna foi expulso, mas não foi esse erro que decidiu, e sim uma falha do goleiro dos Blues. Carlton Cole chutou fraquinho, fraquinho…e Ben Foster aceitou, deixando a bola passar por baixo de seu corpo.

Ainda me lembro do dia que me xingaram no blog porque falei que Foster era fraquinho…Desde a época de Manchester United ele é inseguro, nunca botei fé nele e não vai ser nesta temporada que botarei fé nele.

O que esperar no jogo da volta? Não sei. O Birmingham é uma equipe muito forte jogando no St. Andrews e para mim, surge como o favorito, já que precisa vencer só por 1×0, mas o West Ham – mesmo estando mal na temporada – é um time meio maluco. Consegue fazer grandes atuações e fazer o jogo de sua vida, ora faz atuações patéticas e é humilhado. Acho que dá Birmingham, mas não me surpreenderia vendo os Hammers na final.

Ipswich, 19º colocado do Championship, surpreendeu o gigante Arsenal

O outro jogo foi hoje e dessa vez eu pude assistir, que foi Ipswich Town e Arsenal. Jogo ruim…Os Tractor Boys marcavam bem e não davam espaços nas laterais pros Gunners. Essa falta de espaço prejudicou o futebol de Theo Walcott, que poucas vezes apareceu na linha de fundo. O outro winger, Arshavin, fez uma partida terrível. Não foi a linha de fundo, não se movimentou, enfim, errou tudo que tentou. Demorou pra ser substituído. Fábregas é outro que esteve mal e assim como na temporada inteira, teve lampejos de bom futebol. Na frente, Bendtner foi peso morto. A zaga então…nem se fala.

Enquanto na primeira etapa tivemos poucas chances de gol, diria que quase nenhuma, na etapa final, a bola longa do Ipswich Town começou a atormentar a defesa Gunner. Principalmente o atacante Prinskin, que ficou três vezes com espaço, aproveitando cochilos da zaga. Nas duas primeiras vezes, ele deu bobeira e perdeu, na terceira vez ele não bobeou e mandou pras redes.

Bateu um certo desespero no Arsenal, que teve de correr atrás no marcador mas não conseguiu o resultado. Agora no Emirates Stadium, os Gunners terão de correr atrás do provável recuado Ipswich Town e tentar tirar a desvantagem do placar. Acho que dá Arsenal…mas, vai saber, né?

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Kenny Dalglish ainda não venceu na sua volta ao Liverpool (Reuters)

Mudamos de assunto mas permanecemos na Inglaterra. Blackpool e Liverpool se enfrentaram pela Premier League, era um jogo adiado da 19ª rodada. Os Reds sofreram a derrota de virada. Torres abriu o placar, mas Taylor-Fletcher e Campbell viraram pros Tangerines. Embora a campanha do Liverpool seja irrisória – 13ª colocação, com 25 pontos, quatro acima da zona de rebaixamento -, devemos valorizar a bela campanha do Blackpool. O elenco é limitado e o gasto com a equipe é baixo, é um dos menores orçamentos da Premier League e mesmo assim, os Tangerines estão na 9ª colocação, com 28 pontos.

Isso é que é “feliz ano novo”

 

Ano novo, descanso...não!? Premier League

Começou 2011, e junto com o novo ano, continua a ‘velha’ Premier League. Os caras não pararam nem no primeiro dia do ano. Simplesmente 8 jogos da 21ª rodada foram realizados neste dia 1º de janeiro. Isso é que é “um feliz ano novo” – como diz o título.

Dos oito jogos, oito vencedores, nenhum empate, mas os grandes vencedores foram os amantes do futebol, fãs ou não da Premier League, que após o termino de um ano, onde um marasmo esportivo reina, você pode assistir a um jogo de alto nível, pois poucos países na europa tiveram jogos neste sábado. Tirando o Reino Unido, só tivemos jogos de primeira divisão em Israel – na Ucrânia tivemos jogos nas divisões inferiores -, isso levando em conta a Europa inteira.

Rooney volta a marcar após longo tempo (AP)

Os grandes felizardos foram os times de Manchester, o United e o City. Os Red Devils venceram o West Brom no primeiro jogo do ano na Premier League. Jogo movimentado. Rooney abriu o placar pro United, enquanto Morrison empatou pro WBA, somente na etapa final veio o gol da vitória do Manchester, com Chicharito. Mas tirando os lances de gols, valem algumas notas:

*O West Brom teve dois pênaltis e um não foi marcado. Neville derrubou Dorrans e Chris Foy mandou seguir. No outro pênalti, o que foi marcado, Odemwingie desperdiçou a cobrança.

*No segundo pênalti, Rio Ferdinand – que derrubou Thomas na área – cometeu sua primeira falta na temporada

*Para fechar, falarei de Ronney, que voltou a marcar com bola rolando após 1418 minutos, mas no fim do jogo, sofreu um dura entrada no tornozelo esquerdo e mesmo machucado, permaneceu em campo – Alex Ferguson já havia feito três substituições -. O Shrek à princípio ficará duas semanas fora.

Nos números, o Manchester United continua na liderança, com 38 pontos, mas vencendo o vice-líder, Manchester City nos critérios de desempate. Já o West Brom segue na honrosa 14ª colocação, com 22 pontos.

Adam Johnson decidindo pro City (PA)

O outro Manchester, o City, bateu o Blackpool em City Of Manchester. O único gol da partida foi de Adam Johnson. Poderiam ser mais, isso porque Tévez desperdiçou um pênalti e ainda os Tangerines deram trabalho pros Sky Blues, algo até admitido pela comissão técnica do Manchester. Tanto que Joe Hart foi um dos melhores em campo.

Os Citizens estão agora na vice-liderança, com 38 pontos. Embora tenham o mesmo número de pontos do líder Manchester United, o City fica prejudicado pelo fato de ter dois jogos à mais que o líder. O Blackpool segue fazendo bonito, 10ª colocação, com 25 pontos.

Outra ‘localidade’ que começou 2011 com o pé direito foi Londres. Arsenal e Tottenham venceram e estão no G4. Os Gunners bateram o Birmingham fora de casa com certa facilidade – algo pouco visto nos últimos tempos, pois os Blues perderam (com esse jogo) duas partidas de 25 no St. Andrews Ground – no jogo de número 200 de Cesc Fábregas na Premier League. Van Persie, Nasri e Johnson contra fizeram os gols dos Gunners, que agora ocupam a 3ª colocação, com 39 pontos – e um jogo à menos que o City e um à mais que o United. Já o Birmingham é o vice-lanterna com 19 pontos.

Agora falando do Tottenham, os Spurs passaram por um rival local, o Fulham. Só tivemos um gol, que foi anotado por Gareth Bale, que desviou cobrança de falta executada por Van der Vaart. O Tottenham novamente entrou no G4, deixando o Chelsea para três. Os Spurs tem 36 pontos e os Blues tem 34. Agora os comandados de Carlo Ancelotti ficam na obrigação de vencer o Aston Villa pra voltar ao G4.

Já o Fulham entra na zona de rebaixamento, com 19 pontos, isso graças ao West Ham, que bateu o Wolverhampton por 2×0 – Zubar contra e Sears marcaram pros Hammers – e agora figura fora da zona de descenso, com 20 pontos.

Joe Cole voltando a cena (Reuters)

Nos jogos que movimentaram o meio da tabela, destaque pro Liverpool, que venceu a boa equipe do Bolton no sufoco, 2×1, com um gol de Joe Cole aos 46 minutos da etapa final – Davies fez pro Bolton e Torres havia feito o primeiro do Liverpool.  Os Reds estão agora na 9ª colocação com 25 pontos, enquanto os Trotters caem para a 7ª colocação, com 29 pontos. E quem ultrapassou o Bolton com esse tropeço foi o Sunderland, que bateu o Blackburn por 3×0 – gols de Welbeck, Bent e Gyan – e estão uma posição acima, com um ponto à mais. O Stoke City foi outra equipe que venceu. A vitória da rodada foi sobre o Everton, 2×0 – gols de Jones e Jagielka contra – e sobem pra 8ª colocação, com 27 pontos.

Amanhã, Chelsea x Aston Villa e Wigan x Newcastle fecham a rodada.

Dois dias depois…

Após jogarem no domingo, vários times voltaram a campo na terça-feira

E seguimos com as incansáveis maratonas de jogos na Inglaterra. Onze equipes que entraram em campo no domingo (26) tiveram de encarar mais uma partidinha, simplesmente dois dias depois, na terça (28). Alguns tiveram que percorrer distâncias relativamente longas – como o Newcastle, que teve de percorrer 470 quilômetros até Londres -, outras nem saíram de seu lugar, como o West Ham, que permaneceu em Londres.

Lee Bowyer salvou o Birmingham nos acréscimos (AFP)

Começamos falando do Manchester United, que teve de ir do noroeste da Inglaterra e ir pro centro do país enfrentar o Birmingham, para tentar manter a ponta, coisa que não foi totalmente possível. Após um primeiro tempo morno, de muitos erros de passe e poucas emoções, os Red Devils abriram o placar no segundo tempo, com Dimitar Berbatov, que tabelou com Gibson e mandou para as redes. Foi o 13º gol do búlgaro na Premier League. O Manchester tinha a partida em mãos. Trocava passes, marcava forte e o Birmingham só tinha forças para jogar a bola na área, coisa que nem sempre dava certo. Uma hora deu, e nessa hora, Zigic escorou e Bowyer marcou. Só que o gol foi irregular. O atacante sérvio dos Blues ajeitou a bola com a mão para a finalização de Bowyer. Fora ainda ter havido uma possível falta do próprio Zigic em Ferdinand. Eu não daria, achei que o contato dos dois foi quando o atacante já estava no ar, mas não seria nada de outro mundo ser marcada a falta.

Mas a história que ficará é que o Manchester fica na liderança, mas sem a tranquilidade que a vitória lhe daria. Os Red Devils ocupam a liderança, mas com os mesmos 38 pontos do Manchester City e só vencem nos critérios de desempate. O empate foi lucrativo pro Birmingham, que chega a 19 pontos e deixa a zona de rebaixamento. Os Blues ocupam agora a (ainda incômoda) 16ª colocação.

O Manchester City saiu de Newcastle, no norte da Inglaterra com três pontos e voltou para o noroete inglês, sua casa e conquistou mais três pontos. Hoje os Citizens venceram o Aston Villa com facilidade, 4×0. O destaque do jogo foi “o homem que só vê a sua frente Lionel Messi”, Mário Balotelli. O italiano anotou três gols, sendo dois de pênalti. O quarto gol foi do defensor Lescott. O Manchester City, mesmo tendo sofrido alguns tropeços desnecessários, não desgruda dos líderes e está na segunda colocação, com os mesmos 38 pontos do rival e líder Manchester United. Já os Villans seguem em péssima situação. Estão na 15ª colocação, com 20 pontos e próximos da zona de rebaixamento.

Lennon abriu o placar pros Spurs (Getty Images)

O Tottenham deixou o centro da Inglaterra e migrou para sua ‘terra natal’, em Londres, onde recebeu o Newcastle, que saiu do norte do país, tendo de percorrer cerca de 470 quilômetros pro duelo de hoje. E essa distância foi percorrida em vão pelos Magpies, que perderam de novo – terceira em cinco jogos e segunda consecutiva -, nona na competição. Os gols dos Spurs foram marcados na etapa final, pelo Aaron “Ligeirinho” Lennon e Gareth “Papa-Léguas” Bale, ambos em suas jogadas características, jogadas velozes e finalizações cruzadas.

O Tottenham está no G4, ultrapassaram o Chelsea – são 33 pontos contra 31. O Newcastle segue com sua campanha irregular – 13º lugar, com 22 pontos – e tem de tomar cuidado para não começar a encostar na parte debaixo da tabela.

Agora pulamos pra parte debaixo da tabela, onde o Fulham pegou estrada até Stoke-on-Trent pegar o Stoke e conseguir grande vitória. Com dez minutos de jogo, Baird decidiu, com dois gols, um aos 4 minutos e outro aos 10′. Antes do jogo de hoje, Baird, que joga no Fulham desde 2007, só tinha um gol na Liga e termina com três.

Mas o que importa pros Cottagers é que eles deixam a zona de rebaixamento, chegam a 19 pontos, na 17ª colocação. Vitória que dá um pouco de sustentação ao técnico Mark Hughes. O Stoke segue em sua zona intermediária – 10ª colocação, com 24 pontos – e por lá deve permanecer, vai se firmando cada vez mais na Premier League.

Se o Fulham se deu bem, o mesmo não se pode dizer do West Ham, que tropeçou no Upton Park, diante do Everton, que teve de percorrer cerca de 350 quilômetros para essa partida. Os Toffes deram uma forcinha pros Hammers, com um gol de contra de Hibbert, mas Coleman marcou à favor e fechou no 1×1. O Everton está na 11ª colocação com 22 pontos, enquanto o West Ham permanece na vice-lanterna, com 17 pontos.

Outros Resultados

Sunderland 0x2 Blackpool
WBA 1×3 Blackburn

Amanhã

Arsenal x Wigan
Chelsea x Bolton
Liverpool x Wolves

Esse é o Boxing Day

 

Thanks...

Com um pouquinho de atraso do que o esperado, venho falar da tradicional rodada do Boxing Day na Terra da Rainha. Mas antes de falarmos dos jogos, você tem de conhecer o que significa o Boxing Day.

O Boxing Day é uma espécie de feriado realizado no dia seguinte ao natal. Enquanto as mulheres vão às favas com as compras – no Boxing Day há liquidações monstro nas lojas comerciais, com descontos absurdamente gigantes -, os homens tem como vantagem, acompanhar as rodadas completas no Reino Unido.

Na Inglaterra era pra funcionar assim. Mas você pergunta: “Era? Mas não é mais?”

Bom, os dez jogos da rodada 19 estavam marcados para domingo e segunda – 9 jogos domingo e 1 segunda -, mas “o amigo (da onça) do fã do futebol europeu” atrapalhou. A neve voltou a forçar o adiamento de alguns jogos: Everton x Birmingham e Blackpool x Liverpool. Na que tirasse o prazer de acompanhar o futebol na Inglaterra.

Cole fez dois no Craven Cottage (PA)

Para abrir o Boxing Day tivemos duelo londrino, entre Fulham x West Ham. Os Whites chegaram a sair na frente com Hughes, mas cederam a vitória aos Hammers, graças a sua defesa. Carlton Cole fez dois aproveitando “assistências” da zaga adversária, enquanto Piquionne se aproveitou da zaga mal posicionada para marcar. A atuação do Fulham foi tão desastrosa, que os amigos Matheus Schenk e Marcelo Ksseinsk, componentes do Fulham FC Brasil disseram ser uma das piores atuações do clube que eles viram, mas não é à toa, o Fulham entrou na zona de rebaixamento – 18ª colocação, com 16 pontos – e Mark Hughes balança fortemente. A vitória foi muito importante pro West Ham, que deu sinal de vida e deixa a lanterna, mas ainda está na incômoda 17ª colocação, com 16 pontos.

Uma hora após o término de Fulham x West Ham, mais torcedores de dez times diferentes puderam ver seus times em campo no feriado, foram mais cinco jogos.

Dimitar Berbatov decisivo (Reuters)

Primeiro embarcamos para Manchester, onde o United bateu a boa equipe do Sunderland. O destaque da partida foi novamente Dimitar Berbatov, que anotou dois tentos no jogo do Boxing Day. Anderson também teve boa atuação, sendo inclusive, aplaudido pela torcida do Manchester United, quando deixava o campo para ser substituído. Há quem diga que essa foi uma das melhores atuações do meia brasileiro no futebol inglês. Os Red Devils garantem mais uma rodada na ponta, com 37 pontos – e dois jogos à menos que o vice líder. Já o Sunderland está na 7ª colocação, com 27 pontos e não desgruda das zonas das ligas européias.

No mesmo horário do jogo do United, outra equipe de Manchester jogou, o City, que fora de casa bateu o Newcastle. O ‘infeliz e deprimido’ Tévez foi o grande homem da partida. Deu assistência pro gol de Gareth Barry e ainda fez outros dois. Pros Magpies, Andy Carroll marcou. Os Citizens estão na vice-liderança, com 35 pontos, dois atrás do líder, mas tem dois jogos à menos, fora ainda ter tido tropeços desnecessários, que lhe impedem de liderar. O Newcastle está na 9ª colocação, com 22 pontos.

