h1

Acabou o amor

6 de abril de 2013
A temporada 12/13 será a única de Barton na França?(Getty Images)

A temporada 12/13 será a única de Barton na França?
(Getty Images)

Antes de pisar em gramados franceses de forma oficial, falei aqui mesmo que o meio-campista Joey Barton parecia mais simpático (!) após sua transferência para o Olympique de Marseille. Carregando uma pesada suspensão oriunda de seus turbulentos tempos de Queens Park Rangers, o inglês demorou a estrear no Campeonato Francês e foi um ilustre torcedor do OM. Durante este período, Barton foi só elogios a tudo, ao time, ao técnico, aos jogadores, a torcida, a cidade, a comida, ao tio do táxi, a velhinha da lanchonete… Os ares da litorânea cidade francesa pareciam ter arejado sua confusa cabeça.

Foi só aparência.

Logo veio 2013, junto chegou à má fase do Marseille, a primeira expulsão – injusta, por sinal – e as diversas polêmicas, a grande maioria gerada via Twitter. A princípio, essas confusões criadas na rede social afetavam apenas sua imagem, mas foi só o Marseille ser envolvido que a diretoria se viu na obrigação de tomar as rédeas da situação.

A gota d’água foi nesta semana quando o brasileiro Thiago Silva, em entrevista ao L’Equipe, disse não conhecer “o inglês falastrão do Marseille”, fazendo referência as ultra dimensionadas críticas de Barton à Neymar. O britânico, como não poderia deixar de ser, não ficou quieto e chamou o capitão parisiense de “supervalorizado, metrossexual e gorducho”.

A confusão atingiu os clubes e o PSG entrou como uma ação no Comitê Disciplinar da LFP – Liga de Futebol Profissional da França – contra Barton, ação que não resultou em nada, porém, o Olympique de Marseille teve de soltar uma nota oficial pedindo desculpas ao clube e a Thiago. Além disso, deve ter existido alguma cobrança interna.

Nós, brasileiros, ajudamos a “criar esse monstro”, devemos reconhecer. Se a repercussão das primeiras críticas a Neymar fosse justa, o assunto morreria na hora. A única coisa minimamente relevante no caso foi o fato de um jogador criticar outro, coisa rara nos dias atuais, mas apenas isso, nada relacionado com o tamanho absurdo da repercussão que observamos até hoje. Porém, acabamos dando os holofotes que o inglês queria.

Mas o grande fato é que Joey Barton ultrapassou os limites ao atacar Thiago Silva. Sua temporada é boa, ele é titular do time de Élie Baup e é peça importante do meio-campo do Marseille, mas seu contrato acaba no fim da temporada e confusões como essas fazem a diretoria do clube pensar mil vezes antes de tentar uma renovação.

Sem falar do fator técnico. Barton é bom jogador, não mais que isso, está na média. Dá para arrumar alguém melhor e mais jovem tranquilamente e é aí que pesam as polêmicas. Qual a validade de ter um jogador bom e experiente, mas que se “sobressai” nas confusões extracampo? É mais vantajoso garimpar um garoto que tenha potencial pra superá-lo tecnicamente e que ainda se comporta fora das quatro linhas e fica mandando mensagens de Deus na internet.

Nessas horas que falta inteligência à Barton. Se controlar em uma discussão no mano-a-mano, sendo xingado na cara dura é uma coisa, mas manter a postura estando com um computador, notebook, tablet ou qualquer coisa parecida em mãos é diferente, era pra ser muito mais tranquilo. A questão pode ser resolvida se o inglês parar por trinta segundos e pensar que aquilo prejudica a imagem e sua carreira, que já não é das mais bem resolvidas.

Outra questão que Barton parece não observar é da adoração que a torcida tem por ele. Idolatria chega a ser exagero, mas os fãs olimpianos criaram respeito pelo inglês, fazendo com que todo gosto do inglês para o ambiente de Marseille não ficasse reservado para um único lado, mas para as duas partes. Suas polêmicas fora de campo talvez não afetem sua imagem com o cego torcedor, mas com os dirigentes é outra história e uma dispensa passa a ser considerada. Essas atitudes extracampo podem provocar a decepção justificada de milhares de torcedores

Aquele bom moço que apareceu quando chegou a Marseille sumiu, o bad boy reconhecido mundialmente está adormecido, mas o jogador que aparece mais fora de campo do que dentro dele ainda está ativo. Isso já marcou negativamente a carreira de Joey Barton e deve cravar sua saída do Olympique de Marseille.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: