Allez Granville!

Foto: Reprodução

Encho a boca para falar e não tenho medo de repetir: não existe torneio mais legal que a Copa da França. É o verdadeiro campeonato democrático, que pode colocar gigantes do país de frente com nanicos amadores, com atletas que possuem dois ou até três empregos, em estádios acanhados, com capacidade inferior a cinco mil pessoas.

É a copa que já nos brindou com histórias fantásticas, como a do Guingamp de 2009, do Évian de 2013, do Calais de 2000 e a que mais me fascinou nesse tempo todo: do Quevilly de 2012. Em comum entre esses times apenas a saga heroica, o sonho de disputar uma final no pomposo Stade de France para grande público. Para uns, veio o título, para outros, sobrou o vice. Mas para todos ficou a sensação de ter cativado milhares de amantes do futebol, apaixonados por presenciar histórias ricas de heroísmo e simplicidade no esporte que tanto amamos.

A história da vez é do US Granville, situado em cidade de mesmo nome, na Normandia, de pouco mais de 13 mil habitantes. Amador, o clube completa 100 anos em fevereiro e atualmente disputa a National 2, o equivalente a quarta divisão da França.

Ocupando o Grupo D da competição, os valentes heróis fazem discreta campanha, na 9ª colocação, com 21 pontos. Com o Le Mans (sim, é o mesmo Le Mans que já teve Grafite, Paulo André, Gervinho e Drogba) disparado na frente, com 37 pontos, é quase impossível imaginar que consigam subir para a terceira divisão.

Mas se no ostracismo do quarto escalão francês raramente conseguem algo para chamar a atenção, é na Copa da França que os Brancos e Azuis Reais tentam fazer uma graça.

A primeira grande aparição foi em 2015/16. De forma valente, o Granville, já comandado por Johan Gallon, foi pulando de galho em galho, eliminando, inclusive, o Stade Lavallois, na época, na segunda divisão. Foi pulando tanto que chegou a uma impensável fase de quartas-de-final, onde teria simplesmente o Olympique de Marseille pela frente.

O modesto estádio Louis-Dior foi deixado de lado e o Michel D’Ornano, em Caen, a mais de 100 km de Granville, foi o palco escolhido do jogo. Em oito horas, os 20 mil ingressos foram vendidos e o time, acostumado a jogar para pouco mais de mil torcedores, teria um grande chamariz pela frente.

A aventura, porém, acabou ali. O Marseille, mais forte e concentrado, dominou a partida, passou poucos sustos e venceu por 1 a 0, gol do belga Michy Batshuayi.

Dois anos depois, o Granville está reescrevendo sua história. Após eliminar os também amadores Vierzon (5ª divisão) e o Vitré (4ª), os Brancos e Azuis Reais receberam pela fase de 32avos de final o Bordeaux.

O estádio Louis-Dior, que pode receber 3 mil pessoas, estava abarrotado, e quem lá estava presenciou a virada mais mágica e impressionante da centenária história do Granville. Após sair atrás aos 37 da primeira etapa, o time da casa viu a maré mudar aos 40 do segundo tempo, com a expulsão do lateral Sabaly.

Nos últimos segundos de partida, quando a eliminação parecia certa, a zaga do Bordeaux não conseguiu tirar a bola do campo de defesa. Sorte de Martinet, que acertou um tiro rasteiro de fora da área e igualou o marcador aos 48 minutos da etapa derradeira.

Na prorrogação, coube a um dos mais experientes do time decidir em uma cobrança de pênalti, ainda na primeira parte do tempo extra: Ladislas Douniama, de 31 anos. Na larga carreira, somou passagens por clubes como Lille e Guingamp, e defendeu até mesmo a seleção do Congo. Com a frieza que o momento necessitava, deslocou o goleiro e fez o gol que entrou para a história do clube. Aos gritos “Allez Granville”, o time amador conseguiu o inédito feito de eliminar um adversário de primeira divisão.

Na fase de 16avos de final, o Granville terá pela frente o Concarneau, clube que está na 10ª colocação da terceira divisão, três pontos acima da zona de rebaixamento. O jogo será disputado já nesta terça-feira (23).

E por que não acreditar que a história de Gallon e seus comandados seguirá além? São times como o nosso improvável herói, que desbancou o Bordeaux, que fazem a Copa da França ser o que é, que a fazem ser o torneio que tira os grandes da zona de conforto e abram seus olhos para verem que há futebol além da bolha milionária.

Que sigam fazendo história! Allez Granville!

Times pequenos (grandes adormecidos), nunca temidos, sempre combativos

 

Será que uma "pessoa comum" de um time pequeno pode erguer essa taça?

Essa época de copas nacionais é uma das mais legais que tem na temporada europeia. Você sempre vê os grandes times das primeiras divisões tendo de se aventurar em estádios pequenos e acanhados, tendo de enfrentar equipes de um nível técnico muito abaixo, mas que contam com torcidas fanáticas.

Diferentemente da Copa do Rei, que tem regulamento de ida e volta e dá uma baita chance aos grandes se recuperarem num eventual tropeço, competições como a FA Cup e a Coupe de France – competições que hoje tiveram o seu “início oficial”, com a entrada dos grandes – não dão essa chance pros grandes e por isso, muitas zebras rolaram.

O Leeds foi uma das zebras (Getty Images)

No primeiro jogo do dia, primeira zebra. O Arsenal perdia pro Leeds United por 1×0 – gol de Snodgrass de pênalti – conseguiu o gol no finzinho do jogo com uma ajudinha da arbitragem. Mas vamos desde o início. Aos 44 minutos do segundo tempo, Walcott caiu dentro da área e a bola sobrou para o avançado Bendtner. O árbitro deu pênalti no camisa 14, e o bandeira deu impedimento do camisa 52 e Phill Dowd voltou atrás, deu impedimento. Quem é meio maluco como eu, vai entender o que eu vou tentar escrever, pois é meio complicado de explicar. Se ele deu pênalti e pênalti não tem vantagem, por que assinalar impedimento? (Só para constar, não seria nada de outro mundo ele dar pênalti em Walcott). No minuto seguinte, Theo Walcott foi tocado e se jogou, o árbitro compensou e deu pênalti. Fábregas converteu e forçou o replay.

Outra equipe da primeira divisão que decepcionou foi o West Bromwich. O WBA, que faz boa campanha na Premier League, foi eliminado pelo Reading, perdendo por 1×0 – gol de Long -. Não chega a ser uma grande decepção, pelo fato do West Brom não estar passando por um de seus melhores momentos e pelos Royals, que fazem boa campanha na segundona inglesa. O mesmo exemplo do West Brom é o Blackpool, que é uma surpresa da EPL, mas que caiu. Os Tangerines – que fazem boa campanha fora de casa – caíram pro Southampton por 2×0, justamente fora de casa.

Stevenage é a mãe de todas as zebras (PA)

Se o Blackpool sempre mostra um bom futebol fora de casa, o Sunderland costuma mostrar um bom futebol em casa, e no Stadium Of Light, perdeu pro Notts County por 2×1 e é outra equipe que foi eliminada. Os Black Cats estavam na minha lista de equipes que poderiam surpreender nesta FA Cup. Só que a maior de todas as zebras foi na pequena Stevenage, onde o clube local, o Stevenage, atual campeão da quinta divisão, passou pelo Newcastle na FA Cup. A pequenina equipe, que ocupa a 15ª colocação da quarta divisão, marcou com Bostwick, Winn e Williamson contra e viu os Magpies descontarem com Barton. Mas não deixa de ser surpreendente e porque não, vergonhosa a eliminação do Newcastle diante do Stevenage.

Paris FC é a pedra no sapato do Toulouse (L'Equipe)

Zebras também ocorreram na França e elas começaram a passar na sexta-feira, no Stadium Municipal, quando o Toulouse caiu em casa diante do Paris FC, time da terceira divisão. O time da capital abriu 2×0, com Traoré e Vincent e o TFC descontou com Mansaré, nada que diminuisse a vergonha dos donos da casa, que aliás, já foram eliminados pelo Paris FC na mesma Copa da França, duas temporadas atrás.

O Mônaco segue seu inferno na temporada, completando com uma eliminação na Copa da França para um time da 5ª divisão, o Chambéry. Após 1×1 no tempo normal e na prorrogação – Dubard pro time da 5ª divisão e Malonga pro time da 1ª divisão – , o Chambéry venceu por 3×2 nos pênaltis, eliminando o Mônaco. Decepção e Guy Lacombe segue ameaçado. E olha o Auxerre. Até ontem, o AJA estava conquistando uma vaga na Champions League e meses depois enfrentando os gigantes Real Madrid, Milan e Ajax, agora se vê eliminado pelo ‘poderoso’ Wasquehal, da 5ª divisão. O Auxerre até começou bem, abrindo o placar com 13 minutos, gol de Coulibaly, mas aos 35 minutos do segundo tempo, Debuchy e aos 43 minutos, Coulibaly de pênalti marcaram pro Wasquehal e eliminaram o AJA de forma precoce.

Clermont aumentando a lista de decepções recentes do Saint Etienne (L'Equipe)

Se já não bastasse os vários anos na fila e as constantes temporadas decepcionantes – e até lutando contra o descenso -, os torcedores do Saint Etienne tiveram de aturar mais um vexame. Jogando no Geoffroy Guichard, o ASSE caiu pro Clermont, da segundona francesa. Privat e Haquin marcaram pros visitantes e eliminaram o Saint Etienne, com uma surpreendente derrota por 2×0.

Agora estamos de volta a FA Cup, mas para falarmos das equipes que não deram sopa pro azar, ou que passaram por equipes que em tese oferecem certos perigos, como o Blackburn, que passou pelo líder da segundona, o Queens Park Rangers por 1×0, gol de Hoilett. O Bolton passou trabalho. Enfrentava no Reebook Stadium o York, da 5ª divisão e a vitória só veio na parte decisiva do segundo tempo. Aos 38 minutos, Davies e aos 44′, Elmander marcaram pros Wanderers e classificaram a surpresa da Premier League, evitando um vexame.

Kamará decidindo pro Fulham (PA)

Mal na Premier League, o Fulham começou muito bem a FA Cup simplesmente atropelando o Peterborough. Um impiedoso 6×2 e a vaga garantida com tranquilidade. O Wigan também está mal na Premier League, mas conseguiu também uma importante vitória, 3×2 no Hull City fora de casa. Quem também está mal na EPL e começou bem a FA Cup foi o West Ham, que venceu o Barnsley por 2×0. Mas vale lembrar pros times que estão na parte debaixo da tabela – como o Wigan e o West Ham – que na temporada passada, o Portsmouth, que foi rebaixado na Premier League ‘com méritos’, chegou a final da FA Cup. Será que a história se repete?

A dupla de Birmingham passou de fase. O Aston Villa com algumas dificuldades: 3×1 pra cima do Sheffield United. O Birmingham também não teve trabalho para passar pelo Milwall. 4×1 e vaga garantida. O Everton passou com tranquilidade pelo Scunthorpe, um dos últimos colocados do Championship. 5×1, com destaque para o belga Fellaini, que fez bela partida.

Gervinho marcou pro Lille (L'Equipe)

Repetindo o trajeto, voltamos a França, falando agora dos times que não estavam nem aí pros pequenos e já passaram de fase, como o Nice, que teve trabalho. Após 1×1 no tempo normal e no extra contra o Creteil – Lesage pro Creteil e Mouloungui pro Nice – Le Gym venceu nos pênaltis, 6×5. Líder da Ligue One, o Lille passou sem grandes dificuldades pelo Forbach da quinta divisão, 3×1 – Hazard, Chedjou e Gervinho pro LOSC e Errai de pênalti descontou (nome apropriado para um cobrador de pênalti). O Bordeaux teve de vencer o Rouen no Chaban Delmas de virada. Após sair atrás, com um gol de Rodríguez, Modeste e duas vezes Diabate deram a vitória e a vaga pros GirondinsO Lyon também teve trabalho para bater o Caen, 1×0, gol de calcanhar de Diakhaté.

PSG e Lorient passaram com facilidades. O time da capital meteu 5×1 no Lens e Les Merlus meteram 4×1 no Vannes – jogo que não foi tão fácil assim, pois o Lorient vencia por 2×1 até nos acréscimos, quando conseguiu dois gols.

Amanhã, mais jogos fecham as rodadas da FA Cup e da Coupe de France, então falarei desses jogos e passarei os outros resultados.