O Bolton mantém sua bela campanha com mais uma vitória. The Trotters bateram no Reebok Stadium o West Brom. Embora o WBA tenha criado mais e melhores chances de gol, o Bolton foi mais preciso nas finalizações e fez dois gols, com Taylor e Elmander. The Trotters ficam na 6ª colocação, com 29 pontos, posição surpreendente. Já o West Brom segue com sua campanha regular, 12ª colocação, com 22 pontos, mantendo a média, permanece na primeirona.

Van der Vaart mostrando o 'porque' do dinheiro investido (PA)

Fechando o dia, tivemos o único jogo que pude assistir, Aston Villa e Tottenham. Aliás, bom jogo, que começou com muita correria dos dois lados e boas chances de gol. Aos poucos, os Spurs começaram a tomar conta da partida e logo abriram o placar com gol de Van der Vaart. Só que veio uma participação direta da arbitragem – que já havia anulado um gol de Kaboul bem duvidoso (acho que acertaram no lance, cujo a bola teria saído, quando Hutton tocou para o zagueiro completar) deu uma atrapalhada na partida. Após disputa de bola no alto, o árbitro Martin Atkinson viu cotovelada de Defoe em Collins e o expulsou. O atacante dos Spurs nem viu o zagueiro. Acho que fez falta, mas não tentou acertá-lo.

À partir da expulsão, o Tottenham dava campo ao Villa e de certa forma recuou demais. Conseguiu aumentar na etapa final, em rápido contra-ataque armado por Bale e Lennon, com complementação em gol de Van der Vaart, mas seguia recuado, até que veio uma substituição de certa forma, esdruxula. Harry Redknaap tirou Van der Vaart e colocou Crouch. Até aí tudo bem. Ele tirou um homem importante que sofre com muitas lesões, melhor preservar e colocar um atacante, acontece que o gigante atacante entrou como um terceiro zagueiro, ficou entre Dawson e Kaboul. Esse recuo desnecessário deixou com que o Aston Villa permanecesse com sua jogada tradicional na partida, a bola aérea e assim descontou, com Albrighton, que cruzou, ninguém tocou na bola e ela entrou. Os Villans mantinham a pressão, mas não conseguiram o empate. O Tottenham está na 5ª colocação com 30 pontos e torce para que Chelsea e Arsenal fiquem num empate, pra ninguém escapar. Já o Aston Villa está em situação delicada – 15ª colocação, com 20 pontos – e com perspectivas de venda dos principais jogadores na janela de janeiro.

*Outros Resultados

Wolverhampton 1×2 Wigan
Blackburn 0x2 Stoke City

*Hoje

Arsenal x Chelsea – 18h (Horário de Brasília) – Ao Vivo na ESPN, ESPN HD e na RedeTV!

E esse foi o Boxing Day na Inglaterra…

City subindo… Hammers decendo…

 

Mancini é um dos centros das confusões (Getty Images)

O Manchester City pode ser um clube conturbado. Volta e meia você vê uma briguinha, uma discussão com o técnico, alguém dizendo que está infeliz, mas nada disso impediu que os Sky Blues podessem chegar na parte de cima da tabela de classificação da Premier League. O City bateu o desesperado West Ham e está com o mesmo número de pontos do líder Arsenal.

Touré foi o cara do jogo (AP)

O grande destaque do Manchester City na partida diante do West Ham foi o marfinense Yaya Touré. Para mim, ele é mau escalado. Muitas vezes ele joga como meia armador, mas hoje, jogando mais avançado, fez dois gols. No primeiro, Barry, na esquerda, tocou para o meio, onde estava Touré, que já dentro da área finalizou forte e abriu o placar. Na etapa final, ele correu sozinho pela ponta esquerda, entrou na área e tocou na saída de Green. O City ainda aumentou com Johnson. Tomkins fez o gol de honra do West Ham. O Manchester City chega a 32 pontos, os mesmos 32 do líder da Premier League, Arsenal, mas os Citizens perdem nos critérios de desempate, por isso ficam na segunda colocação. Os Hammers estão na lanterninha, com 12 pontos e são um dos grandes candidatos ao rebaixamento.

Alan Pardew estreou como técnico do Newcastle (Getty Images)

Já o técnico Alan Pardew mostrou a torcida do Newcastle seu cartão de visitas. Os Magpies derrotaram o Liverpool no St. James Park e seguem com boa campanha. Na primeira etapa, Nolan estava em posição no mínimo duvidosa, e nessa posição abriu o placar. Na etapa final, os Reds chegaram a empatar com Kuyt, mas Barton e Carroll marcaram um cada e garantiram a vitória dos Magpies por 3×1. O Newcastle está agora na 8ª colocação, com 22 pontos, enquanto o Liverpool não consegue decolar e com os mesmos 22 pontos do Newcastle, os Reds ficam na 9ª colocação.

Demais Resultados

Aston Villa 2×1 West Brom
Everton 0x0 Wigan
Fulham 0x0 Sunderland
Stoke 0x1 Blackpool

Amanhã

Bolton x Blackburn
Wolverhampton x Birmingham
Tottenham x Chelsea

Segunda

Manchester Utd x Arsenal

Napoli cutucando os líderes (Getty Images)

Agora voamos para a Itália, onde o Napoli venceu mais uma e não desgruda do líder Milan. Os Azzurri bateram o Genoa no Luigi Ferraris e já estão três pontos atrás do líder da Série A.

Testada precisa de Hamsik (Getty Images)

O único gol da partida saiu aos 23 minutos da etapa inicial, quando o eslováco Marek Hansik, de cabeça, tirou do goleiro e anotou o tento. O Napoli segue com bela campanha. 3ª colocação, com 30 pontos, enquanto o líder Milan, tem 30. Os Azzurri não tem mostrado somente um bom futebol, mas também bons valores, como Hamsik, Lavezzi e Cavani, o trio poderoso do Napoli. Enquanto isso o Genoa está em 10º lugar, com 21 pontos. Mesmo assim, não se distancia da briga por vaga nas ligas europeias. A distância pra 6ª colocação é só de três pontos.

O Palermo segue repetindo a boa campanha, que na temporada passada quase lhe rendeu uma vaga na Champions League. No dia de hoje, os Rosaneros bateram o Parma de virada e já estão na 5ª colocação. O Palermo sofreu um susto, quando Lucarelli abriu o placar pro time visitante, mas Pinilla, Fabrizio Miccoli e Zaccardo (contra) viraram pros Rosaneros e garantiram a 8ª vitória na competição. O Palermo está agora na 5ª colocação com 26 pontos, um atrás da Juve, primeiro time no G4. O Parma segue em posição ruim, na 15ª colocação, com 18 pontos, mas não entra na zona de rebaixamento porque o Cesena, primeiro time dentro da zona de rebaixamento tem 12 pontos.

Menção Honrosa para a Udinese, que de virada bateu a Fiorentina, 2×1.

E ainda nesta rodada…

Bologna x Milan
Brescia x Sampdoria
Cagliari x Catania
Roma x Bari
Lecce x Chievo
Juventus x Lazio
Inter x Cesena (este jogo após a Inter voltar do Mundial)

O dia em que a Academia chegou a glória

 

West Ham campeão europeu

Quem é garoto, assim como eu, talvez pode achar que o West Ham é um time pequeno, sem expressão alguma, mas é mentira. A gente vê hoje um Campeonato Inglês onde vemos poucos ingleses nos grandes times, mas um time se sobressai. É o próprio West Ham. O time tem a fama de revelar grandes jogadores ingleses e houve um ano que esses garotos levaram os Hammers a glória.

O time comandado por Rob Greenwood e que tinha como destaques Bobby Moore, Geoff Hurst e Martin Peters, todos revelados pelo clube chegou a final da Copa dos Campeões das Copas, após eliminar Gent, Sparta Praga, Lausanne e Zaragoza, marcar 14 gols e sofrer 9 gols, para enfrentar no Wembley os alemães do Munich 1860, time que fez 19 gols e sofreu somente 4. Os Hammers tinham nada mais, nada menos que 9 jogadores revelados na Academia.

Na partida jogada diante do Munich 1860, um jogador não revelado pela Academia decidiu. Alan Seasley marcou aos 25′ e aos 27 minutos da etapa final e deu ao West Ham o seu único título europeu em toda a sua história. Pro pessoal que quer saber mais sobre a Academia de Futebol do West Ham, é só acessar o site dos Olheiros.

Veja os lances da final: